sexta-feira - 26/05/2017 - 17:02h
Saúde

Audiência sinaliza com mais leitos de UTI e outros benefícios


A audiência pública para discutir a questão dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no município, no âmbito do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), promovido hoje pela manhã em Mossoró, teve série de resultados alentadores à saúde. O debate foi promovido pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (AL/RN), no auditório da Faculdade de Ciências da Saúde (Facs) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Proposta pelo deputado estadual Manoel Cunha Neto (PHS), o “Souza”, que presidiu os trabalhos, a audiência permitiu que segmentos ligados ao setor, nos campos público e privado, além da área judicial, manifestassem opiniões, tirassem dúvidas e levantassem questionamentos.

Participantes discutiram vários aspectos da Saúde, a partir da necessidade de leitos de UTI (Foto: Eduardo Maia)

No encontro, foram discutidas as obras de reforma e ampliação dos leitos de UTI do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), paralisadas desde a gestão estadual anterior (Governo Rosalba Ciarlini-PP). Conforme o secretário George Antunes, secretário de estado da Saúde Pública, “até setembro deste ano, o Governo do Estado deverá finalizar o projeto e orçamento para o andamento do serviço para a construção de 21 leitos no HRTM”.

Recursos para Tarcísio Maia

O deputado Souza lembrou que garantiu R$ 1 milhão e 800 mil em emendas parlamentares à obra no final de 2015 e tenta sua liberação até hoje.

Antunes assegurou ainda, que estão sendo contratados 10 leitos em hospital particular, que serão regulamentados pelo Estado. Também foi debatida a questão da regulamentação dos leitos nas UTIs no município. Segundo o secretário, até o final do ano, será concluído o trabalho do complexo regulador no município.

Outro ponto de destaque foi a confirmação por Antunes e o secretário municipal da Saúde, Benjamim Bento, de andamento do Termo de Cooperação Técnica Financeira entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP) e a Secretaria Municipal de Saúde.

“O termo de cooperação representará um grande avanço na saúde do município”, diz Antunes, frisando o empenho dos gestores estadual e municipal na firmação do documento.

Na avaliação de Benjamin Bento, com o termo de cooperação técnica o município conseguiu estreitar as relações nas discussões quanto aos leitos de UTIs. “Entendemos que não se pode fazer diferença entre Natal e Mossoró, como ocorre atualmente”, disse

Custo de UTI

Ele e o diretor do HRTM, Jarbas Mariano, cobraram isonomia em relação aos serviços médico-hospitalares pagos pelo estado em Natal. Enquanto que uma UTI em Natal funciona com investimento de R$ 1.500 por leito/dia, em Mossoró é pago R$ 468,00.

“Isso não é justo. Com a negociação do termo, conseguimos ampliar esse investimento em UTI no município para R$ 1.000, sendo que 60% dos recursos são do Governo do Estado”, informou Bento.

Participaram ainda da audiência pública o representante da Secretaria de Infraestrutura, Luciano Cavalcante; a vice-prefeita de Mossoró, Nayara Gadelha (PP); vereadores Aline Couto (PHS) e Francisco Carlos (PP); defensor público Hélio Cabral, representante da OAB, Thales Freitas; Luara Fernandes, juíza de direito; diretor da Faculdade de Ciências da Saúde da UERN, Fausto Guzen, coordenador geral do SindSaúde, João Morais; representante da maçonaria, Diego Dantas; além de representantes da sociedade civil e outras lideranças políticas da região.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Saúde

Comentários

  1. joão de deus maia de oliveira diz:

    se o governo tivesse concluído a obra no hospital tarcísio maia no tempo previsto, não estaria enfrentando esta quantidades de ações judiciais solicitando vagas de uti.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.