domingo - 31/01/2016 - 08:40h

Ciclo vicioso do ‘Mossoró Melhor’


Por Carlos Duarte

O atual momento de crise, em que se encontra o Brasil, expõe a grande maioria dos municípios a condições de precariedades administrativas que resultam em desempregos, redução de renda e investimentos, violências e, principalmente, falta de credibilidade. O povo se sente enganado e não mais acredita em promessas de políticos e nem no velho sistema de gestão pública e viciado que trava o desenvolvimento econômico. Isso é fato e está bem evidente.

Por isso, este é o momento oportuno para o surgimento de uma nova proposta de gestão que contemple a saída sustentável para o desenvolvimento de Mossoró e que proporcione bem-estar à toda população.

É aí onde mora o perigo!

Em meio ao povo carente e ansioso por algum ‘salvador da pátria’ cria-se o ambiente favorável para os oportunistas de plantão, em nome da democracia. Isso também não quer dizer que não surjam pessoas bem intencionadas, que é a minoria.

Em Mossoró, surgem vários movimentos nesse sentido. O mais expressivo deles é o grupo formado por empresários que tem à frente do comando o Tião da Prest. Inicialmente, fui simpático à ideia, mas, agora, visualizo que aquilo que poderia ser o diferencial começa a tomar os contornos das velhas práticas políticas que sempre levaram esse município ao caos administrativo.

A começar pelo nome do grupo “Mossoró Melhor”, que foi idealizado por um marqueteiro ligado aos tradicionais sistemas políticos da cidade, o tema não traz nada de conceitual e ainda repete o slogan derrotado de uma campanha passada da então candidata Larissa Rosado. Isso revela muita falta de criatividade para quem se propõe mudar essa situação tão difícil em que vivemos.

O grupo dos empresários se lançou na política com o mote de mudança ‘para melhor’, entretanto, não apresentou nenhuma proposta concreta que aponte os reais caminhos dessas tais mudanças. Sequer o rabisco de um planejamento estratégico básico foi apresentado.

Fala-se em contenção de gastos, transparência, mudanças, bem-estar, desenvolvimento, competência, entre outras palavras de efeitos, mas não há um projeto materializado e tudo ainda será ou está sendo discutido. É muito amadorismo para reverter uma situação tão complexa. Torna-se imprescindível estudar Mossoró com profundidade e não se pode arriscar com arranjos imediatistas. O tempo é insuficiente e conspira contra qualquer boa intenção.

Com quem e onde estão sendo discutidas as ideias?

Por enquanto, com os mesmos políticos que ajudaram a levar Mossoró e o RN ao caos a que estamos submetidos. Até os lugares dos encontros são os mesmos: alpendres de Tibau, regado a um bom Whisky e aperitivos deliciosos.

No último sábado, a conversa aconteceu com o ex-deputado federal João Maia (PR) – que já foi secretário de Desenvolvimento Econômico do RN no governo Wilma de Faria; como deputado federal presidiu a comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados; aliou-se ao governo Rosalba Ciarlini; e que foi candidato a vice-governador na chapa de Henrique Alves.

Em sua última eleição para deputado obteve a expressiva votação de mais de seis mil votos, em Mossoró, e sequer voltou para agradecer os que aqui o ajudaram a eleger-se, em 2010. Em toda a vida pública de João Maia, a população mossoroense nunca viu o resultado de suas ações para com o município.

Outro empresário bem sucedido do grupo, Marcelo Rosado Batista, também ocupou o cargo de secretário de Desenvolvimento do RN, mas também não soube conduzir a articulação de projetos de desenvolvimentos significativos para Mossoró.

As entidades de classe que ancoram o grupo de empresários – Acim, Sindivarejo, Sinduscon, CDL, e o próprio comando dos que fazem o “Mossoró Melhor”, sempre foram os financiadores de campanhas dos prefeitos e de políticos que levaram Mossoró ao abismo. Portanto, são coniventes e corresponsáveis com o que está acontecendo agora.

Como falar em mudança se as conversas e entendimentos acontecem nos mesmos ambientes e com as mesmas pessoas que comandam a atual política viciada e as gestões incompetentes de sempre? Como atrair investidores externos?

É necessário transparecer confiança, sair da retórica e apresentar projetos sustentáveis com soluções nítidas para o futuro de Mossoró.

Caso contrário, o ‘Mossoró Melhor’ não sairá do ciclo vicioso em que se meteu. Seu sucesso passará, então a depender do insucesso de seus oponentes.

Carlos Duarte é economista, consultor Ambiental e de Negócios, além de ex-editor e diretor do jornal Página Certa

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Augusto Ribeiro diz:

    Não poderia ser mais preciso. Excelente e sincera análise. Este “Mossoró Melhor” é o mais do menos…

  2. Inácio Augusto de Almeida diz:

    “visualizo que aquilo que poderia ser o diferencial começa a tomar os contornos das velhas práticas políticas que sempre levaram esse município ao caos administrativo.”
    Isto eu visualizei na reunião da OAB quando vi usuários da LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES, pessoas viciadas em privilégios descabidos pagos por um povo que mal tem o que comer, dando as cartas e jogando de mão. O que havia de cochichos entre estes usuários da LMV e os empresários deixava claro que acontecia um discurso para o público e outro só para eles.
    “A começar pelo nome do grupo “Mossoró Melhor”, que foi idealizado por um marqueteiro ligado aos tradicionais sistemas políticos da cidade, o tema não traz nada de conceitual e ainda repete o slogan derrotado de uma campanha passada da então candidata Larissa Rosado.”
    Se o grupo é MOSSORÓ MELHOR, implicitamente reconhecem que Mossoró está bem. Quando eu sugeri três anos atrás neste blog a união dos empresários para lançamento de um nome ao Palácio Rodolfo Fernandes, eu falava sempre em MUDA MOSSORÓ. Mas como vão me ouvir se eu só escrevo neste blog e meus comentários em sua grande maioria ficam perdidos entre centenas de outros e são lidos por poucos?
    Quando na reunião da OAB o publicitário, após a minha fala, convidou-me publicamente a participar da campanha, dei calado como resposta. Não posso jamais participar de uma campanha em que os líderes de fato são os vereadores Genivan Vale e Tomaz Neto, ambos usuários da Lei da Mordomia dos Vereadores. Como participar e colaborar com uma candidatura controlada por estes dois que escondem quantos mil litros de gasolina queimam por mês e o povo paga através da LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES?
    “Com quem e onde estão sendo discutidas as ideias?”
    Com ninguém, até porque não se pode discutir o que não existe.
    “Como falar em mudança se as conversas e entendimentos acontecem nos mesmos ambientes e com as mesmas pessoas que comandam a atual política viciada e as gestões incompetentes de sempre?”
    Em quantos comentários eu já deixei claro que tenho sugestões a fazer e nunca foi ouvido? Em quantos comentários eu clamei para que estas reuniões acontecessem em praça pública com a participação do povo?
    Será que estes empresários têm medo do povo? Será que estes empresários só acreditam nestes políticos profissionais que, COM CERTEZA, o abandonarão tão logo as pesquisas mostrem que eles não têm a menor chance de vitória? E isto acontecerá porque o povo JAMAIS acreditará em quem se deixa conduzir por usuários da LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES. Pode alguém acreditar que político que usa gasolina, restaurante, passagens aéreas, hotel, telefone, pneus e tudo o mais que se possa imaginar através da LMV possua alguma sensibilidade social? Pode o povo acreditar que além da manutenção destes privilégios estes políticos estejam preocupados com outra coisa?
    “É necessário transparecer confiança, sair da retórica e apresentar projetos sustentáveis com soluções nítidas para o futuro de Mossoró.”
    Isto os empresários só conseguirão se afastarem imediatamente todos os políticos profissionais e se aproximarem do povo.
    Empresários, ouçam o povo. Façam reuniões com o povo. O povo quer que Mossoró mude. Mas que mude para melhor. E o povo sabe que com estes políticos nunca Mossoró mudará para melhor.
    Gostaria de dizer isto olhando nos olhos destes empresários. Meu telefone é 991397139.
    ////
    OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS EM BREVE. AGUARDEM!
    TUDO PODE ESTAR POR UM SEGUNDO!
    A LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES ESTÁ NO JOM DE NÚMERO 220 DE 27 DE SETEMBRO DE 2013.

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Inácio, bom dia.

      Já ponderei, aconselhei, sugeri etc, que você escrevesse menos para ter a chance de poder ser lido. A forma compulsiva, laudatória e repetitiva como você participa deste Blog (se participa de outros, não sei) não o ajuda em nada a ser lido.

      Quem seguramente o lê, sou eu. Sou obrigado à moderação e tenho que ler todos e todos os comentários, os mais longos possíveis. Nem sempre consigo, mas por zelo às regras, me empenho para cumprir essa missão.

      Abraços

      • paulo diz:

        Esse cara devia criar o próprio blog já que tem tanta coisa para falar.

        • Carlos Santos diz:

          NOTA DO BLOG – Boa tarde, Paulo.

          Este Blog é uma tribuna livre. Aqui não apenas as minhas opiniões, mas há espaço para a sua e a opinião de tantos outros que se manifestarem, seguindo as regras.

          Blog é fácil abrir, difícil mesmo é manter com o minimo de regularidade.

          Posso lhe garantir que não é fácil.

          Abração

        • Francisco. diz:

          Olha Paulo, gosto de lé o blog de Carlos Santos quase que diariamente mais o Inácio escreve muito e muitas coisas que escreve eu já li umas 30 vezes. Com todo respeito ao Amigo Inácio. Um abraço.

          • Inácio Augusto de Almeida diz:

            Caro Francisco
            Obrigado por já ter lido uma 30 vezes as mesmas coisas que eu escrevo. Certamente você leu muito mais de 30 vezes que eu reclamo da demora no julgamento dos recursos SAL GROSSO. Talvez você já tenha lido mais de 1000 vezes. Para você ver, caro Fernando, mesmo eu já tendo apelado mais de 1000 vezes e até carta aberta ao Presidente do Tribunal de Justiça ter aqui publicado estes recursos não são julgados. Éque me dói muito ver pessoas que recorreram aguardando um julgamento que nunca acontece. Pessoas que certamente se julgam injustiçadas, ou alguém que não se julgue injustiçado vai recorrer de uma decisão judicial? Por ser sensível a dor destes que se julgam prejudicados é que continuo clamando pelo julgamento dos recursos SAL GROSSO. Quanto a merenda escolar ser uma no cardápio e a servida ser outra, creio que você já leu muito mais do que 30 vezes. E mesmo assim, mesmo já estando cansado de saber que eles colocam no cardápio paçoca com arroz e servem farinha com arroz você não se anima a escrever uma só linha reforçando as minhas denúncias. Que o UNIFORME ESCOLAR não foi entregue você deve saber de cor e salteado. Então proteste. Ou você não tem nenhum sobrinho ou parente matriculado na escola pública em Mossoró?
            Façamos uma corrente em favor dos direitos das crianças mais pobres desta cidade.
            Conto com você nesta luta que aos pouco estamos vencendo.
            Um abraço
            ////
            OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS EM BREVE. AGUARDEM!
            A LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES ESTÁ NO JOM DE NÚMERO 220 DE 27 DE SETEMBRO DE 2013.

  3. JerôniEmiianomo diz:

    Gostaria de dizer que concordo plenamente com o seu comentário e acrescento ainda que os candidatos citados que esqueceram os eleitores após as eleições, no pensamento deles não devem sequer satisfação aos Mossoroenses, pois os votos colhidos nas urnas que os elegeram foram comprados das próprias lideranças da nossa cidade, lideranças essas que os prometeram milhares de votos, e em troca receberam apoio financeiro para gastar em suas campanhas, e o povo que se dane. As reuniões com os eleitores já estão acontecendo com muitas promessas de cargos, tornando-se assim a mesma prática das eleições passada.

  4. Chagas Nascimento diz:

    Parabéns pela crônica Carlos Duarte. Infelizmente, você está com a razão!!!

  5. rraimundo nonato sobrinho diz:

    Mossoró Melhor pra elite.

  6. Luis diz:

    Espero estar enganado, mas creio que quando um grupo como esse, que sempre esteve perto do poder, aparece com uma proposta dessas, na verdade quer mesmo é eliminar os intermediários, qual seja, os chamados “políticos de profissão”. Genivan Batista, Marcelo Rosado, Rútilo Coelho, Nilson Brasil, Tião da Prest, Marcelo Alecrim…Oras, eles participaram, financiaram, aconselharam e influenciaram as últimas campanhas eleitorais e gestões da cidade e do estado. Se são capazes de fazer a diferença, por que não fizeram até hoje?

  7. Carlos Mota diz:

    Esse movimento que aí está chamado de “Mossoró Melhor”, nada mais é, do que um arrumadinho das pessoas e “políticos” que sempre estiveram na política atrasada de nossa Mossoró. Eu fico aqui imaginando, como será o futuro da pobre Mossoró?? Eu tenho é pena!!

  8. Lair Solano Vale diz:

    Será que os que são contra tudo e nunca concordam com nada acreditam pelo menos que Deus existe ?

  9. victor diz:

    Tentando fazer política nova com políticos velhos isso e mais uma ilusão para o povo.

  10. João Paulo diz:

    Bom texto. Mas fico a pensar o que se passa na cabeça de alguém que ainda prega em terra brasilis desenvolvimento sustentável e bem-estar social. O Brasil teoricamente é um sistema social-democrata. A constituição ampara uma ampla rede social, que na prática não funciona. Mas como é de praxe por aqui, ainda tem gente que pensa um país que não existe e não existirá se não houver uma revolução de princípios.

  11. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Como deveras dito através de outras palavras contida no enxuto e objetivo texto do articulista Carlos Duarte, realmente pode-se dizer do Mossoró Melhor… é o mais do menos. Mesmo porque dos primeiros “ensaios” dessa trupe que se intitula um grupo de empresários e políticos , pensando e articulando supostas soluções de ordem econômica, politica e administrativa pra salvar o país de mossoró da desordem, do caos e da corrupção que segundo os “bem intencionados cidadãos”, de repente passou a se espraiar em todos os recantos da nossa urbe.

    Todavia, além do passado e da vida pregressa dessas figuras deveras e historicamente vinculadas ao Status Quo e que intentam serme os salvadores da “pátria” que combateu Lampiãoo, infelizmente se verifica, o mesmo e preclaro enunciado das velhas e manjadas práticas da casa grande mossoroense.

    Aliás, as anunciadas, midiatizadas e “festejadas” reuniões dos grupelhos de políticos e empresários há seis meses do pleito eleitoral, trazidadas à publico através da nossa conhecida, elitista e venal imprensa, e tida como acontecimentos tão naturais qaunto a contrução do Empire State. No caso as supsota naturalidade com que ocorre esses encontros polrico partidários das velhas e manjadas figuras conservadoras, prá não dizer do mais profundo obscurantismo político praticado pelas oligarquias politico/empresarais da nossa cidade.

    No caso, as seguidas e festejadas reuniões tidas como naturais e de um prenúncio e renascimento de uma nova poltica nos rincões de nossa cidade, muito me faz lembrar do histórico embate ocorrido entre os Ministros Gilmar Dantas Capitão do Matos Mendes e o Xerife Joaquim Barbosa, quando este último em reposta ao Decrépito Gilmar, afirmou em alto e bom som, “Minstro Gilmar, saia às ruas”. No que o Gilmar Dantas Demoniocratas repeliu dizendo ir as ruas, e, então , logo o Ministro Xerifão Barbosa…repeliu “Não Ministro Gilmar, Vossa Excelência, jamais foi às ruas, Vossa Excelência, com frequencia, tem visitado e utilizado bastante à midia para enterrar e desmoralizar de vez o ja combalido, partidarizado e elitista judiciário brasileiro.

    O fato é que há bastante similitude dos protagonistas entre o que se fala e o que se faz, não obstante estejam em searas sociais e políticas distintas, pois numa a ambiência se trata do Supremo Tribunal Federla, ja outra estamos a vicencialas nas conhecidas , manjadas e repetidas rodas polticas do país de mossoró, que no mais das vezes, efetivamente se equipara à um museu de grandes novidades.

    Um baraço
    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  12. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Caro Jornalista Carlos Santos, se não me equivoco, ontem, dia 31/01/2016, escrevi algo sobre o texto de Carlos Duarte, assim como sobre o de Vanessa da Mata, porém os dois escritos, não só não foram publicados, como sumiram da chamada caixa de moderação, o que me causou estranhesa, pois não é a primeira vez que tal fato ocorre.

    Verbalizo estranhesa, dado o fato de, a principio não acreditar em corte e (ou) boicote, pois sempre fiz o possível pra respeitar, não só as regras do Blog, mais ainda à todos quantos dele participam. No caso da expressaão estranhesa, sobretudo em função da minha confessada ignorância dos meandros e das técnicas afetas ao chamado mundo virtual. Caso o fato, repetido fato, não esteja vinculado à aspectos de ordem técnica, espero do nobre jornalista, explicações sobre possiveis cortes/censuras com relação aos meus comentários, assim como as possíveis razões que levaram o editor quanto a sua não liberação.

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Fransueldo, bom dia.

      Eu não fico 24 horas por dia no computador, lendo e liberando comentários. É humanamente impossível.

      Outro detalhe, é que não tenho nada de pessoal, familiar, político, comercial, religioso, esportivo ou qualquer diferença contigo para promover vetos, censuras etc.

      Você não tem ideia de como é difícil manter essa página funcionando, com tantas incompreensões, ataques gratuitos e outros programados.

      Mas vou continuar enquanto for possível.

      Abraços

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.