quinta-feira - 04/01/2018 - 23:55h

Pensando bem…


“Poucos homens foram admirados por seus criados”.

Michel de Montaigne

Categoria(s): Pensando bem...

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    MELHOR QUE TIVÉSSEMOS SALTADO PARA 2019
    O que se pode esperar de um ano que começa cheio de ameaças?
    Na disputa pelo governo teremos Fátima Bezerra e Robinson Faria.
    Se correr, o bicho pega; se ficar, o bicho come.
    Existe falso dilema maior do que este?
    Renovação na Assembleia será pequena.
    Isto nos garante a continuação da MESMICE.
    Uma seca já praticamente confirmada com os reservatórios no volume morto.
    Tragédia mais do que anunciada, mas que não motivou os políticos a buscarem antecipadamente medidas para amenizar a catástrofe que se aproxima.
    Crise econômica dando leves sinais de recuperação, mas que poderá sofrer retrocesso caso a Justiça não cumpra o seu papel de bem aplicar a lei.
    Os já condenados em primeira instância continuarão exercendo mandatos eletivos porque os Tribunais de Justiça não julgarão os recursos que há anos aguardam por decisão.
    Um ano que promete ser amargo.

  2. João Claudio diz:

    ✌ Eu li no Blog do Josias.

    Lula carrega sobre os ombros nove denúncias criminais. Seis já viraram ações penais. Uma deu origem à sentença em que Sérgio Moro o condenou a uma cana de nove anos e meio. O grande volume de encrencas judiciais fez de Lula um réu cenográfico. Ele não presta depoimentos, dá espetáculos. Não se explica, desconversa. Não se defende, ataca. Em 24 de Janeiro, o TRF-4 pode tocar fogo no teatro de Lula. Ao farejar o cheiro de queimado, o réu tenta uma derradeira encenação. Pede para ser ouvido pelos desembargadores que o julgarão.

    A encrenca será destrinchada na 8ª Turma do TRF-4. Integram-na três desembargadores: João Pedro Gebran Neto (relator), Leandro Paulsen (revisor) e Victor Laus. Não há no script espaço para manifestação de Lula. Vão ao microfone seus advogados. Entretanto, a julgar pela petição dos seus defensores, o pajé do PT não tem muito a dizer. Sua coreografia, por repetitiva, tornou-se manjada.

    Os advogados alegam que Sergio Moro violou “as garantias fundamentais” de Lula ao transformar seu interrogatório numa “verdadeira inquisição”. Nessa versão, o juiz da Lava Jato impediu a “livre manifestação” de Lula, cerceando “o exercício de sua autodefesa”. Ignorando o fato de que a coisa toda foi filmada, os doutores sustentam que as perguntas de Moro tiveram “o nítido intento de constranger e intimidar” o réu.

    Ou seja: Lula pede para falar porque deseja encenar no TRF um ato que poderia ser chamado de “mais do mesmo.” Considerando-se que o petismo já alardeia que os juízes são “golpistas” e que “eleição sem Lula é fraude”, o grande líder do PT vai a Porto Alegre para jogar um jogo que considera jogado. A encenação do lado de dentro do tribunal seria apenas parte de um espetáculo maior.

    Terminado o julgamento, o eventual condenado desfilaria seu figurino de mártir defronte da plateia de devotos que o aguardará do lado de fora. Já se pode ouvir o discurso da vítima ao fundo: “Se tem uma coisa de que me orgulho é que não tem, nesse país, uma viva alma mais honesta do que eu”, dirá Lula, para delírio dos seus fieis. ”Fui condenado sem provas. Desafio os delegados, o Moro, o Dallagnol e os desembargadores a apresentarem uma prova de que recebi um centavo!”

    Lula vive uma experiência paradoxal: com os pés no palanque, sua voz rouca estala de autoridade moral. Nas Varas Federais e nos tribunais, o que Lula chama de reputação é a soma de incontáveis ilegalidades desacompanhadas de argumentos capazes de rebatê-las. Ocorre uma incongruência. Lula acha que é uma coisa. Sua reputação, entretanto, já virou outra coisa.

    Em respeito ao passado remoto de Lula, muita gente observa o personagem em chamas, mas evita gritar incêndio dentro do teatro. O problema é que encenações como a que Lula, seus advogados e o petismo desejam protagonizar no TRF-4 mostram que, às vezes, torna-se inevitável gritar teatro dentro do incêndio.

    Pitaco do João: O texto não merece retoques.

  3. FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Caro Cientista político João Claudio e Jornalista Carlos Santos… O TEMPO DIRÁ O QUÃO LAPIDAR É, O TEXTO DO BLOGUEIRO DA EXTREMA DIREITA JOZIAS DE SOUZA…!!!

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  4. Inácio Augusto de Almeida diz:

    49 já atenderam ao apelo para depositar dinheiro numa conta bancária a fim de bancar a marcha dos simpatizantes do Lula a Porto Alegre,
    Destes 49 sei o nome de apenas um.
    JOÃO CLÁUDIO.
    Esta “multidão” que está atendendo ao apelo do grande chefe não me deixa surpreso.
    Depois da rifa em favor do pobre Zé Dirceu, FÁTIMA BEZERRA andou vendendo pontos desta rifa, imaginei que apenas o João Cláudio não se negaria a ajudar o paupérrimo Lula.
    Até quando vão tirar dinheiro de pobres e ingênuos trabalhadores?
    //////////
    NO PRÓXIMO SÉCULO OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS?

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.