quarta-feira - 29/07/2009 - 23:24h

Em Mossoró, arrogância e imoralidade


De volta a Mossoró, depois de uma semana em Martins, encontrei a cidade tão ou mais esburacada do que deixei. Inclusive moralmente.

Realmente o governo de Fafá Rosado é um desgoverno; uma verdadeira calamidade para o justo, como diria o velho Calixto, de Portalegre, um negro centenário que me deu certa vez a melhor definição do que seria um político (com as exceções de praxe): “uma gente que continua comendo enquanto todos nós fazemos jejum…”

Em Mossoró, como comem os Rosado! Uma familia que está no poder há décadas, em cujo decurso se apropriou de tudo, inclusive da consciencia de muitos mossoroenses.

Mas — é preceito bíblico — todo começo tem um fim e parece-me que agora, apesar do que dizem os otimistas, já não é mais possivel esconder nem disfarçar que há algo de podre — de muito podre – nesse país dominado pela arrogância e o obscurantismo.

E isto porque são os próprios Rosado que estão solapando o resquicio de temor que subsistia na alma de muitos mossoroenses que aprenderam a respeitar e devotar-se aos interesses dessa numerosissima parentela. A maneira como age o irmão da prefeita Fafá Rosado, o agitador cultural Gustavo Rosado, é muito representativa desse aruinamento que resulta do crescente descrédito dos Rosado em Mossoró.

Hoje, ninguém em sã consciência o ignora: o maior adversário dos Rosado é um Rosado, Gustavo, que usando do poder de açambarcar tudo na Prefeitura de Mossoró, está se indispondo  com toda Mossoró e indispondo a opinião pública em relação à sua ilustre familia.

Hoje seu nome é repudiadíssimo em toda Mossoró, como prova e comprova a manifestação dos leitores, por exemplo, de Carlos Santos, que tem se encarniçado em defender certos valores que esse segmento da familia Rosado, representado pelo irmão de Fafá, encarna de maneira tão odiosa.

Somente há em Mossoró uma segunda pessoa tão odiada e desprezada quanto ele. É um médico.

Agora, ao retornar, essa novidade que faltava. Gustavo está processando o jornalista Carlos Santos por causa de umas fotos comprometedoras que um correligionário insatisfeito fez chegar às suas mãos.

Duplo processo, pois seu parceiro, o secretário Francisco Carlos — aparentemente um desses tipos fronteiriços com pinta de estivador –, a segunda pessoa desse governo que seria risivel se não fosse tão imoral, também quer reparação por danos morais, numa verdadeira inversão de valores: o povo de Mossoró, que o jornalista Carlos Santos tem defendido tão aguerridamente, é que devia processá-los inclusive por usurpação do cargo da prefeita que não manda nem desmanda.

Franklin Jorge é escritor, jornalista e crítico literário (AQUI).

Categoria(s): Fred Mercury

Comentários

  1. Everton Carlos da Costa Cardoso diz:

    Muito bem colocado: os Rosado se apropriaram de tudo, inclusive da consciência de muitos mossoroenses. Ou seja, fizeram uma “lavagem cerebral” na maioria dos eleitores mossoroenses. Como diz Carlos Santos: Pobre Mossoró!

  2. william diz:

    Até quando??? Desejo em vida ver Mossoró livre deste julgo… Mas o povão não ajuda… Não entendo até hoje os motivos dos mossoroenses louvar essa Oligarquia, só tem dado tromba no povo…Tenho certeza que teríamos uma cidade melhor sem eles…

  3. Lenilda diz:

    Franklin

    Parabéns, pelo texto vou parafrasear um o comentário de Seu Valtercio. Gostaria de discordar de você, mas não há como tudo que você coloca tem pertinencia.

  4. Aldenilson Teodosio da Silva diz:

    Franklin, voce foi genial nesse artigo.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.