quinta-feira - 23/11/2017 - 17:20h
Crise?

Magistrados chegam a receber R$ 211 mil de auxílio-moradia

Entre beneficiados têm dois desembargadores aposentados compulsoriamente por casos de corrupção

Do G1RN

Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte divulgou quanto cada magistrado potiguar recebeu de auxílio-moradia no último mês de outubro. Ao todo, foram pagos quase de R$ 40 milhões, em valores retroativos, a 22 desembargadores e 195 juízes.

Osvaldo e Rafael: nova "punição" (Foto: TN)

A validade do pagamento está em discussão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os valores recebidos pelos magistrados foram dividido em duas folhas suplementares, dentro do portal da transparência. Somando as duas, portanto, alguns deles chegaram a receber mais de R$ 211 mil.

As folhas podem ser consultadas aqui (folha 1)aqui (folha 2).

Entre os beneficiados pelo pagamento estão os dois desembargadores aposentados compulsoriamente em 2013 por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por um suposto envolvimento em um esquema que desviou pelo menos R$ 14 milhões da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte – descoberto pela Operação Judas.

Osvaldo Soares da Cruz recebeu R$ 178.208,01 e Rafael Godeiro Sobrinho, R$ 158.047,35.

Veja mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Justiça/Direito/Ministério Público

Comentários

  1. Andrea linhares diz:

    Vergonha! Até quando teremos q conviver com os privilégios imorais de segmentos do judiciário? Até quando? Parece até França do século XVIII, comem brioches enquanto para segmentos do executivo só bolacha velha. Só falta aparecer um ideologo para afirmar que se tratam de direitos naturais.
    Mais repugnante é certo consenso que se constrói entre nossas elites e opinião pública em geral, segundo o qual a UERN é o estorvo que desequilibra o orçamento do estado…muitas das ilustradas e racionais mentes pensantes na outra ponta da reta Tabajara acreditam piamente na irracionalidade de manutenção da instituição; outros, ainda mais espertos e inteligentes sabem bem que o fim da UERN, consiste na solução mais fácil de assegurar por algum tempo as condições de manutenção de seus privilégios.
    O discurso da racionalidade, em tempos de escassez, vem como a justificativa perfeita para revestir os instintos mais primitivos de sobrevivência de nossos estamentos.
    Num estado pobre e de elites mais miseráveis ainda, essa parece mesmo a solução ideal, não é mesmo?

  2. ✌ João ''Claudio'' diz:

    Pega foooooooooooooooooooogo cabaréeééééééééééééééééé

    Se melhorar estraga. ou, já que tá dentro, deixe.

  3. Amorim diz:

    Será que de uma vez por todas vcs entendam que não passamos de VASSALOS! FEUDATÁRIOS! SÚDITOS!
    Viva a Corte!

  4. João Silva diz:

    Ainda falam que falta dinheiro, colocam culpa na crise, quando se ler uma reportagem desta notasse que não existe crise, e sim mal uso do dinheiro público. Judiciário brasileiro é uma vergonha, tão ineficiente e cheio de mordomias.

  5. ROBERTÃO diz:

    Sabe quem é culpado por isso! O Governo do PÊ TÊ! Será que quem recebeu essa grana não foi Lula!? Eu acho até que a grana dos precatórios deve está em alguma conta do PÊ TÊ! NÃO NÃO NÃO são todos inocentes isso sópode ter sido coisa dos comunistas bolivarianos do PÊ TÊ!
    EITAA CLASSE MÉDIAZINHA BURRA ESSA DO BRASIL!

  6. Osvaldo diz:

    Quem desequilibra as finanças do estado é o judiciário,ministério público,tribunal de contas com os estrastosfericos salários e penduricalhos que sugam,sem nenhum pudor,do estado.O governador,envolvido até o pescoço em falcatruas,nada faz e ainda joga a culpa nos que recebem,com dois meses de atraso,seus minguados vencimentos.

    • Andrea linhares diz:

      Pois é, para quem acompanha os processos com mais atenção sabe bem quais categorias, poderes e intituições estão na lista dos ‘desequilibradores’ das finanças do estado. Acusar unicamente a UERN pelo desmantelo, portanto, por parte daqueles que sabem do peso do TJ, ALRN, MP E TC’s, trata-se de cinismo e covardia. Atacar a UERN é fácil. Queria ver os sabidões solucionadores dos problemas financeiros do estado encararem os poderes e órgãos acima.

  7. Elves Alves diz:

    Adoro essas duas coisinhas lindas da foto. Honestidade parou ali.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.