sábado - 23/02/2019 - 09:02h
Razão

Um bem de sobra


Por François Silvestre

Se há um bem que todo mundo se acha possuidor e generosamente esbanja é a razão. Já foi dito que ninguém pede reforma da razão porque todos se acham possuidores dela em excesso.

Não há pobres de razão. Todos são milionários.

Assim ocorre com esse embate estúpido de ideologias. Cada ideólogo espuma de raiva contra as ideologias, como se não fosse ele mesmo um ideólogo intolerante. Não há antônimo de ideologia, só sinônimos.

O apolítico é um ideólogo.

A omissão é uma ideologia.

Todos cobertos de razão.

Cada um mais “sensato” do que o oponente.

E cada um vendo a ideologia do outro como trituradora de cérebro. Enquanto esse liquidificador vai triturando os cérebros sem distinguir os lados. Mas, todos cobertos de razão. É por isso que todos querem reforma tributária, pois se sentem carentes de compensação.

Querem reforma agrária, pois se sentem desapropriados. Querem reforma urbana, pois se sentem desabitados.

Porém, ninguém reivindica reforma da razão. Posto que todos se acham bastante abastecidos desse bem.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI.

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. João Claudio diz:

    A tradução da imagem.

    - Vôssê só tá ajuelhado nuis meus péis purquê vôssê é un burru incantado. Agora diga qui num é. Diga? Diga? Diiiiga???

    - Sim, Mestre. Eu sou um burro encantado.

    - Queim incantô vôssê? Diga. Diga. Diiiiiiga….!

    - Foi o senhor, ó Mestre Lula.

    - Si eu mandá vôssê cortá o dedin, vôssê corta?

    - E comer bosta, também, ó Mestre Lula.

    - Vôssê çabe purqué o meu nariz tá grande?

    - De tanto falar a verdade, Mestre dos Mestres.

    - Peidei! Tá sentindo?

    - Não, Mestre. Eu traguei o seu maravilho e deslumbrante flato antes que ele atingisse as minhas narinas.

    - Vôssê puxa carrossa ou uza cangaia?

    - O que o Mestre mandar.

    - Me diga, eu sô ladrão?

    - NÃO, MESTRE. o senhor é a alma viva mais honesta do universo.

    - Pelo visto vôssê foi muito beim incantado. Continui açim.

    - E assim será.

    - Nunsisquêssa: Só voti in queim eu mandá.

    - Isso, isso, isso, ó Mestre. E assim será, meu Mestre. Num tá com vontade de peidar de novo, não?

    - Tõ, mais eu vô guardar pá soutá no brog Cunvessa Amolada, du meu amigo Paulo Inriqui.

    - Ah, tá. Posso me levantar?

    - E cumê milho, também.

    - Zuuuuuuurro….. Zuuuuuuurro….. Zuuuuuuurro…..

    - Çabi, eu adoro eça tropa de burrus qui eu incantei. O qui mais me faiz duê a cabessa, çabi, é eça upuzissão FDP dizê que eu num tô cuberto de razão.

    E viva os cunpamhêrus Maduro, Raú Castro e Daniel Ortega. E o indio cocaleiro, tambéim.

    • François Silvestre diz:

      O daguerreótipo voltou, empanzinado. Pois é; razão em excesso também empanzina, igual a buchada de bode com cuscuz de macambira e paçoca de mucunã. Ô Tonha, nega véia, faça urgente um chá de macela.

    • CARLOS diz:

      Carlos diz:
      25 de fevereiro de 2019 as 10:30
      A tradução da imagem.

      - Vôssê só tá ajuelhado nuis meus péis purquê vôssê é un burrunário. Agora diga qui num é. Diga? Diga? Diiiiga???

      - Sim, Mestre. Eu sou um burronáro.

      - Queim incantô vôssê? Diga. Diga. Diiiiiiga….!

      - Foi o senhor, ó Mestre Burronáro

      - Si eu mandá vôssê comer capim, vôssê vão?

      - E comer bosta, também, ó Mestre Burronáro.

      - Vôssê çabe purqué o meu nariz tá grande?

      - De tanto falar a verdade, Mestre dos Mestres.

      - Peidei! Tá sentindo?

      - Não, Mestre. Eu traguei o seu maravilho e deslumbrante flato antes que ele atingisse as minhas narinas.

      - Vôssê puxa carrossa ou uza cangaia?

      - O que o Mestre mandar.

      - Me diga, eu sô ladrão?

      - NÃO, MESTRE.a curpa é dos seus fi o senhor é a alma viva mais honesta do universo.

      - Pelo visto vôssê foi muito beim adestrado. Continui açim.

      - E assim será.

      - Nunsisquêssa: Só voti in queim eu mandá.

      - Isso, isso, isso, ó Mestre. E assim será, meu Mestre. Num tá com vontade de peidar de novo, não?

      - Tõ, mais eu vô guardar pá soutá no brog Cunvessa Amolada, du meu amigo João Claudio.

      - Ah, tá. Posso me levantar?

      - E cumê milho, também.

      - Zuuuuuuurro….. Zuuuuuuurro….. Zuuuuuuurro…..

      - Çabi, eu adoro eça tropa de burrus qui eu inventei. O qui mais me faiz duê a cabessa, çabi, é eça upuzissão FDP dizê que eu num tô cuberto de razão.

      E viva o cunpamhêru Trump
      .

  2. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    Sim, ninguém “reivindica reforma da razão” e, se gostar de falar, argumentar e contra-argumentar, sente-se no paraíso impondo sua opinião sem notar como fica detestável.
    Ter conceitos e ideias é normal ao pensante. Achá-los corretos sem admitir e analisar teorias melhores ou mais apuradas, torna-o tolo. Perde a capacidade de aprimoramento e a vaidade não o deixa perder a liderança do pensamento.
    Seria formidável se soubéssemos, além do bom dia e boa noite, dizer: você tem razão!

  3. Amorim diz:

    Parabéns, Mestre.

Deixe uma resposta para Naide Maria Rosado de Souza Cancelar resposta

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.