• Banner Lion Brazil Fim de 2019 - 05-12-19
quinta-feira - 29/11/2012 - 14:46h
José Dirceu

A triste regularidade de um ex-ministro


Impressiona a regularidade com que o ex-ministro José Dirceu (PT) aparece em escândalos de corrupção.

Das duas, uma: ele é uma grande vítima ou um grande calhorda.

Se fosse jogador de futebol, Dirceu seria certamente um goleiro: está sempre na área.

Faça sua aposta.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog / Política

Comentários

  1. Francy Granjeiro diz:

    Dirceu é danado, fez uma corrente e seu advogado José Luís de Oliveira Lima falou que, em último caso, segundo Lima, vamos recorrer até mesmo à Comissão de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).

  2. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Caro CARLOS SANTOS, nada mais importante, diria fundamental aos ouvidos da dita opinião pública massificada que a informação, seja ela norteada, pautada com isenção – aliás, coisa raríssima em nosso país – ou não qaundo de um processo investigativo jornalistico, policial (ou) judicial.

    No caso de tratar-se do PT e, sobretudo do camarada José Dirceu, até as estrelas sabem do porquê dessa campanha obssessiva em querer de qualquer maneira, não apenas condená-lo, mais ainda vincular os seus atos ditos criminosamente hediondos ao alvo maior que sem sombra de dúvidas é o Presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA.

    Qualquer cidadão brasileiro que conheça mediananemte a nossa história politica, sabe das ações , dos métodos aplicados e do porquê dessa mórbida campanha midiática-judicial em face das mudanças pelas quais, indicutivelmente o país passa, mudanças essas que verdadeiramente fere interesses poderosos, os quais jamais interessou ou interessa à meia dúzia de famílias que durante séculos governou e norteou com mão de ferro e ao seu bel prazer os destinos da maioria desassistida de brasileiros e brasileiros.

    O ímpeto e a obssessão golpista da nossa venal impressa sobre supostos crimes cometidos por JOSÉ DIRCEU, tem alça de mira que é efetivamente o fato de José dirceu ter sido o grande idealizador e realizador da articulação políica vitoriosa que finalmente levou O partido dos trabalhadores ao poder institucional em nosso país, tendo a frente um Operário “ANALFABETO, CORRUPTO, DESPREPARADO E SINDICALISTA ARRUACEIRO E PELEGO” ISSO SEGUNDO ALGUNS ANALSITAS POLÍTICOS QUE HOJE TENTAM INCRIMINAR JOSÉ DIRCEU, ASSIM SE REFERIAM AO NOSSO LULA ME ÉPOCAS NÃO TAÕ DISTANTES.

    Dito isso, não estou a afirmar que não houveram erros e (ou) porventura até tenham sido cometidos crimes de corrupção e outros, porém, há um fato incontestável que é a forma com foi foram e são tratados pela opinião pública controlada/fabricada pela nossa mídia , e como efetivametene são tratados os casos também cooridos em governos de oposição vai uma distância anos luz.

    Os acontecimentos polítco-jornalísticos relacionados a corrupção endêmica nos governos do DEMO E DO PESSEDEBÊ em são paulo, é apenas um exemlo do que estou afirmar, pois que verdadeiramente, são dez pesos e dez medidas.

    Outro exemplo patente se revela e se revesta a cada dia no tocante ao Julgamento da Ação penal 470 denominda MENSALÃO. No caso o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL no afã e no desiderato de condenar de qualquer maneira os “corruptos” do PT, houve por utilizar-se da teoria do domínio do fato, essa teoria de origem alemão, diga-se de passagem, jmais utilizada pelo SUPREMO em centtenas de julgamentos de políticos e empresarios, os quais durante a história do Supremo, via de regra, jamais foram condenados pelo dito supremo tribunal federal.

    O mais grave é que, o Supremo não apenas se utilizou oportunísticamente de um teoria – jurídicamente alienigena – a fim de condear os ora acusados, mais ainda houve por utlizar-se da mesma ao bel prazer dos seus caprichos, tendo inclusive olvidados às suas regras básicas do ponto de vista processual.

    Melhor traduzindo, neste caso espécifico o Supremo tribunal federal atuou verdeiramente como tribunal de exceção.

    Estas mal elaboradas linhas, são direcionadas em especial à grande maioria dos brasileiros, que verdadeirmante não conhecem, não sabem e jamais ouviram falar, por exemplo: como e por que funciona a redação de um jornal, seja ele escrito, falado e (ou) televisado, sobretudo em nosso Brasil de meia dúzia, onde a informação é objeto de monopólio nas mãos de meia dúzia de famílias desde sempre.

    Por último, reafrimo com convicção, há mias de uma década, vivemos um processo permante de tetntiva de golpe midia´tico, memso porque na impossibilidade de ganhar e fazer voltar as rédeas do poder através do voto, a oposição continua se articualndo dia-a-dia e tentando através da mídia e da judicialização da pol´tica sua última cartada.

    Um abraço

    FRANSUÊLDO VIEIRIA DERAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

    Faço estas mal elabrorads

  3. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Como este tópico se refere a um EMINENTE petista e como o governo é do PT vai mais uma notícia sobre a Petrobrás.
    Eis a notícia:
    Petrobrás quer vender todos os ativos de refino no exterior, diz fonte
    A empresa prevê desinvestimentos totais, dentro do Plano de Negócios e Gestão 2012-2016, de US$ 14,8 bilhões
    Por Reuters
    |18h37 | 29-11-2012
    RIO DE JANEIRO – A Petrobras (PETR3; PETR4) planeja vender todas as suas refinarias no exterior, incluindo uma unidade inteira e a participação em outra na Argentina, disse nesta quinta-feira uma fonte da companhia.
    A venda faz parte do plano de desinvestimento da Petrobras, num momento em que a empresa avalia que já não é tão lucrativo ter ativos de refino onde não conta com produção de petróleo e distribuição relevantes.
    /////
    A desculpa para privatizar ativos da Petrobrás é que já não é tão lucrativo.
    Será que refinar petróleo dá prejuízo?
    Dá para pensar que a privatização da Petrobrás está sendo feita de uma forma gradual, segura e SILENCIOSA.
    E ninguém protesta.
    ///////////////////
    Outra notícia deste governo petista:
    Carga tributária vai a 35,31% do PIB em 2011 e bate recorde
    Valor atingiu R$ 1,463 trilhão.
    Por Reuters
    |18h43 | 29-11-2012
    BRASÍLIA – A carga tributária bruta do Brasil subiu para 35,31 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011, atingindo 1,463 trilhão de reais, informou a Receita Federal nesta quinta-feira. É o maior patamar da série histórica desde 2002 e, em 2010, ele havia ficado em 33,53 por cento.
    /////
    Todos os anos o Imposto de Renda é aumentado de forma escandalosa. Para uma inflação de 6% a tabela é corrigida em apenas 4%. A continuar assim em breve quem ganha salário mínimo vai ter que pagar imposto de renda.
    É a necessidade de arrecadar mais para pagar os banqueiros. Afinal, os juros no Brasil são os maiores do mundo.
    E pensar que Lula prometia diminuir a carga tributária…
    ///
    Fonte: http://www.infomoney.com.br
    O infomoney é um site de informações financeiras e não pode ser tachado de imprensa PIG.
    Isto são fatos!
    Até quando o país suportará tantas loucuras?

  4. Inácio Augusto de Almeida diz:

    A imprensa está divulgando os salários destes quadrilheiros agora desmascarados pela PF na Operação Porto Segura.
    Todos acima de 23 mil reais.
    Assim fica fácil entender porque a carga tributária sobe tanto.
    Enquanto isto um jornalista ganha menos de 3 mil reais, um médico ganha menos de 6 mil, um engenheiro formado pelo ITA menos de 7 mil, um piloto da FAB menos de 6 mil, um general do Exército menos de 14 mil.
    E um trabalhador ganha menos de 700 reais.
    ISTO SÃO FATOS!
    Não cola esta história de imprensa PIG.
    Até quando este país suportará tantas loucuras.
    E pensar que este é um governo do Partido dos TRABALHADORES…

  5. Inácio Augusto de Almeida diz:

    É com certeza um CALHORDA!

  6. Rita diz:

    Fransuêldo, parabéns pela visão dos fatos, concordo plenamente com você.

  7. Francy Granjeiro diz:

    A QUADRILHA DEMO-TUCANALHA tem MELIANTES e não, militância???
    Jornais de hoje: Lula é ladrão, o Brasil nunca esteve tão ruim, Irineu Marinho é o máximo, não tem gente melhor do que jornalista, o mensalão foi uma vitória do povo e quem é contra é porque é do PT, o mensalão do PSDB não existiu, a CPMI do Cachoeira não deu em nada e não deu mesmo, o livro ‘A Privataria Tucana’ não foi publicado e por último o PSDB é um partido maravilhoso, votem nele em 2014. Coitados!
    [ApoInv]

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      Francy Granjeiro
      Se o Lula é ladrão eu não sei. Sei e todo o Brasil sabe que o filho dele, um jovem totalmente despreparado se tornou durante o seu governo um dos homens mais ricos deste país.
      O Brasil hoje, economicamente falando, está arrasado. Destina ao pagamento de juros mais de 35% do seu orçamento, 10 vezes mais do destina a gastos com a saúde do seu povo. A educação recebe menos de 11 vezes o que é pago de juros aos BANQUEIROS, banqueiros que o Lula tanto prometeu combater.
      Nenhum negócio no Brasil é mais rendoso do que banco.
      Que o julgamento do mensalão foi uma vitória do povo brasileiro, foi. Depois deste julgamento corrupto está pensando duas vezes antes de meter a mão em dinheiro público. No Maranhão, só nesta semana, quatro prefeitos foram presos. PRESOS. Quando antes isto tinha acontecido no Brasil?
      O mensalão mineiro existiu. Existiu e é preciso julgar os seus autores.
      Como é preciso, e como é preciso, julgar os responsáveis pelas privatizações criminosas que foram feitas no governo do FHC, privatizações feitas com dinheiro do povo para comprar o que era do povo. Um verdadeiro esbulho.
      É preciso que todos entendam que o PT é muito maior do que alguns bandidos.
      É preciso que todos entendam que qualquer partido político, seja ele qual for, é muito maior do que alguns bandidos.
      É preciso que todos entendam que o Brasil é muito maior do que alguns bandidos.
      Mossoró poderia dar um exemplo de consciência cívica e política a todo o Brasil.
      Mossoró poderia dar início a uma campanha pelo julgamento do mensalão mineiro, por uma revisão das privatizações criminosas, pela apuração da morte do petista Celso Daniel.
      Mossoró, pela combatividade dos seus filhos e filhas, pode dar início a estes movimentos.
      Coragem para isto o seu povo tem.
      Um povo que teve a coragem de enfrentar Lampião não pode ter medo de nada.

  8. CALIBRE 50 GUARANI KAIOWÁ diz:

    Carta Capital 29.11.2012
    FONTE: CARTA CAPITAL
    Entrevista Pablo Gutiérrez
    Por Gabriel Bonis
    OEA pode rever as penas do STF, diz analista argentino
    O presidente do STF, Joaquim Barbosa, já defendeu não caber reversão da sentença pela OEA.
    Com o fim do julgamento do “mensalão”, os advogados dos réus condenados começam a se movimentar para recorrer da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), última instância do Judiciário brasileiro. Um dos caminhos avaliados seria buscar um reexame das sentenças na Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), órgão ao qual as decisões o Brasil se compromete a submeter por ser um dos signatários do Pacto de San Jose.
    “Se a Corte Interamericana entender que o julgamento, por alguma razão, não respeitou determinadas garantias e obrigações assumidas pelo Estado brasileiro, ele poderia ter de ser refeito”, acredita o professor argentino de Direito Administrativo Pablo Gutiérrez.
    O docente da Universidad Nacional del Comahue, que esteve em São Paulo para realizar uma palestra na sede da Advocacia-Geral da União, na terça-feira 27, é especialista em direitos humanos e em aplicação de tratados internacionais.
    A possibilidade de recorrer à OEA foi aventada diretamente pelo deputado Valdemar Costa Neto, condenado a de 7 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Ele defende o direito do duplo grau de jurisdição em seu julgamento. Uma tese também apoiada pelo ex-ministro da Justiça e advogado de um dos condenados Marcio Thomaz Bastos. Segundo ele, os advogados de outros réus estudam esse caminho após a fase de embargos de declaração no STF. “O réu deve também ter o direito de apelar da decisão ou de tê-la revisada por um segundo tribunal, a dupla instância. Se no sistema interno de cada país isso não é garantido, seria possível apresentar o caso à Corte Interamericana por violações destes direitos”, diz Gutiérrez na entrevista abaixo.
    Dois ministros do Supremo se manifestaram sobre o assunto. O relator do caso e presidente do STF, Joaquim Barbosa, chamou a possível ação de tentativa de “enganar o público leigo” e cinismo” por pensar que poderia ser revertida. Já Marco Aurélio Mello definiu o eventual recurso dos condenados como “direito de espernear”.
    CartaCapital – Alguns réus condenados pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do “mensalão” estudam a possibilidade de recorrer da sentença à Corte Interamericana de Direitos Humanos. Quais são as possibilidades deles? A OEA costuma analisar esses casos?
    Pablo Gutiérrez – Em qualquer julgamento deve haver certas garantias para que ele seja válido e justo, não importando o objeto discutido. Para o funcionamento do sistema, o julgamento deve ser feito por um juiz imparcial, com respeito pleno ao devido processo, ao direito de oferecer provas, em prazo
    razoável e com a devida fundamentação. O réu deve também ter o direito de apelar da decisão ou de tê-la revisada por um segundo tribunal, a dupla instância. Se no sistema interno de cada país isso não é garantido, seria possível apresentar o caso à Corte Interamericana por violações destes direitos.
    CC – O julgamento do “mensalão” ocorre em instância única no STF. Isso poderia abrir espaço para recursos em massa por parte dos condenados à OEA?
    PG – O sistema interno está obrigado a garantir uma segunda instância. Caso não a tenha, isso será revisado e controlado na Corte da OEA. O órgão não analisa a sentença, mas se houve ou não alguma violação daquilo que o Estado assumiu conforme o Pacto de San Jose, na Costa Rica. Isso inclui assegurar um julgamento justo e o direito a duas instâncias.
    CC – A OEA, caso acionada, analisaria quais aspectos do julgamento?
    PG – No sistema interamericano se avalia se uma pessoa foi julgada com as garantias exigidas pela OEA, como se houve o devido processo. Não se controla se a condenação é justa ou não, mas se o julgamento ocorreu seguindo as obrigações assumidas internacionalmente. Também não se revisa a sentença, ou se volta a julgá-la porque este é um tema de direito interno. É um assunto do Brasil.
    CC – O que poderia acontecer em uma eventual condenação do Brasil na OEA por este caso?
    PG – Na Argentina, houve casos de processo já terminados na Justiça que foram submetidos à Corte de Direitos Humanos, nos quais o órgão internacional entendeu não ter ocorrido uma investigação suficiente. Quando a sentença da Corte Interamericana foi anunciada, o Tribunal máximo do país, semelhante ao Supremo Tribunal Federal brasileiro, reabriu o caso. Deixou de lado a “causa julgada” porque é mais importante seguir a sentença da OEA. É uma obrigação do Estado argentino, que assumiu soberanamente cumprir a sentença. É um tema complexo, mas se um país assina um tratado está obrigado a cumpri-lo em todas as suas repartições públicas. Então, se a Corte Interamericana entendesse que o julgamento [do "mensalão"], por alguma razão não respeitou determinadas garantias e obrigações assumidas pelo Estado brasileiro, ele poderia ter que ser refeito.
    CC – Em uma eventual sentença neste sentido, o Brasil poderia não cumpri-la sem sanções?
    PG – Os países, quando assinam determinados acordos, se obrigam a cumpri-los de boa fé. Caso não o façam, as condenações seguem sendo reiteradas e a Corte Interamericana, junto com a OEA, supervisionem o seu cumprimento. O órgão também realiza boletins sobre quem cumpre ou não as sentenças. Como estamos em um sistema globalizado, no qual os países dependem uns dos outros, é importante saber que alguns organismos internacionais de assistência financeira e econômica não realizam aportes em locais que não respeitam os direitos humanos. Na Europa, para que um país entre na União Europeia é preciso que primeiro adira ao Tratado Europeu de Direitos Humanos, por exemplo. As sanções são interdependentes, seja no sistema de direitos humanos ou em alguns econômicos.
    CC – Os condenados poderiam recorrer a outro tribunal internacional além da OEA?
    PG – Não creio que haja outro sistema judicial, mas podem existir outras instâncias político-institucionais. Na América Latina, a Corte Interamericana é a última instância jurisdicional em matéria de direito fundamental e direitos humanos

  9. Inácio Augusto de Almeida diz:

    “Dois ministros do Supremo se manifestaram sobre o assunto. O relator do caso e presidente do STF, Joaquim Barbosa, chamou a possível ação de tentativa de “enganar o público leigo” e cinismo” por pensar que poderia ser revertida. Já Marco Aurélio Mello definiu o eventual recurso dos condenados como “direito de espernear”.”
    Estes dois ministros definiram bem o que estes condenados estão fazendo.
    Querem “enganar o público leigo” E querem porque são “cínicos”. Apelam para o velho “direito de espernear”.
    De enganar o público eles sempre viveram. Que são cínicos, agora que foram desmascarados, todo mundo sabe. Forçoso reconhecer que tem o “direito de espernear”.
    A coisa é tão sem cabimento, recorrer a uma corte internacional, que vejam a declaração do Pablo Gutiérrez:
    “Também não se revisa a sentença, ou se volta a julgá-la porque este é um tema de direito interno. É um assunto do Brasil.”
    Ora, se a sentença não vai ser revisada ou voltar a ser julgada, recorrer é só uma forma de se manter no noticiário e tentar posar de vítima.
    Vítima foi o povo brasileiro.
    Vítima desta bandalheira, quando dinheiro do povo foi usado para comprar votos no congresso e aprovar leis que prejudicam o próprio povo.
    Lamentável que as penas tenham sido exageradamente brandas.
    Teriam que ser no mínimo de 30 anos de cadeia para cada um destes condenados.
    No mínimo!
    Agora é começar a pressionar para que o caso do mensalão mineiro seja julgado.
    Lugar de bandido é na cadeia.

  10. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Aos que defendem Lula
    A NAMORADA DO LULA, TEMPERAMENTAL, ELA ATÉ HUMILHA SUBORDINADOS, REVELA O JORNAL
    Rosemary Nóvoa de Noronha, a “Rose”, ex-chefe de gabinete da Presidêcia da República em São Paulo, mantém relacionamento íntimo com o ex-presidente Lula há cerca de 19 anos, segundo confirma reportagem do jornal Folha de S. Paulo deste sábado. Ela fez viagens internacionais com o ex-presidente todas as vezes (trinta ocasiões) que a então primeira-dama, Marisa Letícia, não integrava a comitiva. A folha confirma várias informações publicadas neste site, como o fato de “Rose” jamais constar da lista oficial da comitiva, viajando no avião oficial do presidente praticamente como clandestina. Segundo o jornal, “em muitas vezes, Rose seguia em voos da equipe que desembarca antes do presidente da República para preparar sua chegada”. A reportagem conta também que, nas viagens internacionais, “seguranças que guardavam a porta da suíte presidencial nas missões fora do Brasil registravam ao superior imediato a presença da assessora. Oficiais do cerimonial elaboravam roteiro e mapa dos aposentos de modo a permitir que o presidente não fosse incomodado.” O perfil traçado mostra que “Rose” tem temperamento difícil e era dada a humilhar subordinados, quando certa vez ordenou que serviçais limpassem vinte vezes o chão do escritório da presidência, até que ela o considerasse limpo.
    Fonte:
    Jornal Pequeno
    São Luís Maranhão.
    Obs: O Jornal Pequeno apoia o candidato do PC do B, Flávio Dino, ao governo do Maranhão em 2014 e faz oposição ferrenha ao José Sarney.
    Chamar o Jornal Pequeno de imprensa PIG vai soar como uma heresia.
    Agora eu pergunto: É este tipo de QUENGA que nós queremos dirigindo o país?
    Além de corrupta é vagabunda e arrogante!
    Cadeia! O que esta QUENGA merece é CADEIA!
    O PT é maior do que esta gentalha!

    • CALIBRE 50 GUARANI KAIOWÁ diz:

      Publicado em 01/12/2012
      Mauricio Dias na Carta:
      A Oposição em Desespero

      A oposição pode ficar sem perspectiva por mais seis se aos dois anos restantes do primeiro mandato de Dilma Rousseff se somem outros quatro, em caso de reeleição da presidenta.

      Compartilhe
      Vote:
      Avaliação NegativaAvaliação Positiva (+54)
      | Imprimir Imprimir

      O Conversa Afiada reproduz texto de Mauricio Dias, da Carta Capital:

      A Oposição em Desespero
      Acostumada a se regalar com o controle do poder no Brasil, a oposição conservadora vive horas, dias, semanas, meses e, para ser mais exato, dez anos de desespero. E ainda pode ficar sem perspectiva por mais seis se aos dois anos restantes do primeiro mandato de Dilma Rousseff se somem outros quatro, em caso de reeleição da presidenta.

      Pesquisa do Ibope, realizada entre 8 e 12 de novembro, aponta a dimensão da dificuldade da oposição numa disputa com ela. Está marcada para perder nas condições de agora. Ressalve-se, é claro, uma hecatombe política ou econômica e, ainda, uma interferência inesperada como, por exemplo, a do “Sobrenatural de Almeida”, personagem das ­elu­cubrações ficcionais de Nelson Rodrigues, especialista em criar surpresas.

      Caso a eleição fosse hoje, mostra o Ibope, Dilma esmagaria todos os potenciais ­adversários ainda no primeiro turno. Ela obteve 58% das intenções de voto, contra 11% de Marina Silva (sem partido), 9% de Aécio Neves (PSDB) e 2% de Eduardo Campos (PSB).

      É curioso destacar o resultado da ­sondagem espontânea: Dilma foi lembrada por 26% dos eleitores e Lula vem logo após, com 19% das menções. José Serra teve 4% de citações e Marina Silva, 2%. Ambos beneficiados pelo recall da disputa de 2010. Aécio Neves foi citado espontaneamente por 3%.

      Aécio e Campos, ressalve-se, são pouco ­conhecidos. Dilma, dois anos antes da vitória, em 2010, também não existia. Lula fez a diferença.

      Tabela inédita da pesquisa Ibope mostra a tendência e a lógica da distribuição das intenções de voto por região. A presidenta Dilma cresceu em todas as regiões e, como já se sabia, alcançou melhor apoio do eleitorado do Sul do País do que Lula.

      Marina tem bom desempenho na área dela: os rincões do Norte/Centro-Oeste, Aécio Neves desponta no Sudeste, onde mora e faz política, e Eduardo Campos, com base em Pernambuco, é melhor no Nordeste.
      Tudo é possível a dois anos da disputa para a Presidência. A oposição percebeu, no entanto, que para construir uma candidatura ­viável para 2014 tem de começar agora. E o ambiente político reflete claramente a disputa pelo poder. Uma disputa não necessariamente tendo em vista a conquista de votos, já que a maioria do eleitorado não abandonou o PT, como se viu na eleição municipal.
      Os petistas, em 2010, conseguiram quase 17,5 milhões de votos. Um número superado, por pouco, se somados os votos do PSDB (13,9 milhões) e DEM (4,5 milhões), os dois partidos que, organicamente, mais expressam a reação conservadora. Nessa conta, a grande diferença é que o PT cresceu quase 4,5%. Pouco em relação a 2008. No mesmo período, entretanto, o PSDB e o DEM encolheram. A queda dos tucanos foi pequena (4,18%), mas, a do DEM foi superior a 50%.

      A oposição, desnorteada por isso e, principalmente, sem programa alternativo, tem dificuldade para encontrar um candidato. Esgotaram-se as opções paulistas. José Serra perdeu duas vezes. Uma vez perdeu Alckmin. O mineiro Aécio Neves se oferece. O pernambucano Eduardo Campos vacila.

      Isso projeta o ciclo Lula-Dilma ao menos por mais quatro anos, se não for interrompido abruptamente. Isso porque o desespero, quando não leva ao suicídio, empurra o desesperado para o crime.
      O futuro de Lula I

      É muito mais que uma declaração distraída de João Santana, à Folha de S.Paulo de que Lula seria o melhor candidato ao governo de São Paulo, em 2014. Ele criou um fantasma para perturbar os sonhos da oposição.

      Essa estrada que ele aponta foi aberta pelo paulista Rodrigues Alves. Após presidir o País (1902- -1906), voltou pela segunda vez ao governo estadual (1912).

      Bem, o fato é que Rodrigues Alves cumpriu o tempo no governo paulista e disputou e ganhou de novo a Presidência da República.

      O futuro de Lula II
      Santana, experiente jornalista de política e competente profissional do marketing, já prevê a reeleição de Dilma em 2014. Além disso, projeta a possibilidade de Fernando Haddad disputar a Presidência em 2022, se fizer uma boa administração na prefeitura paulistana.

      • Inácio Augusto de Almeida diz:

        Hitler imaginou que o Reich iria durar mil anos.
        Durou 13 anos.
        Os comunistas imaginavam criar uma sociedade igualitária para sempre. Um sistema político que seria eterno. Hoje o comunismo só existe em alguns países miseráveis e na cabeça de alguns malucos.
        Nada dura para sempre.
        E este mar de corrupção não irá se manter por muito mais tempo.
        A economia já dá sinais visíveis de enfranquecimento.
        E sem pão, somente com circo…

  11. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Valeu …!!!
    Valeu postagem-trancrição Calibre…CALIBROU ….MUITO BEM…!!!!

    Um abraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  12. Inácio Augusto de Almeida diz:

    MATÉRIA PÚBLICADA NO JORNAL PEQUENO DE SÃO LUÍS DO MARANHÃO.
    Relação íntima com Lula explica influência de ex-assessora Rose
    2 de dezembro de 2012 às 12:04
    A influência exercida pela ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, no governo federal, revelada em e-mails interceptados pela operação Porto Seguro, decorre da longa relação de intimidade que ela manteve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Rose e Lula conheceram-se em 1993.
    O relacionamento dos dois começou ali, a um ano da corrida presidencial de 1994. À época, ela foi incorporada à equipe da campanha ao lado de Clara Ant, hoje auxiliar pessoal do ex-presidente. Ficaria ali até se tornar secretária de José Dirceu, no próprio partido.
    Marisa Letícia, a mulher do ex-presidente, jamais escondeu que não gostava da assessora do marido.
    Durante 19 anos, o relacionamento de Lula e Rose se manteve oculto do público. Em Brasília, a agenda presidencial tornou a relação mais complicada.
    Quando a então primeira-dama Marisa Letícia não acompanhava o marido nas viagens internacionais, Rose integrava a comitiva oficial.
    Oficiais da Aeronáutica se preocupavam com o fato de que ela por vezes viajava no avião presidencial sem estar na lista oficial. Em muitas vezes, Rose seguia em voos da equipe que desembarca antes do presidente da República para preparar sua chegada.
    Nessas viagens, seguranças que guardavam a porta da suíte presidencial nas missões fora do Brasil registravam ao superior imediato a presença da assessora.
    Durante esses quase 20 anos, Rose casou-se duas vezes. Seu primeiro marido, José Cláudio Noronha, trabalhou na Casa Civil do então ministro José Dirceu quando Rosemary assumiu o escritório de São Paulo.
    Na chefia do gabinete, ela construiu a fama de pessoa de temperamento difícil. Lula chegou a receber de amigos reclamações dando conta de que ela tratava mal os funcionários.
    Um deles descreveu um episódio em que ela teria pedido para serventes limparem “20 vezes” o chão do escritório até que ficasse realmente limpo.
    Rose acompanhou o ex-presidente em algumas internações durante o período em que este se recuperava do tratamento de um câncer no Sírio-Libanês, em São Paulo. Mas só pisava no hospital quando Marisa Letícia não estava por perto.
    Ministros e amigos do ex-presidente não negam o relacionamento de ambos. Foi de Lula a decisão de manter Rosemary em São Paulo, conforme relatos de pessoas próximas.
    ///
    Fomte: Jornal Pequeno.
    O jornal pequeno é o jornal de maior circulação no Maranhão e apoia o comunista Flávio Dino ao governo do Maranhão em 2014. Portanto, não se trata de matéria da imprensa PIG.
    Dispensável qualquer outro comentário.
    Os fatos bastam.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.