quarta-feira - 30/01/2013 - 18:58h
Sucessão aberta

Pesquisa confirma análise antecipada por Blog

Reeleição de Rosalba é difícil, mas nome de Robinson está longe de revelar algum favoritismo agora

A pesquisa do Instituto Consult, sobre o cenário político-administrativo do estado, realizada em 58 municípios e ouvindo 1.700 pessoas, entre os dias 25 e 28 deste mês, revelou o que os olhos vêem. Praticamente nada conflita com o que pode ser constatado a olho nu. O Blog Carlos Santos “cantou” a pedra bem antes do advento do estudo científico.

Do ponto de vista da gestão estadual, os números espelham o quadro desolador da adminstração da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), com quase 72 pontos percentuais de reprovação e setores como Saúde e Segurança Pública sendo pontos nevrálgicos de sua queda livre.

Robinson e Rosalba em janeiro de 2010 (juntos), antes da campanha; em 2014...

A “micarlização” de seu governo é fato real.

No tocante à sucessão estadual, que vai se materializar em campanha e eleições no próximo ano, a pesquisa vai ao encontro do que este Blog tem postado nas últimas semanas. Em face da esqualidez da gestão  de Rosalba, ela está fragilizada para tentar a reeleição.

Mesmo assim, o seu principal opositor até o momento, aquele nome que tem procurado maior movimentação e postado-se como contendor direto, não converteu esse cenário em capital para si. O vice-governador dissidente Robinson Faria (PSD) está aquém do próprio esforço e do que a adversária lhe oferta como “cabo eleitoral” – indiretamente.

Na reportagem especial sob o título “Falta  de alternativas e ausência de favoritos para 2014“, veiculada no dia 16 deste mês, às 7h57, era assinalada a seguinte observação, logo em seu primeiro parágrafo:

- Faltando cerca de um ano e meio para a campanha ao Governo do Estado em 2014, é precipitado se falar em favoritismo de algum nome ou apontarmos – por exemplo – que a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) está alijada do processo, em face de uma gestão até o momento sem rumo e sem prumo.

É exatamente o que a pesquisa do Instituto Consult aponta (veja os números AQUI).

Rosalba surge com desempenho pífio à reeleição, nos vários cenários simulados pela sondagem, mas em momento algum Robinson dá demonstração de maior envergadura, musculatura e rigidez eleitoral. Não é um pré-candidato com empatia popular nem populista.

Nem de longe tem carisma, verdadeira benção com a qual qualquer político gostaria de ser alcançado.

A crise ciclópica da administração da governadora não foi galvanizada por Robinson Faria e ele é fortemente ameaçado por nomes como do senador-ministro Garibaldi Filho (PMDB). Se o PMDB se afastar da base de apoio do governo estadual, naturalmente passará a ser o fiel da balança.

“Xis” da questão

Robinson Faria pode ser a postulação a ganhar esse suplemento decisivo, com a transfusão de forças do peemedebismo. Mas também não está livre de ser levado de roldão por uma hipotética candidatura de Garibaldi Filho.

Não é Robinson o principal adversário de Rosalba ao seu projeto de reeleição. Ela mesma anda em círculos.

E Robinson? “Na verdade, Robinson faz-se viável muito mais pelo o que o Governo Rosalba Ciarlini não consegue ser, do que pelo o que ele imagina que é”, afirmava este Blog no dia 16, na reportagem especial citada mais acima. E-xa-ta-men-te o que descreve a pesquisa.

Praticamente nada precisa ser ajustado em relação à matéria escrita há poucos dias e o que se analisa hoje, pós-sondagem do Instituto Consult. “É improvável ou pouco provável, como queira, que tenhamos duas candidaturas de oposição à Rosalba. Ninguém descarte que o nunca surpreendente PMDB faça outro movimento brusco e, dessa feita, aposte numa postulação própria”, reiteramos.

Num dos cenários estudados pelo Instituto Consult, Rosalba obtém 18.18 pontos percentuais para governo e Robinson Faria empalma 35.76%. Uma vantagem de apenas 17,58 pontos percentuais para Robinson, o único pré-candidato declarado ao governo, contra uma governadora em desmanche contínuo.

Na simulação de concorrência entre Rosalba e Garibaldi, por exemplo, aparece o “xis” da questão já apontado pelo Blog: Rosalba conseguiu 9,53 pontos percentuais, enquanto Garibaldi Filho içou 38,24 pontos percentuais. Uma dianteira de Garibaldi de 28,71 pontos percentuais.

“(…) Garibaldi há tempos que se desinteressou pelo governo rosalbista. Se for candidato, mela também projeto de Robinson. Aí sim, surgiria alguém com a aura de favorito”, previa nossa reportagem especial. Enfim, o que os números do Consult – agora – ajudam a confirmar e conjecturar.

Pode parecer brincadeira, mas não é: o quadro para a reeleição de Rosalba é muito difícil, mas poderia ser bem pior. No meio do caminho tem o PMDB, ainda indócil e manhoso. Dessa distância do pleito de 2014, é perceptível que a sucessão passa pelo partido. A oposição visível, não está articulada e suficientemente acoplada ao projeto de Robinson Faria.

O PMDB talvez não determine para que lado se inclinará a vitória, mas tem muito a acrescentar em qualquer chapa, como cabeça ou complemento.

Se Robinson quiser se tornar um candidato irreversível e favorito, terá que repetir a fórmula vitoriosa da política de alianças que Rosalba costurou na pré-campanha de 2010. Por enquanto, seu ramerrame provinciano, com apertos de mão, cafés, almoços e jantares, acrescenta mais à balança do que ao seu capital de votos.

O vice-governador dissidente não é o “novo”. Também não oferece nada de “alternativo” e de “vanguarda”. É apenas “do contra”. Contra Rosalba. E, como ele, nos dias atuais, existem muitos potiguares, possessos com o governo dela.

Rosalba chegou à campanha em 2010 como favorita, porque soube costurar apoios e subtraiu forças do governismo na pré-campanha. O próprio Robinson, que rachou com o governo, reforçando a chapa da hoje governadora, é uma prova dessa habilidade na tessitura de uma candidatura vitoriosa.

Sua projeção continua sendo muito pífia. Vale repetir o que foi escrito antes neste Blog: “Robinson faz-se viável muito mais pelo o que o Governo Rosalba Ciarlini não consegue ser, do que pelo o que ele imagina que é.”

A sucessão está aberta, sem favorito, sem derrotado antecipado ou governador “em férias”.

Categoria(s): Reportagem Especial

Comentários

  1. chagas diz:

    Tô com saudade de Vilma a grande guerreira e boa administradora

  2. Marcos Pinto. diz:

    O Oportunismo político do Robinson, aliado à sua inegável e inexpugnável performance como contumaz na prática da perfídia aos que lhe ajudaram a projetá-lo políticamente, infunde-lhe uma rubrica de não confiabilidade. Partindo desses agravantes em sua trajetória política, pode-se afirmar que o seu nome não vulnerará no tabuleiro político, quando efetivamente começar a campanha eleitoral no próximo ano. O máximo que logrará em projeção no cenário eleitoral, será coadjuvar a candidatura do Garibaldi Filho ao governo, com possibilidades de reeleger-se Vice-governador, ou disputar uma cadeira de Deputado Federal, alocando o seu filho para Deputado Estadual. Aguardemos, pois, as démarches.

  3. Britto diz:

    O partido do Demos consegui desagradar gregos e troianos com sua péssima administração !!!

  4. Manoel Douglas. diz:

    O Estado que tem 02 governadores; um de direito e outro de fato não acreditamos mais nada. O única interesse dessa governadora resolver o problema de casa. Por ex.; um cargo vitalício para sua írmão ou do marido, no tribunal de conta. Em quanto isso uma perseguição serrado no funcionalismo, que faz aproximadamente trinta sem aumento. De explicação uma crescente mega arrecadação incluvive empréstimo bilionários, já esta na hora M.P. Tomar as providencia.

  5. Luciano G.Aquino diz:

    Não está no hora do M P tomar as providencias
    mas sim já tá passando da hora as coisas só serão resolvidas
    através da Justiça e essa é a sorte do RN.

  6. irmao reginaldo diz:

    o psdc poderá tambem lançar nome para o gonverno 2014

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.