quinta-feira - 23/08/2018 - 18:28h
Governo do RN

Pesquisa de 2014 mostra que nada está definido em 2018

Dois momentos distintos, em anos diferentes, apontam grau de incertezas da campanha atual no RN

No dia 28 de agosto de 2014 às 18h51, portanto há quase um ano, o portal G1RN publicava a seguinte matéria: No RN, Henrique Alves tem 40% e Robinson Faria, 28%, diz Ibope. Em seu conteúdo, apresentava pesquisa Estimulada ao governo estadual encomendada pela Inter TV Cabugi.

Fátima Bezerra, Robinson Faria e Carlos Eduardo vivem outro cenário com certas semelhanças (Fotomontagem)

O período é similar ao que vivemos hoje na campanha estadual. Propício para avaliação de contextos e eventuais semelhanças entre números daquele tempo e os mais recentes, divulgados também pelo G1RN a partir de sondagem do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), a serviço da emissora afiliada da Rede Globo de Televisão.

Vejamos abaixo os números daquela época e os atuais, divulgados na última sexta-feira (17). Em 2014, a pesquisa ocorreu nos dias 25, 26 e 27 de agosto. Já este ano, entre os dias 14 e 17 últimos.

Em 2014, a maioria de Henrique Alves (PMDB) para Robinson Faria (PSD) era de 12 pontos percentuais. Já este ano, a vantagem da senadora Fátima Bezerra (PT) para o segundo colocado, Carlos Eduardo Alves (PDT), 19 pontos percentuais (veja AQUI) e 26 pontos percentuais para o terceiro, governador Robinson Faria (PSD).

Pesquisa ao Governo do RN (28 de Agosto de 2014):

Henrique Eduardo Alves (PMDB) – 40% das intenções de voto
Robinson Faria (PSD) – 28%
Professor Robério Paulino (PSOL) – 2%
Simone Dutra (PSTU) – 2%
Araken Farias (PSL) –1%
Brancos/Nulo – 17%
Não sabe ou não respondeu – 10%
* Maioria de Henrique Alves para Robinson Faria era de 12 pontos percentuais.

Pesquisa ao Governo do RN (17 de Agosto de 2018):

Fátima Bezerra (PT) – 34% das intenções de voto
Carlos Eduardo (PDT) – 15%
Robinson Faria (PSD) – 8%
Professor Carlos Alberto (PSOL) – 2%
Brenno Queiroga (Solidariedade) – 1%
Freitas Júnior (Rede) – 0%
Heró Bezerra (PRTB) – 0%
Branco/Nulo – 31%
Não sabe/não respondeu – 9%
* Maioria de Fátima Bezerra para o segundo colocado é de 19 pontos percentuais.

As duas pesquisas têm números de períodos de início de campanha, no mesmo mês, mas claramente são contextos e conjunturas diferentes.

Àquela ocasião, nenhum dos principais governantes estava no governo, concorrendo à reeleição, por exemplo. Rosalba Ciarlini (DEM, hoje no PP) era a governador com grande desgaste. Ao final da campanha ela deu apoio localizado em Mossoró e sem declaração pública, a Robinson Faria, seu vice-dissidente.

Reprovação e Rejeição

Agora, Robinson é candidato à reeleição e tem o sobrepeso de grande reprovação pública (81% administrativamente).

Em 2014, nenhum dos dois principais candidatos tinha julgamento administrativo, mas cotas de rejeição eleitoral. Henrique Alves era o mais rejeitado com 29% e Robinson Faria vinha atrás com 28%, ou seja, empate técnico.

Na pesquisa do último dia 17, Carlos Eduardo Alves apareceu com 17% e Fátima Bezerra em terceiro lugar com 14%. Entretanto o campeão de rejeição é Robinson Faria com impressionantes 59%.

Quanto ao “não voto” (eleitores que não têm preferência alguma), há quatro anos era 37%. A pesquisa da sexta-feira passada chegou a 40 pontos percentuais.

Eleições ao Governo do Estado (5 de outubro de 2014):

Henrique Eduardo Alves (PMDB) – 47,34% (702.196)
Robinson Faria (PSD) - 42,04% (623.614)
Professor Robério Paulino (PSOL) – 8,74% (129.616)
Simone Dutra (PSTU) – 0,98% (14.549)
Araken Farias (PSL) – 0,90% (13.396)
Votos apurados – 1.935.105
Votos válidos  - 76,66% (1.483.371)
Brancos – 7,05% (136.498)
Nulos – 16,29% (315.236)
Abstenções – 16,83% (391.478)
* Fonte: Blog Carlos Santos

O que o estudo mesmo superficial dos números e dos dois ambientes políticos em épocas distintas podem nos indicar?

Uma frase resume tudo: “Nada está definido”. Porém ninguém esqueça que cada campanha tem um metabolismo próprio, por mais conexões que possa ter com a anterior.

Há quatro anos, também em agosto, nada estava definido.  No pleito de 5 de outubro houve o primeiro turno (veja resultado no boxe acima) com vitória de Henrique, mas foi no dia 26 de outubro do mesmo ano que saiu a decisão final da campanha no pleito do segundo turno, com eleição de Robinson Faria: Recorde nomes e números das eleições ao Governo em 2014.

Vamos repetir: “Nada está definido”.

Leia também: A campanha ainda vai começar.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial

Comentários

  1. M.D.R. diz:

    Que DEUS nos livre, ROBINSON.
    O raio, cair duas vezes no mesmo lugar, é chamar o POVO de otário, maluco, incompetente e SURDO.

  2. william diz:

    Robinson na outra teve apoio de Lula, agora esta só. Vai perder feio, só na minha familia uns vinte votos ele perdeu e como tem vários aposentados na folha do estado vamos retribuir fazendo campanha contra ele.

  3. João Paulo diz:

    Disputa aberta, podendo Fátima levar no primeiro turno, podendo ocorrer um segundo, e a senadora vir a ser derrotada. Cenário até aqui indefinido. O que chama atenção, é o número de votos brancos/nulos e o não sabe, hoje em 40%, quando em 2014 alcançava cerca de 1/4 do eleitorado.

  4. thyago jales diz:

    Jamais para Robson, Fatima e Carlos Eduardo… esse ano votarei em Breno Queiroga, as propostas mais claras, contundentes, simples, ageis.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.