segunda-feira - 05/12/2016 - 10:40h
Mossoró

Vereador aponta “propostas indecorosas” para aprovar projetos


“Propostas indecorosas continuam permeando tentativa de aprovar dois projetos polêmicos na Câmara Municipal de Mossoró.”

A afirmação é do vereador Lahyrinho Rosado (PSB).

Lahyrinho postou agora pela manhã uma informação muito delicada (Foto: reprodução)

Postou há pouco em endereços seus nas redes sociais da Web.

Nota do Blog - A denúncia vai continuar no mundo virtual ou será formalizada?

E o Ministério Público precisa ser provocado mais ainda?

Como diria um velho apresentador de TV… “silêncio no auditório!”

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 05/12/2016 - 10:14h
Estranho, muito estranho

Procurador cala vereadores após tratá-los por “corja”


Até agora, 10h14 de segunda-feira, 5 de Dezembro de 2016, ninguém deu um “piu” sobre declarações do procurador da Câmara Municipal de Mossoró, Kennedy Salvador, sobre os próprios componentes da Casa. Traçou um perfil dilacerante de todos e cada um, sem exceção.

Segundo ele postou em sua página no Facebook, sábado (3), os vereadores mossoroenses formam uma verdadeira “corja” (veja AQUI).

Para clarear o conhecimento do nosso Português, vamos consultar o Dicionário Houaiss sobre o que é uma corja:

- Grupo de indivíduos grosseiros, vis, de má índole; canalha, súcia, malta.

Ainda não satisfeito, Salvador reforçou com tintas mais fortes o retrato dos parlamentares mossoroenses que assinaram uma Nota de Esclarecimento (veja AQUI) em relação à gestão do presidente da Câmara Municipal, Jório Nogueira (PSD):

- São uns incompetentes; corruptos; urubus do dinheiro público; mal acostumados com o ciclo de sacanagem que sempre vigeu na Câmara Municipal de Mossoró, e por revolta porque tal ciclo nojento e vicioso foi quebrado; sem argumentos e usando de artifícios próprios de “gentalhas” sem formação profissional ou moral, atingir a vida individual das pessoas.

Quem cala, consente?

Aguardemos, pois.

O que desencadeou esse nível de virulência foi decisão de Jório de exonerar 126 assessores de gabinetes de vereadores e mais 17 do seu próprio gabinete presidencial, totalizando 143 comissionados, para tentar equilibrar contas (veja AQUI).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
segunda-feira - 05/12/2016 - 09:58h
Brasília

Depois do transe, eles que se cuidem


Depois do transe coletivo com tragédia da Colômbia, esta semana promete para Rodrigo Serelepe Maia e Renan Canalheiro.

E Temer que se cuide.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Só Pra Contrariar
segunda-feira - 05/12/2016 - 08:50h
Mossoró

Isolda Dantas tem dificuldades maiores em prestação de contas


A assessoria jurídica da vereadora eleita e ex-secretária municipal da Cultura de Mossoró, Isolda Dantas (PT), pediu novo prazo para tentar atender a exigências de informações, consistentes, à Justiça Eleitoral.

Novo Edital de Intimação foi emitido no último dia 3 (sexta-feira) - (Foto: Reprodução)

Ela tem sua prestação de contas questionada e após não atender ao que fora solicitado por edital de intimação, solicitou mais outro tempo (três dias) para mesmo fim.

Isolda atesta que recebeu R$ 78.880,00 à sua campanha e teve gasto de R$ 72.439,85.

O despacho favorável à candidata eleita lhe oferta tempo até amanhã para esclarecer as dúvidas apontadas.

Diplomação e posse

Isolda Dantas obteve 1.861 votos, sendo o 15º nome mais votado entre os 21 eleitos. Seu suplente é o sindicalista Gilberto Diógenes (PT) , que empalmou 899 votos.

Os dois fizeram parte da Frente Mossoró Tem Jeito, encabeçada pelo candidato a prefeito Gutemberg Dias (PCdoB).

Importante ser assinalado: a possibilidade dela ou qualquer outro candidato eleito, com problemas de prestação de contas, ter impedimento à diplomação e posse, é “praticamente nula”, em face do que diz o artigo 257, §2º, do Código Eleitoral.

“Mesmo uma decisão condenatória de perda de diploma/mandato, somente pode ocorrer após decisão em segunda instância”, diz Márcio Oliveira, chefe de cartório da 34ª Zona Eleitoral em Mossoró (veja AQUI). É preciso existir uma ação específica, “acessória”.

Veja AQUI situações anteriores e outros nomes com problemas na Justiça Eleitoral devido prestação de contas.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Eleições 2016 / Política
  • Repet
segunda-feira - 05/12/2016 - 07:39h
Domingo, 04

Novos atentados na Grande Natal alcançam delegacia e ônibus


Por Fred Carvalho (Portal G1/RN)

Pelo menos dois ataques criminosos foram registrados na noite deste domingo (4) em Natal e em Parnamirim, cidade vizinha à capital do Rio Grande do Norte. Uma delegacia de Polícia Civil e um ônibus foram os alvos dos atentados, que são confirmados pela polícia.

A 7ª DP, no bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal, foi atacada com tiros e um carro da polícia também foi atingido pelos disparos.

Ônibus incendiado por criminosos em Parnamirim, RN (Foto: Reprodução)

Em Parnamirim, os criminosos obrigaram os passageiros, motorista e cobrador de um ônibus da linha J a descerem do veículo, que acabou incendiado em frente ao ginásio de esportes de Passagem de Areia, bairro da cidade.

Esse ataque foi filmado pelos marginais. O vídeo circula em redes sociais. Na filmagem, os bandidos, por diversas vezes, gritam o nome da facção criminosa que reivindica o atentado.

Carro policial alvejado

A polícia não confirma com exatidão os horários dos ataques e ainda não afirma que os dois crimes têm relação. No ataque à delegacia, o carro da polícia acabou atingido.

Ninguém ficou ferido.

No atentado ao ônibus, é possível ver na gravação que as pessoas que estavam no veículos se desesperam. Pelo menos sete criminosos participam da ação. Não há registro de feridos, segundo a polícia.

Em julho e agosto deste ano houve uma série de ataques dessa natureza.

Veja mais detalhes AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia
segunda-feira - 05/12/2016 - 00:43h
Gil

Jogador da Chapecoense é sepultado em Nova Cruz-RN


Do Globo.esporte.com

Gil: velório e sepultamento marcados pela emoção (Foto: Web)

Comoção, luto e aplausos. A cidade de Nova Cruz, distante a 93 Km de Natal, viveu um dia de luto. O velório e o sepultamento do volante Gil, que morreu no trágico acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, a caminho de Medellín, na Colômbia, causou um clima de consternação nos moradores da pequena cidade do interior do Rio Grande do Norte.

Amigos, familiares, ex-companheiros de clubes pelos quais Gil jogou e uma multidão estiveram no ginásio Giovanna de Azevedo Targino para dar o último adeus e homenagear o jogador, que aos 29 anos, deixa mulher e duas filhas, um de cinco e outra de três anos.

O dia foi de expectativa para a chegada do corpo de Gil. Em voo comercial, o desembarque em Natal aconteceu por volta das 13h30. Do Aeroporto Internacional Aluízio Alves, o cortejo partiu para Nova Cruz.

Quase quatro horas, uma multidão aos prantos estava aguardando o ex-jogador. A família foi a primeira a entrar no ginásio e ficou em profundo choro por cerca de uma hora.

Mais de 10 mil pessoas participaram de cortejo fúnebre em Nova Cruz (Foto: Andrea Tavares/GloboEsporte.com)

Multidão

Logo depois, os portões foram abertos para a comoção da população nova-cruzense.

Às 19h, o corpo foi retirado do ginásio municipal e levado em cortejo fúnebre em um carro do Corpo de Bombeiros.

A emoção tomou conta da cidade, que lavou as ruas até o cemitério público com as lágrimas de dor.

Estima-se que mais de 10 mil pessoas participaram do velório e sepultamento hoje na cidade.

Entre jogadores presentes, Judson (volante do Avaí-SC, ex-América-RN), Robinho e Rafinha (meias do Cruzeiro-MG), todos ex-companheiros de Gil.

Saiba mais clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Esporte
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 04/12/2016 - 23:56h

Pensando bem…


“Aprenda a enxergar. Perceba que tudo se conecta a tudo o resto.”

Leonardo da Vinci

Categoria(s): Pensando bem...
domingo - 04/12/2016 - 20:36h

Aprendizado


Por Ferreira Gullar

Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.

Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão

que a vida só consome
o que a alimenta.

Ferreira Gullar (1930/04-12-16) – Pseudônimo de José Ribamar Ferreira (nascido no Maranhão), ele foi um escritor, poeta, crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista e ensaísta. Faleceu hoje (veja AQUI).

Categoria(s): Poesia
  • Repet
domingo - 04/12/2016 - 18:28h

Do Estado Democrático de Direito ao Império do Crime


Por Carlos Santos

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes (…)”. – Artigo 5º, Constituição do Brasil.

No dia 11 de outubro deste ano, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu “punir” a juíza Clarice Maria de Andrade com pena de “disponibilidade”. Ficará afastada recebendo salários, mas pode ser convocada a atuar, a qualquer momento, depois de pelo menos dois anos da punição. Está em stand-by (modo espera), digamos.

Quanto aos salários, doutora Clarice continuará os recebendo normalmente, sem maiores dilapidações.

Em contraponto, a Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) emitiu nota considerando a punição “desproporcional” e prometeu reagir em sua defesa. Sobre a vítima paraense, os caríssimos judicantes da AMB não abriram o bico. Devem ter considerado normal o que narrarei abaixo.

O que levou doutora Clarice à punição foi o fato de ela ter determinado o alojamento de uma menor de 15 anos numa cela na cidade de Abaetetuba no Pará. Por 26 dias, em meio a 30 homens, essa menor foi queimada com pontas de cigarros, espancada e estuprada incontáveis vezes pelos marginais aglomerados no local.

O episódio e a “punição” nos remetem à celeuma no Congresso Nacional, em torno das “10 Medidas Contra a Corrupção“, resultado de mobilização nacional puxada pelo Ministério Público do país. Na prática, a proposta foi desfigurada na Câmara Federal (veja AQUI) na calada da madrugada e teria o mesmo destino numa votação às pressas, no Senado da República (veja AQUI), quando algumas vozes na Casa reagiram à esperteza.

É princípio constitucional de que ninguém está acima da lei. Mas na prática o cidadão comum não enxerga nem sente isso. O episódio da doutora Clarice prova que existem, sim, alguns figurões acima da lei. Acima em vantagens pecuniárias descabidas e em anteparos à própria lei.

Mas daí partirmos para a tentativa de criminalizar juiz e promotor, há uma profunda diferença.

Eles não devem estar acima da lei, precisamos ter instrumentos mais ágeis de averiguação e sanções contra eventuais abusos que venham a cometer, ao mesmo tempo que é descabido tolher os primados do Judiciário e do Parquet (expressão francesa para representante do Ministério Público) em nome da democracia.

O episódio que resultou na suposta punição à doutora Clarice ocorreu em 2007. Quase dez anos para se ter uma definição, que na verdade pune novamente a menor e seus familiares. Se Clarice fosse uma bancária, comerciária, professora, pedreira etc., estaria presa e não aquinhoada com descanso remunerado numa confortável casa. Portanto não há isonomia perante à Constituição.

O QUE boa parte de deputados e senadores deseja, de verdade, não é assegurar o nivelamento legal perante a Constituição, de juízes e promotores, mas principalmente intimidá-los e garroteá-los. Isso é mais do que óbvio.

Uma necessidade da República Democrática é impedir privilégios, seja lá de quem for, para que realmente não tenhamos que testemunhar o Estado servir a uma minoria em detrimento da maioria sem direito à Educação, Saúde, Segurança Pública e à própria vida.

Também não é sensato que procuradores da República queiram submeter o Congresso Nacional às suas vontades, dando chiliques em entrevistas, como se a proposta anticorrupção apresentada às casas legislativas fosse uma obra-prima “imexível”.

Eles não são donos da verdade nem legisladores.

O parlamento tem o dever de discutir, questionar, legislar, sugerir, se contrapor, apresentar substitutivos/emendas ou não. Ou os senhores procuradores querem também cumprir essas prerrogativas do poder legalmente constituído para esses fins?

É certo que boa parte dos congressistas não possui condição moral para o debate, mas existe legitimidade que foi dada nas urnas, pelo mesmo cidadão que se queixa deles, das leis e da situação de desmanche dos serviços básicos ofertados à sociedade. O Executivo sangra nesse contexto, ainda sem firmeza no pisar.

A concepção da separação dos poderes que de forma elementar fora lapidada por Aristóteles há mais de 2.400 anos, para depois ser vitaminada por John Locke e Montesquieu (O espírito das leis), muitos séculos depois, só funcionará numa civilização marcada pela tolerância e diálogo. Ninguém pode ficar à margem ou acima da lei.

O poder “Moderador” que tivemos sob a batuta da Constituição imperial de 1824, não pode e não deve ser reinventado sob outros artifícios, em pleno Século XXI. Devemos nos valer do bom senso, de um novo iluminismo que nos livre de novas trevas e não nos empurre às mãos de outros tiranos, sob a égide da “lei”.

Meu temor é que desse duelo de interesses, em que uns tentam se proteger da lei e outros parecem interessados em impor a lei que entendem ser sua, messiânica e indiscutível, sejamos tragados pela barbárie e pela anarquia. Há sinais de revolta que vão além dos grupos organizados e mexem com o homem de bem, que não aguenta mais tanto descaso.

Com poderes e instituições de Estado em choque e duelando entre si, abaixo ficam os ‘sem poder’ que podem reagir à força, como forma de sobrevivência. Teremos nossa própria Bastilha para botar abaixo? Talvez.

Particularmente, não acredito em êxito do “Frankstein” aprovado na Câmara Federal, com apoio dos principais partidos que se transformaram em organizações criminosas. A tentativa de criminalizar juiz e promotor, é cesarista, porque se propõe a impor o terror para dificultar a real supremacia do Estado Democrático de Direito, o “Estado de Leis”.

Por outro lado, eles não são donos de um Novo Estado ou Estado Novo – reitero.

Estejamos atentos. Se os delinquentes do Congresso conseguirem vencer essa cruzada, mais adiante vão tentar impor até a criminalização do delegado civil. Não duvido. Promoverão o terror para que esse não indicie ninguém, sob o medo de ser processado cível, administrativa e criminalmente.

Aí chegaremos ao estágio final da República e dos seus primados, com a preponderância do Império do Crime.

Carlos Santos é editor e criador do Blog Carlos Santos

Categoria(s): Artigo
domingo - 04/12/2016 - 15:08h
Wilson Simonal

Letra e Música – 212


O compositor Tibério Gaspar era menino, nascido no Rio de Janeiro, mas morava na bucólica cidade de Anta, devido emprego federal do pai, engenheiro que se transferira para lá.

Com 12 anos, ele viu despertar em si um amor platônico por uma professora solteira, loira, de corpo escultural, olhos verdes, que provocava a ira das outras mulheres e os desejos mais primários dos homens da pequenina cidade fluminense.

Adulto, imerso no mundo da música, ele escreveu “Sá Marina“, com arranjos de Antônio Adolfo. Wilson Simonal transformou essa canção em seu maior sucesso nos anos 60 e num clássico da MPB.

Curiosidade: passados alguns anos, num programa de auditório nos anos 70 da extinta TV Tupi, o apresentador Flávio Cavalcanti fez sua produção localizar a musa inspiradora do já adulto compositor. Era a professora aposentada “Brasilina”, que se transformou no codinome de Sá Marina, “por ter mais musicalidade” – justificou o autor.

Apesar do cerco televisivo (inclusive com cachê), ela não aceitou ser filmada ou fotografada, nem ir ao programa ao vivo. Já soubera que tinha sido a inspiração do artista por outras entrevistas suas.

Mas mandou um recado para o “menino” Tibério, que ela lembrou bem, sem nunca ter percebido o encantamento juvenil de seus olhares imberbes:

- Eu quero que o Tiberinho conserve na cabeça dele a imagem da mulher que eu fui e, não agora, que estou velha.

Simonal dando vida a essa mulher a mantém eterna e sempre bela.

Sá Marina

Descendo a rua da ladeira
Só quem viu,é que pode contar
Cheirando a flor de laranjeira
Sá Marina é vem pra dançar

De saia branca costumeira
Gira o sol, que parou pra olhar
Com seu jeitinho tão faceira
Fez o povo inteiro cantar

Roda pela vida afora
E põe pra fora esta alegria
Dança que amanhece o dia prá se cantar
Gira, que essa gente aflita
Se agita e segue no seu passo
Mostra toda essa poesia do olhar

Deixando versos na partida
E só cantigas pra se cantar
Naquela tarde de domingo
Fez o povo inteiro chorar

E fez o povo inteiro chorar.

* Interessante ainda é que essa música tem dezenas de gravações no Brasil e em outras línguas, como na voz de Stevie Wonder.

* O vídeo constante desta postagem foi gravado em 1979 em festival musical em Lisboa-Portugal.

Categoria(s): Letra e Música
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 04/12/2016 - 12:20h

A lama do fundo do poço


Por Carlos Duarte

Em entrevista a uma emissora de rádio local, o diretor do Samu de Mossoró, Gilliano Carlos, denuncia que o Governo do Estado não repassa para Mossoró os recursos necessários para a manutenção do serviço. Segundo Gilliano, os repasses de verbas federais não são suficientes para cobrirem as despesas operacionais do Samu.

Tudo isso sobrecarrega a Prefeitura de Mossoró – que completa o déficit com recursos que poderiam estar beneficiando a população mossoroense em outras áreas. Ou seja, a PMM cobre um santo para descobrir outro.

Essa prática se repete em outros segmentos da administração pública local, como, por exemplo, na Segurança Pública.

Então, por que o prefeito Francisco José Júnior (PSD), que era aliado de primeira hora do governador Robinson Faria, não usou de sua influencia para minimizar esse e outros problemas igualmente importantes para a população?

Por que ele nunca veio a público, com contundência, denunciar e cobrar o seu governador aliado? Quando sua relação política com o governador ficou esgarçada, começou a resmungar e a lamentar comedidamente a situação.

Mas, seja por qual motivo dessa conivência e conveniência, o que fica claro é que, na política, o que importa são os interesses particulares de cada governante ou parlamentar, em detrimento do bem-estar da sociedade.

O objetivo principal é a própria sobrevivência de cada um deles e seus projetos de permanência no poder.

Isso nos remete às breves associações comparativas.

Com eleições a cada dois anos, não sobra tempo para que se dediquem à administração pública ou para projetos sustentáveis que visem o desenvolvimento. Na prática, promovem o escambo de cargos e favorecimentos mútuos, que corroem as contas públicas de modo progressivo.

Prevalecem a egolatria e as ostentações pessoais. O modus operandi é o mesmo de sempre, em todos os níveis de poderes.

A Câmara Municipal, que deveria fiscalizar, defender bravamente a população e denunciar tais fatos, a outras instâncias competentes, também envolvida com os mesmos interesses pessoais, prefere ficar silente, conivente e subserviente. Quando muito, a minoria aproveita o espaço midiático para esbravejar sobre alguns pontos que lhes são convenientes.

Ministério Público e Justiça esperam, em seus confortáveis gabinetes, as provocações e, às vezes, com a letargia peculiar de sempre, apresentam alguns espasmos de providências. Aqui e ali, parecem estar vivos e atentos.

A sociedade, por sua vez, desorganizada e despolitizada, acha que alguém precisa agir para defendê-la e a seus verdadeiros interesses. Não sabe a força que tem. Por isso, não é estranho testemunharmos sob nossos pés a lama do fundo do poço.

SECOS E MOLHADOS

Reforma – O presidente Michel Temer (PMDB) quer mandar para o Congresso, até terça-feira (06), a reforma da Previdência Social. A ideia é que a discussão tome conta dos noticiários e consiga abafar alguns efeitos negativos da bombástica delação premiada dos executivos da Odebrecht. Quer aprovar até junho de 2017. O conteúdo da proposta é o que menos importa, neste momento.

Pelo mundoA cada dois dias, um deputado federal decola para o exterior com todas as despesas pagas pelo contribuinte brasileiro. É o que diz um levantamento feito pela Folha de São Paulo, a partir de dados oficiais da própria Câmara de Deputados. As justificativas para as “missões oficiais” aos 69 países visitados são as mais variadas possíveis. A rota preferida por “Vossas Excelências” são: Suíça, França e Estados Unidos. Será que a PEC 241/55 vai também conter esses gastos?

Autofagia – São graves as acusações que o procurador da Câmara Municipal de Mossoró, Kennedy Salvador (veja AQUI), faz aos vereadores. Trata-os, de modo generalizado, como “corja, urubus do dinheiro publico, incompetentes, caras-de-pau, corruptos, gentalhas, sem formação profissional ou moral…”, entre outros despautérios. O confronto está lançado de ambas as partes e a autofagia parece inevitável. Cabem às autoridades competentes apurarem as verdades dos fatos e darem esclarecimentos aos cidadãos mossoroenses. De modo rápido e sem a letargia da Operação Sal Grosso.

Adiamento - O Dnit adiou, mais uma vez, o término da obra de 26 km de duplicação da BR 304, no trecho da reta Tabajara. Agora, talvez, seja ao final de 2018. Ainda não é garantido que o governador Robinson Faria (PSD) sequer consiga inaugurá-la. A perspectiva de vermos a duplicação do trecho Mossoró-Natal supera os vinte anos. É o RN entregue à própria sorte.

* Veja AQUI a coluna anterior.

Carlos Duarte é economista, consultor Ambiental e de Negócios, além de ex-editor e diretor do jornal Página Certa

Categoria(s): Artigo
domingo - 04/12/2016 - 11:36h
Cultura

Morre no Rio de Janeiro o poeta Ferreira Gullar


O poeta, escritor e teatrólogo maranhense Ferreira Gullar morreu neste domingo (4) no Rio, aos 86 anos. Gullar é um dos maiores autores brasileiros do século XX e foi eleito “imortal” da Academia Brasileira de Letras (ABL) em 2014, ocupando a cadeira nº 37.

Segundo o jornal “O Globo”, o escritor estava internado no Hospital Copa D’Or, na Zona Sul do Rio, por complicações pulmonares. A partir de um quadro de pneumotórax, Gullar desenvolveu uma pneumonia.

Em nota enviada ao G1, a direção do Copa D’Or confirma a morte de Gullar, mas não comenta tempo de internação ou causa da morte a pedido da família do escritor.

Ainda não há informações sobre velório e enterro.

Saiba mais detalhes AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Cultura
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 04/12/2016 - 11:14h

Espectros da noite – universos e sombras


Por Marcos Pinto

Qual o tamanho da noite? A noite tem o tamanho do tamanho que a noite tem. Nenhuma noite é maior que aquela quando o homem está só” (Lude Mendes)

Quando  Deus  criou  o  mundo,  enfeitou  magnificamente   a  noite  com o  brilho  mágico  da  lua e  a luz  especial  das  estrelas,  imprimindo-lhes  um  encantamento  voluptuoso  aos  olhos  das  almas  ardentes.  Inspira  poesia  em  demasia  aos  poetas  notívagos.

A  esses,  não importa  o  tamanho  da  lua  nem  a  quantidade  das  estrelas.  Nossos  boêmios  noturnos  sempre  deixam  impressões  de  fidalgos empobrecidos  e  orgulhosos, verdadeiros  ”poços  de orgulhos”, altivamente  desocupados, desafiadoramente  ociosos   –  espécimes  de  rasgos de  ócio.

Cínicos  para  sobreviver  a  má  sorte, são  donos  de  humor  satírico, a   princípio   ingênuo  e  depois  perverso  até  onde vai  a pilhéria.

Patéticos  e  estoicos  nas  suas  pobrezas  duramente  escondidas.  Mais  pose  do  que  capacidade  intelectiva.  Irrequietos  folgazões com horizontes  limitados,  acumulando  contratempos, dificuldades  cruentas  e  até  desfechos  em  crimes  passionais.  Ocultam  suas  dores em pileques  etílicos   homéricos.

O  alcoolismo  tem  o  poder  de  nos  transportar  ao  mundo  das  evocações  silenciosas,  restritas  ao  ego, de coisas  vividas  ou  simplesmente imaginadas. O seu  manto  apresenta-se  sob  vários  matizes. Escura   e  silenciosa,  a  noite  acumplicia-se ao  universo  dos  espectros malignos  e  imaginosos, projetando  sombras  maquiavélicas   cheias  de  inventivas  mortais.

Os  espectros  do mal  aproveitam-se  do  crepe para  concretizarem  o  golpe  fatal,  forjado  na  virulência  letal  e  exterminante.  Os  mistérios sombrios  da noite  emolduram-se  de  forma magistral  ao  silêncio  e  a  escuridão, como  marcas inconfundíveis.

Emite imagens  fantasiosas  nas  mentes das  crianças, surgindo  em forma  de  lobisomens,  mulas-sem-cabeças, papa-figos, tipos  tradicionais das  ruas  e  das  estradas.  Essas  figuras  lendárias da  noite  tem surtos  de  aparição  em “suas  horas”,  essas  ”horas”  que  elas  próprias escamoteiam,  burlando  armadilhas  em forma  de  emboscadas.

Ao  despontar  do  dia, servem  de  elementos  fomentadores  aos  cochichos dos  madrugadores  desocupados, criadores  de  estórias envolventes de  honras  alheias,  em conclusões  precipitadas. Nas  guerras, os  universos  de  estratégias bélicas são formatadas  no  silêncio  da  noite.

Esta, por  sua  vez,  tem  sido  diuturna escola  tanto  para  homens  rudes,  educados  na  valentia, como para  homens  de  singelos  hábitos e  de imperturbáveis  serenidades, o  que lhes  proporciona  estoicismo  ante  as  adversidades.

Noites  que retratam  sem  retoques  homens  e  fatos  em  suas   exatas  configurações. Na  juventude,  a  noite  é  um  romance, desejo  incontido de  que  as noites  de  amor  durem  a  noite  toda.

Na  velhice,  é  um recordar  incessante, com  a  ansiedade  premente  de  um  rápido amanhecer.   Durante  a  noite  dos  idosos a  vida  pesa indubitavelmente monótona,  e  ás  vezes  cheia  de  agonias.

Todos  nós  temos  nossas horas  de angústias  e  aflições  caladas  e  reprimidas  na  solidão  da noite.  Revela-se  atroz  no  ermo  de  nossas almas  feridas,  sem  perspectiva senão a  de  ver  o  último  sol  se  por.  Equilibramo-nos  de acordo com as  circunstâncias  entre  tendências em conflito  e  a  permanente insatisfação  com  o  modo  de  vida. Não  há  como  deixar  de   escapar um  traço  de  recalque  e  de  rancor.

A   noite  engendra  conspirações com  requintes  de   pormenores,  que  até  a  lucidez  mais  moderada se  deixa  eclipsar.  Satura  a  alma  de ilusões  e  desencantos, testemunhando  ao  longo da  vida  o  triunfo  quase  sempre  da  utopia  deprimente.

Revelam  uma  multiplicidade  de portas  e  partos prematuros  de  sonhos  irrealizáveis. Espreita  com  precisão  cirúrgica  a  distância  das recordações, promovendo presenças, mapeando estratégias, catalogando tristezas, revelando instigantes e voluptuosos desejos.

Inté.

Marcos Pinto é escritor e advogado

Categoria(s): Crônica
domingo - 04/12/2016 - 10:30h

Só Rindo (Folclore Político)


Conversa com Huberto Bruening

Espigado, voz tonitruante, sempre metido em sua impecável batina e extremado em suas crenças, o Cura da Catedral de Santa Luzia em Mossoró, monsenhor Hubert Bruening, mantém o hábito de zanzar pela cidade e aqui e acolá arranchar à calçada de amigos para uma boa prosa.

Um desses endereços fica nos arrabaldes da Capela de São Vicente, onde mora o médico e ex-deputado estadual caraubense Maltez Fernandes e sua família.

Já acomodado em sua cadeira de estimação à boquinha da noite, Maltez convida o longilíneo amigo de quase dois metros de altura para se acomodar também.

- Sente-se, padre Huberto!

Ele, estacado, friccionando as mãos empalmadas à altura do próprio tórax, não se mobiliza a ‘descer’ à cadeira já pronta à sua disposição.

- Não, obrigado. Estou bem aqui! – responde o religioso.

Assim mesmo, os dois entabulam as primeiras conversas a essa distância. Mas o pequeno anfitrião de pouco menos de 1,60 metro resolve insistir na fidalguia: “Sente-se!”

- Maltez, eu estou bem, já disse – continuou Huberto.

Aí Maltez Fernandes consegue demovê-lo da teimosia com uma boa justificativa, já cansado de repuxar o pescoço para cima:

- Eu sei disso. Quem não está bem sou eu.

Categoria(s): Folclore Político
  • Repet
domingo - 04/12/2016 - 09:47h

Tá ruço!


Por François Silvestre

Havia um tabelião cá dessas bandas, metido a culto, porque lia aquela revista americana, Seleções do Reader’s Digest, que odiava a palavra comunismo.  Benzia-se quando pronunciava a palavra maldita.

De certa feita, do bar onde bebia, ele ouviu um cigano anunciar a venda de um burrinho. “Veja e pegue, ganjão! Esse jovem e fornido burro, elegante e ruço, braiador e galopante, pela metade do que vale”.

Lá do bar, o “culto” Aluir, cujo nome  dizia significar “aquele que alevanta”, fez graça com o cigano: “Num pode prestar um animal que veio da terra do comunismo, cruz credo!”.

Zé Garcia, o chefe de grupo cigano, estava vendendo o burrinho. Ouviu a besteira do tabelião e resolveu dar o troco. Coisa que ele fazia com sutil esperteza.

“O que disse, ganjão”? Ao ouvir a pergunta, o “doutô” Aluir veio para a calçada e confirmou. “Disse que esse burro veio da terra do comunismo. Você assim falou”.

Zé Garcia não tinha instrução acadêmica, mas era bem instruído nos conhecimentos que angariara dos cordéis e dos violeiros.

E essa é uma universidade dos sertões. Sem profundidade especializada, mas bem abastecida de informações gerais. “Ganjão, eu só disse que o burrinho era ruço e braiador”. Armou a cilada. Aluir completou de peito ancho: “Isso mesmo. Você é de poucas letras, mas eu não. Intendeu”?

O cigano fulminou: “Tá certo, ganjão. Sou mesmo de poucas letras, só quatro delas no ruço do burrinho. No do senhor tem cinco”.

Provocado por Godofredo Lucas, meu colega do Diocesano de Caicó, de quem guardo lembranças e saudade, o texto vai ao Sertão de sabedorias e feiras.

Tá ruço, Godô. Sabedoria por aqui bateu retirada. A desculturação, influências alienígenas das “metrópoles”, burrada cultural, violência, negócios escusos, tudo tem enterrado a sabedoria dos grotões.

Ciganos, não mais. Feiras, extintas. Burros e jegues abandonados nas beiras das estradas. Ninguém os quer, nem de graça.

A cigana Honorina desgrudou-se do grupo e foi ficando por aqui, nunca mais partiu. Dava plantão na feira de Umarizal. Certa vez encontrou Joaquim de Alencar, escorado num balcão da loja de tecidos. Filho de Quinquim dos Cajuais e neto de Bizinha Suassuna, Joaquim era um desses dos quais você fala.

Honorina aproximou-se e propôs. “Ganjão, deixe eu fechar seu corpo; só cinco minréis”. Joaquim retrucou: “Só pago se ficar fechado mesmo”. Honorina: “Eu garanto, se num fechar num paga”.

A cigana pegou-lhe a mão e começou a leitura. Após dizer do passado e do futuro, fez a benzedura do fechamento. Pediu pra Deus o proteger de maus vizinhos.

Fechou a mão do consulente e completou: “Pronto ganjão. Tá fechado o seu corpo”.

Joaquim foi enfiando a mão no bolso “para pagar”, quando soltou um estrondoso peido. “Eita cigana véia! Ficou um buraco aberto. Num pago não”.

Té mais.

* Texto originalmente publicado no Novo Jornal.

François Silvestre é escritor

Categoria(s): Crônica
sábado - 03/12/2016 - 23:58h

Pensando bem…


“Se nos julgamos melhores que os outros, por que esperamos deles melhores atitudes que as nossas?”

Chico Xavier

Categoria(s): Pensando bem...
sábado - 03/12/2016 - 22:45h
"Economia"

O prato do dia na “casa de recurso”


A coisa não está fácil mesmo na economia.

Uma “casa de recurso” mossoroense agora oferece “almoço executivo” como serviço diferenciado, diariamente, para atrair clientela.

Ou seja, além dos novos pratos, a especialidade do estabelecimento está mantida e estimulada.

Cuidado com a congestão, pessoal.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Só Pra Contrariar
sábado - 03/12/2016 - 21:44h
Édson Barbosa

Novo prefeito de Baraúna tentará priorizar salários


Édson: nova passagem (Foto: arquivo)

O vice-prefeito de Baraúna, Édson Barbosa (PV), que assumiu interinamente a titularidade da municipalidade nessa sexta-feira (2), deverá reformular secretariado para fechar mês e gestão até 31 de dezembro.

Ele retornou ao cargo de prefeito, em face do afastamento pela Justiça da prefeita Luciana Oliveira (PMDB), devido atos de corrupção – veja AQUI.

Ano passado (31 de dezembro), Barbosa já assumira a Prefeitura de Baraúna com licenciamento por supostos problemas de Saúde da prefeita Luciana, tomando decisões importantes. Sua presença de pouco mais de 30 dias oportunizou o cumprimento de várias obrigações, como pagamento salarial de servidores e cobertura de débitos com fornecedores.

A prioridade é pagar salários e fazer serviços básicos funcionarem. O cenário administrativo é de caos.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sábado - 03/12/2016 - 21:02h
Mossoró

Câmara vai escolher o “Vereador do Ano de 2016″


A Câmara Municipal de Mossoró realizará a votação para escolha do Vereador do Ano 2016, segunda-feira (5), às 10h, na Sala de Imprensa Jornalista Kléber Barros. O parlamentar eleito vai receber o Prêmio Vereadora Niná de Macedo Rebouças.

O troféu será entregue na sessão solene em homenagem à Santa Luzia, sexta-feira (9), às 10h, na Sala de Sessões Vereador João Niceras de Morais.

O eleito é escolhido por comissão composta por 11 membros, dos quais são quatro representantes de meios de comunicação, quatro representantes de entidades da sociedade civil organizada e três servidores de carreira da Câmara Municipal.

Nota do Blog – O momento é extremamente delicado na Casa.

O “Vereador do Ano” será quase um “sobrevivente do ano” (veja AQUI o escândalo da hora).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sábado - 03/12/2016 - 20:26h
Getúlio Batista

PTB do RN ganha assento no Diretório Nacional


O presidente do diretório estadual do PTB, Getúlio Batista, assumiu em Brasília uma cadeira na Executiva Nacional do partido.

Essa é a segunda vez na história do partido que um representante potiguar assume a vaga.

Getúlio agradeceu a oportunidade de lutar pelo partido também em nível nacional.

Ele lembrou que o partido existe no RN há 34 anos e que nesse período apenas Fernando Bezerra, na condição de senador, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), líder do governo e ainda ministro, assumiu a função.

A formalização da posse foi na quinta-feira (1º).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sábado - 03/12/2016 - 19:46h
Mossoró

Procurador da Câmara trata vereadores por “corja” e “corruptos”

Kennedy Salvador acusa os parlamentares mossoroenses de várias irregularidades e promove desafios

O procurador da Câmara Municipal de Mossoró, advogado Kennedy Salvador, pronunciou-se em redes sociais quanto à Nota de Esclarecimento emitia por 17 vereadores (veja AQUI), em relação à decisão do presidente da Casa, Jório Nogueira (PSD), de exonerar 143 cargos comissionados, sendo 126 dos gabinetes de todos os vereadores.

Em seu pronunciamento, Salvador faz sérias acusações aos vereadores, tratando-os como “pessoas sem qualificação”. Chega a afirmar que a maioria tem seus nomes “sujos” na praça e usam seus assessores para fazerem empréstimos consignados.

Kennedy: trata os vereadores locais como bandidos (Foto

Também garante que muitos dos assessores exonerados dividiam seus ganhos com os vereadores “ou qualquer pessoa indicada pelos vereadores”.

Vai mais além: “(…) a maioria sequer sabe onde é a Câmara Municipal; os seus contra-cheques são controlados pelos Chefes de Gabinetes; que na maioria dos casos retém os cartões das contas dos assessores e só lhes repassam um “trocado”, no final do mês, o conhecido ‘cala a boca!’, você não trabalha mesmo!”

Para Kennedy Salvador, os vereadores são na verdade uma “corja”, além de suplementar sua definição com uma catilinária ainda mais pesada: “São uns incompetentes; corruptos; urubus do dinheiro público; mal acostumados com o ciclo de sacanagem que sempre vigeu na Câmara Municipal de Mossoró, e por revolta porque tal ciclo nojento e vicioso foi quebrado; sem argumentos e usando de artifícios próprios de “gentalhas” sem formação profissional ou moral, atingir a vida individual das pessoas.”

Veja a “Nota de Esclarecimento” de Kennedy Salvador abaixo, na íntegra, sem qualquer tipo de edição, revisão, corte etc.:

A correria do dia só me permitiu ver a nota dos Vereadores de Mossoró hoje sobre as exonerações dos Cargos Comissionados da Câmara Municipal, e, ao lê-la, fiquei surpreso com o a cara-de-pau deles, e uma situação me ocorreu: Me deram a oportunidade de vir a público me manifestar sobre a mesma, uma vez que fui citado; me obrigaram a fazer o que já tinha prometido a mim mesmo que não mais faria: perder meu tempo “batendo boca” em redes sociais, principalmente com pessoas sem qualificação para tanto.E esta oportunidade A mim concedida me induz a fazer alguns questionamentos;

01 – Quem são os 126 HOMENS E MULHERES, TRABALHADORES, QUE SE ESFORÇAM PARA SERVIR A MOSSORÓ, citados na Nota de Repúdio?;

02 – Qual o respaldo Moral que os subscritores da Nota tem pra repudiar alguma coisa?;

03 – Quem dos subscritores da Nota tomaria medida diferente diante da real situação orçamentária da Câmara Municipal?;

Antes de responder as indagações acima quero deixar claro o seguinte: respeito qualquer questionamento em relação ao cargo do qual fui imbuído em janeiro de 2015, porém em relação a minha vida pessoal e profissional, qualquer tentativa de vincular ao cargo será devidamente apurada, e, acionados os responsáveis civil e criminalmente por seus atos, bem como dizer que a minha presença diária na Câmara, cumprindo o expediente diário das 07:00 – 13:00 horas durante todo este período, e, na maioria das vezes além disso, não foram de forma gratuita ou por mero altruísmo, mas sim para fazer valer o que recebia com dinheiro público, além de traçar ( a nível pessoal) o perfil dos integrantes daquela Casa, o que me foi de grande valia; me respaldou a falar/afirmar e provar documentalmente as minhas respostas aos questionamentos acima.

Estranhamente os Vereadores somente foram solidários aos seus Assessores, e por que não com todos os servidores exonerados? Ou os outros servidores exonerados não são trabalhadores e não tem famílias? Sabe por quê?

Porque os outros exonerados não fazem empréstimos consignados em seus nomes e passam o dinheiro para os Vereadores, que na maioria deles tem seus nomes “sujos” na praça e usam seus assessores para tanto; Porque os outros exonerados não dividem seus rendimentos com os Vereadores ou com outra pessoa qualquer indicada pelo Vereador;

E vocês sabem por que os assessores não “batem ponto”? Porque simplesmente a maioria sequer sabe onde é a Câmara Municipal; Os seus contra-cheques são controlados pelos Chefes de Gabinetes; que na maioria dos casos retém os cartões das contas dos assessores e só lhes repassam um “trocado”, no final do mês, o conhecido “cala a boca!”, você não trabalha mesmo!

São estes senhores Vereadores os “126 HOMENS E MULHERES, TRABALHADORES, QUE SE ESFORÇAM PARA SERVIR A MOSSORÓ” ou para servir aos senhores?

Antes da exoneração foi esclarecido aos Ilustres Vereadores que o repasse de despesas para a gestão seguinte sem disponibilidade orçamentária contrariava a Legislação pertinente, e que para tanto, caso resolvessem adotar tal medida para garantir o emprego de “TAIS TRABALHADORES” a decisão fosse tomada por ATO DA MESA DIRETORA e chancelada por todos os Vereadores, inclusive publicado na mídia local.

Algum Vereador assinou? Não! E sabe por quê? Porque esta “corja”, é isto que são, só se preocupam consigo mesmos, ou seja, quem não garantiu o salário do mês de Dezembro aos seus “TRABALHADORES FANTASMAS” foram os próprios Vereadores que subscrevera a Nota de Repúdio.

E graças a Deus que vocês não assinaram, perderam a oportunidade de garantir suas vantagens fraudulentas, sem qualquer responsabilização fiscal, uma vez que a pratica do ato somente incriminaria o Gestor da Casa e solidariamente os Membros da Mesa Diretora, mas são tão incompetentes e mal assessorados que nem sabiam que em nada se responsabilizariam.

São uns incompetentes; corruptos; urubus do dinheiro público; mal acostumados com o ciclo de sacanagem que sempre vigeu na Câmara Municipal de Mossoró, e por revolta porque tal ciclo nojento e vicioso foi quebrado; sem argumentos e usando de artifícios próprios de “gentalhas” sem formação profissional ou moral, atingir a vida individual das pessoas.

Desafio qualquer desses subscritores da referida “Nota de Repudio”, ou quem quer que seja a apresentar alguma irregularidade cometida por este subscritor objetivando proveito próprio, utilizando-se do cargo ocupado, como disseram. E, se quiserem me desafiar para fazer o mesmo em relação aos “senhores” façam o mesmo.

Quero deixar claro que as afirmações acima, referem-se, unicamente aos Cargos dos referenciados, nada contra a pessoa de quem quer que seja, trata-se somente de uma resposta à forma maliciosa como se utilizaram na referida nota tentando atingir a imagem de pessoas que relação nenhuma tem com as questões administrativas.

Coloco-me à disposição desde já para os questionamentos que entendam necessários civil e criminalmente, obviamente respeitando os meios legais a que todos temos acesso.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
sábado - 03/12/2016 - 10:26h
"Loba"

Ex-candidata a vereador é executada com vários tiros


Blogs O Câmera, Fim da Linha e Blog Carlos Santos

Mais uma morte violenta foi registrada em Mossoró. Na manhã de hoje (03 de dezembro de 2016), a comerciante Claudete Benício de Souza, “Loba”, 52, moradora do bairro Paredões, foi morta a tiros de pistola quando chegava para trabalhar na Central de Abastecimento (conhecida como  Cobal).

Loba foi candidata a vereador pelo PMDB (Foto: TRE/Reprodução)

Loba – ex-candidata a vereador – foi atingida com cerca de nove disparos de pistola, mas no local a pericia criminal encontrou cartuchos vazios de escopeta calibre 12.

Segundo informações, “Loba” – que tinha uma barraca de venda de frutas e verduras na Cobal – chegava para abrir seu comércio, por volta de 5 horas, quando foi surpreendida por dois elementos num Sandero prata, que após o crime fugiram em direção ao Alto de São Manoel pela Avenida Leste Oeste. Foi tomado de assalto nesta sexta feira (2) em Mossoró.

A vítima ainda correu tentando escapar da morte, mas foi baleada e caiu a cerca de 50 metros de onde estacionou seu carro. De acordo com a perícia criminal foram disparados mais de 20 tiros de escopeta calibre 12 e pistola 380.

Foram recolhidas 11 cápsulas de pistola calibre 380 e oito cartuchos de escopeta 12, que ficaram espalhados pelo chão. Vários carros que estavam estacionados foram atingidos pelos disparos.

Ela foi morta na Rua Marechal Floriano, a poucos metros do trabalho. Maioria dos tiros a atingiram na cabeça.

Populares informaram que a vítima tinha algumas inimizades, mas pode ter sido morta por problemas relacionados a um sobrinho seu.

Testemunhas relataram para a Polícia, que possivelmente um dos atiradores saiu baleado. Algum popular, armado, que testemunhava o caso, teria respondido ao ataque à Loba. Havia muitas marcas de sangue pelo asfalto. A Polícia ainda não sabe a motivação do crime, mas há versão de que os possíveis autores teriam sido identificados.

Comerciante correu dos algozes mas não conseguiu fugir do fogo cerrado (Foto: Fim da Linha)

O corpo de Claudete Benício foi recolhido pela equipe do ITEP e encaminhado ao órgão para ser necropsiado e depois liberado para sepultamento. Este foi o primeiro homicídio do mês de dezembro e o 209º do ano de 2016.

Loba, que foi candidata a vereador por Mossoró em 2012 pelo PMDB, mantinha uma lanchonete em casa no bairro Paredões e uma barraca na Cobal. Como candidata, apresentava-se como “Loba da Cobal”.

P.S - (18h de 03 de Dezembro de 2016) – Supostos autores de assassinato são presos por polícia (veja AQUI).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.