sexta-feira - 23/02/2018 - 14:28h
Flávio Azevedo

Secretário do Desenvolvimento pede exoneração do cargo


Azevedo: saída (Foto: arquivo)

Do Blog Heitor Gregório e Blog Carlos Santos

Está publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (23), a exoneração do empresário Flávio José Cavalcanti de Azevedo do cargo de Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico.

Flávio alegou ao governador que voltará a se dedicar as atividades empresariais e deverá disputar uma chapa na diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O Governo do Estado não anunciou o substituto.

Flávio Azevedo tinha sido empossado em 4 de agosto de 2015. Substituiu à época o engenheiro Paulo Roberto Cordeiro, ex-diretor do Banco do Paraná.

Na campanha de 2014, ao governo, ele compôs palanque adversário encabeçado pelo deputado federal e então candidato a governador Henrique Alves.

Foi convidado para ocupar a parta do Desenvolvimento do governador eleito Robinson Faria (PSD) em julho de 2015, aceitando a convocação. Mas avisou também que estaria se desfiliando do PMDB (hoje, MDB).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
terça-feira - 20/02/2018 - 19:10h
Hoje

STJ nega liberdade ao ex-deputado federal Henrique Alves


Alves: prisão (Foto: EBC)

Do G1

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou na tarde desta terça-feira (20) pedido de liberdade do ex-ministro e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). O pedido foi negado por 4 votos a 1.

Henrique Alves é alvo de dois processos por suposto recebimento de propina – um por desvios na Caixa e outro por desvios na construção da Arena das Dunas, em Natal. O ex-ministro nega qualquer irregularidade.

No outro processo do qual Henrique Alves é alvo, que o investiga por suposto recebimento de propina na constução da Arena das Dunas, a defesa do ex-ministro já conseguiu na Justiça converter a prisão preventiva em prisão domiciliar.

Mas como o peemedebista é alvo do processo da Operação Sépsis, ele permanecerá preso preventivamente.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 15/02/2018 - 17:23h
Operação Manus

MPF recorre contra prisão domiciliar de Henrique Alves


O Ministério Público Federal (MPF) recorreu da decisão da Justiça Federal no Rio Grande do Norte (JFRN) que concedeu prisão domiciliar ao ex-ministro e ex-presidente da Câmara, Henrique Eduardo Lyra Alves (MDB), dentro do processo relacionado à Operação Manus, na qual ele responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O político, no entanto, ainda continua preso na Academia de Polícia Militar, em Natal, por conta do mandado referente à Operação Sepsis, cujo processo tramita na Justiça Federal em Brasília.

Em seu recurso, o MPF alerta que a concessão da prisão domiciliar para Henrique Alves não se enquadra em nenhuma das hipóteses previstas no Código de Processo Penal e traz riscos à aplicação da lei, em decorrência da influência política que ainda possui o ex-ministro. A peça acrescenta que a decisão tomada pelo juiz da 14ª Vara Federal Francisco Eduardo Guimarães – durante audiência no último dia 6 de fevereiro -, baseou-se em fundamentos equivocados.

A defesa solicitou a concessão de prisão domiciliar alegando que “as testemunhas de acusação ouvidas ‘inocentariam’ ou provariam a ‘inocência’ de Henrique Alves”, Para o MPF, este é um grande equívoco, sobretudo porque “não cabe a testemunhas, sejam de acusação, sejam de defesa, realizar juízo sobre a responsabilidade criminal ou a inocência de réus”.

Veja mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 06/02/2018 - 13:34h
Decisão

Henrique ganha prisão domiciliar, mas segue preso na PM


Do Portal Noar

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves (MDB) teve sua prisão preventiva convertida em prisão domiciliar, nesta terça-feira (6). O político foi preso por meio da “Operação Manus”, que apura desvio de recursos na construção da Arena das Dunas, em Natal.

Alves: outra decisão (Foto: arquivo)

O ex-ministro permanecerá na Academia da Polícia Militar do RN, por ter contra ele outro mandado de prisão de outro processo que correm em Brasília/DF. Hoje, o ex- parlamentar completa oito meses preso.

Eduardo Cunha

A decisão do juiz Eduardo Guimarães Farias foi tomada em audiência durante esta manhã. O mesmo pedido foi feito pela defesa do ex-deputado Eduardo Cunha, mas foi negado.

Agora, a defesa de Alves fará um pedido de habeas corpus à Justiça no outro caso ao qual ele responde.

O pleito deverá ser julgado na próxima quinta-feira (8).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 26/01/2018 - 13:38h
'Justiça'

Lava Jato já condenou mais de 140 pessoas; STF, ninguém


Por Giselle Santos (Do Congresso em Foco)

Deflagrada pela Polícia Federal em março de 2014, a Operação Lava Jato se tornou célebre por revelar aos brasileiros um dos maiores escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro de que já se teve notícia, envolvendo políticos, agentes públicos, grandes empreiteiras e altos executivos da Petrobras.

Passados quase quatro anos, as condenações se acumulam em primeira e segunda instância, chegando até a figuras como o ex-presidente Lula, que teve sua pena no caso do triplex do Guarujá (SP) aumentada para 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), na última quarta-feira (24).

Renan, Sarney, Jader, Jucá e Eunício são alguns dos investigados na Lava Jato no Supremo. Sem o foro, Lula está condenado e Henrique Eduardo Alves, preso (Foto: Ricardo Stuckert)

Porém, quando se trata de autoridades com foro privilegiado, a coisa muda de figura. No Supremo Tribunal Federal (STF), instância máxima do Judiciário e responsável pelos processos envolvendo parlamentares e ministros, nenhuma ação penal foi concluída no âmbito da Lava Jato. Em Curitiba e no Rio de Janeiro, que concentram as principais ações da operação na primeira instância, pelo menos 144 pessoas já acumulam 181 condenações – algumas foram sentenciadas mais de uma vez.

Desde março de 2015, quando foi divulgada a primeira “lista de Janot” – relação dos citados nas delações premiadas do doleiro Alberto Yousseff e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, encaminhada ao STF pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot –, 193 inquéritos (investigações preliminares que podem virar processos) foram instaurados no STF.

Nota do Blog – O SFT é o pior dos três poderes do país na atualidade. Já chegou a ter o respeito e a admiração da opinião pública; hoje, sintetiza indignação e desesperança.

É resultado da conjunção pecaminosa entre Executivo e Legislativo, que pariu esse quasímodo. Lá tem de tudo, menos o Direito.

Em vez de ser guardião da Constituição, anteparo do Estado Democrático de Direito e defensor da República, é valhacouto dos seus próprios interesses e parceiro de piratas e corsários que promovem um interminável butim no Brasil.

Caso perdido. Daí para pior.

Entre eles, 36 resultaram em denúncias criminais e 7 em ações penais (processos que podem resultar em condenação) que envolvem 100 acusados. Segundo dados obtidos no site do Ministério Público Federal (MPF), 121 acordos de colaboração premiada já foram submetidos ao Supremo até janeiro deste ano. O número de condenações de políticos, no entanto, ainda é zero.

Veja matéria completa AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
terça-feira - 16/01/2018 - 17:38h
Operação Manus

Justiça ouve testemunhas sobre propinas no Arena das Dunas


Henrique no dia 6 de junho (Foto: Magnus Nascimento)

O processo da Operação Manus, onde há denúncia de suposto pagamento de  propina para obra do estádio Arena das Dunas, entrou em uma nova fase. Estão sendo ouvidos os depoimentos das testemunhas de acusação.

As oitivas ocorrem nesta terça-feira, dia 16 de janeiro, na Justiça Federal do RN (JFRN), em Natal.

São mais de 100 testemunhas, entre acusação e defesa. O Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14ª Vara da Justiça Federeal, está ouvindo os depoimentos.

A pauta de testemunhas de acusação seguirá até a próxima sexta-feira e continuará em abril.

Réus

A Operação Manus tem como réus os ex-deputados federais Eduardo Cosentino da Cunha (MDB) e Henrique Eduardo Lyra Alves (MDB), José Adelmário Pinheiro Filho, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, Carlos Frederico Queiroz Batista da Silva e Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara.

A Operação Manus foi deflagrada no dia 6 de junho do ano passado (veja AQUI). Em face do que ela prospectou de denúncias, ainda continua preso em Natal na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal, o ex-deputado Henrique Alves.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
terça-feira - 16/01/2018 - 12:57h
Operação Sépsis

MPF pede 386 anos de prisão para Cunha e 78 para Henrique


Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), durante sessão na Câmara (Foto: Luis Macedo/Câmara)

Do G1

Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal pediu a condenação dos ex-deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) em alegações finais apresentadas à Justiça Federal na ação penal derivada da Operação Sépsis, que investiga desvios no Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal.

Para Eduardo Cunha, o Ministério Público pediu pena de 386 anos de prisão e para Henrique Eduardo Alves 78 anos por crimes como corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os dois políticos estão presos e são investigados em várias frentes.

O pedido do MPF foi enviado à Justiça Federal em Brasília. Os próximos passos são as partes apresentarem alegações finais e o juiz do caso, Vallisney de Oliveira, proferir a sentença.

A Operação Sépsis foi deflagrada em 1º de julho de 2016 como desdobramento da Operação Lava Jato. O objetivo da operação Sépsis foi investigar um suposto esquema de pagamento de propina para liberação de recursos do FI-FGTS.

Veja matéria completa clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
domingo - 14/01/2018 - 10:52h
COLUNA DO HERZOG

O ‘céu’ e o ‘inferno’ nos bastidores da sucessão de Robinson


Por Carlos Santos

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), é a pessoa mais empenhada no âmbito desse poder, à aprovação do pacotão “RN Urgente”. Trata-se de um elenco de 18 mensagens do Governo Robinson Faria (PSD) para viabilizar o “ajuste fiscal” do estado.

O fervor do deputado em nome dessa causa é compreensível. Ezequiel enxerga a Governadoria.

Fábio Dantas quer o "céu", mas pode passar pelo "inferno" de Robinson para viabilizar candidatura de Ezequiel (Foto: arquivo)

Credencia-se e coloca-se como a primeira opção no bloco governista, para ser candidato à sucessão de Robinson. A engenharia política passa pela aprovação do RN Urgente, mas uma “zebra” (desaprovação) necessariamente não o alijaria dessa corrida eleitoral.

O próprio Robinson, viabilizando ou não o ajuste fiscal, não conseguirá reverter a avassaladora repulsa popular que o soterra e a seu projeto de reeleição. Sua saída pode ser a desincompatibilização, para ascensão do vice Fábio Dantas (PCdoB).

A partir daí, outro caminho à sobrevivência política de Robinson é tentar retorno à Assembleia Legislativa, numa eleição bastante viável.

Fábio Dantas, governador, não seria problema para Robinson nem atrapalharia foco de Ezequiel para tentar chegar ao “inferno” (governo). O vice quer ir pro “céu” do RN, ou seja, receber indicação para conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), sonho que fecharia esse acordo. Ou ‘acordão’, como queira.

PRIMEIRA PÁGINA

O pleito de 2018 para o grupo Alves é uma incógnita. Fora de cena e do jogo, o ex-deputado federal Henrique Alves (MDB) é uma perda que o senador Garibaldi Filho (MDB) não consegue suprir. E confessa isso sem constrangimento. Até aqui, pairam mais interrogações do que definições para a campanha que se aproxima, tornando preocupante a reeleição do congressista e o projeto ao governo dos Alves.

O ‘inquestionável’ Fundo Garantidor

Para viabilizar a construção do Arena das Dunas, o Governo do Estado teve aprovado no dia 8 de setembro de 2010, finalzinho da gestão Iberê Ferreira (PSB, já falecido), o projeto de lei do Fundo Garantidor para Parceria Público-Privado (PPP), dando como garantia (por 22 anos) dez imóveis para o Consórcio OAS, posteriormente vencedor da “licitação”. Em valores atualizados, eles passariam hoje, provavelmente, dos 600 milhões.

Mas até o momento, mesmo com denúncia de corrupção na construção desse equipamento (veja AQUI), o atual governo não questiona judicialmente o negócio, para estancar pagamento mensal que hoje é de R$ 9,5 milhões/mês (já foram R$ 11,7 milhões) e dar novo destino a esses ativos. Pelo menos pretende fazer uma avaliação preliminar dos imóveis. Mas prioridade mesmo é avançar no mais fácil:  sangrar a jugular do servidor e do contribuinte com o tal do “ajuste fiscal”. Outro crime.

Movimento começa a ganhar corpo, em Caicó, para homenagens ao célebre Manoel Torres, ex-prefeito (duas vezes) e ex-deputado estadual (quatro vezes), um dos nomes mais expressivos da política seridoense em todos os tempos. Se fosse vivo, completaria 100 anos no dia 15 de fevereiro próximo. Faleceu no dia 16 de janeiro de 2012, em Natal.

Em sua passagem pela cidade-praia do Tibau, onde foi hóspede sexta-feira (12) da presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Izabel Montenegro (MDB), o senador Garibaldi Filho (MDB) deixou claro: espera novo apoio à sua reeleição da prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP). Por lá, em almoço oferecido pela vereadora, a prefeita desconversou. Tudo é ainda muito turvo para tomada de posições definitivas.

Natural de Rafael Godeiro no Oeste potiguar, o tabelião (em Parnamirim) Airene Paiva é um nome que se projeta a deputado federal. O abrigo partidário tende a ser o PCdoB. Airene foi o mentor político do projeto que viabilizou a eleição de Carlos Augusto Maia (PSD) à Assembleia Legislativa em 2014, pelo PTdoB.

Airene: mentor de Carlos Augusto (Foto: Web)

Entrevistado pelo repórter Jenully Cristiano, da Rádio Cabugi Seridó, o desembargador Cláudio Santos (pré-candidato a governador), desabafou: “Eu economizei R$ 442 mil em dois anos, presidindo o Tribunal de Justiça (TJRN). Esse dinheiro pagou a folha dos juízes e de todos os funcionários desse poder durante quase quatro meses, com o atraso nos repasses do duodécimo, pelo governo. Por que a Associação dos Magistrados (AMARN) não disse nada? Por que o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do RN (SISJERN) não disse nada? Eles receberam dinheiro nos últimos três, quatro meses, porque eu economizei sabendo que nós íamos chegar à situação de penúria de hoje.”

Nesse sábado (13) foi praticamente esquecida uma data emblemática para o clã Rosado. Em 13 de janeiro de 1918 nascia Jerônimo Vingt Rosado Maia. Faria 100 anos ontem. Faleceu em Mossoró no dia 2 de fevereiro de 1995, aos 77 anos. Escassos registros em redes sociais marcaram a data. Grande Vingt!

O ex-presidente da Câmara Municipal de Mossoró Jório Nogueira (PSD) voltou a ser valorizado pelo presidente estadual do seu partido, governador Robinson Faria (PSD). Teve a primazia de indicar sua mulher Nadja Comaneci de Almeida Costa para cargo comissionado no Hemocentro de Mossoró. Outras nomeações poderão ocorrer. Bom se apressar. Logo, logo, o governo chegará ao fim.

TÚLIO RATTO – JANELA INDISCRETA EM PAUTA

Benedito - O professor e escritor Benedito Vasconcelos Mendes vai lançar seu mais recente livro em Serra Talhada (PE), no dia 28 de março, às 19 horas, na Academia Serra-talhadense de Letras (ASL), às 19 horas. “As artes na civilização da seca” é o título da obra.

Carnaval do Apodi – A Prefeitura Municipal do Apodi já antecipou três das atrações do Carnaval 2018 na cidade: Banda Saia Rodada, o cantor baiano Tatau, ex-vocalista da banda AraKetu, e o grupo Dan Ventura e os Meninos. Promete monopolizar as atenções na região.

TV Terra do Sal: estreia no dia 22

Terra do Sal – Vai estrear no próximo dia 22 a TV Terra do Sal. Será captada no canal aberto 14 e 173 no sistema fechado Brisanet, a partir de Mossoró. Alguns nomes já estão certos à sua grade de programação local, como Carlos Cavalcante, Aline Linhares, Adriana Mendes, Márcio Costa e Jaedson Freitas. Excelente notícia pro mercado de comunicação do estado. Sucesso.

Amab – O cantor-compositor e músico Amab prepara lançamento de seu novo CD autoral sob o título “Sonho Real”, em Mossoró. Ele há muito está radicado em Natal, mas também teve recente temporada musical em Portugal. Seja bem-vindo, meu caro.

Carnaval com Café – O Café e Artesanato, na Praça da Convivência em Mossoró, fará festas no período carnavalesco. Até aproveita vácuo do evento público na cidade, que não será promovido pela municipalidade (acertadamente).

Assu - No dia 23 de janeiro, às 19h, o Cine-Teatro Pedro Amorim, em Assu, sediará a “Mostra de Documentários do Assu”, com uma série de filmes realizados por produtores locais, com temáticas regionais.

Baile da Cidade – Em Caraúbas, Vandilson Ramalho e Tica Soares preparam o “Baile da Cidade”, a partir das 22 horas, no Espaço Maria Júlia, dia 19 (sexta-feira). Uma das atrações é a ótima banda Radiola Club. Reservas de mesas neste número: (84) 99908-2051.

Biblioteca - Uma parceria (convênio) entre o Sistema Fiern e a Prefeitura de Pau dos Ferros viabiliza a construção e montagem de uma biblioteca na cidade. O Serviço Social da Indústria (SESI) entrará com acervo, móveis e equipamentos de informática. Bravo!

SÓ PRA CONTRARIAR

Até quando os poderes e órgãos do Estado do RN que recebem duodécimos acreditam que estarão imunes à crise, sem atrasar salários de seus membros?

GERAIS…GERAIS…GERAIS

Obrigado à leitura de Nosso Blog a Gilberto Dias (Olho D’água do Borges), Jarleide Souza (Mossoró) e Paulo Tarcísio Cavalcanti (Natal).

O cantor-compositor Oswaldo Montenegro estará dia 24 de fevereiro no Teatro Riachuelo em Natal, a partir das 21 horas. Comemora 40 anos de carreira.

O radialista Haroldo Jácome retorna à titularidade do Show da Manhã na Rádio Difusora de Mossoró (1.170Khz), nessa segunda-feira (15), após alguns dias de folga.

Veja a Coluna do Herzog do domingo passado (07), clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Charge de Túlio Ratto / Coluna do Herzog
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
segunda-feira - 08/01/2018 - 15:23h
Mossoró

Governo não tem recursos para recuperação asfáltica


Pelos cálculos da Prefeitura Municipal de Mossoró, sem pelo menos de R$ 150 milhões é impossível se recuperar a malha asfáltica da cidade.

Havia esperança de se obter pelo menos a metade disso em Brasília ano passado, mas nada avançou.

Nem uma “pataca” pingou no tesouro municipal.

O intermediário entre municipalidade e governo Michel Temer (MDB) era o ex-deputado federal Henrique Alves (MDB), que está preso em Natal desde o último dia 6 de junho (mais de sete meses).

E vem inverno por aí. Se Deus quiser.

Com ou sem asfalto.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública
domingo - 17/12/2017 - 04:04h
Coluna do Herzog

O espírito do nosso tempo


Por Carlos Santos

Há mais de cinco anos ganhei em DVD um documentário muito interessante, denominado de “Zeitgeist”. Numa tradução literal, o termo alemão significa “espírito de uma época”.

Lembrou-me e levou-me a folhear/bisbilhotar de novo “O espirito do tempo”, clássico da mítica e conturbada década de 60, do filósofo Edgar Morin. Até hoje é objeto de louvação acadêmica e discussão intelectual, por sua abordagem quanto à indústria cultural no século XX.

Mas o que escrevo não envereda por essa densidade clássica de Morin ou se intromete no passeio perturbador de Zeitgeist. Minha esqualidez intelectual recomenda que eu seja prudente naquilo que não domino.

Fico a me perguntar, na verdade: Qual “o espírito do nosso tempo”? Que palavra, comportamento, movimento cultural/político/econômico etc. ou fato pode nos definir e nos identificar para outras décadas e séculos, de forma representativa e esclarecedora?

É provável que passemos a ideia de fracos, inertes e incapazes de mudarmos nosso próprio destino. Tempo de Lava Jato, mas de incessante imundície nos poderes que deveriam priorizar o interesse público e não os seus. A intolerância é outra forte possibilidade simbológica. Adiante seremos melhor estudados e, quem sabe, entendidos. Hoje, não.

PRIMEIRA PÁGINA

A Câmara Municipal de Pau dos Ferros virou arena de guerra no último dia 14. Vereadores, populares, estudantes, donas-de-casa, policiais militares armados e professores não se entendiam. Em pauta, votação de Projeto de Lei que proíbe o debate de gênero nas escolas,  de autoria dos vereadores Hugo Santos e Francisco Monteiro. O presidente desse poder, Eraldo Alves (PSD), determinou que a polícia evacuasse o ambiente. Spray de pimenta e força física foram usados contra professores e outras pessoas. Que coisa feia!

O senador Garibaldi Filho (PMDB) resolveu acelerar os passos e passar “sebos nas canelas”. Os planos do seu grupo e os seus, em muito dependem dele mesmo, em função do alijamento do primo e ex-deputado federal Henrique Alves, por problemas judiciais. A propósito, o senador assume um papel que nunca exerceu e numa conjuntura bastante dramática.

A pontuação da ex-atleta olímpica Magnólia Figueiredo (Solidariedade) na recente Pesquisa Fiern/Consult causou certa euforia no comando do seu partido. Ela é pré-candidata ao Senado e emergiu com 2,41%. Seu adversário adiante, o senador José Agripino (DEM), empalmou 6,94% na mesma sondagem (veja AQUI).

Chico de Parelhas será candidato: Avante (Foto: Web)

O ex-prefeito de Parelhas Francisco Medeiros, o “Chico de Parelhas“, inscrito no PT, será candidato a deputado estadual pela tendência “Avante”, da senadora Fátima Bezerra (PT). Ela tem-no como nome prioritário à eleição à Assembleia Legislativa em 2018.

Na escolha do seu eventual vice ao Governo do RN, em ampla aliança que pretende formar, o atual prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT) quer ter a palavra final. Ano passado, em sua reeleição à prefeitura, teve que engolir a fixação do deputado estadual peemedebista Álvaro Dias, quando sua preferência era por Marcelo Queiroz, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (FECOMÉRCIO/RN).

Pelo menos 69% dos entrevistados na Pesquisa Fiern/Consult divulgada à semana passada, “confiam e acreditam na influência das redes sociais” à tomada de decisões na campanha 2018. É um rumo, mas não se trata de uma verdade absoluta, principalmente pela própria complexidade desse ambiente virtual.

Surgem algumas vozes defendendo, a partir de Mossoró, o nome do poeta/jornalista e ex-dirigente da Fundação José Augusto (FJA) Crispiniano Neto, para suplente da provável candidata ao Senado em 2018, deputada federal Zenaide Maia (PR). É, mas outros nomes estão de olho na primeira suplência.

O Governo Michel Temer assinou sexta-feira (15) o contrato do Programa de Recuperação Fiscal do Rio de Janeiro. Daí sai autorização para empréstimo de R$ 2,9 bilhões do banco BNP Paribas, numerário para quitar os salários atrasados do funcionalismo público. Em troca, além de alguns arrochos – como aumento na alíquota previdenciária, virá a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (CEDAE). O enredo serve para o Governo do Rio Grande do Norte. Só para lembrar.

TÚLIO RATTO – JANELA INDISCRETA

EM PAUTA

GTW – O Grupo GTW, comandado pelos empresários Genivan Batista, Tião Couto e Wilson Fernandes, foca vasta porção de terra entre os municípios de Mossoró e Governador Dix-sept Rosado, para grande investimento empresarial.

Natal Encantado - A Prefeitura Municipal de Riacho da Cruz, na região Oeste, criou o seu “Natal Encantado  2017″. A programação e decoração diferenciada estão atraindo pessoas de vários municípios, movimentando a cidade – comércio e serviços, além de mexer com auto-estima de seu povo. Parabéns aos organizadores.

Baraúna – Entrou oficialmente no ar na sexta-feira (15), em Baraúna, a FM 104.9 – A Voz de Baraúna. A emissora é ligada à Associação de Comunicação e Cultura, conduzida pelo advogado Fábio Moura. Baixe seu aplicativo clicando AQUI.

Fábio: FM em Baraúna (Foto: arquivo)

Mérito – Será no próximo dia 26 de dezembro (uma terça-feira), às 19h, no Teatro Municipal Dix-huit Rosado em Mossoró, o evento denominado de “Mérito Empresarial 2017″. Destaques da classe empresarial mossoroense serão homenageados. Também haverá posse do novo presidente e vice da Câmara de Dirigentes Lojsitas de Mossoró (CDL), Wellington Fernandes e Stênio Max Fernandes.

Caraúbas – A caraubense Deisybel Oliveira saiu do ambiente virtual do Instagram para brilhar nos palcos. Ela compõe grupo de dança do cantor Léo Santana, se apresentando no Festival de Verão de Salvador. Ela tem quase 190 mil seguidores nas redes sociais.

José Mendes – O empresário José Mendes, da Rede 30 de Setembro, trabalha a ampliação de negócios em Mossoró, onde já tem presença importante, com grande galonagem. Na grande Natal, a marca também cresceu consideravelmente nos últimos anos.

Bruno Barreto - Confirmadíssimo o lançamento na próxima quinta-feira  (21), às 19h30, no Memorial da Resistência em Mossoró, do livro “Os Rosados Divididos: como os jornais não contaram essa história”. O trabalho é lavra do jornalista Bruno Barreto. Vamos prestigiá-lo.

Caio – O poeta Caio César Muniz cumpre o ciclo festivo de sua formatura no Curso de Comunicação Social da Universidade do Estado do RN (UERN). Parabéns e a todos os demais colegas. Sejam bem-vindos à vida louca, vida.

SÓ PRA CONTRARIAR

Até quando servidor público, terceirizado, será considerado empregado de terceira categoria, sem que tenha prioridade para receber salário em dia, da mesma forma que detentores de cargos comissionados, que também são servidores transitórios?

GERAIS… GERAIS… GERAIS

Hoje (domingo, 17), o “Frango do Betinho” promete agitação com sua festa de final de ano com espaço para sorteio de prêmios. A confraria tem endereço à Rua Freire Miguelinho, no bairro Doze Anos (Mossoró).

Segue campanha da Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) para compra de um mamógrafo. Faça doação de qualquer valor financeiro. Contas: Banco do Brasil, Conta Corrente 12345-5, Agência 4687-6; Caixa Econômica Federal, 90000-9, Operação 013, Agência 0560.

O Grupo de Apoio ao Potiguar (GAP) realiza evento ao meio-dia de hoje na Associação Cultural Desportiva Potiguar (ACDP), sede social do alvirrubro. Sorteios, música ao vivo, feijoada e outras iniciativas farão parte da festança.Vamos lá, torcedor.

Obrigado à leitura de Nosso Blog a Toni Martins (Carnaubais), José Maria Viana (Mossoró) e Paulo Procópio (Natal).

Veja a Coluna do Herzog do domingo passado (10) clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Charge de Túlio Ratto / Coluna do Herzog
  • Repet
quinta-feira - 14/12/2017 - 23:48h
Recife-PE

Tribunal nega seis pedidos de habeas corpus de Henrique


Do Congresso em Foco

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), sediado em Recife, negou nesta quinta-feira (14) seis pedidos de habeas corpus impetrados pela defesa Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) com o objetivo de tirar da prisão o ex-presidente da Câmara.

Alves: dificuldades incessantes (Foto: EBC)

Ex-ministro do Turismo de Dilma Rousseff e Michel Temer, o peemedebista foi preso preventivamente em 6 de junho, em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato.

Defesa

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, já avisou que recorrerá da decisão do TRF-5 ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), segundo a Agência Brasil. A reportagem assinada por Felipe Pontes lembra que cada pedido de liberdade expôs argumentação específica.

Dois dos habeas corpus apontava a incompetência da Justiça Federal do Rio Grande do Norte no processo, haja vista que os crimes apontados teriam origem em Brasília.

A defesa também procurou demonstrar a inexistência de provas de que o ex-ministro foi beneficiado em negociatas envolvendo as construtoras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, que participaram do empreendimento.

Veja matéria completa clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
terça-feira - 12/12/2017 - 23:28h
Vitória da incompetência

Interdição do Porto-ilha continua sem qualquer solução


Desde o dia 1º deste mês, portanto há 11 dias, que o “Terminal Salineiro de Areia Branca (TERMISA) – Luiz Fausto de Medeiros” – o Porto-ilha,  – está sob interdição.

Foi decisão do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Ao todo foram lavrados 38 autos de infração.

Incompetência remunerada mantém porto parado (Foto: arquivo)

O prejuízo para a indústria salineira é incomensurável e, para o próprio estado, que produz cerca de 97% do sal do país.

Até aqui, a incompetência está ganhando de goleada.

A diretoria da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), que administra o porto, foi nomeada pelos deputados federais Beto Rosado (PP) e senador José Agripino (DEM), além do ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB).

Até aqui, esses dirigentes seguem preservados. Intactos em seus cargos e com salários em dia.

Ruim mesmo está para a o setor salineiro, que tem esse equipamento parado, quando deveria dar vazão à cerca de 40% do sal marinho do estado, desafogando o tráfego de carretas em nossas rodovias e BRs.

O RN é um caso perdido.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog
  • Repet
sexta-feira - 08/12/2017 - 08:38h
Porto Maravilha

Henrique é denunciado pelo MPF por lavagem de dinheiro


Do G1

Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) denunciou o ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) à Justiça, nesta quinta-feira (7), pelo crime de lavagem de dinheiro.

Alves: Mais uma denúncia (Foto: José Cruz)

Segundo a ação, o político recebeu propina ligada às obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, e enviou o dinheiro para paraísos fiscais.

O caso foi remetido para a 10ª Vara Federal e decorre das investigações da operação Sépsis – feitas pela mesma força-tarefa que coordena as operações Greenfield e Cui Bono. Se a denúncia for recebida, Henrique Alves pode virar réu por lavagem de dinheiro cometida em 2014 e 2015.

O ex-ministro já responde pelo mesmo crime e por corrupção passiva nos autos da operação Sépsis, por práticas supostamente cometidas em 2011.

Advogado de Henrique Alves nesse caso, Marcelo Leal afirmou ao G1 que não tinha sido notificado da denúncia até o fim da tarde e, por isso, não teria como comentar o caso.

Veja mais detalhes clicando AQUI.

Nota do Blog - Henrique Alves completou seis meses de prisão na última quarta-feira (6).

Está recolhido a uma sala na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal, desde o dia 6 de junho.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
quarta-feira - 06/12/2017 - 14:28h
Eleições 2018

Rosalbismo avalia apoio à Fátima e esfria com Carlos Eduardo


Não é ponto pacífico no grupo da prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP), o apoio e composição em chapa que deve ser encabeçada pelo prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT), ao governo estadual, em 2018.

A própria passagem de Carlos Eduardo por Mossoró no dia de ontem, com “visita de cortesia” fugaz à Rosalba, na sede do governo municipal, disse muito.

Fátima e Rosalba: união possível, novamente (Foto: Web)

Rosalba não o evitou, é certo; mas não se empolgou à pose com ele para fotografias – como o Blog Carlos Santos revelou (veja: Carlos Eduardo Alves destaca visita à Rosalba; ela, não AQUI).

Observação do cenário

O momento do rosalbismo não é de definição de rumo em 2018,  mas de observação do cenário, com possibilidade de apoio à postulação ao governo da senadora Fátima Bezerra (PT).

Esse apoio é defendido por setores do grupo rosalbista e não causaria estranheza.

Em 2014, dia 29 de setembro, Rosalba anunciou publicamente apoio à candidatura dela ao Senado (veja AQUI como foi), recebendo em troca o arrefecimento da pressão de movimentos sindicais contra seu governo no estado.

Blog antecipou apoio

Meses antes o Blog Carlos Santos antecipara que isso estava na iminência de acontecer: As razões de Rosalba para apoiar a “companheira” Fátima AQUI. Postamos no dia 24 de março de 2014 (mais de seis meses antes do fato).

Paralelamente, Rosalba tinha interesse na derrota do deputado federal Henrique Alves (PMDB) ao governo àquele ano. Ele foi um dos articuladores de veto à candidatura dela à reeleição, no âmbito do DEM (legenda dela à época).

A então governadora deu o troco dentro de sua área de influência, Mossoró, fomentando votação em favor do seu “vice dissidente” Robinson Faria (PSD), eleito à sua sucessão.

Os próximos meses e avaliação de conjuntura e futuro dirão onde Rosalba e seu grupo estarão. Por enquanto, Carlos Eduardo é apenas uma foto nas redes sociais (dele).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
quinta-feira - 30/11/2017 - 13:59h
Corrupção

MPF denuncia e pede nova prisão para Henrique Alves


Mais uma, outra, novamente. Mais uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF/RN) contra o ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB), que está preso na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal, desde o dia 6 de junho deste ano.

O MPF ainda pede sua prisão.

A ação penal aponta a prática dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro qualificada e organização criminosa qualificada, envolvendo o esquema montado por ambos para recebimento de propinas de empresas interessadas em financiamentos da Caixa Econômica Federal. O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é outro denunciado.

Além deles, são denunciados o empresário Lúcio Bolonha Funaro (colaborador das investigações); o publicitário e cunhado de Henrique, Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara; e quatro ex-assessores de Henrique Alves: José Geraldo Moura da Fonseca Júnior, Aluízio Henrique Dutra de Almeida, Norton Domingues Masera e Paulo José Rodrigues da Silva.

A ação penal tramita na Justiça Federal sob o número 0812330-44.2017.4.05.8400. Confira a íntegra da denúncia clicando aqui e do pedido de prisão preventiva (0812388-47.2017.4.05.8400) clicando aqui.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
quarta-feira - 29/11/2017 - 14:50h
Mais uma

Henrique, Cunha e Funaro são denunciados por MPF/RN


Do UOL

O MPF-RN (Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte) denunciou os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e outras seis pessoas pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No grupo de denunciados está o ex-operador do PMDB, Lúcio Funaro e outras cinco pessoas ligadas a Henrique Eduardo Alves.

Henrique e Eduardo Cunha: mais problemas - (Foto de Fábio Rodrigues Pozzebom)

A denúncia se refere ao repasse de pelo menos R$ 4,2 milhões para a campanha de Henrique Alves ao governo do Rio Grande do Norte em 2014. Segundo o MPF, o dinheiro seria resultado do esquema que cobrava propina de empresas que buscavam financiamentos na Caixa Econômica Federal (CEF).

A denúncia foi protocolada na Justiça Federal do Rio Grande do Norte na última terça-feira (28).

Se a Justiça Federal do Estado aceitar a denúncia, eles viram réus. A denúncia é resultado da Operação Manus, um desdobramento da Operação Lava Jato, que levou Henrique Alves à prisão em julho deste ano.

Colaboração

Segundo os procuradores, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves pediram e receberam propina paga por empresários e repassada à campanha pelo então operador do PMDB, Lúcio Funaro, que firmou acordo de colaboração premiada com a PGR (Procuradoria-Geral da República) e detalhou o esquema.

Cunha foi denunciado por lavagem de dinheiro, enquanto Henrique Eduardo Alves foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lúcio Funaro foi denunciado por lavagem de dinheiro, mas os procuradores pediram que as penas previstas pelo crime fossem substituídas pelas que foram acordadas por ele e pela PGR em seu acordo de delação premiada.

As penas de Cunha podem chegar a dez anos de prisão. Se condenado, Henrique Alves pode ser punido com penas que vão de três a 12 anos de prisão.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
segunda-feira - 06/11/2017 - 09:12h
Hoje

Henrique Alves completa cinco meses de prisão


Hoje (segunda-feira, 6), faz cinco meses que o ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB) está preso numa sala da Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, em Natal.

Ele teve contra si dois mandados de prisão no dia 6 de junho deste ano, nas operações Manus e Sepsis.

Suas tentativas de habeas corpus até aqui fracassaram.

Os desdobramentos de investigações até aqui só complicam sua vida.

Acompanhe o  Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 06/11/2017 - 08:52h
Delação

Fred Queiroz detalha fluxo de dinheiro em campanha


Por Dinarte Assunção (Do Blog do BG)

Às 19h48 de 18 de agosto deste ano, uma notificação surgiu no sistema do processo judicial da 14ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte (JFRN). Nela, o procurador da República Rodrigo Telles, atualizava os autos da “Operação Manus” (que resultou na prisão do ex-deputado federal Henrique Alves e outras pessoas, no dia 6 de junho deste ano) com uma certidão de oito tópicos, onde dava ciência ao juiz Eduardo Guimarães, sobre a junção dos termos de colaboração premiada da família Queiroz.

Fred Queiroz foi alcançado pela Operação Manus e transformou-se em importante fonte (Foto: Arquivo)

Quase tudo que está lá descrito chegou recortado à imprensa 11 dias depois, quando repórteres colocaram as mãos em reproduções de trechos dos documentos. Um item da certidão de Rodrigo Telles, no entanto, ainda não foi revelado: grafado como último tópico, o documento do procurador é encerrado com a indicação de que se juntam aos autos “Documentos anexos referentes à Campanha de 2014 de Henrique Alves” ao governo estadual, que o Blog do BG revela agora com exclusividade.

O calhamaço de elementos juntados para sustentar as alegações de Fred Queiroz são amplos e devem ser encarados, antes de tudo, como documentos resultado de transações eleitorais. Caberá, ao fim do processo, à Justiça decidir o que foi ilegal ou não. Fred Queiroz antecipou o que sabia ser ilegal.

Resumo

O conjunto de elementos que sustentam a delação de Fred é aberto com um resumo de todas as circunstâncias entregues por ele, com um organograma onde são apontados os responsáveis pela execução da campanha de 2014.

O que vem na sequência é o relato de situações que se dividem entre a descrição de crimes, a operacionalização da campanha e circunstância da Prefeitura de Natal.

São citados nesse resumo, o deputado federal Rogério Marinho, o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulinho da Habitação, os deputados estaduais Kelps Lima (Solidariedade) e Ricardo Motta (PROS, hoje no PSB), o vereador Paulinho Freire, o presidente da Federação dos Municípios do RN (FEMURN), Benes Leocádio (PMDB), e auxiliares de Henrique Eduardo Alves.

É importante destacar que as situações descritas por Fred Queiroz são de contexto eleitoral, não sendo possível afirmar que todos os nomes citados incorreram em ilícito.

Os tópicos descrevem a articulação do que parece ser a compra de votos. Isso porque o delator cita diretamente o uso de recursos em cash sem aparante declaração à Justiça eleitoral, além de mencionar explicitamente empresas como a JBS e a Odebrecht.

O relato vai da bonança à dificuldade, quando o delator detalha que Henrique Alves chegou a distribuir cheques com a promessa de cobri-los depois para garantir o apoio de lideranças.

Recursos para o interior x JBS

Arturo

Dinheiro em SP

Aluísio Dutra

Cheques de Henrique

Recursos extras

Ramalho Moreira (aqui, Fred descreve supostos desvios em obra da Prefeitura de Natal)

Vereadores e Deputados

Secretaria de Turismo

Secretaria de Obras

Veja AQUI íntegra do relato;

Veja AQUI cópias de comprovantes de depósitos e transferências, além de planilhas relacionadas a lideranças do interior;

Acompanhe o  Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
  • Repet
sábado - 04/11/2017 - 09:20h
Folha de São Paulo

‘Terra arrasada’ coloca em xeque caciques do RN


Por João Pedro Pitombo (Do jornal Folha de São Paulo)

Com o governador investigado e o seu principal adversário atrás das grades, o Rio Grande o Norte vive um cenário de “terra arrasada” para as eleições de 2018.

Se há três anos Robinson Faria (PSD) e Henrique Eduardo Alves (PMDB) duelavam em uma das disputas mais acirradas do país, hoje ambos enfrentam reveses que devem mudar completamente o quadro eleitoral no Estado, tradicionalmente dominado por quatro clãs: os Alves, os Maia, os Rosado e os Faria.

Henrique Alves está preso desde o dia 6 de junho em Natal numa situação inusitada à política do RN (Foto: arquivo)

Eleito em 2014, Robinson Faria vive seu momento mais difícil: foi denunciado pela Procuradoria Geral da República por suspeita de obstrução de Justiça no âmbito da Operação Dama de Espadas, que investigou fraudes na Assembleia Legislativa.

No campo administrativo, enfrenta uma grave crise financeira que resultou em atrasos no pagamento aos servidores – os salários de setembro terminarão de ser pagos apenas em novembro. “A questão eleitoral se tornou acessória diante das adversidades da crise que o governo enfrenta”, diz o vice-governador Fábio Dantas (PC do B).

Desgastado, o governador terá dificuldades até em formar uma chapa e pode não disputar a reeleição caso se torne réu no Superior Tribunal de Justiça. Se esse cenário se concretizar, será a segunda eleição seguida na qual o governador não vai para a reeleição –em 2014, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) ficou fora da disputa.

Na oposição, a prisão de Henrique Eduardo Alves em desdobramento da Operação Lava Jato desestruturou o grupo capitaneado pelo PMDB. O ex-deputado costumava ser o principal articular político, fazendo o contato com prefeitos e coordenando campanhas.

Senadores terão reeleição difícil

Também investigados na Lava Jato, os senadores Garibaldi Alves (PMDB) e Agripino Maia (DEM) terão uma eleição difícil para renovar seus mandatos no próximo ano.

O nome natural do grupo para ao governo é o do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), primo de Henrique Alves e Garibaldi Alves. Mas o sobrenome que costumava ser um trunfo é encarado como a principal dificuldade do prefeito, que tem trajetória política própria e chegou a ser adversário dos primos em outras eleições.

Diante do desgaste dos sobrenomes tradicionais, nomes de fora dos grupos familiares têm sido cogitados para a disputa de 2018. Dono da rede de lojas Riachuelo, o empresário Flávio Rocha aparece como principal opção, assim como do dono da distribuidora de combustíveis Ale, Marcelo Alecrim.

“São dois nomes que pacificariam a nossa base. São empresários bem-sucedidos, mas que sempre tiveram bom trânsito na política”, afirma Agripino Maia.

Outro cotado ao governo é o ex-presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Cláudio Santos, que deve se aposentar no início do próximo ano.

Nos últimos meses, ele intensificou críticas ao governo de Robinson Faria e tem participado de solenidades e eventos por todo o Estado. Procurado pela Folha, classificou como “especulação” a hipótese de candidatura.

Terceira via

Entre os dois principais grupos políticos do Estado, a senadora petista Fátima Bezerra aparece como uma terceira via na disputa pelo governo. Ligada à educação e com forte inserção no interior do Estado, é uma das principais apostas do PT para ampliar sua presença no Nordeste.

Para garantir um palanque forte, o partido conta com a presença do ex-presidente Lula como candidato a presidente ou como cabo eleitoral. E tem buscado potenciais aliados para compor a chapa uma chapa competitiva. Uma das prováveis candidatas ao Senado na chapa deve vir de uma das famílias mais tradicionais do RN: a deputada federal Zenaide Maia (PR).

Caso confirme sua candidatura, ela deverá enfrentar o primo Agripino Maia nas urnas.

Para o cargo de vice-governador, o PT busca o nome de um empresário. A ideia é reeditar uma chapa nos moldes da formada por Lula e José Alencar em 2002 e 2006.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 01/11/2017 - 07:22h
Operação Lavat

Assessores de Henrique Alves têm preventiva determinada


Presos no último dia 26 na “Operação Lavat”, pessoas ligadas ao ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB) tiveram prisões temporárias convertidas em preventivas nessa terça-feira (31). Decisão da Justiça Federal.

O que isso significa: não há prazo para eles ganharem habeas corpus.

Aluísio Henrique Dutra de Almeida (assessor de Henrique Alves) e Norton Domingues Masera (ex-chefe da assessoria parlamentar do Ministério do Turismo) foram alcançados pela decisão.

Henrique foi preso no dia 6 de junho, através de dois mandados de prisão, como desdobramento da Operação Lava Jato, nas operações Manus e Sepsis.

Completará cinco meses de prisão na Academia da Polícia Militar do RN em Natal.

Leia também: PF cumpre mandados em cinco municípios do RN e Brasília AQUI;

Leia também: Polícia Federal prende assessores de Henrique até em ministério AQUI;

Leia também: A boa vida do operador de Henrique Alves em Brasília AQUI.

O outro preso na Operação Lavat no último dia 26 foi José Geraldo Moura Fonseca Júnior, que não teve prisão preventiva determinada.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 26/10/2017 - 20:36h
Operação Lavat

PF suspeita que Henrique Alves teria usado atestado falso


Henrique está preso desde o dia 6 de junho (Foto: Arquivo)

Do G1 e Blog Carlos Santos

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves teria usado um atestado falso para evitar sua transferência de Natal, onde está preso, para Brasília. A informação está na decisão que autorizou a Operação Lavat, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26) no RN e no Distrito Federal. A defesa de Henrique Alves nega e classifica como “infâmia” a acusação.

De acordo com o que alega a Polícia Federal, com base em escutas autorizadas pela Justiça, a esposa do ex-ministro, Laurita Arruda, seria a responsável por conseguir o atestado médico fajuto. Em uma conversa gravada, um empregado de Henrique Alves teria dito à filha dele que os problemas médicos pelos quais o ex-ministro estava passando eram uma mentira “criada com o propósito de ‘botar pressão”.

“Essa conversa revela que Laurita Arruda buscou médico para obter atestado falso a fim de impedir a transferência de seu marido, Henrique Alves, para Brasília”, afirma a PF no relatório.

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, emitiu nota desmentindo a versão de que a mulher de Henrique estivesse fazendo esse tipo de operação.

Nota de Marcelo Leal refuta versão e informações passadas pela Polícia Federal sobre mulher e filha de Henrique

Marcelo Leal também contesta que Andressa Steimann, filha do ex-deputado federal e ex-ministro, estivesse participando de alguma trama para lavagem de dinheiro.

Preso

Henrique Eduardo Alves permanece preso na Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, desde a deflagração da Operação Manus, que investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal.

Leia também: Mulher e filha de Henrique são alvos de buscas da PF AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quinta-feira - 26/10/2017 - 08:38h
Operação Lavat

Federal prende assessores de Henrique até em ministério


G1, Rede Globo, Blog Carlos Santos

A Polícia Federal prendeu três pessoas nesta quinta-feira (26) em operação contra a lavagem de dinheiro no Rio Grande do Norte. É desdobramento da Operação Manus, que em junho levou à prisão o ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB).

Norton: preso em Brasília (Foto: IstoÉ)

Hoje, os principais presos e alvos de condução coercitiva são assessores de Henrique, que está preso em Natal desde 6 de junho último.

Foram presos: Aluísio Henrique Dutra de Almeida (assessor de Henrique Alves), José Geraldo Moura Fonseca Júnior e Norton Domingues Masera (chefe da assessoria parlamentar do Ministério do Turismo).

Foram alvos de condução coercitiva (quando o investigado é levado até a delegacia para prestar depoimento): Domiciniano Fernandes da Silva e Fernando Leitão de Moraes Júnior.

Inter TV Cabugi

Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido na sede da Inter TV Cabugi, em Natal, mas a emissora não é alvo da operação. As buscas foram feitas na sala de Herman Ledebour, assessor de Henrique Alves.

Em nota, a direção da TV informou que Herman é procurador e representante de Henrique, que é sócio minoritário da emissora.

Leia também: PF cumpre mandados em 5 municípios do RN e Brasília AQUI.

* Veja adiante, postagens que mostram quadro de influência que torna situação de Henrique ainda mais delicada.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.