quarta-feira - 27/04/2011 - 18:13h

Leonardo aponta crack como responsável por mais crimes


O deputado Leonardo Nogueira (DEM) atribuiu o aumento do índice de homicídios em Mossoró ao avanço do consumo de crack na cidade.

O parlamentar afirmou, nesta quarta-feira (27), que a insegurança é um problema herdado do governo passado e apresentou algumas ideias da Secretaria de Defesa Social da cidade para serem implantadas pelo governo atual.

O parlamentar fez referência, a uma matéria veiculada em um jornal local no último fim de semana, que mostrou que somente nos quatro primeiros meses de 2011, a polícia registrou 64 homicídios, o que representa um aumento de 54% em relação ao mesmo período do ano passado.

Ele destacou algumas sugestões apresentadas pela Secretaria de Defesa Social de Mossoró que, segundo o deputado, podem ser implantadas pelo governo, como a construção de bases policiais nas principais rotas de fuga da cidade.

Para o deputado, o próximo passo deve ser a implantação de políticas de prevenção à criminalidade, que envolvam ações nas áreas de educação, cultura e esportes.

Fernando Mineiro (PT) propôs que se realize uma audiência pública sobre a violência em Mossoró.

Nota do Blog – Taí, gostei.

O deputado Leonardo Nogueira foi mais sensato do que a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), que soltou um dos maiores disparates dos últimos tempos, ao afirmar que tudo era causado pela instalação do Presídio Federal em Mossoró.

É politiqueiro, entretanto, atribuir que essa onda de crimes seja reflexo da gestão passada. Ou seja, de novo o velho complexo da transferência de culta sendo posto em discusssão, para mascarar um debate sério.

Só polícia na rua não resolve nem atenua a escalada do crime em Mossoró.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia

Comentários

  1. Cluadio Sergio diz:

    Senhores e Senhoras Observadores (as)

    Por mais desqualificada (o) que seja uma pessoa, acima de tudo é um ser humano. Que na maioria das vezes inconscientemente é levado a enveredar pelo caminho do mal, ou pelo mal caminho, por falta de uma orientação, de uma chance, ou oportunidade na vida. Eu quero acreditar, que é preciso, sermos mais honestos em nossos comentários. Não é colocando a culpa, nas vitimas, nas autoridades, ou em quem quer que seja, que estaremos resolvendo essa situação de violência que queiramos ou não assombra a todos nós. Tenho certeza, que um dos pontos cruciais para vivermos hoje essa triste realidade é a tamanha desigualdade social que a cada dia só aumenta em nosso país. É necessários que enxerguemos isso. Depois vem as instancias governamentais, que só se mechem quando algo de ruim chega a atingir alguém da parte do pico da pirâmide social. O que é um erro. Temo muito o aumento da violência desenfreada que a todo instante assola o RN. E para minha tristeza, a nossa autoridade máxima, inclusive uma Mossoroense, a governadora Rosalba, trata essa situação como se nada estivesse acontecendo. Hoje ela é responsável, por todas as politicas publicas do nosso estado. E enquanto o setor de segurança, tiver o tratamento que vem recebendo da sra. governadora, eu não acredito que medidas paliativas isoladas por parte de autoridades militares resolva esse problema. Não é com apenas conversa que as coisas acontecem. Temos que ver ação. Por exemplo: Ações direcionadas a essa camada social mais vulnerável, como cursos de qualificação de graça, escolas de tempo integral, para crianças de risco, principalmente as que vivem em áreas vulneráveis. Oportunidades para os pais desses futuros delinquentes, como chances de trabalhos, qualificações, ações educativas e de lazer. Ai depois disso, vem os incrementos do estado com a sociedade de uma forma geral. Primeiro com bons salários para os servidores públicos de todas as áreas: saúde, segurança, educação, etc. Em seguida dar as melhores condições para esse profissionais trabalharem com dignidade, disposição e resolutividades para as diferentes demandas sociais que lhes cabem. Não é o que assistimos, ou estamos vendo a muito tempo em nosso estado e no Brasil, como um todo. Por tanto, meu caro observador. Temo muito o nosso futuro sombrio, enquanto o obvio não for feito, e claro a sociedade participando dessas transformações. Vamos ter que conviver com essa mazela social por mais algum tempo, pois há de chegar o momento em que o pessoal do pico da pirâmide terá que reconhecer, que temos de distribuir a renda para todos, e não só ficarmos olhando par o nosso próprio umbigo.

    É a minha conclusão. alguém concorda? ou Não?

    Claudio Sergio

  2. MARCOS PINTO - Da AAPOL, ICOP, IHGRN e do IANTT. diz:

    O Leonardo olvidou o fato de que a sua esposa tem,também, considerável parcela de culpa por esse cenário de violência em Mossoró, posto que não envida esforços no sentido de trazer indústrias para a cidade, com o incentivo da isenção de ttributos municipais. Com o emprego, combate-se a miséria, que é onde nasce a revolta como fator gerador da violência.

  3. luciano diz:

    O cerne das dorgas esta no combate investigativo do trafico, tendo em vista, que o problme so será resolvido quando houve o banimento dos traficantes que abastecem a sociedade com esse lixo, chamado chack. NO entanto, isso passa pelo fortalecimento da policia civil, que no nosso estado, nao da conta do serviço por carencia de pessoal, estrutura…Ja está na hora de rosalba começar a se movimentar, pois o tempo urge…Existem 500 polcias civis preparados para trabalhar que ela faz questao de ignorar..

  4. Alan Sérgio diz:

    Só acredito que o gol de placa tenha sido de sua assessoria pois dele nada temos além desse olhar bovino e andar manso. Nada mais sai deste uniforme

  5. itamar de sousa diz:

    grande descoberta!!!!
    acho que o deputado deve ter passado longo tempo,ruminando,para se chegar a essa conclusao,parabens nobre deputado,pela ‘fantarguida”"descoberta[como diz o tiririca].
    b noite p tds[as]

Deixe uma resposta para Alan Sérgio Cancelar resposta

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.