segunda-feira - 20/09/2021 - 19:20h
Orçamento secreto

Styvenson quer explicação sobre obra que beneficia Rogério Marinho

O senador Styvenson Valentim (Podemos) pediu a convocação do ministro do Desenvolvimento Regional e ex-deputado federal Rogério Marinho (sem partido) para depor no Senado. Quer ele na Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC), depondo sobre recursos do “orçamento secreto” para uma obra no RN, que indiretamente o beneficiaria.

Em suas redes sociais, Valentim deu destaque ao seu pedido e à denúncia (Reprodução)

Em suas redes sociais, Valentim deu destaque ao seu pedido e à denúncia (Reprodução)

“Como todo cidadão que mora no RN, fiquei estarrecido com a reportagem do jornal O Estado de São Paulo (veja AQUI), de 20/9/21, que traz à tona uma história que o ministro Rogério Marinho teria direcionado R$ 1,4 milhão do chamado orçamento secreto, alocado no Ministério do Turismo, para a obra de um mirante turístico que será construído a 300 metros de um terreno de sua propriedade, em Monte das Gameleiras (RN)”, disse Valentim em suas redes sociais.

“Acho que o ministro tem o direito de se explicar e a população tem o direito de saber. Por isso, encaminhei requerimento ao presidente da Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC), do Senado, solicitando que votemos o meu requerimento que convida o ministro para explicar melhor essa novela no âmbito da CTFC”, reforçou.

Duas versões

O Estadão lembra, que em audiência na Comissão de Trabalho, Administração e Serviços Públicos da Câmara, em 8 de junho, o deputado Rogério Correia (PT-MG) indagou Marinho se ele tinha indicado os recursos para a construção de um mirante próximo a um terreno que possuía, informação que circulava nos bastidores da política no Rio Grande do Norte. O ministro negou e demonstrou irritação com a pergunta.

“O senhor está falando uma informação que não é verdade. O senhor está mentindo em cima de uma ilação. Eu peço ao senhor respeito para não trazer para cá ilações”, disse na ocasião. “Não fui eu que solicitei, certo? Não fui eu que solicitei. Foi o deputado Beto Rosado (Progressistas-RN)”, afirmou o ministro à época.

Depois que os documentos foram obtidos pelo jornal O Estado de São Paulo, o ministro admitiu que acionou o Ministério do Turismo, mas alegou que o fez a pedido do deputado Rosado. O nome do parlamentar, no entanto, não aparece no documento relacionado ao repasse da verba, apenas o de Marinho.

Acompanhe o Canal BCS (Blog Carlos Santos) pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Política

Comentários

  1. Amorim diz:

    O Faz Nada questionando o ET!
    Sem comentários, me dar náuseas.
    Bom dia.

  2. Francisco Justino da Costa diz:

    O Rio Grande do Norte não tem jeito mesmo. Querem queimar o ministro só porque é do RN. Se houver coisa errada, acione o MPF.

  3. Kiev diz:

    Se isso não tiver o dedo do Faria eu rinche.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2021. Todos os Direitos Reservados.