domingo - 26/06/2022 - 11:38h

A maior disputa no RN na eleição de 2022

Por Ney Lopes

O TSE vetou a possibilidade da criação de uma coligação para o cargo de governador e outra diferente para o cargo de senador.

O TSE vetou a possibilidade da criação de uma coligação para o cargo de governador e outra diferente para o cargo de senador.plenario-do-senado-08042022202459432 (1)

A decisão veda o PT, PDT e PSB no Rio Grande do Norte se unirem para apoio à um nome comum para governador, porém formando simultaneamente coligações distintas para concorrer ao Senado Federal.

Carlos Eduardo e Rafael Mota, querendo, serão candidatos “isolados” para o senado, pelo PDT e PSB, respectivamente.

Ou, o PT escolhe um dos dois para coligar-se com Fátima Bezerra.

A possível coligação para governador não poderá abrigar os dois na disputa do senado.

Foi confirmada a a possibilidade de uma agremiação, sem integrar qualquer coligação, lançar candidata ou candidato ao cargo de senador individualmente.

A disputa do senado tornou-se mais indefinida, a partir dessa decisão do TSE.

O PT terá que escolher um candidato para coligar-se com Fátima Bezerra e poder dividir tempo de TV e os milhões do Fundo Eleitoral.

Rafael Mota insiste na rebeldia de candidatar-se, mesmo com a preferência dada a Carlos Eduardo na aliança com o PT.

Ele acha que sendo do PSB, partido do vice de Lula, tem maior legitimidade do que Carlos Eduardo, que apoia Ciro Gomes à presidência, ferrenho adversário do petista.

Rafael encontrou-se com o Styvenson Valentim (Podemos), ao que se informa será mesmo candidato ao governo, e abriu porta para coligação com o PSB.

O senador Styvenson é veemente contra a governadora. Recentemente, em polêmica sobre o hospital Tarcísio Maia em Mossoró, ele classificou o governo estadual de lerdo, inapto e irresponsável.

Enquanto isso, na véspera da visita de Lula a Natal, a governadora encontrou-se com Rafael e os elogios foram recíprocos.

Em que dará esse “imbróglio”?

Na recente pesquisa SETA, o bolsonarista Rogério Marinho voltou a perder espaço para Carlos Eduardo.

Ambos têm, juntos, “apenas “cerca de um terço dos votos. Freitas Jr (PSOL) e Dario Barbosa (PSTU) se aproximam de 7%.

O autor deste texto é pré-candidato independente ao Senado.

Muitos ainda da decisão dessa candidatura.

Considerando percentuais de pesquisas anteriores, constata crescimento de mais de 100%, pois estava no patamar de 2%.

Agora atingiu 5.4%, sem apoios tradicionais e apenas mostrando para o julgamento popular, o trabalho parlamentar de 24 anos, no Congresso Nacional.

Essa prestação de contas é feita através de redes sociais, cujo endereço é @neylopesrn e o blog  www.blogdoneylopes.com.br  . 

Percebe- se, que a vaga de senador do RN será a maior disputa nesta eleição de 2022, superando, inclusive, governador.

Muita água irá correr ainda debaixo da ponte…

Ney Lopes é jornalista, advogado e ex-deputado federal

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Fernando diz:

    Rafael será o candidato do lulismo. Quem vota em lula, vota em Rafael.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2022. Todos os Direitos Reservados.