quinta-feira - 02/07/2020 - 07:48h
Na pandemia

A dor ignorada na ‘normalidade’


Nivaldo e Paulo: duas vidas (Fotomontagem)

Dois médicos vítimas fatais da Covid-19 no Rio Grande do Norte, numa única manhã, mas parecem acontecimentos banais.

A mim pareciam próximos, os médicos falecidos em Natal nessa quarta-feira (1º), mesmo que eu nunca os tenha visto.

Boa parcela da população já se acostumou com essa ‘normalidade’.

Falta-nos compaixão e um pingo de sintonia com a realidade cruel.

Ave, doutores Nivaldo Júnior (veja AQUI) e Paulo Matos de Castro (veja AQUI).

* INSCREVA-SE em nosso canal no Youtube (AQUI) para avançarmos projeto jornalístico.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog / Saúde

Comentários

  1. Fernando n diz:

    Ainda tem gente que não passa de uma gripinha que não faz mal aos atletas

  2. Fernando n diz:

    Gripizinha

  3. Amorim diz:

    É isso que me apavora; a banalização.
    Mais um número na estatistica.

  4. João Claudio diz:

    A ‘palavra’ que mais ouço nos últimos meses.

    ‘Inmimnumpega.’

  5. Q1naide maria rosado de souza diz:

    Lastimo, profundamente, a partida de médicos tão valorosos. Insisto na minha pergunta sobre a medicação profilática e, acima de tudo, sobre a medicação na fase inicial da doença. Repito, medicação na fase inicial da doença. Não precisa esperar nem o segundo dia, para iniciar o protocolo. O exame pode ser feito a qualquer tempo, às vezes, quando fica pronto, o paciente já está bom.
    Registro que não sou médica. Apenas acompanho opiniões importantes e resultados igualmente importantes.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.