sexta-feira - 05/11/2010 - 18:32h

Polícia Federal apura esquema de corrupção na BR-101


O orçamento inicial das obras de duplicação da BR-101, investigadas por operação da Polícia Federal chamada de Via Ápia, teve acréscimo da ordem de R$ 30 milhões. Conforme divulgado em coletiva de imprensa na sede da PF, nesta sexta-feira (5) pela manhã, logo que iniciada a obra, os custos previstos eram de cerca de R$ 170 milhões. Agora, no entanto, o valor já vai em R$ 212 milhões.

O aumento foi resultado de seis termos aditivos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) do Rio Grande do Norte. Em investigação da PF denominada Via Ápia, ficou comprovado desvio de ao menos R$ 2 milhões de verbas destinadas à duplicação do segundo lote da BR-101, que compreende o trecho entre o município de Arez e a divisa com a Paraíba.

Apesar disso, o chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Moacir Rodrigues, informou que o esquema de corrupção não deve ter tido impacto direto no atraso das obras. Segundo ele, também não ficou comprovado que materiais de baixa qualidade tenham sido utilizados. Caso isso seja verificado, Rodrigues garantiu que os responsáveis receberão a punição necessária.

Os R$ 2 milhões desviados teriam se dado através de atos de superfaturamento, desvios de verbas públicas e pagamentos indevidos. Ao todo, os policiais cumpriram seis mandados de prisão temporária e um de condução coercitiva.

Em decorrência disso, estão detidos o superintendente do Dnit, Fernando Rocha, seu vice e o diretor regional do órgão no estado, Gledson Maia, que é sobrinho do deputado João Maia e foi detido na tarde de ontem na churrascaria Sal e Brasa, na avenida Engenheiro Roberto Freire, Zona Sul de Natal.

Do portal Nominuto.com

 

Categoria(s): Sem categoria

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2021. Todos os Direitos Reservados.