• Banner Lion Brazil Fim de 2019 - 05-12-19
domingo - 26/02/2017 - 09:26h

Como levar a sério um governo assim?


Por Carlos Duarte

O governo Robinson Faria continua sendo contumaz na arte de enganar.

Em julho do ano passado, alugou um imponente prédio, em Pau dos Ferros (RN) para abrigar o Restaurante Popular da cidade. O prédio fica às margens da BR 405, próximo ao Campus Avançado da Uern, local estrategicamente bem escolhido.

Na ocasião, houve uma grande exposição midiática para o lançamento das obras de reforma do referido prédio, com direito a maquete eletrônica do projeto, discursos, entrevistas e muitas promessas, que fizeram brilhar os olhos de milhares de pessoas carentes do Alto Oeste Potiguar.

Pura enganação. Tratava-se de mais um engodo planejado para iludir o povo do RN. Não há escrúpulos e nem bom senso para esse governo medíocre.

Passados quase oito meses, a reforma do propalado restaurante ainda não foi concluída e o proprietário do imóvel não recebeu sequer um mês de aluguel. Para piorar a situação, o governo Robinson de Faria não pagou a conta de energia e a Cosern, claro, cortou o fornecimento. Agora, o proprietário do imóvel está negativado no Serasa, porque também não foi transferida a titularidade da conta de energia junto à Cosern.

Pode-se levar a sério um governo que pratica tais atitudes?

SECOS E MOLHADOS

Serraglio – O novo ministro da Justiça do governo Temer, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), fez parte de um grupo de deputados que defendiam a “anistia” a Eduardo Cunha por ter destravado o impeachment de Dilma Roussef. Agora, o ministro defende a quebra do sigilo de delações e diz que “ninguém segura a lava Jato”.

Desemprego - Apesar dos tímidos sinais de otimismo na economia brasileira, a partir do segundo semestre deste ano, economistas classificam como “desanimadores”, para o RN, os dados da Pesquisa por Amostra de Domicílios Continua (PNAD Contínua), divulgada pelo IBGE. As perspectivas do RN são pouco positivas: registra 225 mil desempregados e uma taxa de desocupação de 14,7%. É o pior desempenho na série histórica do estado.

Segurança – O governo do Estado garante que 2,7 mil agentes de segurança pública estarão nas ruas do Rio Grande do Norte durante o carnaval. Em Natal, 570 policiais militares irão garantir a segurança nos polos de shows promovidos pela prefeitura da capital. No interior, o reforço está em Macau, Areia Branca, Caicó, Touros, Pipa, Assu, e Maxaranguape.

Ataques – Somente neste ano, foram registrados 29 ataques contra bancos, carros fortes e agências dos Correios no RN. Isso significa que, a cada dois dias, uma cidade do Estado é atacada de forma violenta por bandidos especializados em explosões a bancos. Se continuar nesse ritmo, em pouco tempo, será ultrapassado o total de ataque do ano passado (77 ações).

Teste – Na abertura oficial do Carnaval Multicultural de Natal, o prefeito Carlos Eduardo (PDT) passou bem pelo teste de popularidade. No clima da folia, foi bem aplaudido depois do breve discurso. Esteve acompanhado do vice Álvaro Dias, de vereadores e secretários.

Dólar - Com a notícia de que o Federal Reserve (o Banco Central americano) não irá subir os juros americanos, no curto prazo, o dólar continua em queda livre no Brasil. Com a redução da taxa Selic de 13% para 12,25%, anunciada pelo Banco Central, na quarta-feira (22) a tendência é de que a moeda americana seja cotada em patamares abaixo de R$ 3,00, nos próximos dias.

Imóveis – O Sindicato da Indústria da Construção Civil do RN (Sinduscon RN) divulga queda de 22,3% na venda de imóveis no RN. Para este ano, não há boas perspectiva de novos lançamentos. A estratégia do setor é a de liquidar estoques de imóveis prontos para o consumidor.

Indenização – O consumidor brasileiro vai mesmo pagar a conta bilionária (R$ 62 bilhões) que o governo federal deve às empresas de transmissões de energia elétrica. O governo Temer decidiu que o pagamento vai entrar na tarifa de energia do consumidor, a partir de julho, diluídos em oito anos. O impacto médio, neste ano, será de 7,7%, de acordo com a Anatel. Isso é ainda consequência da Medida Provisória 579/2012, quando Dilma Roussef, numa jogada fracassada de marketing, determinou que as tarifas das contas de luz fossem reduzidas em 20%.

Duarte Carlos é economista, consultor Ambiental e de Negócios, além de ex-editor e diretor do jornal Página Certa

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Inácio Rodrigues diz:

    Acho que houve uma imprecisão na citação dos prédios. O imóvel que teve a energia cortada em Pau dos Ferros foi o destinado a central do cidadão, e nao aquele que abriga o restaurante popular.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.