domingo - 30/09/2018 - 23:58h

Pensando bem…


“Só se fala para melhorar o silêncio.”

Baltasar Gracián y Morales

Categoria(s): Pensando bem...
domingo - 30/09/2018 - 10:12h
Música

Morre Ângela Maria, a Rainha do Rádio


Ângela Maria começou trajetória muito jovem cantando em programas de rádio (Foto: Divulgação / Murilo Alvesso)

A cantora Angela Maria, uma das rainhas do rádio, morreu aos 89 anos no fim da noite deste sábado (29), no Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. Após 34 dias de internação, ela não resistiu a uma infecção generalizada.

A cantora será velada e sepultada neste domingo (30) no Cemitério Congonhas, na zona sul da capital paulista.

Saiba mais clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Cultura
  • Repet
domingo - 30/09/2018 - 09:35h
Em Mossoró

“EleNão” alarga protesto e promove o “Fora, Robinson!”


O movimento contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), que se espalhou em várias partes do pais com o lema #EleNão, também ocorreu em Mossoró, com boa participação popular.

O diferencial em relação a similares pelo país, é que a mobilização no centro da cidade nesse sábado (29) ‘cruzou’ com caminhada e corpo a corpo do governador Robinson Faria (PSD), seu vice Tião Couto (PR), além de outros candidatos como o deputado federal Fábio Faria (PSD).

Apesar de hostilidades verbais contra os candidatos, não houve maiores incidentes.

O #EleNão acabou abrangendo também o governador que é candidato à reeleição, com o coro de “fora, Robinson!”

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 30/09/2018 - 08:28h

Entrar na selva da política sem conhecer as feras


Por Francisco Ferraz

A política é onipresente nas relações sociais. Você não se livra dela na sua vida pessoal, profissional e social. Na “selva da política” há todos os tipos de “animais”. Há leões e raposas, como há serpentes, hienas e abutres. Há também uma farta coleção de cordeiros. Com estes últimos, você não precisa se preocupar muito, mas com os primeiros toda a atenção é pouca.Não é tarefa fácil sobreviver nesta selva. Também não é nada fácil impor seu poder e sua vontade, em meio a tantos riscos e desafios. Sua primeira missão é, pois, conhecer a selva e os seus habitantes.

Todo o erro de avaliação neste meio tem um custo pesado. Se você tratar um leão como raposa vai se dar mal, se você demorar em reconhecer uma serpente, vai descobri-la pela mordida.

O que torna a vida nesta selva ainda mais complicada, é o fato de que você, não pode desconhecer esta realidade, mas também não pode defender-se dela, adotando uma atitude de crônica insegurança e desconfiança. Esta atitude induz a timidez, à hesitação permanente e, em última análise, à sua irrelevância política.

Não há saída. Você precisa conhecer a selva e tornar-se um mestre na arte de avaliar as “feras” que nela habitam.

O político com uma aguda capacidade de observação e um julgamento maduro e equilibrado decifra intenções, antecipa-se a surpresas, surpreende manobras, conhece os pontos fortes e fracos, e sabe os limites das pessoas com quem lida.

Como diz Baltasar Gracián: “Ele não é precipitado nem para amar, nem para crer”. A precipitação no julgamento é um sinal de fraqueza e imprudência que conduz a situações embaraçosas e a desfechos litigiosos.

Alguns habitantes da floresta

O pessimista Há pessoas que são, por natureza, melancólicos e pessimistas. Estão sempre prevendo desgraças e problemas, sob as aparências da prudência e da previdência. Não esqueça nunca, você precisa saber distinguir o pessimista do prudente. O pessimista é a caricatura do prudente.

O arrogante É hipersensível e hiper orgulhoso. São pessoas muito perigosas para ter a seu lado. Na realidade só se comprometem consigo mesmos. Sua lealdade cobra o alto preço das permanentes manifestações de apreço, prestígio e deferência. Apontar um erro, submetê-lo a uma admoestação, fazer-lhe uma crítica, costuma ser percebido por ele como um crime de lesa-honra, a exigir vingança como compensação. Afaste-se deste tipo de pessoa.

O desconfiado Este é outro tipo de pessoa, que esconde a sua insegurança crônica, sob as aparências da prudência. Para ele, ninguém é confiável. Sua capacidade de observação e julgamento está sempre comprometida, pela sua obsessão. A vítima pode variar. Pode ser ele a pessoa a quem os “outros” querem prejudicar, ou pode ser você. O alvo da desconfiança, porém, também pode variar: podem ser outros, mas também pode ser você…

O passional É, de certa forma, o oposto do pessimista. Tende a ser monotemático, obsessivo e muito propenso a fantasiar. Apaixona-se por uma ideia ou projeto e somente enxerga aquilo que reforça sua convicção. Sua relação com o real está profundamente comprometida por sua paixão.

selva da politicaA serpente ofendida Este tipo é um dos mais perigosos de manter junto a si. Você nunca sabe quando ele se ofende ou se decepciona. Ele guarda a mágoa escondida de todos e a cultiva no seu interior. Aparentemente tudo parece estar bem com ele. Mas é calculista, frio, e sabe esperar. Na hora certa, quando você menos espera, ele dá o “bote” e se vinga da “ofensa” sofrida, sem ter dado a você a oportunidade de repará-la. É também um dos tipos mais difíceis de identificar. Como toda serpente, já terá mordido alguém no passado.

O formalista leal Este é um tipo interessante. Ele é um “Catão”, sempre atento aos deslizes dos outros – inclusive os que você comete – rígido no aspecto moral e jurídico, obsessivamente apegado à legislação positiva, com uma verdadeira devoção aos princípios da hierarquia e da ordem. Ele é um “xerife, um “zagueiro” e tende a ser encarado pelos outros como um “chato”, um “empatador”, uma pessoa que só vê dificuldades, ilegalidades e riscos nos projetos e planos deles. Por este último aspecto, ele tende a ser uma pessoa extremamente leal a seu chefe, assumindo a condição de seu protetor. Embora formalista, ele deve possuir alguma maleabilidade que lhe permita moderar sua postura intransigente, para combinar a necessária proteção com a igualmente necessária capacidade de correr riscos.

O inseguro Este é um tipo que vê perigo por todos os lados, que hesita em decidir e agir para não correr riscos. O inseguro é sempre uma pessoa indecisa. É um tipo fronteiriço com o desconfiado e o pessimista, usando os argumentos de um e de outro, para revestir a sua insegurança nas aparências da prudência. Não o designe para funções que exijam agilidade administrativa, capacidade de ação, iniciativa e criatividade. Pode ser um assessor útil, uma vez que sua insegurança exige que ele seja preciso e minucioso no trabalho que desenvolve. Esta não é, contudo, uma qualidade profissional. É um defeito pessoal que pode, numa função de aconselhamento, tornar-se uma virtude.

O otimista incurável Muito próximo do passional, dele difere por não ser monotemático. Encara tudo na perspectiva positiva, sempre vê o “lado bom das coisas”, acredita que tudo é possível. Cuidado com a capacidade de envolvimento que ele possui. Ele administra em doses generosas um “veneno doce”. Muitos governantes têm “um fraco” por este tipo. Afinal no governo muitas são as notícias ruins e uma boa dose de otimismo é pois, sempre bem-vinda. O otimista incurável é um guia para a ilusão, para a fantasia, para o mundo dos desejos. Haverá ocasiões em que ele tem razão em ser otimista, mas será por um acaso e não o resultado de uma análise objetiva.

Francisco Ferraz é professor de Ciência Política na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Categoria(s): Artigo
  • Repet
domingo - 30/09/2018 - 07:52h

Direito à liberdade


Por Odemirton Filho

Em 1883, segundo conta a história, a cidade de Mossoró promoveu a abolição de seus escravos, cinco anos antes da decantada Lei Áurea que estendeu a liberdade a todos os escravos do país.

O fato histórico é celebrado todo dia 30 de setembro, sendo o principal feriado municipal da terra de Santa Luzia.

Segundo o historiador potiguar Luis da Câmara Cascudo “a escravidão não era no Rio Grande do Norte uma determinante econômica indispensável ao equilíbrio da província”. “A ideia da abolição era assim, um saldo da dívida secular do trabalho infinito do escravo, porque na África o negro não tivera liberdade”.

Passando ao largo da história, sem adentrar na veracidade e importância do fato, o direito à liberdade precisa ser cultivado em todas as suas expressões.

No dizer de José Renato Nalini (2004):

“A liberdade moral não se confunde com a liberdade jurídica. Esta faculdade puramente normativa. A liberdade jurídica é mais um âmbito espacial de atividade exterior, que a lei limita e protege. Já a liberdade moral é atributo real da vontade. A jurídica termina onde o dever principia; a moral é pensada como um poder capaz de traspassar o linde do permitido”.

A lei moral é a autolegislação da razão prática, dizia Kant. Se o homem se submete às leis que de sua razão promanam, evidente sua liberdade.

A nossa Constituição Federal consagrou inúmeras liberdades fundamentais que devem ser constantemente defendidas, constantes do artigo 5º.

Essas liberdades fundamentais são, sem dúvida, o alicerce maior de um Estado Democrático de Direito. Nelas se assentam os outros direitos de igual relevância.

Conforme Dirley da Cunha Júnior “o direito à liberdade consiste na prerrogativa fundamental que investe o ser humano de um poder de autodeterminação ou de determinar-se conforme a sua própria consciência”.

Impende, todavia, acrescentar que nenhum direito é absoluto. Há limites. As redes sociais se transformaram em um palco de ofensas. Não se confrontam ideias.  Agridem-se   pessoas.

Porém, interessa-nos, no momento, discorrer sobre a liberdade para escolher os nossos representantes.

Faltando uma semana para as eleições gerais deste ano é bom ressaltar a importância e a liberdade do voto.

O voto de cabresto, em tempos idos, já não se coaduna com o Estado Democrático de Direito que estamos a construir.

O exercício do sufrágio, através do voto, é garantia inarredável.

A Carta Maior preceitua:

“Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos” (…).

Assim, temos que o voto tem o mesmo valor. Por conseguinte, a todos, indistintamente, cabe o destino do país.

A tradição político-eleitoral brasileira está assentada em premissas que escapam de uma atitude livre e democrática.

Desde sempre o voto foi conduzido para satisfazer a vontade dos donos do poder.

A sociedade sempre se deixou seduzir pelos encantos do populismo e da retórica.    A necessidade premente, imposta pelo sistema político, se sobrepõe a um futuro que pode lhe reservar um pouco mais de dignidade.

Pensa-se no hoje, perde-se o amanhã.

Os grupos políticos que há muito dominam o cenário das eleições, mais uma vez, estão a disputar a preferência do eleitor.

Como detentor da soberania o eleitor poderá escolher o caminho a seguir.

Se está satisfeito com a forma que as coisas estão sendo conduzidas no país e, particularmente, no estado, deve reeleger os de sempre.

Ao contrário, se achar que o quadro político precisa ser renovado, deve fazê-lo, o momento é agora.

Temos em nossas mãos o futuro de nosso país e de nossa democracia.

Nesse sentido, o cientista político e professor de Harvard, Daniel Ziblatt, alerta:

“No mundo atual do autoritarismo eleitoral, para que a democracia sobreviva, acima de tudo, não devemos considerar que ela já está garantida. Os cidadãos não podem agir de forma imprudente. Devem exigir que seus eleitos atuem com responsabilidade. A democracia está em nossas mãos, e sua sobrevivência corre risco”.

Do exposto, no dia da eleição, nada melhor do que se cumprir a sentença do existencialista Jean Paul Sartre: “estamos condenados a ser livres”.

Odemirton Filho é professor e oficial de Justiça

Categoria(s): Artigo
domingo - 30/09/2018 - 07:12h

Universidade e transformação social


Por Pedro Fernandes Ribeiro Neto

No percurso da história, o desenvolvimento do pensamento científico e o fortalecimento da capacidade crítica aos sistemas de governo possuem ligação direta com o surgimento das universidades. É no interior delas que a ciência vai ser fomentada e transformada em instrumento de desenvolvimento social e econômico. Mais que uma instituição fechada em seus muros, as universidades ganham corpo ao abrirem-se à sociedade, democratizando o acesso ao saber científico e atuando na solução de problemas junto às populações.

Em cinco décadas de história, completadas no último dia 28 de setembro, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte tem cumprido sua missão, atuando como polo de desenvolvimento e, principalmente, de cidadania, em todo o estado. Sua forte atuação nos cursos de licenciatura é responsável até hoje pela formação da maioria dos professores que constroem a educação básica do Rio Grande do Norte.

Difícil encontrar alguma sala de aula sem um educador formado pela universidade. Mais ainda, uma instituição forte em nosso estado que não tenha a presença de ex-alunos dela em seus quadros. No interior potiguar, é o diploma conferido pela Uern o símbolo de orgulho de muitas famílias que veem a primeira geração concluir um curso superior.

Presente com seis campi em municípios potiguares – Mossoró, Natal, Pau dos Ferros, Assu, Patu e Caicó -, mas com capilaridade em quase todo o Estado, a Uern tem consolidado seu trabalho na transformação social na vida dos potiguares, através do ensino, e na última década tem apostado também no fortalecimento do seu campo de pesquisa, visando maior inserção na produção científica do Rio Grande do Norte.

Com mais de 80% de mestres e doutores em seu quadro docente, a maioria com regime de trabalho de Dedicação Exclusiva, a universidade promoveu importante avanço na criação de programas de pós-graduação, partindo de três mestrados, em 2008, e chegando a 21 mestrados e 04 doutorados, já no próximo ano.

Desenvolvimento científico e inovação que chegam às salas de aula da rede básica por meio de projetos de pesquisa conduzidos por docentes junto aos estudantes, numa formação de futuros pesquisadores e cientistas. A aposta neste campo parte do princípio de que não há transformação social sem fomento e democratização do conhecimento. Por isso a urgência de um pacto pela ciência e inovação entre governos, universidades e setores produtivos.

Mais que o atendimento ao tripé ensino-pesquisa-extensão, a Uern tem ampliado, nestes cinquentas anos, sua participação na sociedade, reafirmando seu compromisso social, na condição de patrimônio vivo da população norte-riograndense.

No ano em que também comemoramos o recredenciamento junto ao Conselho Estadual de Educação, e o reconhecimento dos cursos de graduação, reverenciamos o passado de nossa história, apostando num futuro de crescimento. Aposta que passa, essencialmente, pela autonomia financeira da instituição, mecanismo imprescindível ao melhor funcionamento administrativo-financeiro de toda a universidade.

Na última semana, encerramos mais uma edição do festival de teatro da universidade, o Festuern. O festival é um dos maiores realizados no Estado, e ao longo dos anos, assumiu papel de destaque na difusão da cultura como mecanismo pedagógico de melhoria do ensino e instrumento de formação cidadã.

Estudantes da rede básica sobem ao palco mostrando talento e uma leitura de mundo que muitas vezes temos esquecido de entender. Ali, nos mostram que um futuro melhor é possível, e ele só se constrói por um caminho: o da educação.

Pedro Fernandes Ribeiro Neto é professor-doutor e reitor da Universidade do Estado do RN (UERN)

Categoria(s): Artigo
  • Repet
domingo - 30/09/2018 - 06:00h

Quando o silêncio diz mais


Por Paulo Linhares

Le parole est d’argent, mais le silence est d’or”.  Sim, como reza velha máxima francesa,  se a palavra é de prata, o silêncio é de ouro. Isto, aliás, nunca foi tão verdadeiro quanto nos dias que correm neste Brasil. Nos albores de mais uma eleição presidencial, neste 2018, o que prevalece mesmo é a ausência das palavras para expressar o que efetivamente pretendem os dois principais contendores da corrida presidencial.

De um lado, pontifica o silêncio de um líder encarcerado, o Lula, cujas parcas palavras  se traduzem na locução do ventríloquo nomeado, Fernando Haddad, que pouco dizem de uma verdadeira intenção de governo para um Brasil desgovernado; do outro, os arroubos do candidato Jair Bolsonaro, preso a um leito  de hospital depois de sofrer estúpido atentado protagonizado por um maluco solitário.

Um triste paradoxo: o debate silencioso passou a pautar a disputa presidencial de 2018;  ninguém precisa falar,  basta que prevaleçam os mudos argumentos dos extremos. Enfim, todos os olhos e ouvidos para o que pouco dizem Lula, o encarcerado de Curitiba, judicialmente impedido de dar entrevistas ou de fazer outras manifestações públicas, e o convalescente Bolsonaro, internado no chique Hospital Israelita Albert Einstein.

Fato é que o silêncio finda por colocá-los numa posição assemelhada e, por caminhos diversos, isentando-os de defender posições ou dar explicações vexatórias acerca de aspectos cruciais da cena política que afloram na campanha eleitoral. Ainda mais porque não pôde ser candidato à presidência da República, Lula não tem nenhum dever de explicar aos milhões de seus eleitores legados ao pupilo Fernando Haddad os erros cometidos pela cúpula petista, da qual é a mais eminente figura, com as alianças políticas espúrias e a participação em esquemas de corrupção trazidos a lume nos últimos anos; preso a um leito de hospital, Bolsonaro ‘participa’ da campanha sem falar quase nada, o que decerto tem favorecido a sua ótima posição nas sondagens de intenção de votos: tivesse que falar – e os candidatos a graduados postos eletivos têm que fazê-lo – já teria despedaçado milhares de votos, sobretudo, nos debates entre candidatos e massacrantes entrevistas à grande imprensa. As palavras de ordem das militâncias opostas falam por eles.

Cá fora, militantes orgânicos e inorgânicos,  de lados extremos se digladiam, sobretudo, no ríspido chão das redes sociais e mesmos nas ruas, antevendo os atropelos políticos  que devem permanecer após o resultado das eleição de 2018, eis que, pelo que revelam as sondagens de intenção de voto, é quase certo que a faixa  presidencial ficará num dos extremos da disputa: ou irá para Haddad ou para Bolsonaro, deixando de fora o loquaz Ciro Gomes, o comedido Geraldo Alkimin, a frágil Marina Silva, além dos outros candidatos que não ultrapassam a margem de três pontos percentuais.

O clima tenso, a despeito do resultado, decorrerá da não aceitação pelo lado perdedor da eleição, a exemplo dos tucanos em 2014, cujas consequências  foram o desgastante impeachment de Dilma Rousseff e a entronização de Michel Temer e sua gangue de corruptos no Palácio do Planalto, ademais de uma longa, persistente e insanável instabilidade política, ao lado da enorme crise econômica.

Ressalte-se que um dos grandes atrativos dos regimes democráticos é a expectativa em tons positivos que emerge da alternância periódica de poder. Um novo governo, democraticamente eleito, sempre leva as pessoas a acreditar que algo mudará, que dias melhores poderão vir, velhos erros não se repetirão ou arraigados vícios serão debelados.

Apesar da frustração natural daqueles eleitores cujo projeto político foi derrotado, o sentimento que deve prevalecer é o de que a vida seguirá seu curso normal e que é essencial a convergência de todos os segmentos sociais para a consecução dos grandes objetivos da nação. Enfim, a eleição democrática deve unir as pessoas num ambiente de convivência e respeito, mesmo que mantidas as inevitáveis divergências político-ideológicas.

O oposto disto é a fragmentação social que se traduz no repúdio às diferenças, no sectarismo, nos confrontos que podem levar à violência e aos tumultos de desagradáveis e imprevisíveis consequências. Daí a perturbadora constatação de que, dificilmente, das urnas de 2018 não emergirá um Brasil fragmentado, ganhem os companheiros de Lula ou as não menos barulhentas falanges do capitão Bolsonaro.

Lastimável. Cabe-nos apenas aguardar o resultado, em obsequioso silêncio.

Paulo Linhares é professor e advogado

Categoria(s): Artigo
domingo - 30/09/2018 - 04:16h

Recursos federais podem não beneficiar o RN


Por Josivan Barbosa

O Rio Grande do Norte sem sorte corre o risco de não conseguir participar da captação de recursos federais do pacotinho que o governo Temer está programando para o apagar das luzes. O novo pacote do governo foi batizado de “Programa Chave de Ouro” e exigirá R$ 383,5 milhões até dezembro.

Da lista de projetos, consta duas obras que exigem recursos de R$ 100 milhões para serem inauguradas até o fim do ano: o Cinturão das Águas no Ceará, com recursos oriundos do PAC. O empreendimento vai receber a água do Eixo Norte do projeto de integração do Rio São Francisco.

No Centro-Oeste, o governo planeja recursos para o Pronto-Socorro Hospital de Cuiabá (MT). Nesse, o governo ainda avalia de onde virão os R$ 100 milhões demandados. Ainda no Estado, o PAC também garantiria recursos para a pavimentação com concreto de parte da rodovia BR-163, entre Cuiabá e Jaciara (a leste da capital mato-grossense). Nesse caso, seriam necessários R$ 40 milhões.

Agrotóxicos

Tema de embates recentes no Congresso e na Justiça de ruralistas contra ambientalistas e associações de saúde, o uso de agrotóxicos no Brasil é encarado como uma prática a ser desestimulada pelos presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Marina Silva (Rede), os únicos candidatos entre os melhores colocados nas pesquisas de opinião que em seus programas de governo dão alguma atenção ao assunto.

Atualmente, ruralistas e ambientalistas travam uma “guerra” de projetos de lei sobre agrotóxicos na Câmara dos Deputados. Enquanto os primeiros defendem o PL 6299/2002, que entre outras medidas tira o poder de veto do registro de substâncias químicas de Anvisa e Ibama e o concentra no Ministério da Agricultura, ambientalistas e associações de saúde pública defendem o PL 6670/2016, que cria a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (PNARA).

A batalha também chegou recentemente aos tribunais. A 7ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal concedeu, no início de agosto, liminar que suspendia o uso do herbicida glifosato e outros dois produtos no Brasil. A liminar foi derrubada um mês depois de recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) que teve o apoio do Ministério da Agricultura e dos produtores rurais.

Crise no setor cimenteiro

Na semana passada discutimos neste espaço a situação e as perspectivas da tradicional Fábrica de Cimento Nassau (LeiaSaga empresarial do Grupo João Santos entra em colapso). Mas, não é só ela que vive momentos difíceis. As cimenteiras do país vem sofrendo financeiramente com a crise econômica do país, a qual afetou o setor devido ao forte recuo da demanda de cimento na construções de imóveis e em obras de infraestrutura. Com isso, o consumo caiu 26% de 2015 a 2017. E a projeção para este ano é de novo decréscimo, entre 1% e 2%, consolidando quatro anos seguidos de retração na indústria cimenteira.

Sebastião Barbosa, pesquisador aposentado da Embrapa, foi o escolhido (Foto: Correio Braziliense)

Embrapa tem  novo dirigente

Sebastião Barbosa, pesquisador aposentado da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), foi oficializado à semana passada pelo Ministério da Agricultura como o novo presidente da estatal.

Apesar de resistências de servidores da Embrapa Algodão, unidade chefiada por Barbosa nos últimos anos, o conselho de administração da estatal resolveu bancar a indicação do pesquisador, o que acabou sendo validado pela Casa Civil nos últimos dias. Segundo o sindicato dos funcionários da Embrapa, Barbosa é um gestor mais “linha dura” que o necessário, em parte por já ter determinado a demissão de servidores.

Ao conselho, quando foi entrevistado para concorrer à presidência, no entanto, Barbosa se defendeu com o argumento de que tem um perfil de cobrar produtividade e eficiência de suas equipes. Por outro lado, a Embrapa, entidade que representa os produtores de algodão do país, não se opôs à escolha e fez boas recomendações ao conselho.

Ao todo, o processo de seleção da Embrapa teve 16 candidatos, entre pesquisadores, servidores aposentados e pessoas de fora da empresa, como o caso do ex-ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes, e Xico Graziano, ex-deputado federal e que assumiu cargos em governos do PSDB. “A sucessão não deverá alterar o processo de revisão estrutural e funcional da Embrapa, iniciado em 2015, uma vez que é conduzido por toda a diretoria executiva e não apenas pelo presidente”, disse o Ministério da Agricultura em comunicado divulgado hoje.

Barbosa assumirá a Embrapa em meio a um dos maiores desafios recentes da estatal, que passa por uma grande reestruturação administrativa e financeira e é alvo de críticas internas e do agronegócio que pedem um maior protagonismo e a modernização da empresa.

Estrada do melão

Não é verdade que o governo do RN (dois últimos) construíram a Estrada do Melão que liga a RN Tibau – Mossoró até a BR 304 e depois segue até a BR 437 (Estrada do Cajueiro), passando pelos assentamentos da Maisa e pela maioria das comunidades rurais do município de Baraúna. Até o momento somente estão pavimentados os 17 km feitos pelos Governo de Wilma de Faria.

O atual governo apenas colocou uma fina camada de pó de brita numa extensão de 4 km ligando a BR-304 ao assentamento Apodi. O projeto da Estrada do Melão contempla 72 km e foi projetado pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER/RN) a partir de reivindicação do setor produtivo capitaneado pelo Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (COEX), a partir de 2005. Portanto, já se passaram 13 anos para que o RN construa a tão discutida Estrada do Melão.

Situação fiscal dos Estados

Os governadores que assumirem os Estados no ano que vem encontrarão receitas ainda em recuperação, mas distantes, em termos reais, dos níveis anteriores, de 2012 a 2014. Para agravar a situação, os governadores ainda enfrentarão um quadro de persistente desigualdade entre os Estados na distribuição de receitas disponíveis por habitante.

A receita disponível média dos governos estaduais por habitante foi de R$ 2.636 em 2017, o que significa ligeira melhora em relação ao ano anterior, quando o valor foi de R$ 2.607. Em 2016 os Estados tiveram a menor receita média disponível desde 2010, quando o valor foi de R$ 2.599 por habitante.

Josivan Barbosa é professor e ex-reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA)

Categoria(s): Artigo
  • Repet
sábado - 29/09/2018 - 23:58h

Pensando bem…


“Acredito no direito do homem de trabalhar como quiser, de gastar o que ganhar, de ser dono de suas propriedades e de ter o Estado para lhe servir e não como seu dono.”

Margaret Thatcher

Categoria(s): Pensando bem...
sábado - 29/09/2018 - 18:12h
Em Mossoró

Rosalbismo trabalha incessantemente para três metas


No âmbito do grupo rosalbista, há um esforço sobre-humano para alcance de três metas eleitorais possíveis em Mossoró, mas muito difíceis, cada uma por suas características, conjuntura e peculiaridades da própria campanha.

1 – A chapa Carlos Eduardo Alves (PDT)-Kadu Ciarlini (PP) vencer o pleito no município, pois em todas as pesquisas publicizadas e de consumo interno aparece em segunda posição, atrás da encabeçada por Fátima Bezerra (PT).

2 – O candidato à reeleição à Câmara Federal, Beto Rosado (PP), empalmar pelo menos 30 mil votos.

3 – Larissa Rosado (PSDB), candidata à reeleição à Assembleia Legislativa, obter 30 mil votos.

Depois traremos mais postagens sobre o assunto, com bastidores e análises.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
sábado - 29/09/2018 - 17:52h
Mossoró

Teatro será entregue por Governo Robinson Faria dia 15


Parte interna do teatro (Foto: Divulgação)

Por Vonúvio Praxedes

O Governo do RN anunciou a conclusão das obras de reforma do teatro Lauro Monte Filho em Mossoró.

Foram investidos cerca de R$ 5 milhões.

Reinauguração acontece dia 15 de outubro.

Se o governador Robinson Faria (PSD) tivesse com os salários dos servidores em dia a campanha pra ele seria outra. Segue em 3°.

Nota do Blog – Já comentei várias vezes isso, até bem antes da campanha. Tem acervo de realizações, mas atraso salarial é quem asfixiou projeto de reeleição, até bem mais do que a insegurança.

Teria enorme possibilidade de vencer adversários e eles sabem disso.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Cultura / Política
sábado - 29/09/2018 - 16:12h
Eleições 2018

Mais três institutos vão apresentar pesquisas no RN


Do Blog do Barreto

Mais três institutos registraram pesquisas para Governo e Senado no Rio Grande do Norte. O primeiro deles é local e já vem realizando estudos eleitorais com regularidade no Estado. O outro é desconhecido e sediado na cidade de Uberlândia (MG). O terceiro é de Pernambuco e já realizou trabalhos em terras potiguares.

O Instituto Seta iniciou a coleta de dados hoje e prossegue nas ruas até o dia 1º de outubro. Ao todo 1.700 entrevistados falarão suas posições para Governo e Senado. A margem de erro é de 2,4% e o contratante é o Blog do BG. O registro na Justiça Eleitoral é o de número RN-03095/2018.

O Instituto Opinião vai as ruas entre os dias 30 de setembro e 3 de outubro ouvindo 1.200 eleitores sobre as eleições para Governador, Senador, Deputado Federal e Deputado Estadual com margem de erro de 2,9 pontos percentuais para mais ou para menos. A contratante é a Band Natal. O número do registro é RN-02315/2018.

Já o Instituto Verita não tem tradição no Rio Grande do Norte. Em 2016, divulgou uma pesquisa para a Prefeitura de Natal. Este ano, será realizada uma sondagem para Governo e Senado entre os dias 2 e 5 de outubro. Serão ouvidas 2.020 pessoas com margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada com o número    RN-07332/2018. Curiosamente é o próprio instituto mineiro o contratante da pesquisa.

Nota do Blog do Barreto: o que levaria um instituto de Minas Gerais a realizar uma pesquisa no Rio Grande do Norte no valor de R$ 78.780,00 por conta própria? Muito esquisito isso.

Nota do Blog Carlos Santos – Meu caro Bruno, sinceramente à medida que se aproxima o dia do pleito eu sou mais cuidadoso com pesquisas. Boa parte delas, pela origem e suposto contratante, merece cuidado ainda maior ou sequer divulgação.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
sábado - 29/09/2018 - 09:48h
Brasil

Um país em marcha batida para algo ainda pior


Candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) disse nessa sexta-feira (28) que não vai aceitar o resultado da eleição, caso não seja o vencedor.

- Pelo que eu vejo nas ruas, não aceito resultado das eleições diferente da minha eleição – assinalou em entrevista gravada no Hospital Albert Einstein em São Paulo (SP), ao jornalista José Luiz Datena do programa “Brasil Urgente”, da rede de TV Band.

Já o ex-ministro José Dirceu (PT) afirmou ao jornal El País (Espanha) que “é uma questão de tempo pra gente tomar o poder”.

Seguimos céleres, em marcha batida, para o aprofundamento de uma crise que parece sem fim, marcada pela intolerância, pela incapacidade de um armistício, sem um necessário entendimento nacional.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sábado - 29/09/2018 - 09:10h
STF

Ministro Luiz Fux proíbe Lula de dar entrevistas


Decisão de Fux é polêmica (Foto: STF)

Do Jota Info

O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu os efeitos da decisão proferida nesta sexta-feira (28) pelo ministro Ricardo Lewandowski (veja AQUI) que autorizava o jornal Folha de S.Paulo a entrevistar o ex-presidente Lula, preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

Ao decidir uma Suspensão de Liminar (SL 1178), protocolada pelo Partido Novo contra a decisão de Lewandowski, Fux determinou que Lula não conceda entrevistas até que o colegiado do Supremo julgue o mérito desta ação, o que não tem data para ocorrer.

No entendimento do ministro, a divulgação de entrevista com um candidato que teve seu registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderia causar “desinformação na véspera do sufrágio, considerando a proximidade do primeiro turno das eleições presidenciais”.

Fontes ouvidas pelo JOTA, de dentro e de fora do tribunal, ressaltam que a decisão de Fux é controversa e seria inédita. O tribunal terá de analisar se caberia um pedido de suspensão de liminar contra decisão monocrática de ministro do STF.

Veja matéria completa clicando AQUI. Leia íntegra da decisão clicando AQUI.

Nota do Blog – Esse STF é disparadamente o pior dos poderes da República. Intocáveis, ególatras, esses ministros (com raríssimas exceções) ajudam a afundar a República, desfigurar o simulacro de democracia que temos e alimentam a instabilidade social/econômica/política que nos aflige.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
  • Repet
sexta-feira - 28/09/2018 - 23:58h

Pensando bem…


“As pessoas que me dizem que eu vou para o inferno e elas vão para o céu de certa forma deixam-me feliz de não estarmos indo para o mesmo lugar.”

Mark Twain

Categoria(s): Política
sexta-feira - 28/09/2018 - 21:38h
Datafolha

Haddad cresce mais 4%, porém Bolsonaro segue em primeiro


O Datafolha divulgou nesta sexta-feira (28) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 9 mil eleitores entre quarta-feira (26) e sexta-feira (28).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 9 mil eleitores em 343 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 26, 27 e 28 de setembro
  • Registro no TSE: BR-08687/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “Folha de S.Paulo”

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
sexta-feira - 28/09/2018 - 20:47h
O outro lado

Assessoria dá nota sobre apreensão de material de propaganda


A Assessoria Jurídica da Coligação Do Lado Certo, que abriga a candidatura ao Governo do RN da senadora Fátima Bezerra (PT), emitiu nota agora à noite, dando sua versão sobre mandados de busca e apreensão (veja AQUI) que alcançaram representações partidárias e de campanha encabeçadas por ela.

Leia abaixo:

A respeito da diligência executada na data de hoje em uma das sedes do Partido dos Trabalhadores (PT) e em outros endereços inerentes às candidaturas da coligação formada pelo partido, a assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra vem esclarecer ao público:

1. A medida foi requerida e executada com o intuito de localizar materiais de propaganda que apresentassem o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a Presidente da República, devido a sua substituição pelo candidato Fernando Haddad ocorrida no último dia 11 de setembro.

2. A eventual existência de materiais de propaganda contendo menção ao ex-Presidente Lula como o candidato do Partido dos Trabalhadores a Presidente da República deve-se justamente ao período em que a candidatura estava oficializada perante a Justiça Eleitoral.

3. O Partido dos Trabalhadores, inclusive através da propaganda eleitoral da candidata Fátima Bezerra, já anunciou de forma massiva a candidatura de Fernando Haddad, inexistindo divulgação atual da candidatura do ex-Presidente Lula.

4. Não há nenhuma irregularidade na campanha da candidata Fátima Bezerra, que respeita mas lamenta a atuação do Ministério Público e da Justiça Eleitoral, por lançarem mão de medida desproporcional e desnecessária em virtude de situação que já estava sendo administrada em outro processo com toda transparência.

5. A assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra reitera o atendimento à todas as normas que regem o processo eleitoral, afirma que nenhuma conduta irregular fora praticada e externa sua confiança na Justiça.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 28/09/2018 - 20:10h
Natal e Mossoró

MPE apreende propaganda irregular com coligação de Fátima


Comitê em Natal foi alvo do MPE (Foto: TN)

O Ministério Público Eleitoral (MPE), com o apoio da Polícia Militar e do Ministério Público do RN (MPRN), cumpriu – na tarde desta sexta-feira (28) – mandados de busca e apreensão em endereços vinculados a candidatos da Coligação “Do Lado Certo” (PT / PHS / PC do B). Teve o intuito de apreender material de propaganda eleitoral que contivesse o ex-presidente Lula da Silva (PT) ainda como candidato à Presidência da República.

Dentre os endereços inspecionados, o material proibido foi encontrado no Diretório Municipal do PT em Mossoró e no comitê de campanha de Fátima Bezerra (PT), candidata ao Governo do Estado pela Coligação “Do Lado Certo”, em Natal. Nesse último, cerca de 130 mil impressos, dentre panfletos e “santinhos”, foram apreendidos por apresentarem a figura do ex-presidente Lula ainda como candidato presidencial.

Os encaminhamentos dessa apreensão serão adotados no âmbito da investigação que transcorre na Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e da representação eleitoral em trâmite no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN).

Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) instaurou uma investigação e, com as provas que reuniu, requereu do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) as buscas e apreensões cumpridas nesta sexta-feira.

Confira a íntegra da representação aqui.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
sexta-feira - 28/09/2018 - 19:07h
Maria Maia

Morre irmã de Zenaide e João Maia


A deputada federal e candidata ao Senado, Zenaide Maia (PHS), cancelou sua agenda desta sexta-feira (28).

Foi em virtude do falecimento de sua irmã, Maria Maia, 69.

Estava internada no Hospital Regional do Seridó, em Caicó.

Maria Maia terá velório e sepultamento em Jardim de Piranhas, onde residia.

Ela era irmã também do ex-deputado federal e novamente candidato João Maia (PR), e do deputado distrital (Brasília) Agaciel Maia (PR).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 28/09/2018 - 14:44h
Assembleia Universitária

Bispo Diocesano é um dos homenageados pela Uern


O Bispo Diocesano Dom Mariano Manzana será um dos homenageados na Assembleia Universitária de 50 anos da Universidade do Estado do RN (UERN). O título de doutor honoris causa será entregue nesta sexta-feira (28), às 20h, no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado, em mais uma edição da Assembleia Universitária.

“A Uern passou por um momento difícil e a Diocese de Santa Luzia foi uma das vozes que saíram em sua defesa. Agradecemos esse apoio e estamos muito felizes em conceder esse título”, afirmou Pedro Fernandes Neto, reitor da instituição, em ofício encaminhado ao homenageado no último dia 23.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Educação / Gerais
  • Repet
sexta-feira - 28/09/2018 - 12:52h
Veja

Doidice ou ignorância?


Por François Silvestre

Doidos ou apenas analfabetos políticos? Lulistas compravam a Veja para queimá-la. Anti-lulistas compravam a Veja para colecioná-la.

A Veja que está nas bancas inverteu os ódios.

Tem lulista comprando-a pra guardar e bolsonarista comprando-a pra queimar.

E a Veja não merece nenhuma dessas honrarias; merece mesmo é boiar nas bancas, agora e antes.

Vou transferir meu título para Assunção, que lá a democracia bufa é original.

A daqui é cópia pirata do Paraguai.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Comunicação / Opinião / Política
sexta-feira - 28/09/2018 - 11:01h
Liberdade de Imprensa

STF autoriza Lula a conceder entrevista à Folha de São Paulo


Lula: autorização (Foto: Marlene Bérgamo/Folha Press)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, autorizou a jornalista Mônica Bérgamo da Folha de São Paulo a entrevistar o ex-presidente Lula da Silva (PT).

Ele está preso na carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba (PR), desde o dia 7 de abril deste ano, após condenação em segundo grau por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A 12ª Vara da Justiça Federal em Curitiba tinha negado a petição do periódico, que recorreu ao STF.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.