quinta-feira - 30/07/2015 - 16:38h
Crise se alarga

Assembleia segue Governo e parte para mais cortes


A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou, nesta quinta-feira (30), novas medidas para a redução de gastos com o custeio da administração da Casa. A aprovação foi feita em reunião entre o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB), e os deputados estaduais que compõem a Mesa Diretora da Casa.

Ezequiel: arrocho que segue (Foto: AL)

No encontro entre os deputados, ficou definido o fechamento de dois anexos da Assembleia, que reduzirá quase R$ 800 mil os custos anuais da Casa, e também o cancelamento de 107 linhas de celular, que custavam R$ 360 mil aos cofres públicos.

Assembleia Cultural

“São medidas necessárias para que readequar nosso orçamento à realidade estadual. Temos que enxugar os gastos, cortar custos para contribuir durante a crise financeira pela qual passa o Rio Grande do Norte”, disse o presidente Ezequiel Ferreira.

Novos cortes também serão feitos em atividades desenvolvidas pela Assembleia, como o programa Assembleia Cidadã, que oferece atendimento gratuito a população do interior do Estado nas áreas de saúde, cursos e emissão de documentos, e estão suspensas as edições da Assembleia Cultural, que consiste em apresentações de artistas em todo o Rio Grande do Norte. A economia nesses setores vai superar os R$ 400 mil.

Nos primeiros meses da 61ª Legislatura, a Assembleia Legislativa já havia revisado todos os contratos da Casa, estabelecendo uma economia de R$ 600 mil, além reduzir os valores das diárias e gratificações pagas pelo Poder Legislativo, readequando os custos à realidade financeira estadual.

Nota do Blog – Com todo respeito ao universo cultural do RN, mas não é atividade fim, da AL, projeto como Assembleia Cultural.

Também gera alto custo outros projetos que destoam do propósito basilar dessa Casa Parlamentar, caso da Assembleia Cidadã.

Os deputados devem ser legisladores, devem intermediar reclamos da coletividade, fiscalizar o Executivo etc.

Esses cortes tinham que acontecer e já poderiam ter ocorrido há muito tempo.

Categoria(s): Administração Pública / Política

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    “cancelamento de 107 linhas de celular, que custavam R$ 360 mil aos cofres públicos.”
    Todos os órgãos cortando gastos, menos a Câmara Municipal de Mossoró que não corta.
    Até quando pensam que vão conseguir a LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES?
    Será justo pagar telefones para vereadores? Será justo pagar passagens aéreas, restaurantes, gasolina, IPTU, ÁGUA, LUZ, assinatura de revistas e jornais, hotéis e tudo o mais que se possa imaginar. Vocês, mossorenses, sabiam que até pneus para os carros dos veredores é pago através da imoralíssima LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES? Isto pode continuar?
    Em 2008 três bravos promotores acabaram com a LMV com um simples TAC. Por que agora não acabam, não sei. Sei que continuar é que não pode.
    ////
    BREVE, MUITO EM BREVE, OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS.
    UNIFORME E MATERIAL ESCOLAR NÃO FORAM ENTREGUES EM MOSSORÓ.
    MERENDA ESCOLAR FALTANDO EM ESCOLAS DE MOSSORÓ.

  2. Wellington diz:

    Muito bonito de se ver! Redução de despesas, revisão dos contratos, adequação de programas ao orçamento. Muita ênfase na redução de custeio.

    E a folha de pessoal? Tá tudo tranquilo? Tem nada para enxugar não, seu presidente?

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.