quinta-feira - 17/05/2018 - 18:35h
Rio de Janeiro

Anjos da Rua Conde Lage


Por François Silvestre

Hoje, uma loja das Americanas foi assaltada à luz do dia, na Rua da Glória (Rio de Janeiro). Próxima ao cruzamento com a Cândido Mendes, passando pela Rua Conde Lage.

Quase na mesma hora, um policial foi executado no Largo do Machado, a duas estações do metrô da Glória. Área de classe média, antigamente tranquila, cuja violência limitava-se às farras da Lapa, próxima dali, cuja informação de Nelson Gonçalves dizia que “na Lapa baixam valentes, malandros e otários”.

Hoje, não há lugar para otários, malandros nem valentes. O lugar é de bandidos e vítimas.

Os anjos da Rua Conde Lage, pequenas estatuetas, que as meretrizes usavam de enfeite na penteadeira, nem precisam ser virados para a parede, como elas faziam, para poupá-los das cenas obscenas. Não.

A obscenidade do Rio de Janeiro é resultado da corrupção, combate de mentira da corrupção, domínio da bandidagem e intervenção federal completamente desmoralizada.

Os anjos da Rua Conde Lage, que não tinham vergonha das suas donas, sumiram. Roxos de vergonha.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Amorim diz:

    Triste; mas é isso.

  2. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    A intervenção federal ainda não chegou aos meus olhos. Aqui na Tijuca há assaltos constantes. Insegurança Máxima.

  3. Alcindo Junior diz:

    Ler uma crônica de François Silvestre é como ouvir uma boa música, independente da gravidade do conteúdo. É um mestre.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.