sábado - 29/12/2007 - 00:08h

O tempo de Marcelo Rosado


O engenheiro Marcelo Rosado (PR), secretário do Desenvolvimento do RN, não disfarça a ansiedade. O tempo o aflige, sem um aceno de sim ou não para 2008.

Imberbe no ramo, Marcelo tem um exemplo dentro de casa que pode lhe falar sobre o "time" na política.

No início dos anos 80, secretário estadual da Educação do governo José Agripino, o professor Genivan Batista (pai de Marcelo) foi ejetado bruscamente da cadeira. Sua marcha célere para ser deputado não estava no tempo. Morreu ali. 

A amigos e familiares, Marcelo não consegue esconder que espera "logo" para o início de 2008, uma posição da governadora Wilma de Faria (PSB). 

Sei não… Quem conhece Wilma sabe que o fogo brando quem altera é ela: para cima ou para baixo. 

Sei não…

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 28/12/2007 - 23:13h

Disputa eleitoral em Mossoró


Sabe qual a maior novidade da campanha sucessória de Mossoró, que ocorre em 2008? Nenhuma. Exatamente isso. Não há nada de novo. A família Rosado caminha para completar um monopólio de poder de quase 60 anos contínuos.

A engenharia política dos herdeiros do patriarca Jerônimo Rosado, um farmacêutico que migrou do sertão paraibano para Mossoró em 1890, portanto há 117 anos, os coloca até aqui em praticamente todas as hipóteses de escolha para o eleitorado de quase 150 mil pessoas.

Os Rosados são governo, "oposição" e "alternativa."

Neta de Jerônimo Rosado, falecido em 1930, a prefeita Fafá Rosado (DEM) aparece como pré-candidata à reeleição. Sua prima em segundo grau, Larissa Rosado (PSB), deputada estadual e secretária estadual da Agricultura, é "oposição."

Já o também primo em segundo grau Marcelo Rosado (PR), engenheiro e secretário estadual do Desenvolvimento, seria a "novidade."

Até quem ensaia uma candidatura em faixa própria, o ex-deputado estadual Antônio Capistrano (PC do B), tem um passado de forte vínculo com o rosadismo. Ele foi vice-prefeito em dois mandatos consecutivos da hoje senadora Rosalba Ciarlini Rosado (DEM), nas eleições de 1996 e 2000.

Os denominados movimentos sociais praticamente inexistem, são aparelhados pelas alas da família ou não possuem maior representatividade. Boa parte das lideranças emergentes que vão surgindo são cooptadas ou alijadas e parcela considerável dos partidos em atividade em Mossoró termina como apêndice de um dos blocos Rosados.

* Acompanhe o restante desta reportagem especial, analítica, em postagens que farei ainda hoje.

Aguarde.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
sexta-feira - 28/12/2007 - 23:07h

Os “hermanos” de Hermano podem ser “mui” amigos


Definitivamente estou desconfiado que estão preparando uma cama-de-gato para o bom vereador Hermano Morais (PMDB).

Não faltam elogios de líderes partidários e colegas de Casa ao aprojeto que ele começa a empinar: ser candidato a prefeito da capital. Já vi esse filme antes, em várias sessões.

Na campanha de 2004, o deputado federal Ney Lopes (DEM) foi candidato a prefeito da capital com embalo parecido. Terminou se metendo num grande mal-estar. Nenhum figurão do generalato partidário topou o sacrifício.

Numa hipotética eleição, o resultado seria creditado aos "donos" do partido; em caso de derrota a explicação seria a fragilidade do candidato.

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 28/12/2007 - 21:28h

“Sobra” da câmara pode gerar mais desconfiança


A atitude da Câmara de Mossoró em devolver mais de R$ 158 mil (por enquanto) este mês, ao erário do município, é realmente uma boa ação. Mas…

O procedimento pode causar outros embaraços aos vereadores. Se sobrou até aqui tudo isso num mês, o que aconteceu nos anteriores? 

Não excedia qualquer merrequinha?

A origem da sobra em dezembro (veja matéria mais abaixo) seria a contenção de despesas com demissão de servidores irregulares. Entretanto, esse fato aconteceu há vários meses.

O efeito financeiro positivo só aconteceu agora?

É bom lembrar, que a câmara está atualizando débitos com vários prestadores de serviços e fornecedores. Apesar do volume de pagamentos, ocorre esse fenômeno contábil muito estranho à cultura política mossoroense.

Vem mais barulho por aí. Anote.

Categoria(s): Sem categoria
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 28/12/2007 - 20:21h

“Câmara do bem” devolve dinheiro


Leio no Pedro Carlos Ponto Com, que a Câmara de Mossoró vai devolver mais de R$ 158 mil ao erário municipal. "Sobra". Quem te viu, quem te ver.

Pelo relato do jornalista, o presidente Júnior Escóssia (DEM) está convidando quem for credor da Casa, para fechar o ano sem dever – financeiramente – a ninguém.

A sobra, explica, seria decorrente de economias no custeio, como a demissão de servidores irregulares. Lembro o poema de Gonçalves Dias, tendo que exclamar: "Meninos, eu vi!"

Pena que a boa ação seja pontual, depois que a Casa se enroscou com uma série de situações suspeitas, estando sob investigação do Minstério Público, na "Operação Sal Grosso".

Bem que eu não acreditava em rumores sobre escutas telefônicas, em que vereadores estariam discutindo o rateio de mais de 183 mil de outra sobra. Bem que eu não acreditava. 

Viva a câmara do bem. 

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 28/12/2007 - 15:32h

Esquerda definha a cada eleição em Mossoró


Partidos denominados de esquerda ou que estariam fora da faixa de influência dos tentáculos dos Rosados, não andam bem nas urnas. Sobretudo o PT. A cada eleição a sigla definha mais ainda, reduzindo número de votos a seu favor.

Para 2008, o PT ainda não esboça sequer uma postulação e pode até fazer número, dependendo da política de alianças a ser adotada, com o PSB de Wilma. A parceria no estado pode influir no quadro de forças no município.

Quem faz mais barulho, mesmo sozinho, no âmbito desse segmento político, é o ex-vice-prefeito Antônio Capistrano do PC do B. Tem segurado a idéia de que será candidato a prefeito.

Mas ninguém pode afirmar com segurança que ignore convite para ser vice numa chapa tradicional.

* Esta matéria conclui a reportagem especial sobre a sucessão municipal em Mossoró, iniciada no início da tarde, quatro matérias abaixo.

Bom proveito.

Categoria(s): Sem categoria
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 28/12/2007 - 15:27h

Wilmismo praticamente ignora disputa em Mossoró


Não se pode dizer que a governadora Wilma de Faria (PSB) tem Mossoró como prioridade. Ela alimenta desejo de ver o reitor da Universidade do Estado do RN (UERN), Milton Marques (PSB), como candidato.

Pouco provável que Milton entre numa luta desse porte, ainda mais contra a "comadre" Fafá. Os laços entre suas famílias são muito fortes.

Sobrariam Larissa Rosado (PSB) e Marcelo Rosado (PR), primos, mas em faixas distintas em seu grupo. A preferência é por Marcelo, "afilhado" da governadora. Até o momento ele não decolou e Larissa já fora derrotada por Fafá em 2004, quando Wilma deu apoio discreto ao então deputado estadual Francisco José.

Pesa ainda contra Larissa, o desgaste do seu ramo familiar, com o pai e ex-deputado federal Laíre Rosado (PSB) envolvido em processos por alguns crimes, como corrupção passiva. O quadro tende a piorar até a campanha.

* Já já retorno com outra postagem, concluindo essa reportagem analítica especial sobre a sucessão em Mossoró. 

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 28/12/2007 - 15:22h

Fafá terá cerca de R$ 25 milhões/mês em ano eleitoral


Com um orçamento para 2008 de quase R$ 300 milhões para gerir, o que dá cerca de R$ 25 milhões/mês, a prefeita Fafá Rosado (DEM) marcha para uma reeleição tranquila. A menos que surjam surpresas bem desagradáveis ao seu nome, que sejam muito surpreendentes.

Mesmo fazendo um governo instável, marcado por dificuldades de gestão financeira, sem identidade própria e sitiado por denúncias e cobranças do Ministério Público, Fafá não tem adversários. Na câmara, dos 13 vereadores, pelo menos 11 são governistas.

Seu principal cabo eleitoral é a senadora Rosalba Ciarlini, que lhe passou o poder em 2004. Como reforço, a presença dos também senadores José Agripino (DEM) e Garibaldi Filho (PMDB).

O deputado federal Betinho Rosado (DEM), cunhado de Rosalba e primo de Fafá, andou saçaricando para enfrentá-la. Chegou a anunciar o projeto. Mas recuou em face da decisão da Justiça Eleitoral quanto à fidelidade partidária, que ameaçaria seu mandato parlamentar, se mudasse para o PSC, partido que reestrutura no RN.

* Aguarde. Volto já com outro trecho desta reportagem analítica especial de final de ano. 

Categoria(s): Sem categoria
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 28/12/2007 - 15:18h

Rosados são um caso raro na política


Um raro exemplo de longevidade e capacidade de adaptação, os Rosados conseguiram sobreviver às mudanças conjunturais e políticas nesse tempo, com poucas avarias. Apesar de um de seus tentáculos revelar sinais de esgotamento.

A única eleição municipal que a família perdeu – quando ainda formava um bloco partidariamente uníssono – foi em 1968, ou seja, há 40 anos. O ex-deputado e ex-prefeito Antônio Rodrigues de Carvalho, com apoio do ex-governador Aluízio Alves, derrotou o professor Vingt-un Rosado por 98 votos de maioria.

A saga vencedora foi detonada pelo industrial Dix-sept Rosado em 1948, eleito prefeito. À Câmara Municipal ascendia o seu irmão Vingt Rosado.

A última vez que o sistema famíliar teve adversários de verdade aconteceu em 1976. Lá se vão 31 anos. À ocasião, o ex-deputado estadual João Newton da Escóssia, cunhado do deputado federal Vingt Rosado, venceu concorrentes aluizistas do então MDB Movimento Democrático Brasileiro(MDB).

Em 1982, em acordo com o inimigo histórico Aluízio Alves, para tentar derrotar o engenheiro José Agripino (PDS) na disputa ao governo do RN, Vingt Rosado (avô de Larissa) assumiu alto risco. Orientou seu eleitor a não votar em Agripino, filho do primo e ex-governador Tarcísio Maia.

Em troca, Aluízio pediu para que os "bacuraus" mossoroenses não votassem no candidato do PMDB, professor João Batista Xavier, abrindo caminho à eleição de Dix-huit Rosado, irmão de Vingt, a prefeito.

De 1988 até o momento, a oligarquia adota a tática do dividir para somar. É uma espécie de "cissiparidade política", fenômeno biológico simplificado para manutenção do poder. Tem dado certo: está fechando a porta a surpresas de nomes emergentes fora da família.

* Acompanhe esta série ainda hoje, em mais algumas postagens.

Aguarde.

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 28/12/2007 - 02:05h

Manibu Acqua Park funciona durante todo o veraneio


O "Manibu Acqua Park" – complexo que incorpora restaurante e equipamentos de lazer, entre Icapuí (CE) e Tibau (RN) – está aberto durante todo o veraneio.

Quem me passa a ótima notícia é o casal Ribamar Freitas-Naeide.

Conheço o Manibu desde seu nascedouro e o recomendo. Além do excelente cardápio, existe um considerável espaço para diversão em brinquedos aquáticos, amplo estacionamento e segurança para circulação de crianças.

Faça contato: (84) 3318-1111.

Saiba como chegar ao Manibu acessando AQUI, com imagem por satélite, percurso rodoviário e mapa da área.

Categoria(s): Nelson Queiroz
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 27/12/2007 - 23:01h

José Dias acha insensato o PMDB lançar nomes para perder


O deputado estadual José Dias, um dos melhores quadros não apenas do PMDB, mas da própria política do RN, é um homem sensato. E afeito a falar o que pensa e não apenas algo a agradar.

Em entrevista ao portal Nominuto.com, ele descarta o nome do vereador Hermano Morais (PMDB) e do deputado estadual Walter Alves (PMDB) à disputa à Prefeitura do Natal. Sua opção é por Micarla de Souza (PV).

Em sua opinião, o partido sobrevive mesmo sem lançar candidato próprio a prefeito em Natal.

Saiba mais AQUI.

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 22:52h

Dando corda


Usando uma expressão popular, não é exagero dizer que alguns figurões passaram a "dar corda" ao vereador Hermano Morais (PMDB). Exaltam-no e o estimulam a concorrer à Prefeitura de Natal. 

Visto como um homem de bem, Hermano precisa de acautelar. A qualquer momento puxam seu tapete ou o cristianizam em plena campanha.

O cenário que se forma não deve colocá-lo como candidato a prefeito, a menos que seja para enterrá-lo vivo.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
quinta-feira - 27/12/2007 - 22:44h

Movimentação de João Maia e PR incomoda Wilma de Faria


O prestígio do deputado federal João Maia (PR) anda um pouco arranhado. Pelo menos aos olhos da governadora Wilma de Faria (PSB).

Certas articulações desencadeadas pelo deputado, em faixa própria, pavimentando caminho ao  governo do RN em 2010, deixam Wilma ressabiada. Bem ao seu estilo, a governadora empunha um modelo faz-de-conta, como se nada soubesse ou a incomodasse.

A montagem de candidaturas e chapas às eleições de 2008, incluindo Mossoró, é o que acrescenta mais incômodo à convivência.   

Depois trago mais detalhes.

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 22:16h

Presidente de câmara e ex-vereador quase têm briga corporal


Definitivamente, a Câmara de Mossoró se transformou em área de alta tensão. Não precisa sequer está em funcionamento regimental.

Nessa quarta (26), pouco antes do meio-dia, outro atrito quase termina entre luta corporal. O incidente ocorreu na sala da presidência, no primeiro andar.

O presidente da Casa, vereador Júnior Escóssia (DEM), trocou ofensas verbais com o ex-vereador Jório Nogueira (PDT). A intervenção do ex-vereador Carlinhos Silveira (PDT) e do servidor Edilson Fernandes impediu que ambos saíssem no confronto físico.

Ainda bem que a câmara está em recesso.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
quinta-feira - 27/12/2007 - 21:53h

Garibaldi e Rosalba não vacilam na parceria


Os senadores Garibaldi Filho (PMDB) e Rosalba Ciarlini (DEM) não vacilam na parceria RN afora. Ambos apareceram juntos em Taboleiro Grande.

O blogueiro João Moacir (AQUI) entrevistou-os, durante participação dos dois na festa de emancipação do município. A tiracolo, o deputado federal e cunhado de Rosalba, Betinho Rosado (DEM).

Garibaldi comentou que após dois mandatos como governador, não pensa em novo projeto nesse sentido. Já deu sua contribuição ao estado no cargo. E admitiu que o cenário com vários pré-candidatos é ainda confuso.

Não descartou que alguns desses nomes em evidência – sem citar qualquer um – possam mudar de lado. Até mesmo passando a compor o sistema oposicionista, onde o PMDB ainda está no RN. 

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 16:16h

Zona rural e “estrangeiros” podem decidir (Apodi)


O que não deve ser esquecido quanto às eleições em Apodi se sustenta numa bifurcação. São dois vetores de votos.

Primeiro, é o peso numérico do eleitorado da zona rural, que costuma decidir as concorrências eleitorais no município em face de seu considerável contingente.

Segundo, há uma considerável leva de eleitores nativos – ou não – que reside noutros municípios e capitais como Natal e Fortaleza (CE).

Os "estrangeiros" com domicílio eleitoral em Apodi são caçados com avidez pelos políticos. Na compreensão da sociologia política apodiense, o eleitor "de fora" muitas vezes resolve uma disputa.

Há candidatos a vereador que apostam pesado nesse segmento, com ótimos resultados.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
quinta-feira - 27/12/2007 - 16:03h

Chapa com Gorete e Vandinho é vista como forte (Apodi)


O ex-prefeito Evandro Marinho, "Vandinho" (PRB), que concorreu e perdeu as eleições em 2004 para Pinheiro, apesar de também integrar o grupo da governadora, não se bica com o novo "companheiro."

Costuma dizer em círculo de amigos e aliados, que se for para chegar à prefeitura com o apoio do médico, recusa tal ajuda. Nem Pinheiro estaria interessado em tamanho sacrifício por ele.

Vandinho tem partido à mão para marchar numa raia particular. Com ou sem Wilma ou Pinheiro.

Para engrossar a arenga, Vandinho aguarda resultado de ação judicial em que José Pinheiro é acusado de uso irregular da estrutura pública, na eleição municipal. Ele sonha em ejetar o adversário do cargo antes do fim do mandato.

O vice na chapa de Vandinho em 2004, o também ex-prefeito Simão Neto (PSB), corre por fora. Entretanto não é provável que consiga prevalecer em candidatura numa faixa própria, ainda mais com o PSB de Wilma. A governadora - em tese – apoiará o candidato a ser apontado por José Pinheiro.

Em Apodi, não é difícil encontrar em meio às confrarias onde o assunto em pauta é a política, quem preveja como "imbatível" uma chapa com Gorete Pinto e Vandinho. Difícil é saber quem cederia a cabeça de chapa ao outro. 

O empresário Dalton Filho, irmão da procuradora Geral do Estado, Tatiana Cunha, é outro nome que se movimenta rumo à prefeitura e goza de prestígio social. A princípio seria um "azarão". Como pré-candidato a prefeito tem uma cotação modestíssima no momento.

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 15:41h

Sucessão municipal em Apodi


O município de Apodi, no Médio Oeste do RN, com 25.630 eleitores registrados, é uma enorme interrogação. Depois que o prefeito (terceira gestão) e médico José Pinheiro (PR) saltou do PMDB para a nova legenda, é difícil formar fileiras claras que definam o que é governismo e oposição. 

A política apodiense é uma das mais radicais do RN e há décadas separa famílias, desfaz amizades e distancia "bacuraus" de "bicudos". É uma herança dos tempos de extremos entre os já falecidos líderes políticos estaduais, Aluízio Alves e Dinarte Mariz, ex-governadores. 

A atual conjuntura coloca nomes, partidos e lideranças estaduais num enorme caldeirão. A miscelânea desequilibra essa tradição bipartidária e bipolar, que confunde até mesmo seus principais atores. Quem é quem? Eis a questão.

No governismo, o prefeito José Pinheiro é rompido com a vice-prefeita Gorete Pinto (PMDB). O comentário nos bastidores é de que o secretário de Obras, Célio Martins (PR), seria a opção de Pinheiro à prefeitura. 

Mas a médica Solange Noronha (PR), que ajudou na costura que atraiu o prefeito para o partido e à aliança com a governadora Wilma de Faria (PSB), quer ser ungida. O que não parece fácil.

Já a própria Gorete aposta no desgaste político do prefeito, a partir da radical alteração partidária e de tendência, para sensibilizar o eleitor. Os senadores Garibaldi Filho (PMDB), Rosalba Ciarlini (DEM) e José Agripino (DEM) seriam um suporte externo e influente, para sedimentar sua postulação.

O DEM do senador José Agripino, que durante anos rivalizava com o PMDB, vive uma entressafra de nomes e votos. Sustenta-se apenas com um vereador na Câmara Municipal, Aurindo Gurgel (DEM). É mero coadjuvante em todo o processo.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
quinta-feira - 27/12/2007 - 11:33h

Às “Oropas”


Usando uma expressão incomum, vos adianto: "como ninguém é de ferro", a governadora vai tirar um curto período de férias.

Ela vai zanzar em Portugal com a família até o início de janeiro.

Em seu lugar, lógico, fica o vice-governador constitucional Iberê Ferreira (PSB).

A governadora viaja ainda hoje.

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 11:26h

Robinson Farias na Internet


O deputado estadual Robinson Farias (PMN) é mais um político a descobrir a necessidade de passear pela infovia. Esta com página própria na Internet.

O lançamento aconteceu hoje em Natal, num restaurante da cidade.

Anote aí o endereço: www.robinsonfarias.com.br.  

Categoria(s): Sem categoria
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 27/12/2007 - 10:51h

Estratégias de cada um (Governador Dix-sept Rosado)


Adail foi empossado em dezembro de 2005. De lá até aqui, a sua estratégia é reverter o quadro revelado nas urnas em 2004, se capitalizando para apresentar em campanha um leque de realizações capaz de justificar sua efetiva eleição pelo voto. 

Por trás do prefeito, há o reforço considerável do governo estadual e da governadora WIlma de Faria (PSB).

Quanto à Lanice, ultrapassando o terreno movediço da Justiça, que ainda enfrenta, tende a levantar um discurso de "vítima". Ganhou mas não levou em 2004. Ficou pouco mais de 11 meses no poder.

O mandato escapoliu entre seus dedos.

Acrescente-se também, que a ex-vice-prefeita conta com o apoio do ex-prefeito Gilberto Martins – que concluiu sua gestão muito bem-avaliado.

* Veja essa mesma reportagem analítica no portal Nominuto.com, com o qual o Blog do Carlos Santos tem parceria. Clique AQUI.

* P.S: (Atualização: 9h51 em 27/12/2007) Na verdade, Lanice foi cassada em março de 2005, ficando pouco mais de 60 dias no cargo. Obrigado à colaboração de Erasmo Carlos e outros webleitores. Ajudem-me sempre.) 

Categoria(s): Sem categoria
quinta-feira - 27/12/2007 - 00:44h

Política e humor


O chargista Túlio Ratto, editor da revista de humor, política e cultura "Papangu," aposta que 2008 será de fartura. As eleições municipais prometem.

A política, segundo ele, é o "berço esplêndido do humor."

Em entrevista ao portal Nominuto.com, ouvido pelo jornalista Alex de Souza, Ratto disseca a relação entre a revista e a política, reforma gráfico-editorial e outros aspectos interessantes relacionados a Papangu.

Saiba mais AQUI.    

Categoria(s): John Deacon
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.