sábado - 23/05/2020 - 04:38h
No Instagram

Carlos Santos – Aos Vivos receberá Katharina Gurgel


Em nosso segundo programa, o Carlos Santos – AOS VIVOS vai receber a produtora e cantora Katharina Gurgel. Boa oportunidade para a gente saber muito sobre ela, sua arte e juntar abobrinhas também.Será na próxima segunda-feira (25), a partir das 21 horas.

Vamos jogar conversa fora, não fazer um monte de coisas e sei lá o quê!

O encontro está marcado para ocorrer noutra plataforma virtual do Blog Carlos Santos, o Instagram, neste endereço - www.instagram.com/blogcarlossantos/.

Conto com você interagindo, participando e nos ajudando a passar o tempo.

Até lá!

Leia também: Carlos Santos – Aos Vivos – estréia como laboratório jornalístico.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Comunicação / Comunicado do Blog

Comentários

  1. Carlos Andre Gomes de Araujo lima diz:

    Nobre jornalista Por que o governo do estado e a prefeitura não falam sobre a epidemia grande de dengue e chicungunha na cidade de Mossoró?

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Bom dia. Carlos. Cabe à municipalidade essas tarefas. A PMM tem reportado em sua página serviços dessa natureza, mesmo que talvez não esteja conseguindo atingir satisfatoriamente às necessidades da população e demanda, até devido a complexidade desse combate que ciclicamente enfrenta a forças dessas moléstias.

      Vou repetir mais uma vez, mesmo sabendo que é inútil. Vamos lá: o problema da Covid-19 não é a letalidade em si, mas o quanto ele exige de ocupação hospitalar e serviços de média e alta complexidade, num volume e velocidade que nenhum país do mundo estava preparado para atender. Caso da China com 1,350 bilhão de habitantes que a seu modo fechou na marra uma região onde o novo vírus eclodiu e precisou montar hospital de campanha em poucos dias. Caso dos EUA que até um navio hospital ancorou em Manhattan com 500 leitos.

      Um amigo meu está lutando pela vida há quase 30 dias num hospital. Começou no HRTM e foi para o São Luiz. semi-uti, UTI.

      Dos mais de 80 homicídios em Mossoró este ano, talvez 90% (ou mais) das vítimas tenham morrido no local. Não precisaram do Samu nem de semi-uti nem de UTI. Precisaram do ITEP e de uma cova.

      Chykungunya e Dengue não exigem tanto do sistema regular de saúde pública e privada nem possuem essa letalidade.

      Cerca de 75% dos atendimentos do HRTM em épocas comuns, num simples fim de semana deriva de acidentes de trânsito. Se hoje o município e região estivessem nessa ‘normalidade’, os mortos seriam contados às dezenas, por falta de UCI (Unidade de Cuidados Intermediários) e UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

      É uma questão lógica demais, simples de entender, mas para isso, é imprescindível que a pessoa queira entender e se desfaça de seus ranços, birras e anteparo à informação que lhe contrarie.

      Como já perdi amigos, sei bem o que falo. Como estou em contato diário com gente que está no front, e não políticos de chiqueirinho nem de gueto, tenho dimensão do que ocorre. O que é noticiado é até inferior ao que está ocorrendo. Pelo menos quatro mortes recentes, divulgadas, de pessoas que não teriam recebido a devida assistência, é parte visível do que acontece e poderá ocorrer em escala bem maior.

      Enfim, é isso.

      Abraços e bom fim de semana.

  2. Marcos Pinto. diz:

    Bom dia amigo véi. Parabéns pela neófita pauta jornalística, supimpa e repleta da sua genial originalidade e discernimento interativo. Acrescente, aí, mais um Webleitor de carteirinha. Feliz e profícua semana. Abraçaço.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.