• Repet - material para campanha eleitoral - 16 de maio de 2024
terça-feira - 11/04/2017 - 23:46h
Lava Jato

Lista de “propinoduto” da Odebrecht envolve 8 políticos do RN

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a investigar 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados federais que fazem parte da chamada “lista do Janot”.

Entre os alvos dos novos inquéritos, estão os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Os inquéritos servirão para apurar se há elementos para a Procuradoria-Geral da República denunciar os investigados por eventuais crimes. Se o Supremo aceitar as eventuais denúncias da PGR, os acusados se tornam réus em ações penais.

Fachin quebra sigilo e descarrega lista enorme (Foto: arquivo)

A revelação das investigações foi feita pelo site do jornal “O Estado de S. Paulo”, que, inicialmente, informou que havia 83 inquéritos abertos. Depois da divulgação das informações pelo site do jornal, o STF informou oficialmente que Fachin determinou a abertura de 76 inquéritos para investigar políticos e autoridades com base nas delações de ex-executivos da Odebrecht.

Segundo o gabinete de Fachin, foram arquivados sete casos envolvendo autoridades, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por falta de indícios da ocorrência de crimes.

Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte aparece com sua parcela de “contribuição” na lista de Fachin. São eles: o governador Robinson Faria (PSD), senadores José Agripino (DEM) e Garibaldi Filho, deputados federais Fábio Faria (PSD) e Felipe Maia (DEM), ex-governadora e atual prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP), ex-governadora e atual vereadora em Natal Wilma de Faria (PTdoB), ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB).

Robinson e Fábio Faria vão responder por corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, os mesmos crimes que recaem sobre Rosalba, relacionados ao período em que ela governava o estado.

Quanto a José Agripino, Garibaldi Filho e Felipe Maia, os inquéritos tratarão de suposta falsidade ideológica eleitoral.

Henrique Alves tem conexão com o também ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), em inquérito a ser remetido à Justiça Federal no Piauí.

Quanto à ex-governadora Wilma de Faria, há ausência de foro por prerrogativa de função, com inquérito devendo tramitar na Justiça Federal do RN (RN).

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Veja AQUI também relação de todos os procedimentos judiciais desencadeados por Fachin, com encaminhamentos a outros foros, números de petições etc.

P.S – Depois detalharemos o que recai sobre cada  um dos políticos potiguares. Aguarde outras postagens.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Compartilhe:
Categoria(s): Política

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2024. Todos os Direitos Reservados.