domingo - 18/04/2021 - 21:56h
Covid-19

Senador quer CPI investigando governadores e prefeitos com rigor

Girão quer rigor (Foto: Twitter)

Girão quer rigor (Foto: Twitter)

O Antagonista

Como mostramos, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE), tentará furar o acordo entre a maioria dos integrantes da CPI da Covid para tentar disputar a presidência da comissão com Omar Aziz (PSD-AM).

O parlamentar, que rejeita ser chamado de “bolsonarista” e prefere se declarar “independente”, disse a O Antagonista que a comissão precisa ter “isenção” para investigar não apenas o governo federal, mas também estados e municípios.

Se a sociedade não reagir, a CPI vai blindar governadores e prefeitos que receberam bilhões. O comando da Comissão precisa ter isenção e ser independente para investigar governo federal, estados e municípios. Caso contrário, haverá flagrante suspeição e conflitos de interesses, inclusive político-eleitoreiros, o que seria uma covardia com o povo brasileiro que tem expectativa de que a CPI seja justa e busque a verdade, não apenas uma parte dela.”

Nota do Blog – O senador está corretíssimo. De cima para baixo.

Difícil é acreditar que haverá rigor em investigação de filhos por seus pais senadores. Governador Renan Filho (MDB-AL), rebento do senador Renan Calheiros (MDB-AL); governador Helder Barbalho (MDB-PA), bambino do senador Jáder Barbalho (MDB-PA), por exemplo.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 18/04/2021 - 16:14h
Caso rumoroso

Entidades se solidarizam com auditora fiscal presa no RN

Alyne está presa e movimento pede liberdade dela (Foto: divulgação)

Alyne está presa e movimento pede liberdade dela (Foto: divulgação)

O rumoroso caso da prisão da auditora fiscal do Estado do RN, Alyne de Oliveira Bautista, ganha repercussão que não para de crescer. O fato ocorreu no último dia 14 de abril, por decisão judicial, mesmo sem ela ter qualquer condenação transitada em julgado,

Várias entidades ligadas ao fisco estão se solidarizando com ela. A sua prisão não está relacionada a qualquer conduta de improbidade administrativa no exercício de sua função de auditora fiscal.

Alyne denunciou supostas irregularidades envolvendo a compra de livros pelo Governo do RN (veja AQUI). Seriam R$ 4 milhões em livros, sem licitação, voltados para a promoção de cidadania entre jovens, efetuada pela secretaria de Educação do Estado. Duas compras teriam sido realizadas pelo governo de Robinson Faria (PSD), uma pela Secretaria de Justiça e Cidadania (SEJUC), e uma última na gestão da atual governadora Fátima Bezerra (PT), também via Secretaria de Educação.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) chegou a suspender o contrato (veja AQUI), que envolveria o  Centro Brasileiro de Educação e Cidadania (CEBEC), controlados pelo juiz Jarbas Bezerra e a advogada Lígia Limeira.

Veja abaixo Nota de Solidariedade de entidades ligadas a pessoal do fisco:

NOTA DE SOLIDARIEDADE

Não tenho em mim muitos desgostos
posso ter falhado em tudo
mas ainda não estou completamente vencida
porque só uma verdade me interessa
Ana de Santana

O SINDIFERN – Sindicato dos Auditores Fiscais do Tesouro Estadual do Rio Grande do Norte, a ASFARN – Associação dos Auditores Fiscais do RN, a FEBRAFITE – Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais e a FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, manifestam solidariedade à colega auditora fiscal Alyne de Oliveira Bautista, presa desde o dia 14 de abril por decisão judicial, mesmo sem condenação transitada em julgado.

Alyne é servidora pública estadual há 22 anos, tem uma ficha funcional limpa, jamais foi penalizada nem mesmo com uma advertência funcional, não tem ligações com o crime organizado, nunca foi condenada em quaisquer ações judiciais ao longo de sua vida, tem residência e local de trabalho fixos, e sempre pautou sua vida funcional e de cidadã pela civilidade e pelo cumprimento da lei.

A sua prisão não está relacionada a qualquer conduta de improbidade administrativa no exercício de sua função de Auditora Fiscal e, ao que tudo indica, é consequência de um desenrolar de fatos a partir de uma denúncia feita por ela em 2019 e acatada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE/RN), que resultou na suspensão de um contrato entre o Governo do Estado e uma empresa fornecedora de serviços.

A defesa impetrou um pedido de Habeas Corpus e o Fisco Estadual brasileiro aguarda serenamente o pronunciamento do Poder Judiciário norte-rio-grandense sobre o pedido de liberdade para Alyne Bautista, para que ela volte ao seu lar e possa continuar a sua vida de forma justa e honrada, como cidadã e servidora pública estadual.

SINDIFERN – Sindicato dos Auditores Fiscais do Tesouro Estadual do RN
ASFARN – Associação dos Auditores Fiscais do Rio Grande do Norte
FEBRAFITE – Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais
FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital.

Nota do Blog – Tudo muito estranho. Depois nossa página vai dissecar o assunto. Aguarde.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Gerais / Justiça/Direito/Ministério Público
  • Repet
domingo - 18/04/2021 - 15:18h
Vacina

Estou na fila

Cadastro de vacina de Carlos Santos - 18 de Abril de 2021Estou devidamente cadastrado para ser vacinado contra a Covid-19.

Acredito na ciência, sou fã e defensor do Sistema Único de Saúde (SUS), tomo cuidados para zelar por minha vida e por respeito à humanidade.

Tenho fé e não sou estúpido.

Amém!

Cadastre-se para a vacinação clicando AQUI.

* Nesse domingo (18) fiz meu cadastramento com uso de um smartphone. É um processo rápido, direto e muito claro.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Saúde
domingo - 18/04/2021 - 12:30h

Velhos tempos, belos dias…

Turma do fundão, sala de aula, ilustração de sala de aulaPor Odemirton Filho 

Segundo os mais experientes a vida passa rápido, os dias correm depressa. E é verdade. Muitos fatos aconteceram e pessoas passaram por nós durante toda a nossa vida.

Quando olhamos para trás nem percebemos. O danado do tempo escapou das nossas mãos. Foi impossível segurá-lo. Por isso, como se diz, devemos aproveitar cada dia, cada instante.

Aqui ou acolá voltamos ao junho das nossas vidas. Temos saudade dos nossos avós, da escola, dos amigos. De brincar na rua. De apertar a campainha das casas e sair correndo. De sentar na calçada pra jogar conversa fora, sem medo de dois “caras” se aproximando numa moto.

Enfim, saudade das traquinagens da infância.

Quem não deu trabalho para acordar cedo e ir ao colégio? A mãe precisava chamar várias vezes para tomar o café com leite, não dava nem tempo passar a manteiga no pão. E ainda existiam os sabidos, apenas molhavam o cabelo e não tomavam banho.

NA ESCOLA HAVIA A TURMA DO FUNDÃO da sala. Eram craques na arte da “cola”. Os mais certinhos chegavam cedo para sentarem nas carteiras da frente e eram os queridinhos dos professores.

E a juventude? Quem não fez uma cota entre os amigos para comprar uma bebida? Reuniu a galera em um único carro e dividiu a gasolina? E o namoro na calçada com as cadeiras uma de frente para a outra?

Sim, a infância era doce. A juventude tinha os seus arroubos e a maturidade, apesar dos pesares, é encantadora. É certo que vivemos tempos difíceis, de dor e lágrimas, mas como é bom viver.

No decorrer da vida perdemos tantas pessoas queridas. Se pudéssemos revê-las, ficar só um pouquinho ao lado delas, já mataria a saudade, né não?

Pois é. A vida são saudades. Saudade de alguém ou de algum lugar. Se eu pudesse visitaria o passado e lá ficaria um tiquinho de tempo revivendo alguns momentos.

Como diz a letra de uma linda canção: “Velhos tempos, belos dias…”

Odemirton Filho é bacharel em Direito e oficial de Justiça

Categoria(s): Crônica
  • Repet
domingo - 18/04/2021 - 11:20h

Haja água, haja água!!!

Por Paulo Menezes

O fato ocorreu no ano de 1985. Tempo de chuva intensa em todo nordeste, muito acima da média histórica. Em Mossoró não foi diferente. A zona ribeirinha totalmente alagada, desalojando e desabrigando grande parte da população mossoroense.

Os bairros ilha de Santa Luzia e  grande Alto de São Manoel ficaram isolados da cidade. Os munícipes em sua totalidade estavam apreensivos com notícias dando conta de mais chuvas no Alto Oeste, que desaguariam no leito já comprometido do rio Apodi/Mossoró.

Enchente de 1985 em Mossoró - Bradesco, Rua Santos Dumont com Vicente Saboia, CentroO comércio do centro da cidade, com suas portas fechadas, causavam aos comerciantes muitas preocupações e grandes prejuízos.

Na época, eu era funcionário do Banco do Nordeste com função de chefia, responsável pela tesouraria da agência. Com a elevação considerável do nível do rio, a unidade bancária foi totalmente inundada.

Tivemos então que transferir todo o dinheiro existente na caixa-forte, em malotes, para o Banco do Brasil. A canoa foi o transporte utilizado para levar o numerário de uma para a outra agência.

As chuvas, tão desejadas e esperadas pelo sertanejo, foram naquela quadra invernosa motivo de aflição para todos os habitantes da terra de Santa Luzia.  Com apenas uma exceção: no percurso fluvial conduzindo o dinheiro entre os estabelecimentos de crédito, em meio à tragédia, surgiu o cômico.

NAVEGANDO NA CORRENTEZA DO RIO, deitado numa câmara de ar, imensa, girando em torno de si mesmo, aparece a figura folclórica de João Fernandes. Comerciante muito querido, de grande conceito na cidade, muito equilibrado nas finanças, mas como já descrito por esse escrevinhador de província, em outros relatos (veja AQUI), muito presepeiro quando em farras semanais.

Ao cruzar com nossa embarcação, tomando uns goles de cachaça na boca da garrafa, só vivo, olhos já bastante vermelhos, nos fitando com um largo sorriso e indiferente à calamidade, João repetia sem parar:

– Haja água, haja água…

De repente, o que era uma travessia tensa, por motivos óbvios, acabou se transformando numa viagem divertida.

– Haja água, haja água!!

Paulo Menezes é meliponicultor e cronista

Categoria(s): Crônica
domingo - 18/04/2021 - 10:12h

A partida de uma mãe

Por Lúcia Rocha

Quem disse que perder a mãe dói, falta com a verdade, pois é uma dor sobre-humana, imensurável. Mas, infelizmente, chega a hora delas e, com a minha, não foi diferente.

Deus me deu a oportunidade de estar com ela em seus últimos momentos com vida aqui na terra.

Professora Inalda Cabral é um nome importante da educação de Mossoró (Foto: Paulo Eduardo)

Professora Inalda Cabral é um nome importante da educação de Mossoró (Foto: Paulo Eduardo)

Naquele dia, ela não leu, não abriu nenhum livro e não pegou no jornal, pela primeira vez, respirou com a ajuda de um cilindro de oxigênio, que há muito fazia parte da decoração do quarto. Havia broncoaspirado na noite anterior, porque tinha dificuldade de deglutir, comum a idosos.

Se é difícil perder pessoas próximas, então, perder alguém tão próximo, como a mãe, somente Deus para consolar.

Quem diria que eu estaria cuidando dela… Passava um pouco das 21 horas e todas as luzes já apagadas para dormir. Em nove minutos, deixou de respirar e o coração parou.

Assistir os minutos finais de uma pessoa que viveu para plantar, para construir pontes, uma dor forte invade o coração sem pedir licença. Embora as palavras não apaguem o sofrimento que a gente sente, cantei um louvor e assim ela se foi.

Eu sabia que minha mãe não era eterna, um dia iria embora. Aconteceu numa hora em que eu estava ao seu lado, a tempo de avisar os outros filhos, que chegaram quando ela nos deixava.

Dona Inalda foi com a certeza da salvação, foi com sua fé.

Ficamos gratos por Deus por Ele ter vindo pegá-la em casa, sem dor, sem sofrimento, longe de ambiente hospitalar, junto aos seus e à Francisca Lucycleide, uma das técnicas que a acompanhava, justo a que mais tempo esteve com ela, participou da intimidade e da rotina de nosso lar, há pouco mais de três anos.

Quem diz da dor de perder uma mãe, esconde o quão grande é o sofrimento, a dor, o sentimento de perda. A gente vê de outra forma quando é com nossa mãe.

Temos que buscar força em tudo o que aprendemos com ela. A força maior vem de Deus, mas o exemplo que nossa mãe deixou para a gente é de uma mulher muito forte e guerreira. A única vez que a vi chorar foi no velório da sua mãe.

Uma mãe que, confiando, não desistiu nunca, apesar das circunstâncias.

ELA SE FOI CALMA, TRANQUILA, sem um adeus, como se dissesse “Não fiquem desesperados, chegou minha hora, porque sei que estou com Deus”. E foi com a fé dela, louca para reencontrar Luzia, a primogênita, que faleceu aos cinco anos de idade, prometendo guardar um bom lugar para a mãe. Mamãe nunca esqueceu essa filha, vivia com sua foto e não havia um dia em que não falasse em Luzia, uma de suas paixões.

Eu e meus irmãos agradecemos a Deus por tê-la como mãe. Ela já passou por tanta coisa nessa vida. A gente se identifica tanto com a vida dela, que estamos sendo fortes, não podemos nos dar ao luxo de deixar uma depressão ou mesmo ansiedade nos derrubar.

Toda vez que vem sua lembrança, lembro e canto as músicas que cantava conosco desde criança, do padre Zezinho e, mais recentemente, do Padre Alessandro Campos, além dos hinos da harpa cristã.

A fé e força da nossa mãe é exemplo para todos que a conheceram.

A gente precisa continuar firme e forte, com Deus à frente dos nossos projetos, para o coração se acalmar mais.

Ficam algumas perguntas: se faltou dizer algo, se faltou fazer algo, se isso, se aquilo. A certeza do dever cumprido nos sustenta.

Inalda, leitora voraz (Foto: da família)

Inalda, leitora voraz (Foto: da família)

Fico imaginando que a dor de quem abandona uma mãe ou pai deve ser terrível, no momento da perda.

Em tempo de pandemia, não foi difícil esconder a informação do que estava acontecendo. Os cuidados foram redobrados com os filhos e netos, para evitar que se contaminasse porque fazia parte da rotina receber profissionais como fonoaudióloga, fisioterapeuta, enfermeira, assistente social, dentista, nutricionista que sempre fizeram uso de máscaras e usavam álcool gel quando adentravam a casa, o que contribuiu para ela não perceber nada.

Na televisão, só assistia canais com programação cristã.

Agradecemos ao Senhor por nossa mãe ter tido direito a velório, a despedida, onde recebemos amigos e familiares, embora não pudéssemos abraçar ou ser abraçados. Um velório diferente, com testemunhos e passagens engraçadas, por parte de familiares e de pessoas que ela fez a diferença em suas vidas.

Felizmente, as memórias, ao contrário da vida, não nos podem ser roubadas. É nelas que encontramos motivação para continuar, mas é Deus que conforta nossos corações.

Chegou a sua hora e ela foi com Deus.

Para quem tem fé, a vida é eterna, nunca tem fim.

Lúcia Rocha é jornalista e escritora

Categoria(s): Artigo / Educação
  • Banner - Lion Brasil - 04-09-20
domingo - 18/04/2021 - 09:38h

‘J´accuse’ o seu mal ao desenvolvimento da humanidade (Covid-19)

Por Marcos Araújo

Com muita raiva e indignação, o escritor francês Émile Zola escreveu um artigo no jornal L´Aurore, em 13 de janeiro de 1898, com o título “J´accuse” (Eu acuso).  O artigo era uma carta ao presidente da República Félix Faure, em defesa de Dreyfus.

Sem a habilidade de Zola, escrevo este rabisco a Deus, o Senhor do Tempo, para acusar o Senhor do Mal, o espectro da morte, o Mr. Hell chamado Covid-19, pelo malefício insanável causado principalmente à educação e à cultura, reconhecidamente os melhores agentes do desenvolvimento social humanitário.Montanha, no topo, vitória, êxito, sucesso, não desistir, persistência

Ao Criador, que controla a ação dos elementos da natureza e tem a ampulheta das horas em suas mãos, quero denunciar este desalmado ladrão do saber comunitário e assassino inconfessável do sentimento criativo das pessoas, pelo empobrecimento educacional, cultural, político-social, humanístico, religioso e sentimental de todo o planeta.

Assim como Zola, “Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice” (Meu dever é de falar, não quero ser cúmplice), eu acuso você, Covid-19, não só pelo morticínio dos seres humanos, mas pelo silêncio obsequioso e apagão intelectual que tem causado nos educadores, artistas, escritores, líderes sociais e religiosos.

Comecemos pelo prejuízo causado à educação…É incontestável o valor social e político da educação.  Emile Durkhein dizia no início do século XX que somente a educação implanta valores nos homens, formando princípios exteriores à sua própria vontade. Por isso, Edgar Morin gostava de repetir aos seus alunos nas calçadas da Écoele des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), em Paris: “O saber não nos torna melhores, nem mais felizes. Mas, a educação pode ajudar a nos tornarmos melhores, se não mais felizes, a nos ensinar a assumir a parte prosaica e viver a parte poética de nossas vidas”.

Educadores dizem que 2020 foi um ano perdido. E 2021 já está em vias de perdição. A formação educacional por mediação tecnológica longe de despontar como solução, tem sido um retumbante fracasso. Seja pelas desigualdades sociais que impedem a transmissão do conhecimento, porque não são todos os domicílios e famílias brasileiras que têm suporte para aulas por mediação tecnológica em casa, seja pela má qualidade no processo ensino-aprendizagem.

Se a educação tem um valor político (como defende Henry Peter com essa citação: “A educação faz um povo fácil de ser liderado, mas difícil de ser dirigido; fácil de ser governado, mas impossível de ser escravizado“), recrudescemos no nosso nível de consciência cidadã, capacitad os para pensar que fomos neste último ano apenas pelos rumores das redes sociais.

No campo cultural, também vivemos um período de “apagão”. Pesquisas demonstram que livros, peças teatrais, roteiros cinematográficos e outras produções do gênero, sofreram redução de publicação, ensaio e execução em quase 70% (setenta por cento). Tomados pelo pavor, escasseia a criatividade das autoras/es e animadores culturais, daí a risível – ou quase inexistente – produtividade setorial.

A humanidade não está “morrendo” somente por causas respiratórias, mais, muito mais, por causas “inspiratórias”; falta inspiração para viver, escrever, ler, criar, pensar, falar… Estamos letargicamente paralisados pelo medo. Vivemos dois lockdowns muito danosos à evolução humana: o educacional e o cultural.

Albert Schweitzer, um médico alemão que largou a riqueza para fundar hospitais no Gabão, na África Central, no seio da pobreza, costumava dizer que “A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é o que morre dentro de um homem quando ele está vivo.”

NÃO DEVEMOS “MORRER” POR ANTECIPAÇÃO.  É preciso resistir bravamente! Por isso, conclamo: vamos ao campo de batalha em favor da vida! Uma epígrafe machadiana motiva a lutar: “Que é a vida? Uma batalha, Tiro ao longe, espada à cinta; para os barbeiros, navalha; para os escritores, tinta.”  É preciso que o povo da literatura “carregue nas tintas”, para demonstrarem que estão vivos.

Para quem tem ideal, a morte não chega cedo. Fernando Pessoa poetisa sobre a morte que se antecipa aos sonhos: “O amor foi começado, O ideal não acabou, e quem tenha alcançado, Não sabe o que alcançou.”

É mais do que preciso ressuscitar uma ética de vida e rejeitar veemente a replicação da cultura da morte, senão, restará somente o caos a enterrar as nossas últimas quimeras. Devemos sonhar e esperançar que tudo logo passará! O resgate dos valores humanos, o estimulo à educação e o retorno urgente às atividades criativas e culturais é o nosso grande desafio, pois estes promovem a verdadeira prosperidade e a felicidade no ser humano.

A Deus, clamo para que, caso venha a nos faltar a beleza da saúde, que sejamos confortados com a graça da fé. Dê-nos a esperança de dias melhores, para a educação e para a cultura, ânimo aos professores e aos agentes culturais, para que continuem manifestando em seus eflúvios espirituais, a criação e a formação que nos alimenta a alma e que traz causa para as nossas alegrias.

A sociedade nos precedeu e sobreviverá a nós. Nossas vidas não são mais que episódios em sua marcha majestosa pelo tempo. Você não nos vencerá, Senhora Covid-19!

Marcos Araújo é professor e advogado

Categoria(s): Artigo / Política
domingo - 18/04/2021 - 08:46h

Os domingos

Por Marcos Ferreira

Enfim, apesar de uma semana tétrica e medonha, chegou o domingo. Coisa totalmente óbvia e inevitável, haja ou não pandemia. Portanto, prezado leitor e caríssima leitora, sem que eu me sinta obrigado a lhes apresentar justificativa, eis o meu dia favorito, ainda mais neste início de manhã, em meio à fragrância do café (que evapora com estrépito da cafeteira) e a uma playlist municiada com seis horas de blues.

Ao fundo, não menos agradável, há o trinado de pássaros de vários tipos na frondosa mangueira no quintal de uma residência por trás da minha.Café, caneca com café,

Além do blues, aprecio outros gêneros de música não muito populares, os quais não cito para que não soe esnobe. Só não tolero, por mais que digam que gosto não se discute (de mau gosto, no caso), esse dilúvio de excrementos sonoros da moda. Com especial repulsa ao forró pornográfico tão encontrável nos palcos deste país e ao sertanejo high-tech cheio de absoluto vazio.

Salvo exceções, felizmente há exceções, tudo bobajada, pieguice oca, melosidade enjoativa, chulice difundida aos quatro ventos. Uma indústria de berrantes e cuspidores de microfones que fatura alto à custa da indigência cultural do grande público ouvinte. Que falta nos faz um Luiz Gonzaga, um Dominguinhos ou uma dupla como Tonico e Tinoco.

Desculpem-me a rudeza, prezado leitor e caríssima leitora. Às vezes, ou quase sempre, certas coisas dessa ordem me dão nos nervos, desafiando os meus comprimidinhos estabilizantes do humor. Não é toda hora que os psicofármacos seguram as pontas, ou as rédeas, como acharem melhor. Bom, continuemos a falar sobre o domingo, que é o protagonista e a motivação desta crônica um tanto desgovernada, malnascida.

Costumo perder a unidade, o rumo, o foco. Dirceu Lopes, meu competente psiquiatra, é quem melhor lhes explicaria o que nem mesmo o senhor Sigmund Freud saberia explicar. Mas nem tudo se explica ou carece ser explicado.

Permitam-me, por gentileza, uma última consideração, um alegórico palpite sobre música. Em conúbio com a literatura, a música é um dos meus deleites. O célebre compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, precocemente morto com trinta e cinco anos de idade, afirmou que a poesia é a filha obediente da música. Ouso dizer, sem modéstia, que sou um filho obediente de ambas. Há também a sétima arte, da qual não abro mão e estou sempre na plateia.

Pois bem, retomemos o assunto do domingo. Antes que o respeitável leitor e a caríssima leitora me deixem falando sozinho.

O DOMINGO, AO MENOS PARA MIM, é um bocejo de vinte e quatro horas. É o dia consagrado a não se fazer outra coisa exceto café e a prática do ócio criativo. É aí, puxando a brasa para a minha sardinha, que entra o exercício da escrita, da leitura, da criação artística de um modo geral. Nada de lavar roupa, cortar grama, limpar a casa, varrer quintal, sacudir tapetes, bater capachos, ir a supermercado, fazer a barba, limpar fogão nem cozinhar.

Um dia só a expensas da geladeira não mata ninguém. Digo isto, sobretudo, no tocante a mim mesmo, posto que moro sozinho há catorze anos. Mas, se o seu estômago é do tipo inconciliável, pode-se recorrer a um serviço de delivery da sua escolha. Existem para todos os bolsos e paladares. Julgo oportuno que até o sexo seja rolado para os dias com feiras ou para os sábados.

Quanto ao ócio criativo, prezado leitor e distinta leitora, nem precisa ser tão criativo assim. Porque a única regra a ser seguida num dia de domingo, segundo minha filosofia antissocial, é não estar obrigado a fazer coisa alguma. Você pode apenas ficar no bem-bom, estendido numa rede ou sofá curtindo um filme bacana na plataforma de streaming que porventura possua, livre de compromissos, coçando o saco (esta última dica não se destina à nobre leitora, evidentemente) ou dando um passeio pelos sites e blogues, jornais e revistas eletrônicos do estado.

Podemos, por exemplo, abrir o notebook, navegar pelo celular, como lhes aprouver, e conferir a Revista Papangu, os blogues do Carlos Santos, do Bruno Barreto, o caderno de cultura do jornal O Mossoroense, o portal Oeste em Pauta, entre outros endereços internéticos. Nesses espaços, mormente aos domingos, sempre encontramos as belas páginas dos cronistas Odemirton Filho, Honório de Medeiros e François Silvestre, estes no blogue do Carlos Santos.

Na Papangu, além das matérias culturais, deparamos com bons artigos, contos e crônicas de Ana Cadengue, Túlio Ratto, Clauder Arcanjo, David Leite e demais colaboradores.

Os dias de domingo na imprensa local, especialmente quando o mestre Dorian Jorge Freire estava em cena com sua coluna na extinta Gazeta do Oeste, mantêm um forte traço literário. O caderno Universo, do jornal O Mossoroense, cuja editoria de cultura esteve sob minha responsabilidade durante três anos, era uma vitrine de poetas e prosadores de Mossoró e região.

Tínhamos ali colaboradores semanais como Líria Nogueira Alvino, Kalliane Amorim, Cid Augusto, Caio César Muniz, Geraldo Maia, Kydelmir Dantas, Antônio Alvino, Margareth Freire, Rubens Coelho, Agnaldo Andrade, Ricarte Balbino e Francisco Nolasco.

Guardemos os domingos, prezado leitor e simpática leitora, para as coisas informais, livres de cabrestos ou agenda. Aproveitem para usar a roupa mais velhinha e confortável que possuam. Gastem alguns minutos ouvindo um pouco de boa música, lendo passagens de um bom livro — poemas, romance, contos ou crônicas. E quando isto lhes fatigar, deixem a preguiça entrar em campo.

Afinal de contas hoje é domingo, único dia em que ninguém deveria estar sujeito a nenhuma forma de labuta. Muito menos afazeres domésticos histórica e injustamente impostos às mulheres, enquanto a maioria dos marmanjos assiste a futebol na TV.

Ao contrário de mim, o passaredo na mangueira da residência aos fundos da minha está inspiradíssimo. Dá gosto ouvir essas criaturinhas canoras. Peço licença a B.B. King e baixo o volume do som. Apuro o ouvido e desconfio de que um bem-te-vi e um sabiá disputam a minha atenção ocultos entre a folhagem da grande árvore.

Abandono esta página sem brilho e vou ao quintal prestigiar esses compositores alados, sem pagar ingresso, bebericando uma caneca de café.

Marcos Ferreira é escritor

Categoria(s): Crônica
  • Banner - Art&C - Prefeitura de Mossoró - Combate á Covid- 04-03-21
domingo - 18/04/2021 - 04:30h
Lô Borges

Letra e Música – 218 – (Paisagem da Janela)

Paisagem da Janela tem letra de Fernando Brant e melodia de Lô Borges.

Numa entrevista à Folha de São Paulo em 2002, Brant explicou a essência poética do que escreveu. Segundo ele, ainda morava com seus pais em Belo Horizonte, quando veio a inspiração.

Do quarto, espiando da janela, ele via um mundo cheio de coisas e personagens reais, produzidos por sua imaginação e de experiências de sua própria vida.

Lô Borges (que canta no vídeo) com sua musicalidade deu à poesia a melodia perfeita. Em espetáculo gravado no Circo Voador no Rio de Janeiro em 2018, a música foi incluída na lista de sucessos. Ela faz parte do DVD “Tênis + Clube – Ao Vivo no Circo Voador”.

No palco, Lô Borges: voz, violão, guitarra e caxixi Pablo Castro: voz, piano, violões, guitarra e vocais Gui de Marco: guitarras, violões, percussão e vocais Paulim Sartori: contrabaixo, bandolim, percussão e vocais D’Artagnan Oliveira: bateria, percussão e vocais Dan Oliveira: guitarras, violões, percussão e vocais Alê Fonseca: teclados e programações.

Paisagem na Janela

Da janela lateral do quarto de dormir
Vejo uma igreja, um sinal de glória
Vejo um muro branco e um voo pássaro
Vejo uma grade, um velho sinal

Mensageiro natural de coisas naturais
Quando eu falava dessas cores mórbidas
Quando eu falava desses homens sórdidos
Quando eu falava desse temporal
Você não escutou

Você não quer acreditar
Mas isso é tão normal
Você não quer acreditar
E eu apenas era

Cavaleiro marginal lavado em ribeirão
Cavaleiro negro que viveu mistérios
Cavaleiro e senhor de casa e árvores
Sem querer descanso nem dominical

Cavaleiro marginal banhado em ribeirão
Conheci as torres e os cemitérios
Conheci os homens e os seus velórios
Quando olhava da janela lateral
Do quarto de dormir

Você não quer acreditar
Mas isso tão normal
Você não quer acreditar
Mas isso tão normal
Um cavaleiro marginal
Banhado em ribeirão
Você não quer acreditar.

Veja AQUI a relação de 218 postagens da série Letra e Música.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Letra e Música
sábado - 17/04/2021 - 23:59h

Pensando bem…

“A melhor maneira de começar é parar de falar e começar a fazer”.

Walt Disney

Categoria(s): Pensando bem...
  • Repet
sábado - 17/04/2021 - 22:30h
Sisu

Irmãos são aprovados em 1º lugar (Medicina) na Uern e Ufersa

Família unida desfruta de um resultado raro em famílias modestas e em curso competitivo (Foto: Hugo Andrade/Inter TV Cabugi)

Família unida desfruta de um resultado raro em famílias modestas e em curso competitivo (Foto: Hugo Andrade/Inter TV Cabugi)

Por Hugo Andrade (Do G1RN)

A alegria da aprovação no curso de Medicina em uma universidade pública, e em primeiro lugar, foi em dose dupla para uma família de Mossoró, no Oeste potiguar. Dois irmãos alcançaram a primeira colocação nos cursos oferecidos por duas instituições diferentes.

O resultado do Sistema de Seleção Unificada (SISU) foi divulgado nesta sexta-feira (16).

Gildo Luiz de Sales Neto foi o primeiro a ver o resultado da aprovação em primeiro lugar no curso de Medicina na Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA). Logo depois, veio outra surpresa: a irmã Diana Lívia de Sales Lima também tinha sido aprovada em primeiro lugar, mas na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

“Foi uma grande surpresa ver que tinha passado na ampla concorrência. Fui logo correr para os meus pais, eles ficaram felizes, ligaram para tio, para tia. Quando a gente também soube da aprovação dela, nos abraçamos, teve choro, aquela coisa toda”, conta Neto.

Os irmãos contam que pelos resultados parciais do Sisu, já haviam percebido que conseguiriam entrar nos cursos, mas tiveram a surpresa de alcançar a primeira colocação.

OS DOIS IRMÃOS têm uma diferença de apenas 11 meses de idade. Atualmente, Neto tem 19 anos e Diana, 18. Mesmo morando na mesma casa e estudante na mesma turma e na mesma escola – o Instituto Federal do RN (IFRN) de Mossoró – eles contam que a rotina de estudos de cada um para o Enem era bem diferente.

Diana Lívia e Gildo Neto: resultado da dedicação (Foto: Mossoró Hoje)

Diana Lívia e Gildo Neto: resultado da dedicação (Foto: Mossoró Hoje)

“Estamos comemorando agora esse momento, mas foi um percurso que foi planejado ainda na barriga. Fruto de dedicação, esforço, disciplina, uma rotina de estudo bem planejada. Agora estamos colhendo os frutos, né? É muita gratidão a Deus, principalmente”, afirma a mãe dos jovens, Gledcy Sales Lima (professora).

“Um orgulho imensurável. Eles sempre tiveram essa veia para estudo. Nós só fizemos dar o total apoio, corrigimos algumas coisas para ficar tudo nos eixos e estamos colhendo os frutos hoje”, comemorou o pai, Diógenes Lima (policial militar).

Veja matéria completa clicando AQUI.

*Com informações adicionais do Mossoró Hoje.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Educação / Gerais
sábado - 17/04/2021 - 21:38h
"Genocida"

Deputado Girão pede punição para quem ataca Bolsonaro

Divulgação em avenida de grande tráfego expõe imagem do presidente (Reprodução)

Divulgação em avenida de grande tráfego expõe imagem do presidente (Reprodução)

O deputado federal General Girão (PSL)  protocolou ofício perante órgãos federais para denunciar outdoor localizado em Natal e que promoveria injúria contra a figura do Presidente da República Jair Bolsonaro. Os documentos foram entregues às seccionais no Rio Grande do Norte da Polícia Federal, à Advocacia Geral da União e à Agência Brasileira de Inteligência nesta sexta-feira (16).

De acordo com o texto, o outdoor patrocinado pela Central Sindical e Popular (CSP-CONLUTAS) e localizado na Avenida Engenheiro Roberto Freire, comete crime contra a honra e a figura do Presidente Bolsonaro.

“Trata-se, portanto, de um crime dirigido à autoridade do Presidente da República no qual o autor imputa fato ofensivo à dignidade do Chefe do Executivo Federal, eleito democraticamente pelo povo brasileiro, e que fere o Art. 26 da Lei 7.170 – Lei de Segurança Nacional e Crime contra a Honra, Arts. 138 e seguintes do Código Penal”, diz o texto dos ofícios.

Investigação

Para o parlamentar, a gravidade da ação ilícita merece investigação das autoridades competentes e punição aos responsáveis pelo ato criminoso.

“Esperamos que, após esta denúncia formal, as medidas cabíveis sejam tomadas pelas autoridades contra atos desta natureza que ferem a imagem do Chefe da Nação diante do mundo”, pontua General Girão, destacando que também pediu a responsabilização contra o Sindicato e a empresa que veiculou a propaganda, uma vez que o responsável pela divulgação também comete o crime.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Blog
  • Banner - Lion Brasil - 04-09-20
sábado - 17/04/2021 - 19:48h
Cultura

Gaudêncio Torquato é eleito à Academia Norte-rio-grandense de Letras

Gaudêncio e o editor dessa página em evento político em 2018 (Foto: arquivo)

Gaudêncio e o editor dessa página em evento político em 2018 (Foto: arquivo)

Gaudêncio Torquato é o mais novo integrante da Academia Norte-rio-grandense de Letras.

Sua eleição aconteceu nessa sexta-feira (16). Ele vai ocupar a cadeira que teve como último acadêmico o escritor Nelson Patriota (veja AQUI).

Professor da Universidade de São Paulo (USP), consultor político e de marketing, jornalista e escritor, Gaudêncio nasceu em 8 de abril de 1945 (76 anos), em Luís Gomes – Alto Oeste do RN.

Há décadas está radicado em São Paulo-SP, com intensa atividade intelectual.

– Acabo de ser comunicado pela secretária da Academia Norte-Rio-grandense de Letras, acadêmica Leide Câmara, que passo a integrar a renomada instituição criada em 1936 por um grupo de intelectuais, à frente um dos mais notáveis nomes da cultura brasileira, o mestre Câmara Cascudo, e hoje comandada pelo poeta, professor, advogado e escritor Diógenes da Cunha Lima – manifestou-se.

Nota do Blog – Aplausos, meu caro Gaudêncio.

Parabéns por mais esse êxito.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Comunicação / Cultura
sábado - 17/04/2021 - 10:46h
Socorro

Governadores pedem “ajuda humanitária” da ONU contra pandemia

Governadores buscam um caminho alternativo para apressar socorro à população (Foto: Pablo Jacob/Globo/Arquivo em 02-03-21)

Governadores buscam um caminho alternativo para apressar socorro à população (Foto: Pablo Jacob/Globo/Arquivo em 02-03-21)

O Fórum Nacional de Governadores formalizou nesta sexta-feira (16) pedido para que a Organização das Nações Unidas (ONU) coordene o processo de ajuda emergencial humanitária ao Brasil no âmbito do enfrentamento da Covid-19. Em reunião com a nigeriana que é secretária-geral adjunta, Amina Mohammed, por videoconferência, os governadores disseram que o país está na iminência de um colapso nacional da rede hospitalar.

A situação do Brasil, alertaram os governadores, eleva o risco de propagação de variantes mais contagiosas e letais do novo coronavírus. Hoje, o Brasil é epicentro mundial da pandemia.

“Nosso apelo maior foi para que a ONU possa nos dar ajuda humanitária para viabilizarmos a compra de mais vacinas e avançarmos no processo de vacinação para determos a Covid”, disse a governadora Fátima Bezerra (PT), signatária do documento enviado à ONU e representante do Rio Grande do Norte na reunião.

Amina, adjunta da ONU (Foto: Web)

Amina, adjunta da ONU (Foto: Web)

Intermediação

O documento entregue à dirigente da ONU tem cinco demandas, quatro delas relacionadas a imunização dos brasileiros. Nele, os governadores pedem a intermediação do organismo internacional para viabilizar a compra de vacinas, e apoio para obtenção de insumos hospitalares necessários ao funcionamento de UTIs, a exemplo de oxigênio e medicamentos do “kit intubação”, que estão em situação crítica.

Além da aquisição de 9 milhões de doses de vacinas oriundas do consórcio global Covax Facility, os governadores pediram também a mediação da ONU para negociar o excedente do imunizante da AstraZeneca reservado para os Estados Unidos. “Os Estados Unidos contam hoje com estoque de imunizantes AstraZeneca que não serão consumidos imediatamente. Propomos a aquisição ou empréstimo de 10 milhões de doses”, informou a governadora.

Divulgado pelo Ministério da Saúde, o último Boletim Covid-19 apontava média diária em torno de 3 mil mortes, mais de 70 mil novos casos registrados diariamente e uma taxa de vacinação de apenas 12% da população. Com 3.305 mortes registradas nas últimas 24 horas, o acumulado de óbitos no mês subiu para 47,2 mil, no ano 173,8 mil e no acumulado desde a pandemia 368.749.

Nota do Blog – Extremamente importante a iniciativa dos governadores. Há tempos tenho escrito e comentado em outras mídias (TV’s, rádios etc.) que o socorro humanitário de outros países será imprescindível para evitar uma catástrofe ainda maior no Brasil.

Infelizmente, a postura insana da Presidência da República de renegar a doença, estimular comportamentos como o não uso de máscara e ignorar aglomerações, só pioram o quadro. Além claro, de que em boa parcela do tempo também desdenhou e renegou vacinas. O tempo urge e ruge.

É uma corrida pela vida e todos estamos na fila da morte.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Política / Saúde
  • Banner - Art&C - Prefeitura de Mossoró - Combate á Covid- 04-03-21
sexta-feira - 16/04/2021 - 23:58h

Pensando bem…

“A diferença entre a inteligência e a estupidez é que a inteligência é limitada.”

Roberto Campos

Categoria(s): Pensando bem...
sexta-feira - 16/04/2021 - 22:42h
Pandemia

Novo vírus cada dia alcança mais gente entre 30 e 49 anos

Do Blog Tio Colorau

Impressiona o número de pessoas abaixo de 60 anos vitimadas pela Covid-19.

De janeiro a março deste ano, a percentagem de mortos entre pessoas de 30-39 anos subiu 353%, e entre 40-49 anos, 419%.

Não faz mais sentido falar em “isolamento vertical”.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Saúde
  • Banner - Art&C - Prefeitura de Mossoró - Combate á Covid- 04-03-21
sexta-feira - 16/04/2021 - 21:46h
Francamente

Renan Calheiros é “o cara” na CPI da Covid-19

O senador Renan Calheiros, de Alagoas, será um nome estratégico nesse processo de investigação (Foto: O Globo)

O senador Renan Calheiros, de Alagoas, será um nome estratégico nesse processo de investigação (Foto: O Globo)

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) como relator da CPI da Covid-19 é algo realmente extraordinário.

Nada é mais surreal do que o Brasil.

E tem gente que ainda faz piada com Portugal.

Francamente.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 16/04/2021 - 19:16h
Futebol

Potiguar emplaca segunda vitória consecutiva no Estadual 2021

O Potiguar de Mossoró emplacou sua segunda vitória consecutiva na retomada do Campeonato Estadual de Futebol 2021 do RN. Venceu o Força e Luz à tarde dessa sexta-feira (16) no Estádio Manoel Leonardo Nogueira, subindo para sexta posição e seu adversário se mantendo em terceiro.

O time alvirrubro decidiu o jogo logo no início da partida, com gols de Zé Flores e Madson.

Depois, time caiu de rendimento, dando sinais sobretudo de falta de melhor condicionamento físico, deixando o adversário crescer na partida.

Ainda no primeiro tempo o atacante Vinícius reduziu a diferença fazendo o gol do Força e Luz, cobrando penalidade.

No segundo tempo o time natalense subiu de produção com velocidade e acuou o Alvirrubro praticamente todo esse período. Porém, o Potiguar é quem teve mais chances de ampliar o placar e em dois lances de contra-ataque as desperdiçou.

Globo

Em Ceará-Mirim, no Estádio Barretão, o Globo goleou o Assu por 5 x 0.

O time local se manteve na liderança com 13 pontos, contra 6 do Assu, em 7º lugar.

Os gols foram marcados por Clayton (três vezes), Negueba e Rogério.

Veja AQUI a classificação do campeonato.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Esporte
  • Banner - Quixote - Câmara de Mossoró - Abril de 2020
sexta-feira - 16/04/2021 - 18:34h
Mossoró

Vacina no sábado e domingo é para pessoas com 60 anos ou mais

Vacinas terão mesmo processo de distribuição (Foto ilustrativa)

Vacinas terão mesmo processo de distribuição (Foto ilustrativa)

Mossoroenses a partir de 60 anos já poderão se vacinar contra a Covid-19 neste sábado (17) e domingo (18), em 10 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), que estarão abertas neste fim de semana no município.

O município recebe nesta sexta-feira (16), 7.885 doses das vacinas Astrazeneca/Oxford e Butantan/Coronavac, o que garante a continuidade da campanha “Mossoró Vacina”.

“A campanha adota um modelo de sucesso que já foi aprovado pela população. Foram alguns finais de semana que serviram para gente aperfeiçoar, e o resultado disso é visto pelos números, que a cada edição apresenta pessoas sendo vacinadas sem tumulto, sem aglomeração e com atendimento de qualidade prestado pelas equipes”, disse Morgana Dantas, secretária municipal de Saúde.

Ela destaca o trabalho dos voluntários: “contamos com muitos voluntários que nos ajudam e o trabalho dos parceiros tem sido de grande importância para o sucesso da campanha Mossoró Vacina”.

Unidades Básicas de Saúde que vão abrir neste fim de semana:

UBS Vereador Durval Costa – Walfredo Gurgel
UBS Raimundo Renê Dantas – Boa Vista
UBS Dr. Cid Salem Duarte – Abolição 4
UBS Dr. Sueldo Câmara – Aeroporto 2 (Quixabeirinha)
UBS Francisco Pereira Azevedo – Liberdade 1
UBS Dr. Agnaldo Pereira – Vingt Rosado
UBS Dr. José Fernandes de Melo – Lagoa do Mato
UBS Dr. Francisco Nazareno Gurgel – Bom Pastor
UBS Dr. Moisés Costa Lopes – Redenção
Centro Clínico Evangélico – Centro.

Com informações da Prefeitura de Mossoró.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Saúde
sexta-feira - 16/04/2021 - 18:02h
Livro

Cunha diz que Lula se arrependeu de ter deixado reeleição de Dilma

Lula e Dilma, uma relação política cheia de altos e baixos, segundo Cunha (Foto: Agência Brasil)

Lula e Dilma, uma relação política cheia de altos e baixos, segundo Cunha (Foto: Agência Brasil)

Por Cláudio Dantas (O Antagonista)

Em seu livro “Tchau, Querida: O Diário do Impeachment”, que será lançado oficialmente amanhã, Eduardo Cunha diz que Lula se arrependeu de não ter impedido a reeleição de Dilma Rousseff e que tinha “verdadeiro pavor” de José Eduardo Cardozo, braço-direito da petista na Presidência.

“Às vésperas da votação da abertura do processo de impeachment na Câmara, tive uma longa conversa com Lula, na residência do empresário Joesley Batista (Grupo JBS), em São Paulo. Na ocasião, Lula tentou que eu revertesse a situação do impeachment. Ele ouviu de mim que, naquele momento, isso seria impossível, mesmo que eu quisesse.”

E complementa:

“Lula, em um acesso quase de desespero, com a voz embargada de um choro contido, me disse que o grande erro dele foi não tê-la impedido de disputar a reeleição e ter sido ele o candidato. Respondi que sim, que ele deveria ter sido o candidato. Teria sido facilmente eleito e não haveria impeachment em um governo seu, porque ele era da política e jamais deixaria a situação chegar ao ponto que chegou. Lula concordou comigo.”

Em outro trecho, o ex-presidente da Câmara, hoje em prisão domiciliar, diz que a conversa “foi cheia de bons momentos, com Lula sempre bem-humorado, bebendo e beliscando os salgadinhos que Joesley buscava”. Cunha conclui que “Dilma, com sua ambição, além de se enterrar, foi a coveira do PT”.

Em entrevista a O Antagonista, Danielle Dytz da Cunha, que ajudou o pai na elaboração do livro, corroborou a versão e disse que “o maior golpe foi dado pela Dilma, a partir do momento em que Lula quis disputar a eleição e ela não deixou”.

“Depois de reeleita, ela isolou todo o quadro político de Lula e formou com Cardozo uma dupla dinâmica”.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Política
  • Banner - Quixote - Câmara de Mossoró - Abril de 2020
sexta-feira - 16/04/2021 - 17:22h
Covid-19

Quase mil municípios temem ficar sem “kit intubação”

Intubação é momento crítico no tratamento (Foto ilustrativa)

Intubação é momento crítico no tratamento (Foto ilustrativa)

Mesmo com a melhora do cenário de desabastecimento para o enfrentamento da Covid-19, 975 municípios afirmam que têm o risco iminente de ficar sem medicamentos do chamado “kit intubação”, para atendimento de pacientes em estado grave.

A pesquisa semanal da Confederação Nacional de Municípios (CNM) – de 12 a 15 de abril – mostrou ainda a preocupação de 391 gestores com a possibilidade de faltar oxigênio. Na pesquisa anterior, esses números eram 1.207 e 589, respectivamente.

O levantamento desta semana contou com a participação de quase 3 mil Municípios e traz informações complementares, como o preenchimento da base de dados do Ministério da Saúde pelos gestores locais e a gestão para aplicação da segunda dose da vacina.

Dos Municípios que responderam sobre o registro de doses aplicadas, 2.317 se esforçam para preencher o sistema no mesmo dia e 2.674 fazem isso na modalidade on-line. Sobre a gestão da aplicação de vacinas pelos gestores municipais, 1.449 Municípios optam por guardar a segunda dose da vacina para garantir a imunização do público prioritário, enquanto 1.426 optam por aplicar todas as doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

De modo geral, apenas 85 das 5.568 prefeituras afirmaram fazer estoque dos imunizantes sem que seja para segunda dose.

Com informações da CNM.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Saúde
sexta-feira - 16/04/2021 - 16:10h
Livro

A vida real dos anônimos de Katharina Gurgel

Livro de Katharina Gurgel -“O mergulho nas
profundezas de
histórias visíveis,
porém, invisíveis.
Histórias estas que
nascem, vivem e
morrem ao nosso
redor, mas estão
ocupadas demais
sobrevivendo.”

Esse é um trecho do prefácio assinado por Luíza Gurgel, para o livro “Crônicas da vida real – O visível do invisível”, de Katharina Gurgel.

A autora é produtora cultural e cantora. Agora, envereda também pela literatura com um elenco de crônicas em que fala de e sobre personagens do cotidiano. Ela dá identidade aos anônimos.

Todo mundo é gente de carne, osso e alma em seu livro.

São pessoas localizados por sua sensibilidade aqui e ali, assim de repente, quase do nada, mas não por acaso.

A entrega dos livros autografados acontecerá no dia 08 de maio, na Padaria Frota Gourmet, a partir das 14, à Rua Alaíde da Escóssia, 111, bairro Nova Betânia, em Mossoró.

A pré-venda está aberta (kathgurgel@gmail.com).

Pix: 84 996993445

Valor: R$ 25,00.

A partir de dois livros o adquirente ganha uma sacola personalizada.

Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI e Youtube AQUI.

Categoria(s): Cultura
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2021. Todos os Direitos Reservados.