sábado - 29/09/2012 - 20:38h
Carta ao Blog

Esse mico não pago


Por Xyco Theophilo

Leio seu Blog sempre, e me deparo em meio a um tiroteio que nem um deficiente  sensorial cego, numa dramaturgia primária, inverossímil, onde as questões em torno das quais gravitam os personagens, são necessariamente rasteiras.

O seu webleitor pode não se dar conta disso porque o universo dramático é inteiramente preenchido por essas situações e esses personagens que usam o nome da gente intencionalmente para gerar um fato no pinga-fogo da disputa.

Na vida, contudo, esse universo não se esgota nos créditos de encerramento. Atuo na publicidade e no marketing político e eleitoral brasileiro desde 68, enveredando pela criação, planejamento estratégico e sempre com um conceito utilitário, fazer uma coisa que nem mais a igreja faz: juntar todos na mesma pátria.

Faço isso ai, no Ceará, Piauí, Maranhão, Roraima, Amapá com 138 campanhas majoritárias e outro tanto de proporcionais.

O picadeiro em que se transformou o cenário político dessas eleições de 2012 em Mossoró me jogou na cena como um novo fato político mal elaborado, precipitado, simplesmente porque fui levado para dar sinergia a uma, das duas admiráveis mulheres, que disputam a eleição aí.

Vença quem vença a prefeitura continua de saia.  Viva as mulheres…

Depararei-me  numa cena onde não sou protagonista, em meio a comentários e torpedos das duas correntes que se antagonizam. Eleição é isso mesmo, ninguém conte os ânimos  do que se passa a cada dia nesse cenário; conviver com a rotina dos boateiros  e a desfaçatez de seus personagens.

Mas esses personagens foram todos colocados na arena pelo voto do povo. Conclui-se que ou é isso o que o povo de fato deseja, ou o povo não sabe no que está apostando. Não existe terceira opção e nem dois turnos. É agora ou só daqui a quatro anos, ou dois se o caminho for outro.

Autor, ator, Diretor, Professor, trabalhador nunca trabalham de graça, pois já dizia o poetinha Vinicius que trabalhar de graça é uma desgraça.

Na suposição de que não é isso o que a sociedade quer, resta a constatação de que a sociedade no viés da vez está escolhendo seus representantes como  personagens. Estes personagens são mudados e  criados por ficcionistas ousados, vorazes, algumas vezes brilhantes, outras nem tanto;  que seguem as regras da construção de imagem pessoal como se fora um  espetáculo televisivo, onde é necessário envolver milhares de  pessoas, de categorias sociais tão distintas, em emoções comuns a todas elas.

São emoções banais, primárias. E a verdade é que esse espetáculo é pobre, ruim.

Programas políticos diluem o que há de pior na estética voltada para a massificação dos valores, a pasteurização das emoções e o emburrecimento sistemático do espectador que tudo vê e tudo lê. Profissional não é um aplicativo, de onde se tira vantagem de suas integrações com o dispositivo eleição: acelerômetro, bússola, novidades, intrigas, futricas, disse-me-disse, agenda recheada  dentre outros.

Cobrimos apenas  as necessidades de pesquisa e aprofundamento de informação. Ou seja, as duas opções precisam coexistir até a boquinha da urna. Daí se dizer que somos estrategistas nexalistas intérpretes da realidade, apenas.

Repare essas considerações de um admirador seu, Carlos Santos.

Já tive o prazer de expressar isso a você pela mão de um amigo querido, o Roberto Miranda, quando nos encontramos “pela aí”.

Um forte e fraternal do seu leitor e admirador Xyco Theophilo – jornalista por formação, publicitário por vocação, empresário por descuido.

Não estou. Não estive. Fui sondado, jogado na vitrine, celebrado, honorários acertados e descartado por algum anônimo de bastidor mais forte pelo visto, de quem me convocou.

Nota do Blog – Meu Caro Xyco, devemo-nos um encontro longo, sem horas para o assombro do adeus, nessas veredas do sertão ou no beiço desse mar que Cabral singrou com suas caravelas lusitanas, mas que sempre foi pátria de Netuno.

Sou um modesto tabaréu, repórter provinciano – que se diga, que aprecia a inteligência alheia e a cultura de outrem, com o incenso litúrgico da admiração. Estás, sublinho, no sacrário que reservo a poucos.

A campanha de Cláudia Regina (DEM) tem muito a perder com sua ausência, depois de tudo “acertado”. As “forças ocultas”, comuns nessas plagas, detestam a concorrência do talento, mesmo que coloquem em risco seus próprios interesses maiores: o poder e o cheiro forte do azinhavre saído do erário.

Faz parte. Ligue não. Eles passam.

Categoria(s): Comunicação / Eleições 2012

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Eu quando li que esta contratação tinha sido feita imaginei que finalmente tinham despertado e iriam dar início a uma série de correções que se fazem necessárias na campanha da candidata Cláudia Regina.
    Ledo engano.
    Tudo continuará como dantes no castelo de Abrantes. E nem foi preciso aparecer algum Junot.
    Às vezes penso que quando as coisas são muito claras encandeiam.
    Mais claro do que o sol do meio dia está a maneira errada como esta campanha vem sendo dirigida.
    Só que neste caso não sei se o encandeado sou eu.
    Será que esta candidatura é apenas de faz de conta?
    Acreditar que não estão vendo tantos erros, erros gritantes, é muito difícil.
    Será que ninguém está conseguindo ver que é preciso mudar a maneira de fazer esta campanha? Certamente alguém lá de dentro já falou isto. E talvez por ter falado tenha sido afastado.
    Eis o que disse Xyco: “Não estou. Não estive. Fui sondado, jogado na vitrine, celebrado, honorários acertados e descartado por algum anônimo de bastidor mais forte pelo visto, de quem me convocou.”
    Anunciaram a contratação deste renomado profissional só para ingês ver.
    E se assim fizeram, mais um grande erro foi cometido.

  2. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Atentem para o que disse Chyco Teophilo:
    “Vença quem vença a prefeitura continua de saia. Viva as mulheres…”
    Estas reticências gritam.
    Quem quiser entender, que entenda.
    No meu velho som, ouço MASSA FALIDA, da dupla Duduca e Galvan.
    Vejam a letra desta linda música.
    MASSA FALIDA
    Eu confesso já estou cansado de ser enganado com tanto cinismo
    Não sou parte integrante do crime e o próprio regime nos leva ao abismo.
    Se alcançamos as margens do incerto foram as decretos da incompetência
    Falam tanto sem nada de novo e levam o povo a grande falência!
    Não aborte os seus ideais
    No ventre da covardia
    Vá a luta empunhando a verdade
    Que a liberdade não é utopia!
    Os camuflados de samaritanos nos estão levando à fatalidade,
    Ignorando o holocausto da fome, tirando do homem a prioridade.
    O operário do lucro expoente e a parte excedente não lhe é revertida,
    Se aderirmos aos jogos políticos seremos síndicos da Massa falida!
    Não aborte os seus ideais…………
    ///
    Melhor mesmo ouvir belas canções…
    Pena que o Cinquentinha não tenha colocado esta música no seu carro de som.
    Josué bem que poderia fazer isto.
    O que é bonito deve ser mostrado.
    Ou não?

  3. Frank Dantas diz:

    Amigo andarilho, concordo com você no que diz que quem perdeu foram eles. Xyco é uma capacidade, grande e reconhecido talento. Mas o problema é que não gostaram do que ele disse depois de ver a real situação da campanha.

    • xyco theophilo diz:

      Danatas O time é perfeito, Fora eu o candidato os convocaria certamente, Profissionais sempre acolhem um veterano expeirnete de guerra. E eleição nao é processo para inocentes. Voce foi amavel comigo, Aí, nesses 22 anos, só perdemos uma eleição, embora tenhamos saido melhor do que entramos. Nao aconteceu nada disso de tripudiar o trabalho de ninguem. Ética é uma coisa que não se pode transigir. Forte abraço. Sarava

  4. Sergio Levy diz:

    Diante de uma campanha eleitoral pobre em argumentações e conteúdo, pautada no midiático para se atingir resultados, com ausência de lideranças que empolguem e deixem esperança como rastro, não me contive em comentar que este diálogo entre Xyco e Carlos Santos talvez tenha sido o mais racional, inteligente e objetivo que li durante este período. Um abraço aos dois.

    • xyco theophilo diz:

      Inácio querido amigo

      Bom saber de você agitando em Mossoro. Qualquer dia nos encontraremos aí. abraço fraternal sarava

      • Inácio Augusto de Almeida diz:

        Xyco, grande mestre
        Eu só posso dizer:
        Mestre, perdoa-lhes pois não sabem o que fizeram.
        Quando voltar a Mossoró dá uma ligadinha.
        E conte sempre comigo.
        Independente de qualquer coisa.
        Um forte abraço
        Que Deus abençõe a todos nós.

    • xyco theophilo diz:

      O brilho é do blogueiro que inspira a gente todos os dias.

  5. Naide Bessa diz:

    Querido Carlos Santos,
    Tive o prazer de conviver diretamente com Xyco e assessorá-lo em Mossoró por toda uma campanha política num passado recente. Cara inteligente, gentil, perspicaz, audacioso e comprometido com suas funções profissionais.
    Bom, também, é lê-lo e saber que não está aqui para “pagar mico”.
    Abraço

    • xyco theophilo diz:

      Naidinha querida obrigadim pelas palavras. Nao sou merecedor, o que importa mesmo é sermos amigos. Saudade de voce beijo afetuoso Sarava

  6. Tuca Viegas diz:

    Eles passarão. Você, passarinho! Plagiando Mário Quintana.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.