• Expofruit - Teaser - 20-07-18 a 21-08-18 - Topo
terça-feira - 25/07/2017 - 10:30h
Eleições 2018

Tião caminha à disputa estadual desconectado da realidade

Ex-candidato a prefeito aparece como um bom nome, mas distante ainda de ser um bom candidato

O empresário e ex-candidato a prefeito de Mossoró em 2016 Tião Couto (PSDB) tem se mexido fora de Mossoró para ser o candidato do seu partido ao governo estadual no próximo ano. Peregrina da capital ao interior. Até aqui, Tião segue como um bom nome, mas não um bom candidato.

O simples fato de existir desgaste cumulativo e robusto da política tradicional, dos partidos e dos políticos, não o credencia a ocupar esse espaço como algo novo, alternativo e diferenciado. A administração estadual de Robinson Faria (PSD) reprovada popularmente, ajuda-o a marchar, sem que instantaneamente o faça favorito à sucessão no próximo ano.

Francisco José perdeu contato com a realidade; Tião marcha para nova disputa com mesmo pecado (Foto: Mossoró Notícias)

A própria votação cevada empalmada por ele na disputa à prefeitura – 51.990 (39,39%) votos -, não o credencia “naturalmente” à concorrência estadual.

Basta aprender com os erros crassos de avaliação de voto, cenário e conceitos sobre a política e os políticos, vivenciados pelo ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD).

Em 4 de maio de 2014, Francisco José Júnior foi eleito à prefeitura em disputa suplementar, com 68.915 (53,31%) votos. Em outubro de 2016, quase dois anos e cinco meses depois, só foram contabilizados 602 votos válidos a seu favor, em face até de sua desistência pública de candidatura, por detectar falta de apoio popular ao seu nome.

Ativo frágil

Tratássemos do “voto” pela ótica das Ciências Econômicas, poderíamos afirmar com segurança que é o caso típico de um “ativo” frágil. Seria uma “moeda” flutuante, sujeita às volatilidades de riscos, conforme o momento ou externalidades referentes às eleições e à dinâmica da própria política.

Francisco José Júnior não entendeu, que o DNA dos seus votos excepcionais em 2014 guardava composição heterogênea, resultado de uma conjuntura particular e favorável a seu projeto. Vestiu-se de líder e assumiu para si o capital que de verdade não lhe pertencia no todo.

Dois dias após sua eleição, o Blog Carlos Santos traçou o código genético de seu triunfo e alertou-o. Fomos ignorados. Vaidade embaciou seus olhos. Já estava tomado por uma certeza: era um líder.

Os votos derivavam de sua surpreendente gestão interina na prefeitura; do impedimento à nova candidatura da prefeita eleita, cassada e afastada Cláudia Regina (DEM); de uma corrente histórica anti-Rosado/anti-oligarquia; do apoio maciço do eleitor da então governadora Rosalba Ciarlini (PP), que queria derrotar outra vez a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) e da incerteza de legalidade da própria postulação da parlamentar adversária.

Sandálias do bom senso

Com Tião, tudo indica, acontece igual pecado de análise dos números e desconexão da realidade dos fatos e do contexto em que esteve envolvido. Empavona-se com uma atmosfera política pontual e com votação que pode ser avaliada sem maior esforço. Foram votos anti-rosalbismo, anti-Rosado, anti-união Rosado-Rosado e em favor do perfil que procurou representar como homem de sucesso.

Daí é precipitado acreditar, que os 51.990 (39,39%) votos que recebeu à prefeitura em 2016, fazem parte do seu patrimônio particular como político da nova safra. Precisa refazer contas, reavaliar cenário e calçar as sandálias do bom senso.

Francisco José Júnior em 2014 obteve numérica e percentualmente, a maior vitória eleitoral em disputa municipal em todos os tempos, superando a própria Rosalba Ciarlini que em 1996 atropelou Sandra Rosado (PSB, então no PMDB). Compreensível, em parte, seu delírio com o poder.

Votos, liderança e perdas

Leia também: Novo prefeito ganha para dividir a história ou confirmar os Rosado AQUI;
Leia também: Voto se revela um ativo de alto risco na política de Mossoró AQUI;
Leia também: Rosalba chega à quarta eleição para a Prefeitura de Mossoró AQUI;
Leia também: O perigo do “Efeito Orloff” no futuro de Tião AQUI.

Àquele ano de 1996, Rosalba Ciarlini (filiada ao PFL) teve 57.407 (52,64%) votos, botando maioria de 31.289 votos sobre a prima Sandra.

Em 4 de maio de 2014, o prefeito interino Francisco José Júnior foi mais além. Destroçou Larissa Rosado com a soma de 68.915 (53,31%), numa maioria de 31.862 sobre ela.

Sandra e Larissa Rosado deixaram a oposição sem "dono" (Foto: Arquivo do Blog Carlos Santos e Costa Branca News)

Para provar como voto é um bem instável e de difícil manutenção e multiplicação, o ex-prefeito Francisco José está aí vivo para contar o enredo pós-urnas. Se tiver um espasmo de humildade, pode até reconhecer pecados e que chegou a ser avisado sobre o fenômeno.

Estuário

Na prática, os votos da oposição não têm dono e não possuem referência desde que o grupo de Sandra Rosado capitulou, convertendo-se em “neorosalbista”. Podem crescer ou não, dependendo de vários fatores, como a gestão Rosalba. Até aqui, não há um estuário para esses eleitores.

O ex-prefeito sonha em retornar à política e sabe que precisará investir muito mais para obter outro mandato eletivo. Um detalhe: Francisco José Júnior venceu a primeira eleição a prefeito da qual participou. Tião, não.

São dois momentos distintos, dois personagens muito diferentes, claro. Porém não custa estudar a história e respeitar os ensinamentos que ela oferece. Os fatos estão aí.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial

Comentários

  1. Adílio diz:

    É verdade, são dois personagens muito, mas muuuuuuuuiiiiiitttoooo diferentes um do outro. Tão diferentes que o maior pecado que a promessa pode cometer é aceitar qualquer tipo de apoio, o mínimo que seja, do outro, um lunático. Espero sinceramente que isso não ocorra.

  2. naide maria rosado de souza diz:

    Jornalista Carlos Santos. Nome do texto acima: Diga-me porque não me elegerei.
    Caberia outro: Diga-me o que fazer para ser eleito.
    Vitória certa.
    O exposto não é um prognóstico. É um estudo com dados precisos.
    Pode ser mudado? Valiosa a sua consultoria.

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Obrigado, Naide.

      Normalmente trabalho dessa natureza é visto com amuo. Incomodamos porque não temos o hábito de sermos cretinos, hipócritas e oportunistas.

      Melhor atacar o argumentador do que os argumentos.

      Esse é um meio carregado de vaidade, por vezes doentia,o que torna fácil o assédio e êxito daqueles que se apropriam dos políticos para “assessoria de incenso”.

      A postagem acima, como tantas outras, não se p ropõe a humilhar, ridicularizar ou desestimular essa ou aquela candidatura. As informações, os dados compilados, estão aí para serem contestados, além da própria essência analítica.

      Abração.

  3. Augusto Ribeiro diz:

    Ademais, o “líder” Rogério Marinho, do PSDB estimula Tião, que tolamente aceita impassível e “picado” pela mosca azul a condição de “candidato potencial”. Não sabe Tião que sua candidatura, se acontecer, no máximo será para Deputado Estadual, já que nem RM e principalmente Marcelo Alecrim estão à sua frente. O primeiro para Deputado Federal (e dessa posição não abre mão) e o segundo para a eventual candidatura de Governador ou numa coligação para Senador. Tião aparece meramente como possível “financiador”. é um novo rico tolo e voraz em aparecer… Sim, e para não esquecer, a pretensão de deputação estadual, se ocorrer, pouca chance terá, pois os votos de Prefeito claramente não serão repetidas, dado que Mossoró apresentará candidatos “rosados” que sempre apalpam grande contingente da massa local, dado a estrutura oficial (leia-se, Prefeitura). Assim, Tião é só um sonhador tolo!!!

  4. wilson honorato diz:

    relação de Candidatos a deputados estaduais pela cidade de Mossoró: Jorge do Rosário (PR), Larissa Rosado (PSB), Tião (PSDB), Lorena (PP), Gumtemberg Dias (Pc do B), Silveira Junior (PSC), Izolda (PT), Fafa Rosado (PMDB), Jorio Nogueira (PSD), Tomaz Neto (PDT).

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.