sexta-feira - 29/03/2013 - 19:50h
Terra de ninguém

Assaltos e caboblo mamador em Mossoró


Mossoró continua violentíssima. Não param os relatos de assaltos e outros crimes.

Há dois dias, o “Restaurante de Zaqueu”, no Posto Lago Azul (Nova Betânia), foi visitado por assaltantes.

Mas ontem os bandidos foram presos. É provável que já estejam soltos outra vez.

Há uma semana, uma professora que esperava carona no Abolição I, logo cedo da manhã, para ir ao trabalho, foi abordada por um homem armado em moto. Ele obrigou-a a levantar a blusa, servindo os seios à sua tara sexual.

Há poucos minutos, o professor e sindicalista Rômulo Arnaud também entrou para as estatísticas numa das praças do Conjunto Santa Delmira.

Dois rapazes Tnuma moto Traxx levaram um celular seu. Um deles empunhava arma de fogo.

- Alguns jovens de carro vinham correndo à procura deles, pois já tinham feito outros assaltos hoje, fazendo arrastão – conta Arnaud.

Além do uso de motos para assaltos, agora Mossoró convive com uma quadrilha que utiliza carro para abordagem de vítimas à saída ou entrada em casa.

Pelo menos três casos foram relatados ao Blog, ocorridos nos últimos dias, no bairro Ulrick Graff e arrabaldes.

Homens num carro encarceraram moradores em suas próprias casas, fazendo o “rapa” geral.

Também chegaram a levar um dos reféns a saque de numerário em agência bancária.

Salve-se quem puder em nossa Mossoró do Presente.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Nossas Culpas

    Vivemos assustados. Clamamos pela tolerância zero como forma de inibir a delinqüência. Gradeamos as nossas casas e mantemos nossos filhos presos aos jogos televisivos.
    Perdemos o direito de ir e vir.
    Pagamos o preço da substituição da fraternidade pelo egoísmo.
    Trocamos o bom gosto pelo exibicionismo, a beleza pela utilidade, a cultura pela riqueza. Só nos interessa o triunfo do materialismo e da ciência.
    Nos importamos muito pouco com a religião e a arte. Arte que desintegramos em manias e maneirismos.
    Buscamos a riqueza pela riqueza e nos esquecemos que a riqueza vem e a paz se vai. O corpo prospera, mas a alma decai.
    Porque a riqueza pela riqueza equivale a perda da honra, do senso de beleza.
    Nos transformamos em amontoadores de coisas, nos ocupamos primordialmente em transferir dinheiro alheio para o nosso bolso.
    Vivemos assustados.
    Clamamos pela tolerância zero.
    Pregamos ética, mas só praticamos a ética que nos é conveniente.
    Condenamos o egoísmo alheio e nos esquecemos de que a amizade suplanta a filosofia, e as crianças nos tocam a alma com a música mais profunda que todas as sinfonias.
    Um dia descobriremos que os homens não são máquinas.
    E neste dia, não mais viveremos assustados, não mais clamaremos por tolerância zero.
    E transformaremos as grades de nossas casas em balanços onde as crianças risonhas sentirão a brisa da tarde num parque de diversão, livres de qualquer medo.
    E prezaremos mais o aperfeiçoamento da vida do que a vitória na vida.
    Se hoje as nossas cidades já não possuem alma, amanhã seremos nós que também não mais teremos alma.
    Troquemos a nossa montanha de egoísmo, a nossa fraternidade de vitrine, por um grão de humildade, por um pingo de amor ao próximo.
    Já é hora de começarmos a reconciliação maior, única maneira de acabarmos com a violência.
    E esta reconciliação plena começa dentro de nós mesmos.
    Inácio Augusto de Almeida
    Jornalista/Escritor

  2. Carlos diz:

    MOSSORÓ DO PRESENTE E SEM FUTURO !!!!

  3. ZENILMA MARIA A COSTA OLIVEIRA diz:

    Há uma semana atrás, mais precisamente, sexta feira dia 22/03 entraram na casa de uma irmã minha no abolição II e fizeram um verdadeiro arrastão. Dois rapazes numa moto traxx, armados, abordaram minha sobrinha que vinha chegando do colégio, as 11h. 15m. Quem sabe não foram os mesmos que assaltaram o Professor Rômulo ontem? Da casa da minha irmã levaram notebook, celulares, perfumes, dinheiros, bolsas. Tá difícil demais. Aqui nos abolições ninguém pode mais nem botar os pés na rua, sentar em calçada nem pensar. Alguma coisa precisa ser frita e urgente. Nossas autoridades precisam acordar para combater essa violência.

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      “Dois rapazes numa moto traxx, armados,”
      Sempre dois numa moto.
      Dois numa moto, em Mossoró, a polícia tem de mandar parar e dar busca de arma.
      Claro que não vai ser possível dar busca de arma em TODOS que circulam numa moto com garupeiro. Mas só em saberem que podem ser abodrados por qualquer policial vai fazer estes marginais pensarem duas vezes antes de saírem armados numa moto.
      Observem que a preferência destes ladrões é por notebook, celular, vídeo, enfim, material eletrônico.
      Se roubam é porque tem comprador.
      Onde está o serviço de inteligência da polícia que não descobre quem são os receptadores de roubo em Mossoró?
      Ou em Mossoró não existe receptador?
      Quando pela última vez foi preso um receptador?
      Motos diariamente são roubadas e simplesmente somem.
      Quem recebe estas motos?
      Presa a quadrilha de receptadores certamente estes roubos irão diminuir.
      Endurecer com a bandidagem é preciso.
      O que não pode continuar é nem mais nas nossas residências termos segurança.
      Que Deus abençoe a todos nós.
      O PROFESSORADO DE MOSSORÓ RECEBE O PISO NACIONAL QUE É DE 1.567 REAIS?
      HOJE, DIA 31 DE MARÇO E O FARDAMENTO ESCOLAR AINDA NÃO FOI DISTRIBUÍDO EM MOSSORÓ.

  4. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Esta de bandido chupador de peito me lembrou uma velha piada.
    Um rapaz casou-se com uma mocinha na flor dos 17 anos.
    Peitinhos fartos e apontando para o alto.
    Como era chegado numa macumba, o rapaz resolveu depois de uma semana de casado levar a esposa para conhecer a macumba. Ela mais do que curiosa de pronto aceitou.
    Quando menos se espera um caboclo se manifesta e pulando no meio da sala começa a cantar:
    Chegou chupador de peito, chegou.
    Chegou chupador de peito, chegou.
    Logo todos os presentes fizeram um círculo em torno do caboclo manifestado que não se cansava de repetir:
    Chegou chupador de peito, chegou.
    Chegou chupador de peito, chegou.
    As mulheres começaram a colocar os peitos para fora a fim de que o chupador de peito fosse satisfeito.
    O jovem marido, morto de ciúmes, vendo o peito da sua amada exposto e o chupador de peito se aproximando, após já ter chupado vários peitos, não se conteve e pulou no meio da sala gritando:
    CHEGOU COMEDOR DE .. CHEGOU!
    CHEGOU COMEDOR DE .. CHEGOU!
    Quando o chupa peito viu o comedor de .. se aproximando para abarcá-lo por trás deu um pulo de lado e berrou:
    Já que comedor de .. chegou.
    Chupa peito vai se arretirar.
    Será que para este bandido chupador de peito não está faltando aparecer um comedor de ..?
    Um bom domingo para todos.
    Que Deus nos proteja.

  5. Inácio Augusto de Almeida diz:

    BABAÇU ABUNDA

    Babaçu abunda no Maranhão
    Babaçu abunda no Piauí
    Em Floriano ou em Codó
    Babaçu abunda lá no Norte.

    Que não tem petróleo nem café
    Como os que vivem no Maranhão
    Tem que viver
    Com o Babaçu que abunda na região

    (Parte falada)
    Brasileiras, brasileiros
    Babaçu abunda lá no Norte.
    Viva o babaçu que abunda no Maranhão
    Viva o babaçu que abunda lá no Piauí
    Babaçu abunda, babaçu abunda

    Babaçu abunda no Maranhão
    Babaçu abunda no Piauí
    Em Floriano ou em Codó
    Babaçu abunda lá no Norte

    Que não tem petróleo nem café
    Como os que vivem no Maranhão
    Tem que viver
    Com o Babaçu que abunda na região

    Babaçu abunda
    Babaçu abunda
    Babaçu abunda
    /////
    Se algum artista de Mossoró se interessar por esta letra é só fazer contato através do 91397139.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.