segunda-feira - 29/06/2015 - 23:56h

Pensando bem…


“Nem toda mudança é crescimento; nem todo movimento é para frente.”

Ellen Glasgow

Categoria(s): Pensando bem...
segunda-feira - 29/06/2015 - 19:23h
Cultura

Exposição de artista plástica começará no dia 10


A ilustradora e artista plástica mossoroense Sabrina Bezerra reúne suas obras na exposição Îazy, que estará aberta ao público no período de 10 a 26 de julho, na sala de exposição Joseph Boulier, localizada no primeiro andar do Memorial da Resistência. A abertura, no dia 10 de julho, será às 19h.

A escolha do nome da exposição – Îasy – tem forte ligação com a essência do trabalho de Sabrina, que remete ao feminismo e a personalidade forte das mulheres. Îasy é a deusa da Lua da mitologia tupi, mulher de Tupã e protetora dos amantes e da reprodução.

Esta é a terceira exposição individual de Sabrina, sendo a primeira em Mossoró. Formada em Comunicação Social e com mestrado em Ciências Sociais, Sabrina Bezerra já participou de exposições em Natal/RN, Goiânia/GO, Brasília/DF e Pelotas/RS.

Categoria(s): Cultura
  • Câmara - 1ª da Gestão Jório - 23-02-15
segunda-feira - 29/06/2015 - 19:18h
PHS

Partido faz plenária com 23 municípios participantes


No sábado (27), o Partido Humanista da Solidariedade [PHS], no Rio Grande do Norte, realizou plenária estadual na Câmara Municipal de Mossoró. Pela primeira vez esse evento ocorreu no interior do estado.

Leandro e Souza: evento concorrido Foto: PHS)

Contou o presidente nacional da legenda, Eduardo Machado, o presidente estadual Leandro Prudêncio, segundo vice-presidente nacional e vereador de Jaboatão dos Guararape-PE, Berlamino Souza, os deputados Manoel Cunha Neto, “Souza”, do RN, o estadual Tim Gomes, do Ceará, deputado federal cearense Adail Carneiro, vereador Maurício Gurgel, de Natal, presidente do legislativo de Mossoró, vereador Jório Nogueira (PSD), prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD) e presidentes do PHS de 23 municípios do RN.

Entre as várias discussões da Plenária, também se referendou os atos da executiva estadual, campanha de filiação e a entrega de título honorífico de cidadão norteriograndense ao presidente do PSH, Eduardo Machado.

Gratidão

O deputado Souza também voltou a enfatizar que se sente mais do que na obrigação de ser o deputado de Mossoró, “aqui eu conquistei a confiança de 4.186 eleitores. Hoje sou grato a todos eles, e mais do que isso: sou grato a cada um mossoroense, e por eles meu mandato estará sempre à disposição”. Prestigiando o evento, o prefeito de Mossoró elogiou o deputado, dizendo que sempre o via “presente e atuando em favor de Mossoró”.

O presidente estadual Leandro Prudêncio abriu a Plenária saudando a todos os solidaristas, e ressaltando a importância das filiações, crescimento da legenda, bem como a pretensão da criação de novos diretórios nos municípios do RN.

“Vamos chegar aos 80 municípios do RN e lançando candidatos a prefeito, vice-prefeitos e vereadores, mostrando os nossos caminhos, nossas propostas inovadoras para contribuir com o desenvolvimento dos municípios e do Estado”, enfatizou Leandro Prudêncio.

Nesta mesma linha de raciocínio foram os discursos dos deputados Tin Gomes e Adail Carneiro, onde deixaram claro que o PHS é um partido de oportunidades, que cresce e vem demonstrando seus valores.

Com informações do PHS-RN.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 29/06/2015 - 18:56h
Festa

Prefeito diz que Cidade Junina gastou “2 milhões a menos”


A edição 2015 do Mossoró Cidade Junina atingiu seus objetivos. Para o prefeito Francisco José Júnior (PSD), é uma vitória contra tudo e contra todos.

Em discurso no sábado (27) na Câmara Municipal, quando compareceu para prestigiar Plenária Estadual do PHS, ele fez balanço positivo de sua gestão e jogou incenso sobre a festa, concluída no domingo (28).

“Estamos gastando dois milhões a menos e aumentou o público”, afirmou.

Acrescentou ainda que o retorno financeiro para a cidade “é cinco vezes mais.”

Para o prefeito, sua administração enfrenta uma oposição que “está aí para denegrir minha imagem”.

Apresentou-se como alvo, porque “infelizmente não sou dono de rádio, jornal ou TV”.

Categoria(s): Administração Pública / Política
  • Repet
segunda-feira - 29/06/2015 - 18:42h
Mossoró

Prefeitura garante novos ônibus para quarta-feira


O início de julho marca uma nova era para o transporte público de Mossoró, garante comunicado oficial da Prefeitura de Mossoró. Nesta quarta-feira, 01, os ônibus do novo sistema de transporte coletivo de Mossoró vão começar a circular pelas linhas da cidade. Os motoristas já fizeram o trajeto das linhas e reconheceram o percurso, agora são poucos detalhes para serem ajustados para que o novo sistema de transporte público seja concretizado.

Tendo a Mobilidade Urbana como uma de suas prioridades, o prefeito Francisco José Júnior está a um passo de solucionar o problema do transporte público que já perdura há vários anos, assegura a Municipalidade. A partir de quarta-feira, os usuários vão poder contar com uma frota que dispõe de acessibilidade e ar-condicionado.

Os ônibus comportam 47 assentos, sendo sete próprios para cadeirantes, um para obeso e 39 no tamanho padrão.

Linhas

Ao todo os ônibus vão circular por 10 linhas e vão atender os bairros das quatro zonas da cidade. As linhas são: Conjuntos Abolição – bairros Centro; Liberdade II via Sumaré; Santa Delmira via Redenção – Centro; Shopping; Belo Horizonte via Boa Vista; Planalto – Centro; Universidades – Centro; Aeroporto via 12 Anos – Centro; Nova Vida – Centro e Vingt Rosado – Centro. A linha universitária passará pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), pelo Fórum Desembargador Silveira Martins, pelo Ministério Público Estadual (MPRN) e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) seguindo pela Avenida Presidente Dutra, Centro e avenida Leste-Oeste. A rota universitária não passará pela Univer sidade Potiguar (UnP), que deve ser atendida pela linha Shopping em direção ao Centro.

Com informações da Prefeitura de Mossoró.

Categoria(s): Administração Pública / Gerais
segunda-feira - 29/06/2015 - 18:34h
Em Mossoró

Jório critica mau uso de redes sociais na Web


Entrevistado hoje pela Rádio Difusora de Mossoró, o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Jório Nogueira (PSD) falou grosso contra àqueles que usam de forma “irresponsável” as redes sociais na Internet.

- São uns boca de chafurdo – cunhou, utilizando um bordão sempre propagado pelo empresário José Mendes, em programa de rádio sob seu comando.

Para Jório, essas pessoas não passam de “vagabundas”.

Categoria(s): Comunicação / Política
segunda-feira - 29/06/2015 - 18:26h
Em Natal

Servidores da Saúde farão ato no Giselda Trigueiro nesta terça


Nesta terça-feira (30), os servidores estaduais da saúde realizarão um ato público em frente ao Hospital Giselda Trigueiro, no bairro das Quintas, a partir das 09h30.

O objetivo é denunciar a sobrecarga de trabalho no hospital, resultado do déficit de profissionais e exigir melhores condições de trabalho.

Os servidores estão realizando atos em diversos hospitais do estado para alertar sobre o caos da saúde e a falta de condições de trabalho. Nas duas primeiras semanas de greve, a categoria realizou atos no Walfredo Gurgel, Santa Catarina, Deoclécio Marques, Ruy Pereira e Tarcísio Maia em Mossoró.

A categoria reivindica reajuste salarial de 27%, concurso público e isonomia aos servidores municipalizados, entre outros pontos.

 

Categoria(s): Saúde
segunda-feira - 29/06/2015 - 17:54h
Tibau

Prefeito receberá Troféu Gestor Nota 10 em Recife


O prefeito do município de Tibau, Josinaldo Marcos de Souza, [PSD], “Naldinho”, vai participar do Congresso os Melhores Prefeitos do Brasil na próxima sexta-feira, 3, no Golden Tulip Recife Palace Hotel, em Recife (PE).

Naldinho receberá premiação (Foto: divulgação)

Naldinho receberá o Troféu Gestor Nota 10 e Certificado de Qualidade Total Brasil-Suiça, tendo em vista a administração municipal se encontrar entre os 100 Melhores Prefeitos do Brasil.

A Administração Municipal foi escolhida a 9ª no Estado do Rio Grande do Norte, ficando ainda na 69ª posição no Brasil na pesquisa de utilidades públicas realizada pela União Brasileira de Divulgação.

A pesquisa premia os melhores gestores do País, na esfera da educação, serviços sociais, infraestrutura e saúde, e o título é concedido ao prefeito como forma de reconhecimento ao excelente trabalho administrativo desenvolvido na atual gestão, atendendo aos requisitos de Excelência em Gestão Pública.

Tais requisitos, são avaliados pelos critérios da transparência, responsabilidade fiscal e credibilidade junto aos órgãos governamentais nas esferas Federal, Estadual, Tribunal de Contas e Ministério Público, além do comprometimento com a sociedade.

A pesquisa foi realizada em 3.900 municípios do Brasil e foram ouvidas 50 pessoas na região, via telefone.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura do Tibau.

Categoria(s): Blog
  • Fricot - Rodapé - 27-07-14
segunda-feira - 29/06/2015 - 14:50h
Mossoró

PT de vice trata prefeito como “centralizador” e “personalista”


Apesar da tentativa de vender uma imagem de harmonia e afinação com o PT, parceiro de Governo, o prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD) continua convivendo com o “fogo amigo” e diagnósticos que o definem como “centralizador”, personalista e incapaz de dialogar com aliados e o povo, além de voltado à governança de inspiração familiar.

Uma nota pública à sociedade da “Tendência Articulação de Esquerda”, da qual faz parte o próprio vice-prefeito Luiz Carlos Martins (PT), desconstrói o que o prefeito divulgou no último final de semana, após reunião com o PT (veja AQUI).

Luiz Carlos e Francisco José em campanha, juntos; no Governo, isolamento (Foto: Gazeta do Oeste)

“(…) O que vemos é um governo personalizado na figura do Prefeito, que adota uma política de isolamento, criando barreira para o diálogo com os setores sociais e populares, demostrando distanciamento da linha política que sempre defendemos”, disseca a nota denominada “Mossoró: Mudar o PT para Mudar o Governo.

E acrescenta: “Uma das características do governo Francisco José tem sido a centralização das decisões, sem nenhum diálogo com o Vice-Prefeito e partidos aliados, outras características dizem respeito à falta de autonomia do seu secretariado bem como a instituição de um núcleo político familiar com fortes influencias nas decisões da gestão.

Veja a nota na íntegra abaixo:

A eleição Municipal de 2012 iniciou um novo tempo para os mossoroenses. Tivemos como nunca, uma campanha marcada pelo abuso das estruturas de governo e econômicas através das máquinas municipal e estadual. Tal abuso desencadeou um grande processo judicial que culminou com a cassação da então Prefeita eleita pelo DEM, Claudia Regina. Um momento histórico na justiça eleitoral e na política de Mossoró.

A disputa do faz de conta de Rosado da situação x Rosado da Oposição x Rosado da Terceira Via se transformou numa verdadeira autofagia.

Com décadas de eleições marcadas pelo abuso do poder político e econômico, a justiça de fato, em Mossoró, não fazia justiça. A cassação da Prefeita do DEM veio logo em seguida acompanhada da inelegibilidade temporária da Deputada Estadual do PSB. O referido episódio abriu grandes possibilidades para surgimentos de novos nomes, bem como de alternativas programáticas para a cidade.

Os dois principais grupos oligárquicos e tradicionais da política local ficaram órfãos de quadros para o embate que estava por vir: a eleição suplementar.

A opção adotada no processo excepcional pelo Partido dos Trabalhadores foi trilhar pela via mais fácil de chegada ao Palácio Rodolfo Fernandes, mesmo que não fosse como condutor do novo momento da cidade. O PT ofertou o nome de seu principal quadro público, reconhecidamente pela sociedade como um político sério, honesto e de forte responsabilidade partidária.

Luiz Carlos, eleito vereador com uma votação consagradora, abdicou do Parlamento para compor a chapa como Vice-Prefeito do também Vereador Francisco José Júnior, numa conjuntura imposta pela circunstância eleitoral.

Após 34 anos de existência e de oposição em Mossoró o partido chegava pela primeira vez para ser governo na condição de Vice-Prefeito da cidade e ocupando duas secretarias.

Avanço na interinidade

No curto espaço de tempo da interinidade, a administração Francisco José Jr. logrou avanços importantes, como a abertura efetiva da Unidade de Pronto Atendimento do Belo Horizonte, a ampliação do número das BICS, a implantação de programas sociais do Governo Federal, como o Mais Médicos e o Minha Casa, Minha Vida, a instituição dos PCCRs dos Agentes Fiscais de Controle Ambiental e Urbanística, dos Guardas Municipais, cumprimento do PCCR dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias, a regulação dos serviços de fisioterapia e melhorias importantes na saúde mental, com a instalação do serviço de urgência, através do CAPS 24 horas.

O PT chega à Prefeitura com Luiz Carlos

Um fato histórico na cidade e em especial para o Partido dos Trabalhadores neste período, foi à interinidade de LUIZ CARLOS como Prefeito durante 10 dias, onde teve marca registrada o estabelecimento do diálogo com os setores sociais e populares da cidade, negociando o fim da greve dos agentes fiscais que já durava 100 dias. Outra ação administrativa significativa foi a parceria com a Senadora Fátima Bezerra, onde viabilizou a assinatura do contrato de revitalização da Avenida Rio Branco junto a Caixa Econômica Federal, um investimento na ordem de 42 milhões de reais. Luiz Carlos também retomou um importante diálogo com o movimento cultural da cidade que vinha tecendo severas críticas à condução e em alguns casos a ausência de política cultural, dentre outras ações.

Descompasso da gestão

É bem verdade que na interinidade observamos alguns avanços na gestão, contudo, após este período a cidade viveu um momento de inércia administrativa. Pois, logo após a eleição suplementar, veio à eleição para governos do estado, em seguida tivemos a eleição da FEMURN e com ela as possibilidades de projetos futuros. Assim, neste passo, as questões da municipalidade foram secundarizadas e percebidas pela população, o que confirma os altos índices de desaprovação da gestão Francisco José.

O PT e a militância petista devem atuar no campo político para separar a correta necessidade de mudança nos atos do governo, da clara tentativa da oposição de interditar as ações da Prefeitura com objetivos puramente eleitoreiros.

O governo também apresenta deficiências em áreas importantes, como na relação com os servidores municipais, que desde a chegada da atual gestão não obtiveram aumento real dos seus salários, nas propostas insuficientes de transporte público e mobilidade urbana, no tratamento dispensando aos trabalhadores terceirizados, onde as empresas não respeitam direitos trabalhistas, além dos frequentes atrasos de salários.

As constantes mudanças no primeiro escalão demostram fragilidade na condução do governo, falta de planejamento das ações e mais ainda, a ausência de um programa de governo, que se traduza em projeto político de médio e longo prazo com capacidade para pensar a cidade em sua totalidade e assim enfrentar os desafios da gestão pública. As ações até agora apresentadas pela gestão, são pontuais, fragmentadas e insuficientes, não dão de conta do passivo histórico e da real necessidade de políticas públicas estruturantes que Mossoró tanto necessita.

Um governo centralizador

Com a derrota dos grupos oligárquicos tradicionais a população e a nossa militância alimentaram a esperança de construção de uma gestão diferenciada, com inversão de prioridades e forte presença popular em suas decisões, no entanto, o que vemos é um governo personalizado na figura do Prefeito, que adota uma política de isolamento, criando barreira para o diálogo com os setores sociais e populares, demostrando distanciamento da linha política que sempre defendemos.

Uma das características do governo Francisco José tem sido a centralização das decisões, sem nenhum diálogo com o Vice-Prefeito e partidos aliados, outras características dizem respeito à falta de autonomia do seu secretariado bem como a instituição de um núcleo político familiar com fortes influencias nas decisões da gestão.

Mudar o PT para mudar o Governo

O partido dos Trabalhadores iniciou a composição da gestão indicando dois dos principais quadros de duas tendências importantes. Diga-se de passagem, duas secretarias que pouco, ou nada tinham em comum com as indicadas. O resultado desse processo foi à saída da Professora Socorro Batista da Segurança Pública Municipal para ocupar a vaga de Secretária Adjunta da Educação Estadual, (área na qual tem longa trajetória de militância e trabalho) e passamos a ter apenas uma Secretaria, a de Cultura, que é objeto de críticas dos diversos setores e movimentos culturais da cidade.

Em menos de um ano de gestão, o PT viu reduzir seu espaço no governo, passamos de duas para uma secretaria e recebemos de “compensação” duas vagas de adjuntos que pouco reflete o trabalho e as ações de governos Petistas.

Com mais de um ano de gestão municipal é fato que o Partido dos Trabalhadores pouco tem contribuído para que tenhamos uma gestão diferente, com iniciativas progressistas, democráticas e que se assemelhem ao nosso campo de ideias. O Partido tem usado o seu precioso tempo para debates menores, se resumindo a discutir espaços na gestão e se ausentando do debate sobre os problemas da cidade e em muitos casos tolhendo quem se dispõem a colaborar com propostas e críticas que façam mudar os rumos e torne o governo um projeto coletivo e vitorioso.

É fundamental que o PT e toda sua militância instaurem um processo de balanço da nossa participação no governo e adote uma estratégia partidária na defesa de um modelo de gestão em bases democráticas através do fortalecimento dos instrumentos de participação popular nas decisões da gestão.

É necessário exercer nossa autonomia e apresentar nossas posições com clareza como forma de colaborar com a ideia de que é possível governar com base popular e de acordo com os interesses da maioria da população.

Tendência Articulação de Esquerda – Mossoró/RN

Categoria(s): Política
segunda-feira - 29/06/2015 - 10:12h
Mossoró

Empresa de ônibus rejeita vales transporte e estudantil


A empresa Sideral de transporte coletivo urbano, em Mossoró, decidiu por livre arbítrio, não receber vale-transporte e passe estudantil a partir de hoje.

Cartaz pegou estudantes e trabalhadores de surpresa (Foto: reprodução)

Isso, sem qualquer comunicado prévio e justificativa.

Deixa centenas de usuários em dificuldades, pois só recebe “dinheiro vivo”, como comunica num impresso colocado atrás do assento de motorista em cada ônibus.

Categoria(s): Gerais
segunda-feira - 29/06/2015 - 06:54h

Pensando bem…


“A honestidade no local de trabalho não pode ser regulada. Ela deve ser encorajada pelos líderes, e eles próprios, honestos e dispostos a admitir seus erros.”

Carol Hymowitz

Categoria(s): Pensando bem...
domingo - 28/06/2015 - 11:32h
Descrença

Do PT ao PSDB despenca filiação de jovens a partidos


Do Congresso em Foco/O Globo

O número de eleitores entre 16 e 24 anos filiados aos cinco maiores partidos políticos do país caiu 56% desde 2009. Atualmente, PMDB, PT, PP, PSDB e PDT contam com 132.292 filiados nessa faixa etária, ante os 300 mil que registravam seis anos atrás. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), obtidos pelo jornal O Globo, mostram que também diminuiu, embora de modo menos acentuado, a participação dos filiados entre 25 e 34 anos.

A redução, no mesmo período, foi de 9,8% (de 1 milhão para 910,2 mil).

Desde 2009, o grupo de brasileiros com idade entre 15 e 24 anos caiu 0,99% – segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, de 2013 – e representa 25,24% da população brasileira. Segundo o Globo, o partido que mais perdeu filiados com menos de 25 anos foi o PT.

O número de petistas entre 16 e 24 anos caiu de 94.798, em 2009, para 38.002, em 2015 – uma perda de 60%. A falta de novas lideranças dentro da legenda foi criticada esta semana pelo ex-presidente Lula, que defendeu uma “revolução interna”.

Desinteresse

De acordo com a reportagem, depois do PT, o PMDB foi o partido que mais teve redução de eleitores com menos de 25 anos (59%): de 72.779 filiados, seis anos atrás, para 29.680. O PDT teve baixa de 53% nessa faixa etária. Já o principal partido oposicionista, o PSDB, perdeu 51% de filiados com até 24 anos.

O PP viu cair pela metade o número de integrantes mais jovens.

Em 2014, caiu em 31,4%, em comparação com 2010, a quantidade de eleitores que foram às urnas com 16 e 17 anos, faixa em que o voto é facultativo.

Descrença na política partidária, desinteresse dos adolescentes pelas eleições e o surgimento de novas formas de mobilização, impulsionadas pelas redes sociais, são apontados por especialistas e lideranças estudantis como os principais motivos da redução no número de filiados a partidos com menos de 25 anos.

Veja bastidores políticos em nosso TWITTER, clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Fricot - Rodapé - 27-07-14
domingo - 28/06/2015 - 10:55h
Delegado Clayton Pinho

Há um sopro de esperança e ação na Polícia Civil do RN


Titular da Diretoria de Polícia do Interior (DPCIN), o delegado Clayton Pinho admite que o sistema de Segurança Pública do RN foi assumido em situação desoladora. Mas há ótimas notícias e alento. Nem tudo está perdido: há um sopro de esperança e ação.

Pinho: boas novas (Foto: Web)

Em conversa com o Blog, Pinho exalta o destemor e dedicação da secretária da Segurança e Defesa Social, Kalina Leite, nessa operação, além da prioridade imposta pelo governador Robinson Faria (PSD).

Os números da deficiência na Polícia Civil ainda assustam, reconhece. Entretanto, “a casa começou a ser arrumada”, diz.

Clayton Pinho adianta que 15 picapes S-10 e 120 Gol (1.6) estarão sendo disponibilizados em poucos dias à Polícia Civil. A restruturação das delegacias passam pela chegada de 400 PC’s (computadores de mesa) e impressoras. Reformas físicas dos prédios começam a ser planejada a partir da capital.

Vem por aí outra novidade: implantação gradual e sistêmica do “Inquérito Virtual”, um programa que coloca todas as delegacias em rede, agilizando informações e fechando o cerco à delinquência.

Essa modalidade de software (programa) existe em outros estados, com excelentes resultados.

Concurso

Ele também ilustra que “as diárias estão em dia, estimulando o pessoal”, e novos escrivães, delegados e agentes vão estar prontos no segundo semestre. “Eles passam por curso de formação. São 29 escrivães, 50 delegados e 100 novos agentes”, relata.

Cogita-se outro concurso para 2016, “mas que só terá quantidade de vagas definidas quando avaliarmos as condições do Tesouro, o que é tratado pelo governador, secretária e setores ligados às finanças do Governo”, explica ele.

Clayton Pinho evita ufanismo. Pés no chão quanto às dificuldades. O déficit de profissionais que se ampliou, há vários anos, continua grande “e não será coberto em curto e médio prazos”, avisa.

- Precisaríamos de 5.400 integrantes. Hoje, temos cerca de 1.400. É como se a Polícia Civil estivesse em permanente greve – dimensiona.

Veja bastidores políticos em nosso TWITTER, clicando AQUI.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia
domingo - 28/06/2015 - 10:02h
Mossoró

Prefeito procura acalmar insatisfações no PT


O prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), parece que aparentemente aplacou focos de insatisfações no PT. Tentar, tentou.

Reuniu-se com representantes das correntes locais do partido na sede do Sindicato dos Comerciários (SECOM), à manhã desse sábado (27).

Fez esplanação do governo, que enfatizou ser do binômio PSD/PT e lembrou que o petismo participa com ocupação de vários postos estratégicos, a começar pela presença do vice-prefeito Luiz Carlos Martins.

Pediu compreensão para que a aliança nacional, estadual e municipal entre os partidos possa render bons frutos a Mossoró.

Minutos depois, ao participar da Plenária Estadual do PHS na Câmara Municipal de Mossoró, o prefeito transpirou em discurso o porquê da demora em chegar ao evento:

- Vocês sabem como é o PT… Várias correntes!

Veja bastidores políticos em nosso TWITTER, clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Câmara - 1ª da Gestão Jório - 23-02-15
domingo - 28/06/2015 - 09:36h
Prefeitura de Mossoró

Programa jornalístico sai do ar por falta de pagamento


Segue sem previsão de retorno na Rádio Difusora de Mossoró, o programa “Jornal da Cidade”. Foi retirado do ar na quarta-feira (17).

O programa – veiculado de segunda à sexta-feira, de 18 às 19h – era custeado pela Prefeitura de Mossoró desde seu lançamento há quatro meses.

A direção da emissora determinou o fim do programa, devido o atraso de meses no pagamento. Eram R$ 4 mil/mês.

Veja bastidores políticos em nosso TWITTER, clicando AQUI.

Categoria(s): Comunicação
domingo - 28/06/2015 - 09:27h

A trincheira de Ezequiel Fernandes no ataque de Lampião


Por Honório de Medeiros

Ocorreu que Raimundo Nonato Alfredo Fernandes, nascido na fazenda “Cantinho”, ali entre Pau dos Ferros e Encanto, no Alto Oeste do Rio Grande do Norte, em 2 de junho de 1910, estando na roça, no apogeu dos seus quinze anos, encostou no terreiro de sua casa um Ford 1922 com duas pessoas dentro: seu primo Elias Fernandes, irmão de Alfredo Fernandes, proprietário da empresa homônima em Mossoró, no mesmo Estado, e da residência na Avenida Getúlio Vargas vizinha à celebre casa do Coronel Rodolpho Fernandes, de quem era cunhado, que hoje é a sede da Prefeitura da Cidade, e um motorista ao volante, o depois cangaceiro que participou dos ataques a Apodi e Mossoró e que atendia, na época, pelo nome de Júlio Porto.

Elias vinha convidá-lo para ir trabalhar na empresa Alfredo Fernandes, a convite do seu proprietário.

Atentemos para o detalhe: em 1922 Júlio Porto, natural de Aurora, no Ceará, já conhecia, e bem, Mossoró, onde era motorista dos Fernandes.

Elias e Alfredo Fernandes eram filhos do Coronel Adolpho Fernandes, protagonista do “Fogo de Pau dos Ferros”, quando sua família, por ele liderada, expulsou o líder político Coronel Joaquim Correia da cidade, em 1919. O Coronel Joaquim Correia jamais voltou a Pau dos Ferros. E o Coronel Adolpho Fernandes era seu Prefeito (Intendente) quando Lampião atacou Mossoró.

Passam-se cinco anos. Estamos em 1927. Junho. No dia 13, Lampião invade Mossoró. No final da Rua hoje denominada Dr. Francisco Ramalho, no sentido de quem vai para o centro da cidade, na última residência, do lado direito, reside Ezequiel Fernandes de Souza, sobrinho do Coronel Adolpho Fernandes e sócio de Alfredo Fernandes. Nela, a poucos passos da Igreja de São Vicente, montou-se uma tosca trincheira para aguardar os cangaceiros.

Sob a liderança de Ezequiel Fernandes lá estava sua esposa Ester, que havia dado a luz, e padecia de febre puerperal, o chofer de um caminhão da Prefeitura que aguardava condições para retirá-la da cidade, mas que fugiu tão logo aconteceu os primeiros tiros, um freguês da empresa Alfredo Fernandes chamado de “Velho Chico”, um amigo da família, Maurílio, que lá estava porque tinha raptado Isabel, sobrinha de Afonso Freire e a depositado sob os cuidados dos donos da casa.

Os demais, quinze pessoas, recolheram-se em um quarto no centro, no entorno da cama da doente: Ezequiel Fernandes, Pedro Ribeiro, seu primo, seus filhos Laete, Luís e Aldo, Chico Sena, seu sobrinho, Isabel, as domésticas Leonila e Esmerinda, as vizinhas Maria Leite e sua filha Laura, Julieta, filha de Delfino Fernandes, Alzenita Fernandes e Raimundo Fernandes, então com vinte anos.

Os integrantes da trincheira, que se posicionaram no telhado da residência foram o “Velho Chico” e Maurílio.

Dessa vez Raimundo Fernandes não chegou a ver Julio Porto, mas o ex-motorista estava com os cangaceiros de Lampião e Massilon no ataque a Mossoró.

Ester Fernandes não resistiu à doença e faleceu quatorze dias depois, no dia 27 de junho, cercada pela família.

* Tudo aqui contado conforme o livro “RAIMUNDO FERNANDES, ANTEPASSADOS E DESCENDENTES”, da lavra de Inês Maria Fernandes de Medeiros, ainda a ser lançado, tiragem de junho de 2015, sem outras informações acerca de sua edição, com alguns acréscimos do autor do artigo.

Honório de Medeiros é professor, escritor e ex-secretário da Prefeitura de Mossoró e do Estado do RN

Categoria(s): Artigo
domingo - 28/06/2015 - 08:44h
Futebol

América vence fora, mas ABC só empata em casa


O América venceu o Vila Nova por 1 a 0 na tarde desse sábado (27), no estádio Oba, em jogo válido pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.

O gol da partida foi marcado por Cascata, aos 14 minutos do 2° tempo.

Com o resultado, o alvirrubro somou oito pontos e subiu para a 4ª colocação do grupo A. Em contrapartida, os goianos permaneceram com a vice-liderança da chave, atrás apenas do Fortaleza.

No entanto, a quinta rodada terá seu fechamento hoje, com isso as duas equipes podem perder posições.

No próximo sábado (4), às 20h, o América enfrenta o Fortaleza, no estádio Castelão. Já na segunda-feira (6), é a vez dos goianos entrarem em campo.

ABC

ABC e Náutico empataram em 3 a 3 na tarde de ontem (27), em jogo válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B. Pedro Carmona e Marino (2x) marcaram para os visitantes, mas Kayke, Neto Coruja e Edno deixaram tudo igual no Frasqueirão.

Com o resultado, o Náutico continua na 4ª colocação com 18 pontos. Em contrapartida, o ABC foi a 12 pontos e caiu da 10ª para a 11ª posição.

Além de perder uma posição, o alvinegro acumulou seu sétimo jogo sem vitória em casa.

No próximo sábado (4), o alvinegro enfrenta o Macaé, no estádio Frasqueirão.

Categoria(s): Esporte
domingo - 28/06/2015 - 08:22h

“A última flor do Lácio”


Por François Silvestre

Vivemos provavelmente os tempos do colonialismo cultural mais acentuado da história dos povos.

É bem verdade que não é um fenômeno novo. Em todas as conquistas militares ou de colonizações, o colonialismo cultural sempre fez parte do pacote de dominação. Ou quase sempre. No caso da dominação árabe na península ibérica, houve uma exceção. Os nativos continuaram a professar suas crenças e preservar sua cultura.

O Brasil deixa-se colonizar culturalmente há muito tempo. É preciso ver que há diferença entre aculturação e desculturação. Na aculturação ocorre uma troca entre as culturas que se misturam. Caso exemplar é o sincretismo umbanda-catolicismo que se deu nas relações dos vindos da África com os nascidos daqui. Nesse caso, não há colonialismo cultural.

Outra coisa é a desculturação, quando uma cultura imperial impõe seus modos sobre a fraqueza da cultura invadida. O uso e abuso da língua inglesa, no mundo de hoje, é o exemplo mais nítido da desculturação.

E me traz à memória o diálogo de Próspero e Calibã, n”A Tempestade”, de Shakespeare: Diz Próspero: “Eras uma figura ignóbil e eu te dei compleição humana”. Calibã responde: “Mas a ilha era minha e tu me tomaste”. Próspero argumenta: “Mas eu te ensinei a minha língua”. E Calibã rebate: “No que a mim só serve para nela poder amaldiçoar-te”.

Nos tempos de hoje nem para a maldição dos dominadores a língua serve. Serve muito mais para a louvação. Para o embuste. Para consolidar a dominação, sob o manto roto do “progresso” e da globalização. O Globo são os outros. Estou falando do planeta.

“A última flor do Lácio” de que falou Olavo Bilac, onde Gil Vicente deu o tom da morfologia e Camões desenhou o esqueleto sonoro da sintaxe, vem sendo maltratada pelos nativos; deslumbrados com a luminosidade econômica das culturas alheias.

O jeito de falar ou escrever na literatura comporta “agressões” à língua, na medida do talento. Não se configura erro.

Contudo nos textos técnicos, opinativos, sobre qualquer assunto, a escrita que agride a língua não é justificável. Na televisão, dando notícias, ou comentando o noticiado, é preciso respeitar a língua. Não se faz literatura em noticiários. Cometem-se erros. Alguns de transformar os ouvidos em pinicos.

Os pobres verbos sofrem a diabo na boca dos repórteres. “Houveram atritos”, no lugar de houve. “Fazem dez anos”, no lugar de faz. “Ele reaveu o carro roubado”, no lugar de reouve. “O governo interviu”, no lugar de interveio. “A cartomante preveu”, no lugar de previu. “Se o governo propor”, no lugar de propuser. E por aí vai. Um horror…

Não se cobra pureza linguística nem chatice de regras. Não. O que se cobra é o mínimo de respeito com a nossa língua, maltratada por veículos que contribuem com o desaprender. Com a ignorância.

Té mais.

François Silvestre é escritor

* Texto originalmente publicado no Novo Jornal.

Categoria(s): Artigo
  • Fricot - Rodapé - 27-07-14
domingo - 28/06/2015 - 07:40h
Mossoró

Apamim deve gerar mais problemas para grupo político


A Associação de Proteção e Asssitência à Maternidade e à Infância de Mossoró (APAMIM) deverá gerar novos aborrecimentos ao clã político dos ex-deputados federais Laíre Rosado (PSB) e Sandra Rosado (PSB).

A entidade segue na mira do Ministério Público Federal (MPF), que recentemente imputou outra denúncia a Laíre Rosado (veja AQUI).

Mais gente graúda desse grupo político está sob investigação pelo MPF.

A Apamim, entidade mantenedora da Casa de Saúde Dix-sept Rosado (CSDR) e Maternidade Almeida Castro, está sob intervenção judicial desde outubro do ano passado.

Veja bastidores políticos em nosso TWITTER, clicando AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 28/06/2015 - 06:35h

Os Leite de Chaves e Mello na serra do Martins


Por Marcos Pinto

A paradisíaca serra, em sua exuberante beleza natural, contempla os viandantes que perlustram o venerando solo da antiga “Serra da Maioridade” com nostálgica e misteriosa transcendentalidade. Tais predicados tem como referencial a atual cidade denominada de Martins, no Rio Grande do Norte. É emblemática em exponenciais figuras da Magistratura potiguar, tendo sido berço de nascimento de seis Desembargadores.

O referencial toponímico pioneiro foi “Serra do Campo Grande”, denominação constante do requerimento do Capitão-Mór Aleixo Teixeira, e da concessão de Carta de Data de Sesmaria datada de 20.07.1736. Aleixo era Capitão-Mór da então Aldeia de São João Batista dos Tapuias Paiacus, do Lago Pody, atual Apodi, onde também foi concessionário, no lugar que ficou conhecido como “Data do Aleixo”.

Como o Capitão Aleixo caiu em comisso, ou seja, não efetivou posse na sesmaria que lhe foi concedida, seis anos após, precisamente a 1º de Março de 1742, foi concedida a mesma Data de Sesmaria ao Capitão Francisco Martins Roriz, que residia na Ribeira do Jaguaribe, Capitania do Ceará, que fundou no alto da serra ainda inabitada, uma fazenda e currais de gado, que passou a ser conhecida pelo nome de seu proprietário – “Serra do Martins”.

Emoldurando o perfil histórico desta tradicional família, detentora da nobreza de quatro costados, consigna-se que é oriunda da Ilha Terceira, do arquipélago dos Açores. A história dessa família no Brasil começa no início do século XIX, com a vinda de Portugal, do Ajudante de Cavalaria Alexandre José Leite de Chaves e Melo. Esse militar prestou importantes serviços à coroa portuguesa.

Em 1805 acompanhou o 2º Governador da Capitania do Ceará, João Carlos Augusto de Oeynhausen em expedição ao Ipú-CE, com o objetivo de prender o Coronel Manoel Martins Chaves e seus sobrinhos, o Capitão Francisco Xavier de Araújo Chaves e Bernardino Gomes de Franco, tendo o Ajudante José Leite, desempenhado importante papel nessa missão.

Em 1817 vamos encontrar Alexandre José Leite de Chaves e Mello no posto de Coronel, Comandante das Fronteiras e Inspetor das Milícias do Jaguaribe, onde impede que a “Revolução Pernambucana de 1817″, que subvertia a ordem nas Capitanias de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, se alastrasse até o Ceará.

Quando o Crato aderiu à causa da Revolução, o Governador mandou o então Coronel Leite marchar sobre o Cariri, a fim de sufocar a revolta.

Nos preparativos para descer sobre o Cariri, eis que Alexandre recebe, oriundos do Crato, onde já havia sido deflagrada a contra-revolução, os presos: irmãos Alencar (Tristão e o padre Carlos), Francisco Pereira Maia, Pereira dos Santos e José Francisco de Gouveia Ferraz, remetendo-os para Fortaleza.

Recebidos os reforços normais constantes de tropas regulares, contingentes de índios e tropas de milícias, e como já não fosse mais preciso marchar sobre o Cariri, ordenou que se postassem piquetes nas estradas que davam acesso às Capitanias vizinhas, e marchou em fins de maio para o Rio Grande do Norte, onde pacificou o Apodi, Martins, Portalegre e Pau dos Ferros, fazendo numerosas prisões e obrigando o povo a acatar o governo português.

Consta que Alexandre José Leite de Chaves e Mello trouxe da terra natal dois irmãos: Leandro Leite Chaves e Melo e Francisco Álvares Afonso Leite de Chaves e Melo, que no Brasil viveram e deixaram frondosa descendência. O primeiro ter-se-ia localizado no Rio Grande do Norte, transferindo-se depois para o Rio de Janeiro, deixando prole numerosa e ilustre.

Francisco Álvares Afonso se radicara no Rio Grande do Norte, onde deixara muitos filhos, entre os quais: Manuel Álvares Afonso Leite, Maria Afonso de Chaves e Melo Pereira “Mariazinha”, Antonio Leite de Chaves e Melo e Alexandre Leite de Chaves e Melo.

Mariazinha casou-se com o português Francisco Emiliano Pereira, latinista e educador de grandes méritos, tendo sido professor de seu sobrinho o Senador Almino Álvares Afonso. Sua filha Maria Joaquina Chaves, “Maroca” casou-se com o primo Ildefonso Leite de Araújo Chaves e Melo.

Manuel Álvares Afonso Leite morava entre Patu e Martins, no Rio Grande do Norte, tendo deixado dois filhos: Francisco Manuel Álvares Afonso e Viriato Afonso. Viriato foi Coletor em Independência, Ceará e Advogado em Martins e Francisco Manuel era pai do Senador Almino Álvares Afonso.

Adentrando, ainda, na contextualidade do título que encima este despretensioso artigo, é possível afirmar que há possibilidades de a fixação inicial dos Leite de Chaves e Mello na “SERRA DO MARTINS” ter sido objeto de concessões de atenuantes feitas aos revoltosos ali residentes pelo Coronel Alexandre José Leite de Chaves e Mello, destacando-se entre estes a inolvidável figura do Capitão Antonio Alves Cavalcanti, que é o mesmo Antonio Alves Cavalcanti citado no livro “Documentos Históricos”, publicação da Fundação Biblioteca Nacional.

Encantado com as belezas naturais e do clima ameno daquela aprazível serra, teria o Alexandre, passada a turbulência do movimento revolucionário, instalado o seu irmão Capitão Francisco Afonso de Chaves e Mello, em terras que teriam sido confiscadas dos partícipes revolucionários.

Marcos Pinto é advogado e escritor

Categoria(s): Artigo
  • Câmara - 1ª da Gestão Jório - 23-02-15
domingo - 28/06/2015 - 03:18h

Pensando bem…


“A atração pelo que está distante e difícil é enganosa. A grande oportunidade está onde você está.”

John Burroughs

Categoria(s): Pensando bem...
sábado - 27/06/2015 - 09:42h
Yes!

Mister Billy Paul pode cantar em Mossoró


Mossoró poderá ter ainda este ano a apresentação de um cantor que é uma lenda viva da música internacional: Billy Paul.

Costuras nesse sentido estão sendo feitas, para o show ocorrer no segundo semestre deste ano.

O artista octogenário, nascido na Filadélfia, ganhou projeção nos anos 70.

Mergulhou de cabeça no soul e com passeios por baladas pop, logo se tornou um astro internacional com seu vozeirão.

Já esteve no Brasil algumas vezes.

Veja na caixa de vídeo acima a arte de Paul em um de seus clássicos: “Your Song”, de Elton John e Taupin.

Veja letra e música (com tradução AQUI).

Categoria(s): Cultura
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.