segunda-feira - 18/11/2019 - 11:46h
A politica e suas circunstâncias

Refém de Ezequiel, Fátima pode repetir Rosalba adiante


Entre petistas históricos e muitos outros próximos à governadora Fátima Bezerra (PT), há um misto de alívio e angústia com a influência e poder cada dia maiores, no governo, do presidente do PSDB no RN e da Assembleia Legislativa – deputado Ezequiel Ferreira.

Esse estado de espírito ambivalente tem explicação fácil.

Sem Ezequiel, o governo da professora Fátima já tinha praticamente fenecido. A governadora é refém de sua liderança na Casa e fora dela.

Fátima sabe que Ezequiel tem bancada numerosa, que não é "governista", mas está com o governo (Foto: Elisa Elsie)

Sem sua influência, sendo o real líder da bancada dita “governista”, a governadora não teria mais do que uns três deputados (e olhe lá) para chamar de “meus”.

Até quando Ezequiel Ferreira vai topar ser muro de arrimo do Governo Fátima Bezerra?

Eis a questão.

Ele não o é por identidade ideológica ou espírito público.

Ezequielzinho tem um projeto próprio, todo particular, de poder. Por circunstâncias políticas no segundo turno do pleito do ano passado, ele endossou a candidatura de Fátima Bezerra.

Já o deputado Gustavo Carvalho, também figura de expressão no PSDB, foi escalado para ‘cobrir’ a outra banda da contenda – apoiando o ex-prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT). Ou seja, fecharam em 100% as chances de serem governo.

No primeiro turno, o PSDB deu aval ao nome natimorto à reeleição do então governador Robinson Faria (PSD).

Rosalba como exemplo

Rosalba, em junho de 2014, até chorou em reunião do DEM, mas não foi candidata (Foto: arquivo)

Só para lembrar, sem necessariamente ser cassandra de uma história que pode se repetir: Rosalba Ciarlini (DEM, hoje no PP) era governadora (2011-2014) e refém do PMDB (hoje, MDB) dos primos Henrique Alves (deputado federal) e Garibaldi Filho (senador), além do senador José Agripino (DEM).

No dia 30 de agosto de 2013 (veja AQUIAQUI e AQUI), pouco mais de um ano e um mês das eleições sucessórias de 2014, o MDB anunciou rompimento com a governadora.

No dia 2 de junho de 2014, o DEM reuniu seu Diretório Estadual e decidiu que faria apenas coligação na chapa proporcional. Não teria nome próprio ao governo estadual. Ou seja, descartou a tentativa de reeleição de Rosalba, que chegou a chorar no evento politico (veja AQUI).

Ela ignorava a rejeição estelar ao seu governo, apostando que poderia ser reeleita. O que tornou seu fim de governo menos desastroso foi a recomposição com seu vice dissidente e governador eleito – Robinson Faria.

Eleições 2020

“O homem é o homem e suas circunstâncias”, definiu o filósofo espanhol José Ortega y Gasset. Ezequiel e sua bancada trabalham com circunstâncias favoráveis, mesmo com alguns sobressaltos.

Adiante, tudo pode ser desfavorável e pouco interessante à manutenção do apoio. As eleições municipais de 2020 ainda colocam Ezequiel e Fátima com muitos pontos convergentes. Mais na frente, é provável que não.

E, se o governo continuar sem fôlego, como está até o momento, o presidente da Assembleia Legislativa não precisará fazer qualquer esforço para dar um passo atrás. É a vida!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
sábado - 16/11/2019 - 16:40h
Europa

Governadora e prefeita de Mossoró têm encontro em Portugal


A governadora Fátima Bezerra (PT) e a prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP) encontraram-se casualmente no Aeroporto de Lisboa (Portugal) há poucas horas.Cada uma e suas respectivas companhias, com destinos já traçados.

Fátima com destino a Paris, inicialmente (veja AQUI); Rosalba, seguindo para Barcelona (veja AQUI).

A governadora com agenda de trabalho ao lado de outros governadores nordestinos (Consórcio Nordeste); Rosalba, com três dias num evento internacional e sete em visita filha e outros familiares na Alemanha.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • WR Industrial - Agência Ágape - 09-10 a 28-12-19
quinta-feira - 14/11/2019 - 22:48h
SCEWC

Rosalba integra comitiva de prefeitos em evento na Espanha


A prefeita Rosalba Ciarlini (PP), ao lado do secretário da Fazenda Abraão Padilha, integra comitiva da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) no Congresso Internacional de Cidades Inovadoras. O Smart City Expo World Congress (SCEWC) é o maior evento sobre cidades inteligentes do Mundo e está em sua 9ª edição.

O evento ocorre em Barcelona, na Espanha, onde foram convocados prefeitos de cidades de médio porte e capitais que possuem projetos de inovação na gestão.

A prefeita cientificou nesta quinta-feira (14) a Câmara Municipal sobre essa agenda.

Evento e viagem

O documento informa que ela estará ausente no período de 15 a 24 de novembro (dez dias). Conforme a Lei Orgânica do Município, no art. 37, é exigida autorização apenas para o período superior a 15 dias. O evento acontecerá em três dias, de 19 a 21 deste mês.

Mossoró foi convocada pelo desenvolvimento de ações no conceito denominado de cidade inteligente. São exemplos a implementação do Ônibus Inteligente, aplicativo que informa os horários do transporte coletivo em tempo real; Mossoró Conectada, que oferta diversos serviços como agendamento de atendimentos, reposição de iluminação pública, trânsito, ouvidoria, além de notícias sobre a cidade.

A participação no Congresso Mundial está sendo custeada pela Frente Nacional dos Prefeitos.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública
quinta-feira - 14/11/2019 - 08:30h
Empréstimo milionário

Prefeitura se defende e juiz vai decidir sobre Ação Popular


Empréstimo foi aprovado dia 23, em sessão fora da sede da CMM (Foto: BCS)

A Prefeitura Municipal de Mossoró pronunciou-se sobre a Ação Popular com pedido de tutela de urgência, que trata da aprovação às pressas de projeto de lei (veja AQUI) que autorizou a municipalidade a obter empréstimo “de até R$ 150 milhões”.

A demanda foi protocolada à semana passada pelos vereadores oposicionistas – Alex do Frango (PMB), Petras Vinícius (DEM), Gilberto Diógenes (PT), Genilson Alves (PMN), Ozaniel Mesquita (PL) e Raério Araújo (sem partido) – e está em tramitação na 8ª Vara da Justiça Federal da comarca de Mossoró, sob apreciação do juiz Orlan Donato Rocha.

Após ouvir manifestação dessa parte, o magistrado vai emitir decisão. Os parlamentares viram o projeto ser aprovado sem maior discussão no último dia 23.

A mensagem e projeto enviados pela prefeita à Câmara Municipal não detalha questões imprescindíveis ao conhecimento dos parlamentares e da população, como tempo de carência, período de pagamento, juros, índice de comprometimento de receita, plano de aplicação dos recursos, critérios à definição dos investimentos e em que obras especificamente devem ser empregados esses milhões.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • Assembleia Legislativa - Queijeiras - Art&C - 23-10-19
terça-feira - 12/11/2019 - 23:32h
Mossoró

Tem secretário municipal na corda bamba


A bancada governista na Câmara Municipal de Mossoró quer maior afinação entre secretariado/auxiliares de outros escalões e eles.

A prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e o líder do rosalbismo, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, estão bem bem cientes disso.

O assunto foi tratado em reunião (veja AQUI) do grupo com ambos em Tibau no domingo (10), não obstante o desmentido de que ocorrera um encontro sem qualquer pauta política (veja AQUI).

Tem secretário com nome na corda bamba.

Se não ‘entrar nos eixos’ poderá ser substituído.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 12/11/2019 - 14:00h
Nota de Esclarecimento

Bancada diz que não tratou sobre política com Rosalba e Carlos


Em relação à postagem “Rosalbismo e bancada acertam rateio de cargos e obras”, feita ontem (11) neste Blog, esclarecemos que o encontro de vereadores com a prefeita Rosalba Ciarlini, em Tibau, domingo (10), foi uma reunião social, sem caráter de articulação política ou legislativa.Estávamos acompanhados de familiares e assessores, em compromisso informal mantido em ambiente coletivo, o que pode ser provado, por diversas testemunhas, não ter havido diálogo reservado e nenhuma abordagem sobre atuação na Câmara Municipal de Mossoró.

Lamentamos profundamente que confraternização de colegas de trabalho tenha sua finalidade deturpada, ao ponto de ser relacionada a práticas políticas não republicanas e condenáveis – as quais têm nosso absoluto repúdio e que não coadunam com os princípios que nos movem.

Vereador Alex Moacir – MDB

Vereadora Aline Couto – Avante

Vereador Didi de Arnor – PRB

Vereador Emílio Ferreira – PSD

Vereador Flávio Tácito – PcdoB

Vereadora Izabel Montenegro – MDB

Vereador Professor Francisco Carlos – PP

Vereador Manoel Bezerra – PRTB

Vereadora Maria das Malhas – PSD

Vereador Ricardo de Dodoca – Pros

Vereador Rondinelli Carlos – PMN

Vereadora Sandra Rosado – PSDB

Vereador Tony Cabelos – PSD

Vereador Zé Peixeiro – PTC.

Nota do Blog - Como é comum, jamais favor, este Blog dá o contraditório – procedimento absolutamente corriqueiro. É um direito alheio, preservado com zelo por nós.

Estranhamos, porém, que o vereador Flávio Tácito seja endossante de uma nota que se refere a um “compromisso informal” em que ele não esteve presente.

Da próxima vez, seria interessante que divulgassem em seus endereços em redes sociais um encontro tão harmonioso e apolítico. Até esse horário (14h do dia 12 de novembro de 2019), não há uma única foto no Instagram dos vereadores signatários da nota, que retrate a confraternização. Inclusive, não colocamos qualquer foto nesta postagem, por não encontrarmos nada nos endereços dos respectivos vereadores.

Agora, depois que detectamos esse pequeno lapso de memória coletivo, todos estão liberados à publicação.

Ainda bem que não foi algo secreto, fechado, para tratar sobre política.

Mais um ponto: o que veiculamos não tem nada de fora dos hábitos republicanos, mas é da própria cultura política nacional. Ou o casal Rosalba e Carlos vai ofertar cargos comissionados e indicação de obras para a oposição? Não emitimos juízo de valor, mas os vereadores é que deixam implícito que não vão indicar qualquer obra nem receber sequer um cargo, nessa relação com o governo.

Em campanha à reeleição, com certeza não vão propagar que pediram ou indicaram qualquer realização governamental. Se o fizerem, estarão entrando em contradição com essa Nota de Esclarecimento.

Repetimos (veja AQUI) que publicamos informações colhidas de fonte diretamente envolvida no encontro, onde estiveram familiares e assessores dos vereadores. Foi algum vereador (a)? Nada mais podemos adiantar, apesar da vontade.

Por fim, que fique claro: este espaço é plural, é “Nosso Blog”, estando sempre à disposição para divulgar as boas proposições e condutas, aberto à dialética. Um exemplo? Veja essa postagem que trata de proposta da vereadora e amiga Aline Couto (Avante): Projeto de Ficha Limpa Municipal é aprovado na CCJR.

É só.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repav - 30 Anos - Residencial Dix-neuf Rosado - Mais Publicidade - 240-08-19
terça-feira - 12/11/2019 - 08:48h
Política

Dúvidas e o valor da boa fonte jornalística


Nos intramuros da Câmara Municipal de Mossoró, alguns se perguntam: como o Blog Carlos Santos soube detalhes de reunião entre bancada governista e o casal prefeita Rosalba Ciarlini (PP)-Carlos Augusto Rosado, ocorrida em Tibau?

Resposta: conversando com fonte confiável que estava lá, diretamente envolvida nas discussões.

Só isso.

Pronto!

Agora podem voltar ao trabalho e encerrem esse nhenhenhem. Estão ficando chata essa roda de desconfiança.

Leia também: Rosalbismo e bancada acertam rateio de cargos e obras.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 11/11/2019 - 15:52h
Reunião

Rosalbismo e bancada acertam rateio de cargos e obras


Rateio de novos cargos comissionados na municipalidade, indicação de obras do empréstimo “de até R$ 150 milhões” para maior retorno eleitoral, discussão sobre defesa do governo na Câmara Municipal, ação (ou reação) ao crescimento da oposição e questionamentos sobre secretariado. Basicamente essa foi a pauta de reunião da cúpula do rosalbismo com sua bancada de vereadores, nesse domingo (10).

O encontro regado à boa mesa aconteceu na residência da prefeita Rosalba Ciarlini, na cidade-praia do Tibau.

Rosalba-Carlos: bancada afinada (Foto: cedida)

Formada por 14 vereadores (e pontualmente contando com o apoio do “independente” João Gentil-Rede), contra seis da oposição, os governistas tiveram garantia de mais cargos, conforme projeto encaminhado ao próprio legislativo na sexta-feira (8), para “aprovação imediata”.

Mas nessa segunda-feira (11), a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) pediu a devolução do Projeto de Lei Complementar do Executivo (PLCE) 140/2019, para complementação de “anexos obrigatórios” (veja AQUI).

Obras direcionadas

Quanto às obras, o casal prefeita Rosalba-ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado tem prioridades estratégicas para fortalecerem imagem eleitoral do governo no próximo ano. A conversa é para encaixe de pedidos dos vereadores, sobretudo em pavimentações de ruas em seus redutos.

Houve consenso de que existe necessidade de afinação da bancada para defesa do governismo no plenário da Câmara Municipal, além de se admitir que é preciso rápida ação (ou reação) ao nítido avanço do bloco de oposição na sucessão municipal.

Não houve parcimônia em relação a alguns secretários e outros auxiliares da prefeita no governo. Bancada quer mais “espaços” para atendimento de seus pleitos, valorizando-se perante o eleitorado.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • Mossoró Oil & Gas Expo
segunda-feira - 11/11/2019 - 12:14h
PRIMEIRA MÃO

Rosalba pede de volta projeto que cria 30 cargos em prefeitura


Rosalba "combate" crise com cargos comissionados (Foto: arquivo)

Através do Ofício 441/2019-PMM, a Prefeitura de Mossoró solicitou à Câmara Municipal, hoje (segunda-feira, 11), a devolução do Projeto de Lei Complementar do Executivo (PLCE) 140/2019.

A matéria instituía novos 30 cargos comissionados na municipalidade.

Os cargos de Técnico de Nível Médio (TNM), com salário de R$ 1.388,98, seriam criados na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Juventude, cuja titular é Lorena Ciarlini, filha da prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Lorena teve seu nome comentado para ser candidata a deputado estadual no ano passado.

Crise, mais cargos e campanha eleitoral

A justificativa oficial da Prefeitura para retirada da matéria, enviada ao Legislativo sexta-feira (8), foi o não envio de anexos obrigatórios. Caso a continuasse em tramitação, o projeto poderia ser votado, em regime de urgência, próxima semana.

O assunto foi mostrado em primeira mão nesse domingo (10) pelo Portal do Oeste, editado pelo jornalista Magnos Alves. Causou péssima repercussão, em face da gestão da prefeita Rosalba alardear que enfrenta grave crise financeira, inclusive com atraso há vários meses no pagamento da remuneração de pessoal.

Não custa lembrar: próximo ano tem campanha eleitoral municipal.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 11/11/2019 - 08:46h
Eleições 2020

Larissa tenta colar em Rosalba; prefeita a exclui até de foto

Rosalbismo não quer outro Rosado perto para difícil campanha e constrange grupo de Sandra Rosado

Em meio à programação no sábado (9) no Sítio Hipólito (zona rural) do projeto “Família em Foco”, da Prefeitura Municipal de Mossoró, a ex-deputada estadual Larissa Rosado (PSDB) tentou colar sua imagem à prefeita Rosalba Ciarlini (PP), de quem é aliada desde a campanha municipal passada (2016).

Em suas redes sociais, Larissa pulverizou fotos ao lado da governante e líder popular do rosalbismo.

Rosalba, no centro, posa com Larissa bem à sua esquerda em postagem da ex-deputada no Instagram (Reprodução BCS)

Já a prefeita fez o inverso no seu Instagram próprio. Só para exemplificar: em nenhuma postagem aparece ao seu lado a ex-deputada e ex-adversária em quatro pleitos municipais. Deu-lhe sumiço.

Duas fotos são emblemáticas (colocadas nesta matéria).

Numa divulgada por Larissa Rosado, ela aparece em pose com a prefeita compondo elenco de fotografados.

Em outra, sobre mesmo evento e local físico, Rosalba está imponente ao lado de servidores da municipalidade que prestam “serviço gratuito” (como ela mesma escreveu) para a comunidade. Cadê Larissa?

Ambas posturas são compreensíveis. São facilmente explicáveis.

O grupo de Larissa tenta viabilizá-la como vice de Rosalba no próximo ano. É algo que Rosalba e o guru do seu agrupamento, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, não querem nem ouvir falar.

Anexaram o rosadismo ao seu sistema em 2016, transformando-o em subgrupo. Isso é fato.

Estratégia

Quanto à Larissa, a estratégia de se associar à prefeita é no sentido de tentar produzir um conceito de empatia que torne essa composição palatável ao eleitor e ao casal Rosalba-Carlos.

Parte desse estratagema é pressionar o rosalbismo, divulgando a possibilidade de que Larissa Rosado seja candidata a prefeito, como nome do PSDB e do presidente da sigla e da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza.

As duas hipóteses não são impossíveis, mas são bastante improváveis. Rosalba deverá ter outro nome a vice; o esquema de Larissa e de sua mãe, vereadora Sandra Rosado, continuará onde está por falta de fôlego para uma aventura em faixa própria.

A prefeita Rosalba, em seu Instagram, fala sobre mesmo assunto, mas bota foto excluindo Larissa (Reprodução BCS)

O rosadismo e o rosalbismo duelaram por mais de 30 anos no mesmo campo político em Mossoró, fechando brechas para surgimento de qualquer novidade que os importunasse. Em 2016, sentiram que era necessária a “união”, engolindo sapos, ressentimentos e diferenças diversas. Tudo por uma questão de sobrevivência.

Cláudia X Larissa

Em 2012, houve sinalizador de que pudesse acontecer essa afinação, quando Larissa foi candidata a prefeito pela terceira vez, contra a então vereadora Cláudia Regina (DEM), nome do rosalbismo.

- Eu não vou entregar a prefeitura à Sandra – bateu na mesa na Residência Oficial do Governo do Estado, em Natal, a então governadora Rosalba Ciarlini. A partir daí, usou todos os esforços e estrutura oficial para impor derrota ao grupo da prima Sandra Rosado, então deputada federal.

Em 2014, na campanha às eleições suplementares à prefeitura, após cassação de Cláudia e do vice Wellington Filho (MDB), outra vez foi ventilado apoio do rosalbismo à Larissa contra o então prefeito interino Francisco José Júnior (PSD).

- É para votar nele. Vamos derrotar Sandra – ordenou a prefeita a seus seguidores/eleitores. Com os votos do rosalbismo, Francisco José Júnior atropelou Larissa Rosado, que colecionou sua quarta derrota à prefeitura.

Rosalba derrotou mãe e ajudou a derrotar filha

Rosalba x Sandra (1996)

- Rosalba Ciarlini (PFL) – 57.407 (52,64%);
- Sandra Rosado (PMDB) – 26.118 (28,50%);
- Maioria pró-Rosalba Ciarlini de 31.289

Francisco José Jr. x Larissa (2014)

- Francisco José Júnior (PSD) – 68.915 (53,31%);
- Larissa Rosado (PSB) – 37.053 (27,55%);
- Maioria pró-Francisco José Júnior de  31.862

* Francisco José Júnior teve 573 votos de maioria em sua vitória, num comparativo com Rosalba em 1996 contra Sandra Rosado (PSB, na época PMDB).

A opção do rosalbismo por Francisco José Júnior tinha duas razões de lógica política bem própria do pragmatismo e frieza do casal Rosalba-Carlos: estavam se distanciando de Cláudia e do líder do DEM, senador José Agripino; precisavam impedir que a municipalidade caísse nas mãos dos principais adversários.

Havia a premonição de cassandras, de que Francisco José sangraria no curso do mandato, tornando possível a retomada do Palácio da Resistência – o que ocorreu em 2016.

Sem mandatos

Sandra e Larissa ficaram sem mandatos (federal e estadual em 2014) e acabaram capitulando, como presas fáceis à cooptação ao pleito de 2016. No acordo feito, não lhes coube, por exemplo, indicar o vice de Rosalba. A compensação seria viabilizar a volta de Larissa à Assembleia Legislativa, numa costura política que envolveu a montagem da chapa Carlos Eduardo Alves (PDT)-deputado estadual Álvaro Dias (MDB) à Prefeitura do Natal- veja AQUI.

Assim, com eleição de Álvaro, a suplente Larissa foi içada de volta à AL, mas não se reelegeu em 2018.

Para 2020, uma chapa Rosalba-Larissa é tudo que o rosalbismo outra vez não quer. Por uma questão de sobrevivência, é tudo que o grupo de Sandra e a ex-deputada estadual precisam.

O cenário que se avizinha não recomenda brincar com a própria sorte. Rosalba e Carlos sabem disso e tratam do assunto com cortes e ajustes que começam numa simples foto. Pragmatismo político. Poder em jogo.

Uma imagem diz mais do que muitas palavras. Pura semiótica. Duas fotos, então…

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
  • Mossoró Oil & Gas Expo
quarta-feira - 06/11/2019 - 23:52h
Problemas

Governismo estadual tem semana de tensões e perdas


A semana tem sido tensa e de perdas consideráveis à imagem e até às finanças do Governo Fátima Bezerra (PT).

A queda do eventual repasse de recursos da cessão onerosa do pré-sal (veja AQUI) compromete pagamentos de folhas em atraso.

Fátima não tem conseguido ser clara e hábil para tratar de questões polêmicas e o pre-sal não ajuda (Foto: sem identificado)

O decreto que instituiu o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (PROEDI) é aplaudido pelo empresariado, mas rechaçado por prefeitos que veem prejuízos ao erário municipal sem compensação à altura (veja AQUI).

O fechamento do Hospital Regional Deoclécio Marques, localizado em Parnamirim, causa outra confusão de vozes. O governismo não consegue fazer valer seus argumentos (veja AQUI) e não inspira confiança ao que promete.

Na Assembleia Legislativa, nas redes sociais e ruas, o governo perde também a guerra da informação nas discussões em torno do projeto reajuste de 16,38% para procuradores estaduais (veja AQUI). A matéria ganhou uma emenda “bomba” para beneficiar os servidores em geral – mesmo sendo vista como inconstitucional.

A situação está tão extremada que até parte do movimento sindical se volta contra a governadora, governo e sua bancada na Casa. A deputada Isolda Dantas (PT) que o diga.

Nesta quarta-feira (6), a parlamentar foi alvo preferencial de setores do sindicalismo (isso mesmo) e funcionalismo, com agressões verbais das galerias da AL e em redes sociais.

Em Mossoró, sua principal base politica, o episódio serve de munição para o rosalbismo (grupo da prefeita Rosalba Ciarlini-PP) cerrar ataques à ela e ao governo estadual. A tática na Câmara Municipal e redes sociais funciona como válvula de escape e cortina de fumaça à prefeita, num momento em que sua imagem está seriamente arranhada.

A semana ainda não terminou. Logo chega quinta-feira (7) e os sinalizadores apontam que não deverá arrefecer esse desgaste do governismo estadual.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 01/11/2019 - 11:29h
Manifesto

Prefeitos de 38 municípios são contra decreto do Proedi


Trinta e oito dos 167 prefeitos do RN assinaram manifesto contrário ao decreto do Governo Fátima Bezerra (PT), que instituiu o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (PROEDI) que estaria concorrendo para reduzir a transferência da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os municípios.

Leia abaixo o manifesto e relação dos seus endossantes:

Carta aberta à população do Rio Grande do Norte

Hoje, 31 de outubro, último dia útil do mês, além das dificuldades que vínhamos enfrentando para administrarmos nestes tempos de crise, nos deparamos com mais um problema para fecharmos a folha de pessoal: a redução dos recursos do ICMS provocada pelo PROEDI, Decreto nº 29.030/2019, do Governo do Estado.

Reiteramos que não somos contra incentivos fiscais para as indústrias que geram emprego, renda e desenvolvimento para nosso Estado. Não podemos aceitar é que os municípios sejam penalizados com a transferência de responsabilidade do governo.

Com o decreto alterando o antigo PROADI, a maioria dos municípios não terá condições de arcar com os salários dos servidores públicos municipais e todos, sem exceção, sentem ampliadas as dificuldades de honrar seus compromissos. Apesar de todos os esforços, a retirada de recursos provenientes do ICMS amplia as dificuldades e problemas que já eram sentidos em áreas essenciais, a exemplo da saúde, educação e infraestrutura em função da recessão da economia nacional.

O decreto alterou todo o planejamento que havia sido realizado por cada prefeitura e, com isso, chegando ao fim do mês, são os servidores municipais os maiores penalizados pela perda de recursos.

Por esse motivo, nós, prefeitos do Rio Grande do Norte, viemos nos manifestar novamente sobre os impactos negativos às cidades das mudanças no PROEDI. Reforçamos a necessidade da importância de incentivos fiscais para atração de empresas para o Estado, principalmente para incrementar a geração de empregos, mas entendemos que os municípios não podem arcar com transferência de responsabilidades e pagar a conta com a redução das receitas. Perdem as cidades, os servidores e os cidadãos mais uma vez.

Carta assinada pelos prefeitos:

Álvaro Dias – prefeito de Natal

Rosalba Ciarlini – prefeita de Mossoró

Robson de Araújo – prefeito de Caicó

Allan Silveira – prefeito de Apodi

Chilon Batista – prefeito de Timbaúba dos Batistas

Rivelino Câmara – prefeito de Patu

Babá Pereira – prefeito de São Tomé

Marcos Cabral – prefeito de Vera Cruz

Graça Oliveira – prefeita de Cerro Corá

Mara Cavalcanti – prefeita de Riachuelo

Shirley Targino – prefeita de Messias Targino

Bernadete Rego – prefeita de Riacho da Cruz

Ceição Duarte – prefeita de Lucrécia

Túlio Lemos – prefeito de Macau

Luiz Eduardo – prefeito de Maxaranguape

Olga Fernandes – prefeita de Martins

Maria Olímpia – prefeita de Paraú

Ludmila Amorim – prefeita de Rafael Godeiro

Amazan – prefeito de Jardim do Seridó

Marcão Fernandes – prefeito de Lajes

Marcelo Filho – prefeito de Bodó

Jessé Freitas – prefeito de Riacho de Santana

Babau Jácome – prefeito de Marcelino Vieira

Jodoval Pontes – prefeito de Japi

Luciano Santos – prefeito Lagoa Nova

Larissa Rocha – prefeita de Tenente Ananias

Fernando Teixeira – prefeito de Espírito Santo

Cássio Cavalcanti – prefeito de Ielmo Marinho

Jorginho Bezerra – prefeito de Tangará

Ivanildinho Ferreira – prefeito de Santa Cruz

Lídice Brito – prefeita de São João do Sabugi

Taianni Lopes – prefeita de Lagoa D´Anta

Fátima Marinho – prefeita de Canguaretama

Preta Ferreira – prefeita de Lajes Pintada

Francinaldo Cruz – prefeito de Galinhos

Antônio Freira – prefeito de Governador Dix-Sept Rosado

Noeide Sabino – prefeita de Equador

Elídio Queiroz – prefeito de Jardim de Piranhas.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
  • Mossoró Oil & Gas Expo
sexta-feira - 01/11/2019 - 09:38h
É a Rosa!

Bancada governista sente dificuldade para defender governo

Onda de notícias negativas desgasta a gestão da prefeita Rosalba Ciarlini e encurrala vereadores

De um vereador aliado da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), em sussurros com outro governista, num dos compartimentos da Câmara Municipal de Mossoró:

– Está cada vez mais difícil defender o Governo Municipal.O governista se referia à sucessão de fatos negativos que degastam a gestão. Como exemplo, enumerou três fatos políticos, que atingiram em cheio o Palácio da Resistência esta semana:

- O anúncio da judicialização, pela bancada oposicionista, do pedido de empréstimo do Município à Caixa (veja AQUI).

- A revelação do rombo da Prefeitura (e do Estado), que provocou suspensão de cirurgias eletivas no Hospital Wilson Rosado pelo SUS (veja AQUI, AQUI). Leia tambémRegistro do SUS desmente Prefeitura sobre repasse a hospital.

- A ampliação do atraso no pagamento do servidor público (até então, o governo sustentava versão “fake news” de que pagava a “folha em dia”). Leia tambémRosalba paga a apenas 60% dos servidores e culpa Fátima.

Atacar governadora é tática para desviar foco

Não por acaso, no plenário da Câmara, a tática predominante é atacar o Governo do Estado, ao invés de apresentar resultados da Prefeitura ou efetivamente defendê-la. O atalho é transferir foco e responsabilidades, denúncias e queixas na direção da governadora Fátima Bezerra (PT).

A tática até que vinha funcionando, mesmo que à meia-boca. Contudo ficou muito “manjada”. Além disso, os fatos retumbantes que depõem contra a gestão da “Rosa”, falam por si.

Militância cibernética, robôs virtuais, páginas apócrifas financiadas pela municipalidade e mídia camarada não estão conseguindo conter essa onda negativa.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 29/10/2019 - 19:30h
Fiscalização

Oposição questionará na justiça empréstimo tocado às pressas


O vereador Genilson Alves (PMN) informou durante sessão desta terça-feira (29) na Câmara Municipal de Mossoró, que vai questionar judicialmente projeto de lei aprovado à semana passada (veja AQUI) por esse poder, que autoriza a gestão da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) a contrair empréstimo “de até R$ 150 milhões”.

Eleitores-internautas apontam que empréstimo é visto com descrédito e com fins eleitoreiros (Foto: Edilberto Barros)

Segundo Genilson, “esse foi o compromisso que assumimos com as pessoas ouvidas em nossa enquete (cerca de 90% são contra). Vamos judicializar e evitar que os recursos sejam usados em obras eleitoreiras, já que a prefeita não informa qual será o impacto na economia do município”.

O parlamentar deixou claro que a forma de aprovação, a escassa informação sobre a transação financeira e plano de aplicação de recursos, dão a ele e a tantas outras pessoas, crença de que existem “indícios de irregularidades”.

O contraponto

“O empréstimo viabilizará, por exemplo, a reforma e manutenção do Teatro Municipal, pavimentação de ruas, recuperação e construção de poços na Zona Rural, reformas na Praça de Convivência e no Cobal, entre outros”, afirmou Alex Moacir, parlamentar governista.

Francisco Carlos (PP), outro parlamentar do governo, disse que em vários municípios do país esse mesmo formato de empréstimo tem sido operacionalizado. A presidente da Casa, Izabel Montenegro (MDB), voltou a defender o projeto.  “A chegada desses recursos será uma redenção para Mossoró”, comentou a vereadora.

Nota do Blog – Até hoje não entendemos, ainda, o porquê da prefeita e bancada governista não aceitarem qualquer debate sobre esse projeto multimilionário. Ora, se está tudo certo, dentro da lei, com os melhores propósitos e espírito republicano, por que não discuti-lo antes de levá-lo à votação. Com certeza teria unanimidade.

Com essa postura, acabam dando o direito a qualquer um desconfiar que o governo trabalha desesperadamente para fazer caixa de campanha. A princípio não acreditamos. Mas que desconfiamos, desconfiamos. Ah, como desconfiamos! Nós e a maioria da população, que arrasadoramente se manifesta contrária em enquetes nas redes sociais.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • WR Industrial - Agência Ágape - 09-10 a 28-12-19
segunda-feira - 28/10/2019 - 07:52h
Com a palavra...

Cacoete da mitomania marca Rosalba à porta de eleição

Pesquisa chegou a apontar que 60% dos mossoroenses não acreditam na palavra de sua prefeita

Prefeita de Mossoró pela quarta vez, Rosalba Ciarlini (PP) repete um cacoete que virou marca de sua gestão e está adesivada à sua vida pública como nódoa: ela é incansável e sistemática em se desviar da verdade, sintoma clássico da “mitomania”. Com o tempo, a psicopatologia só se agravou. Contamina inclusive seu grupo e auxiliares próximos. Quem não mente, esquiva-se da imprensa para não ter que mentir.

Já em pré-campanha para tentar seu quinto mandato como prefeita, Rosalba enfrenta descrédito atestado até mesmo em pesquisa de opinião pública. “Para 60% dos ouvidos ela não fala a verdade”, apontou Pesquisa Seta/Blog do Barreto (veja AQUI), veiculada dia 17 de abril deste ano.

Sua palavra virou risco nágua. Na dúvida, melhor não acreditar. Os antecedentes a condenam.

No atual governo, prometeu enxugar número de cargos comissionados “em até 50%”, mas amplificou o quadro de contratados para números que hoje quase ninguém é capaz de numerar (veja AQUI). Algum vereador governista saberia afirmar quantos cargos em comissão existem na municipalidade? Alguém da imprensa arriscaria? Do Tribunal de Contas do Estado (TCE) ou Ministério Público? Seriam 600, 700, 800, 900, mil? Quem sabe?

Família em primeiro lugar

Garantiu que faria uma reforma administrativa, mas acabou criando nova secretaria (com mais 41 cargos), além de empregar dois filhos e outros familiares no município. Virou notícia nacional: Rosalba segue luta contra desemprego (em sua família). Tentou, por exemplo, aboletar uma irmã em cargo na Cultura, sem sequer publicar portaria correspondente. Mas foi flagrada e teve que recuar: Irmã de Rosalba assume cargo sem portaria; prefeitura nega.

Folha de São Paulo tomou Rosalba como um dos péssimos exemplos no início de novas gestões - janeiro/2017 (Reprodução)

É a mesma gestora que tentou se apropriar da retomada dos voos comerciais diários no Aeroporto de Mossoró, numa manobra para usurpar o mérito do então governador Robinson Faria (PSD) e outros atores: Rosalba volta a assumir realização que não lhe pertence.

Alardeou que 400 cirurgias ortopédicas seriam feitas mensalmente, sob a batuta da prefeitura, em parceria com o Governo do Estado. Outra ação meia-boca. Pouco mais de 166 foram realizadas em cerca de dois meses e até hoje esse compromisso nunca deslanchou. Leia: Prefeitura vai dizer por que não começou cirurgias eletivas.

Educação, saúde e cultura de “referência”

É a prefeita que chegou a discursar no dia 26 de dezembro de 2017 em evento do segmento empresarial, atestando que “Mossoró é uma referência em educação, saúde e cultura no país“. Até hoje repete essa invencionice. Leia: Relatório prova sucateamento de sistema de Saúde de Mossoró. Leia: Desabastecimento de remédios é situação generalizada.

Mandou publicar no dia 30 de dezembro de 2017, que com sua influência tropas federais desembarcariam em Mossoró, à melhoria da segurança pública (veja AQUI). Ninguém lhe avisara que essa era uma prerrogativa do governador do estado, que a usou. Valeu a máxima do se colar, colou.

Praça Vigário Antônio Joaquim foi "obra" denunciada sem contestação por esta página há poucos dias (Foto: BCS)

Mal começou 2018 e saiu por aí assinando ordens de serviços e divulgando que estaria entregando mais de 65 obras. Era ano eleitoral, só para refrescar a memória. Algumas delas não se têm notícia de que tenham sequer começado. Há casos de “realizações” que não passam de gambiarras e umas estão paradas ou quase parando.

Há casos emblemáticos. Dois deles o Blog Carlos Santos documentou à semana passada: o lengalenga nebuloso de duas obras na mesma praça Vigário Antônio Joaquim no centro da cidade, inconclusas há mais de um ano e seis meses (veja AQUI AQUI) e a Celso da Costa Rêgo (veja AQUI), no Conjunto Liberdade I (Alto do Sumaré).

500 empregos em milhares de enganados

Ano passado, entre outros ‘feitos’, pulverizou na imprensa e redes sociais que a indústria Revestimentos Cerâmicos Ltda. reabria sua produção e ofereceria 500 empregos diretos e indiretos (veja AQUI), como se suposta recuperação judicial da empresa – que até hoje não se consumou, fosse mérito de seu governo. Tudo não passou de um engodo com foco eleitoral, visto que seu filho Kadu Ciarlini (PP) era candidato a vice-governador.

Milhares de pessoas fizeram fila para entregar currículo à municipalidade, sem saberem que estavam sendo enganadas.

Em ano eleitoral, como 2018, a promessa de 500 empregos ludibriou milhares de pessoas (Foto: PMM)

Anote nesse rol de faz-de-conta, a propaganda do salário em dia e valorização do servidor. Nenhuma das duas tem amparo na realidade. O pagamento remuneratório continua fatiado de um mês para o outro. Reajuste do piso do professorado ficou abaixo de 4,17%, mas prefeita vende tese de que cumpre a lei. Foi desmentida.

Sistematicamente se recusa a receber sindicatos e comissões de funcionários municipais.

Sem puxar muito a memória, logo aparece a imagem da então governadora Rosalba (2011-2014) posando ao lado de quadro com maquete do Estádio Manoel Leonardo Nogueira (Nogueirão). Ludibriou milhares de eleitores-torcedores de Potiguar e Baraúnas, antes do pleito municipal de 2012. Não botou sequer uma pá de cal por lá. É o maior estelionato eleitoral que Mossoró testemunhou.

Maquete foi apresentada em outubro de 2011, se transformando no maior estelionato eleitoral de Mossoró (Foto: arquivo)

O Teatro Lauro Monte Filho foi outra “melada” da mesma época (veja AQUI). Juntou o mundo cultural no prédio onde funcionara o Cine-teatro Cid, assinou ordem de serviço e espalhou divulgação. Quem fez de verdade o empreendimento foi o governador Robinson Faria.

Com outra campanha próxima, é previsível que a prefeita volte a tirar da cartola uma série de promessas, como a duplicação da Avenida Francisco Mota (que anuncia desde o século passado) e despoluição do rio Mossoró (do mesmo século).

150 milhões e avalanche de ordens de serviço

Difícil, contudo, que encontre algo mais surreal  do que levantou em sua primeira campanha eleitoral em 1988, contra o então deputado estadual Laíre Rosado (marido de sua aliada de hoje, vereadora Sandra Rosado-PSDB): prometeu fim da inflação que cumulativamente atingiu a 1.037,56% àquele ano no Brasil.

Com expectativa de ter R$ 150 milhões em empréstimo, tudo pode acontecer. Tecnicamente é pouco provável que possa concluir algum empreendimento em 2020, mas a enxurrada de ordens de serviços deve ser o forte na construção dessa narrativa. Em 2018, o enredo prometia mais de 65 obras. Agora, faça as contas…

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
quarta-feira - 23/10/2019 - 09:26h
HOJE

Prefeita articula aprovação “imediata” de empréstimo


A bancada governista junta seus membros agora pela manhã na Escola Municipal Paulo Cavalcante de Moura (bairro Alto do Sumaré), onde se realiza 12ª edição do projeto Câmara Cidadão (veja AQUI), para votar “imediatamente” o projeto de lei de número 1214 de 15 de outubro de 2019.

A matéria é para autorizar a municipalidade a “contratar e garantir operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (CEF), até o valor de R$ 150 milhões”.

Sessão começou sem transmissão ao vivo da TV Câmara Municipal (Foto: BCS)

O Palácio da Resistência (sede da municipalidade) cobra que projeto seja “resolvido” logo. Temem um revés com questionamentos da oposição. O Blog Carlos Santos antecipou que essa decisão estava tomada e em diligências (veja AQUI).

Na sessão ordinária do dia passado (veja AQUI), a bancada da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) esvaziou o plenário para que não fosse apreciada e votada proposição do vereador oposicionista Gilberto Diógenes (PT), que queria uma audiência pública para discutir o projeto.

Apenas transparência

- Não somos contra, queremos discutir o projeto em todas as suas nuances e o texto original dele não diz praticamente nada. É demais pedir uma audiência pública para debatermos algo de tanta importância? Não sabemos nada sobre encargos, carência, plano de aplicação dos recursos, quais são as obras e que critérios vão definir o que é prioritário – comenta o vereador Petras Vinícius (DEM), da oposição.

Sem cobertura da TV Câmara, a sessão ordinária deste quarta-feira (23) da Câmara Municipal de Mossoró deve aprovar projeto sem registro documental à publicização à comunidade. A gestão desse poder alegou que a transmissão “era de difícil acesso”.

Leia também: Prefeitura quer fazer empréstimo “urgente” de até R$ 150 milhões;

Leia também: Empréstimo de Rosalba é cartada político-eleitoral decisiva;

Leia também: Empréstimo dará para construir nova sede da Câmara Municipal.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • Mossoró Oil & Gas Expo
terça-feira - 22/10/2019 - 15:28h
Urgência

Após denúncia, prefeitura monta força-tarefa para acabar obra

Blog Carlos Santos mostrou no dia passado que um símbolo da cidade de Mossoró estava abandonado

Após denúncia fartamente documentada em fotos, informações textualizadas e vídeo pelo Blog Carlos Santos, a Prefeitura Municipal de Mossoró desencadeou operação emergencial para finalmente terminar obra de restauração da Praça Vigário Antônio Joaquim. Desde abril do ano passado, há mais de um ano e seis meses, o serviço estava emperrado.

Foto com registro de hoje no início da tarde, após mobilização da prefeitura para se livrar de boa parte dos detritos (Foto: BCS)

Nesta terça-feira (22), sem questionar nenhum ponto do que denunciamos, a gestão da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) anunciou através de comunicado em suas redes sociais, que no dia 14 de novembro próximo finalmente vai abrir a praça a uso normal.

Operacionalmente, resolveu montar uma força-tarefa com a empresa contratada à obra - Vita Comércio e Serviços Ltda. – para tocar o empreendimento. Tem que aprontar de qualquer jeito.

Foto panorâmica da PMM em suas redes sociais, hoje, tenta suavizar o estrago mostrados pelo Blog Carlos Santos

Equipe para varrição, lavagem, recolhimento de lixo e monturos foi destacada e em poucas horas foi possível fazer alguns fotos para publicação oficial. Mesmo assim, não disfarçam o cenário que mostramos com clareza.

Acesso proibido

Também foi destacado serviço de vigilância, para evitar que viciados em droga e outros indivíduos continuassem ocupando a praça. Também é proibido o acesso de qualquer outra pessoa estranha ao trabalho.

A reportagem especial desta página no dia de ontem (veja AQUI) provocou retomada dos trabalhos, mas continuará sem resposta para muitas interrogações: a municipalidade emitiu uma ordem de serviço no dia 10 de abril do ano passado e outra em setembro do mesmo ano, para a mesma obra.

A primeira garantia entrega da praça para agosto de 2018 e a segunda para março deste ano.

A de abril, no valor de R$ 95.491,66 e sob a responsabilidade da Lima Engenharia e Construções. A outra, com montante de R$ 425.132,44, que está nas mãos da Vita.

Ambiente semidestruído, a Praça Vigário Joaquim foi mostrada por Nosso Blog ontem, em fotos do domingo, 20 (Foto: BCS)

Nota do Blog – Mais uma vez damos demonstração inequívoca de que tratamos assuntos sérios com a seriedade que eles merecem. Mesmo sob críticas e ataques de garachués anônimos ou não, cumprimos parte do nosso papel. Parte, bom frisarmos.

Infelizmente, os órgãos fiscalizadores oficiais não tratam com um pingo de zelo a coisa pública e não podemos ir muito além. Existem várias outras obras em situações idênticas ou piores. E, claro, ninguém é ou será punido.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Gerais / Política
terça-feira - 22/10/2019 - 09:48h
Câmara Municipal

Prefeita quer urgência à aprovação de empréstimo milionário


O Palácio da Resistência já passou orientação (ou deu ordem, como queira) expressa à sua bancada majoritária na Câmara Municipal de Mossoró: tem que aprovar logo o projeto de lei de número 1214 de 15 de outubro de 2019.

A matéria é para autorizar a municipalidade a “contratar e garantir operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (CEF), até o valor de R$ 150 milhões”.

O projeto chegou à Casa no último dia 16 (quarta-feira), com pedido de urgência. Na sessão de hoje (terça-feira, 22) que está em andamento, ele poderá ser endossado num regime vapt-vupt.

Projeto vago

A ideia do governismo,leia-se prefeita Rosalba Ciarlini (PP), é evitar maiores discussões, temendo algum óbice à sua aprovação.

A bancada minoritária da oposição cobra um elenco de informações e ampliação de debate sobre o tema.

O projeto em si é muito vago e mexe com comprometimento de receitas do município, em volume mensal sem clareza alguma.

Leia também: Empréstimo de Rosalba é cartada político-eleitoral decisiva.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
  • WR Industrial - Agência Ágape - 09-10 a 28-12-19
segunda-feira - 21/10/2019 - 06:38h
O que estão fazendo com você?

“Prefeita das Praças” abandona símbolo de Mossoró

Logradouro público no centro da cidade está há quase um ano e 7 meses em obras, mas semidestruído

Conhecida pela prodigalidade em “fazer praças” na cidade ao longo de três mandatos como prefeita, Rosalba Ciarlini (PP) está prestes a entrar no último ano do seu quarto mandato à frente da Prefeitura de Mossoró, marcada por uma simbologia inversamente proporcional. Ela é a prefeita que deprecia e destrói um dos logradores públicos mais simbológicos do município, no coração da urbe: a Praça Vigário Antônio Joaquim.

Monturos se formam na praça, escondidos por tapume e tendo Câmara Municipal ao fundo como cúmplice (Foto: BCS)

Desde o dia 10 de abril de 2018 (isso mesmo, veja AQUI, há um ano, seis meses e 11 dias) que ordem de serviço foi assinada para “obras de restauração, acessibilidade e manutenção”, no valor de R$ 95.491,66 e prazo de entrega para 120 dias, com responsabilidade da Lima Engenharia e Construções. Em agosto de 2018, ano passado, era para ter sido reinaugurada.

Desde então, no curso da campanha eleitoral do ano passado, quando tinha o filho Cadu Ciarlini (PP) como candidato a vice-governador do ex-prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT), ela e uma entourage fez várias visitas ao local e nunca entregou a obra nem justificou o porque de não abri-la ao uso da população.

Cotidiano do caos

O retrato do local é desolador. Num tour por onde antes circulavam adultos e crianças durante muitas décadas, logo encontramos monturos e estruturas físicas semidestruídas. Foi transformada em residência fixa de incontáveis moradores de rua que se entregam a seus vícios, fazem necessidades físicas e converteram bancos em varais para roupas ou camas, numa vida cotidiana dividida com pombos, lixo, ratos e baratas.

Num banco transformado em varal, cueca, calção e outras peças dos atuais ocupantes do local (Foto: BCS)

A Praça Vigário Antônio Joaquim é uma vergonha à céu aberto, mas escondida dos olhos de transeuntes por tapumes de alumínio. Os responsáveis por esse escárnio seguem preservados de críticas ou qualquer tipo de indignação da população.

O vizinho que deveria “fiscalizar”

Também são poupados de cobrança incisiva da Câmara Municipal. Inclusive, esse poder “fiscalizador” é vizinho – a poucos metros – do local. Na verdade, parceiro e cúmplice desse crime de lesa-Mossoró.

Impossível não perceber tanto acinte, haja vista que das janelas do seu plenário é possível ter uma visão panorâmica desse patrimônio da gestão de Rosalba Ciarlini, numa área de cerca de 1.900 metros quadrados.

Alguns moradores de rua descansam tranquilamente em bancos, sem qualquer tipo de preocupação no local (Foto: BCS)

Estranho também que a mesma Praça tenha passado a ter outra empresa contratada para realizar o mesmo serviço, sem que praticamente nada revele que ali um dia foi promovida qualquer tipo de restauração, acessibilidade e manutenção.

Outra empresa, outro valor, outro prazo

Desde o fim de setembro de 2018 que trabalhadores começaram a cercar a praça (veja AQUI), com a nova obra definida (e outra empresa, a Vita Comércio e Serviços Ltda.) no valor de R$ 425.132,44.

Em seis meses tudo seria entregue, garantia a propaganda municipal. Ou seja, março de 2019.

Outro prazo que foi e continua ignorado e nenhum esclarecimento é prestado ao contribuinte, ou seja, quem paga o desperdício.

Catedral de Santa Luzia e a estátua do sogro da prefeita, Governador Dix-sept Rosado, testemunham desprezo (Foto: BCS)

A mesma praça com duas placas com especificações do empreendimento (a primeira já foi retirada do local), dois prazos, dois valores bem diferentes e uma mesma realidade: abandono, desprezo.

A “casa” da prefeita

A “prefeita das praças” anunciou na pré-campanha de 2018 que tinha 35 obras em andamento e mais 30 estariam em licitação, a maioria para reparos em praças, calçamentos, tapa-buraco.

“A nossa cidade é como a nossa casa, tem que ter manutenção frequente”, palavras dela no dia 10 de abril do ano passado.

Cabe um ditado popular para enquadrá-la à realidade: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.

Vale ainda lembrar um bordão que ela utilizou em sua campanha municipal vitoriosa em 2016: “Minha Mossoró, o que estão fazendo com você?”

Foi o mote para transformar o então prefeito Francisco José Júnior (PSD à época) em seu principal cabo eleitoral. Nas redes sociais, principalmente, muitas vozes se levantaram para julgá-lo e sentenciá-lo ao purgatório. Agora, não. Há um silêncio tumular.

Ambiente fétido, semidestruído, praça merece um tour guiado para se ver o que é feito em Mossoró (Foto: BCS)

Dezenas de pequenas obras seguem paradas ou quase parando, outras tantas não passaram de propaganda.

Entretanto o enredo ainda não está completo.

Estátua e Santa Luzia como testemunhas

Esta semana a Câmara Municipal de Mossoró deverá aprovar projeto de lei que autoriza o município a contratar empréstimo “de até” R$ 150 milhões (veja AQUI) para obras de calçamento, asfalto e construção de prédios públicos.

Dinheiro à mão do mesmo governo que não consegue concluir reparos banais numa praça diante de outros dois símbolos mossoroenses: a estátua do seu sogro, o governador Dix-sept Rosado, e a Catedral de Santa Luzia, padroeira dos católicos e dos olhos. Ela deve estar vendo tudo.

Depois de mais de um ano e 6 meses, ferragens, sistema elétrico, alvenaria e outras estruturas provam desperdício (Foto: BCS)

Leia também: Rosalba faz ‘duas’ obras na mesma praça e mantém abandono (24 de junho de 2019);

Leia também: Empréstimo de Rosalba é cartada político-eleitoral decisiva.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 20/10/2019 - 05:40h
Dinheiro e voto

Empréstimo de Rosalba é cartada político-eleitoral decisiva

Negociação antes de nova disputa lembra tentativa frustrada dela, quando tentou reeleição em 2014

Por Carlos  Santos

A pouco menos de um ano das eleições 2020, quando vai enfrentar certamente o pleito mais difícil dos que participou à municipalidade, a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) dá uma cartada decisiva no campo político-eleitoral: vai obter empréstimo “de até” R$ 150 milhões através do programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (FINISA) do Governo Federal, via Caixa Econômica Federal (CEF).

A mensagem com o Projeto de Lei de número 1214 de 15 de outubro de 2019 foi protocolada na Câmara Municipal de Mossoró no último dia 16 (quarta-feira) – veja AQUI. Impôs à Casa a apreciação da matéria em regime de “urgência”, para que possa investir os recursos logo nos primeiros meses de 2020.Com ampla maioria no Legislativo, é pouco provável que a prefeita tenha sobressaltos para aprovar a matéria já esta semana. Será do seu jeito.

Mas a justificativa para buscar tanto dinheiro extraordinário passa longe das mais primárias necessidades dos munícipes. Segundo a mensagem da prefeita, a dinheirama visa “dotar o Município de recursos para realização de importantes obras de infraestrutura urbana, com ênfase na pavimentação e saneamento além de construção e reformas de prédios públicos, a fim de melhorar a qualidade da prestação dos serviços públicos e de melhores condições de vida aos cidadãos mossoroenses”.

O empréstimo deve ensejar um elenco de obras físicas de grande visibilidade (calçamento a paralelepípedos e asfalto, principalmente), que não deixam de ter importância à vida dos munícipes, visto que cerca de 7% das vias urbanas são carroçáveis (segundo a própria prefeitura). Contudo conflita com um elenco de prioridades que a gestão da prefeita não tem conseguido atender, tornando-a pífia e sem uma marca capaz de projetá-la eleitoralmente. Eis a questão.

Empréstimo não alivia déficit

Mesmo com todo esse dinheiro em caixa, o governo municipal seguirá asfixiado financeiramente, inclusive comprometendo cotas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para cobrir a dívida. Não deve ser esquecido que até hoje é questionado com base na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) – veja AQUI, quanto aos excessos de cargos comissionados.

A prefeita não fez o dever de casa para dar autonomia financeira ao município. Recusou-se a promover uma reforma administrativa e tomar decisões austeras, como prometeu em campanha, porque o empreguismo tinha que ser mantido como moeda política, em detrimento do administrativo-financeiro.

Rosalba apoiou Robinson e deixou empréstimo como "herança bendita" para ele, mesmo sem querer (Foto: arquivo)

A PMM tem dívida milionária com o Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Mossoró (Previ-Mossoró), servidores enfrentam problemas com empréstimos consignados, municipalidade tem reduzida capacidade de investimento, professorado reclama de não atendimento a direitos salariais, unidades de saúde pública convivem com desabastecimento de remédios e de outros insumos, bem como sucateamento estrutural e deficiências de equipamentos.

Várias obras com recursos federais podem ser paralisadas (veja AQUI) por falta de atendimento de algumas exigências (como contrapartida financeira), e a própria folha de pessoal é paga de forma fatiada, além de contabilizar impiedosos atrasos a terceirizados. Muitas pequenas obras de recuperação de praças, ruas e outros equipamentos públicos arrastam-se há meses, devido débitos com as terceirizadas.

Em sua propaganda institucional e personalista, o governo se jacta de estar alcançando um feito com a viabilização do empréstimo. Retrata um mundo de imaginação fértil. “A negociação com a Caixa representa o esforço em quitar dívidas e reorganizar as contas públicas, recuperando a capacidade de endividamento do município”, diz texto oficial.

Dinheiro bilionário

No dia 10 de julho de 2013, pouco mais de um ano antes do pleito de 2014, em que pensava na reeleição, a então governadora Rosalba Ciarlini (DEM, hoje no PP) obtinha do Senado votação favorável para empréstimo de 540 milhões de dólares (à época, o equivalente a mais de R$ 1 bilhão).

O empréstimo em muito se assemelha àquele encaminhado com o Banco Mundial, à época em que era governadora do RN (2011-2014), como grande aposta à sua reeleição, mas que ela não pode operacionalizar. Sequer conseguiu ser candidata, vetada por seu partido.

Virou herança “bendita” para o sucessor Robinson Faria (PSD), a quem Rosalba apoiou na campanha de 2014 como vingança contra o então deputado federal Henrique Alves (MDB), que concorreu ao governo estadual e era visto pelo rosalbismo como um dos mentores do veto à sua candidatura à reeleição pelo DEM.

A própria governadora atual, Fátima Bezerra (PT), reconheceu recentemente esse esforço de Rosalba para viabilizar recursos no Banco Mundial. Afinal de contas, chega à sua gestão (veja AQUI) o “bendito” empréstimo, mesmo que não consiga minimizar o monstruoso déficit fiscal (incluindo bilionário rombo previdenciário) do Estado, herança “maldita” da própria Rosalba e Robinson.

Patrimonialismo e obras

O dinheiro levantado para ser despejado justamente num ano eleitoral, é o sonho de qualquer político aboletado numa cadeira executiva. Qual oposicionista não gostaria de estar com esses meios à mão?

O problema é que essa dinheirada não resolve ou atenua qualquer dos graves problemas do mossoroense comum e do erário. Pode ser remédio político para salvar Rosalba, seu grupo e a vida de dezenas de pessoas que dependem de seu êxito eleitoral.

Dix-huit e seu irmão Vingt Rosado, pai de Sandra Rosado, em 1992 (Foto: arquivo)

Em 1992, espalhar obras (praças, calçamento e asfalto por toda a cidade) era a fórmula do rosalbismo para vencer o pleito municipal. “Se obra vencer eleições, nós venceremos”, chegou a afirmar o então deputado estadual Carlos Augusto Rosado (PFL, hoje no PP) ao jornal Gazeta do Oeste. Não deu certo.

Uma inusitada chapa ideológica apoiada por Rosalba – vice-prefeito Luiz Pinto (PFL)-professor João Batista Xavier (PCB) – acabou derrotada por Dix-huit Rosado (PDT)-Sandra Rosado (PMDB).  Placar de 37.188 (47,79%) a 32.795 (42,15%).

Maioria pró-Dix-huit Rosado/Sandra Rosado de 4.393 (5,64%) votos.

Rosalba e seu marido Carlos sabem (ô, como sabem!), que uma derrota em 2020 não será apenas seu fim político, mas colapso de um sistema patrimonialista que há décadas depende da política como meio de vida para si e os seus. É uma modalidade de meritocracia planificada para atender a poucos sobrenomes.

Sua legitimação acontece pelo voto de uma maioria feliz por poder botar os pés no calçamento à porta de casa, mas que só depois descobre que não tem direito a um simples Voltaren na Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu bairro, segurança ou educação básica.

Essas nuances não aparecem em nenhum dos parágrafos do contrato de empréstimo com a CEF. Estão nas filigranas.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
  • Banner Rodapé da Lion Brazil - 18 de novembro de 2019
sexta-feira - 18/10/2019 - 12:39h
Campanhas memoráveis

Carlos Augusto revela segredo para vencer eleições


Líder do rosalbismo, o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, em rara aparição pública, revelou a metodologia que há décadas ajuda-o a colecionar vitórias na política de Mossoró e do Rio Grande do Norte.

Carlos Augusto Rosado (centro) deu a pista para vitórias: pesquisa, pesquisa, pesquisa... (Foto: Edilberto Barros)

Indagado na mesa redonda Campanhas Memoráveis (veja AQUI e AQUI), nessa quinta-feira (17) à noite, sobre o que determinou o lançamento da então pediatra Rosalba Ciarlini (PDT à época, hoje no PP) à Prefeitura de Mossoró, em 1988, foi seco:

Pesquisa, meu caro. Pesquisa.

Deixou no ar o ensinamento que, para vencer na política, o pragmatismo e a racionalidade devem se sobrepor à paixão e ao amadorismo.

Como diria o jornalista Canindé Queiroz (do extinto Gazeta do Oeste), em mais uma de suas criações lapidares, tudo precisa ser feito “com régua e compasso”.

O Campanhas Memoráveis ocorreu no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Subseccional de Mossoró, numa promoção do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 18/10/2019 - 09:10h
Mossoró

Henrique Alves participa do “Campanhas Memoráveis”


O ex-deputado federal Henrique Alves (MDB) prestigiou o evento “Campanhas Memoráveis” (veja AQUI) em Mossoró, à noite dessa quinta-feira (17), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Subseccional local.

Henrique e Carlos Augusto conversam, sob presença de Izabel e Rosalba (Foto: Carlos Costa)

Chegou até a fazer pergunta aos participantes da mesa redonda.

Depois, jantou em restaurante no centro da cidade, ao lado da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, ex-candidata a vice-prefeito Rose Cantídio (MDB), ex-vereador e atual presidente do Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores do município de Mossoró (Previ-Mossoró) Elviro Rebouças e a presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (MDB).

O Campanhas Memoráveis é uma iniciativa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN) e teve como mediador o professor e escritor David Leite.

O presidente dessa corte, desembargador Glauber Rêgo, prestigiou o evento.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.