segunda-feira - 24/08/2020 - 21:36h
Economia

Estudo revela fôlego à retomada do setor de petróleo e gás


O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDEC), publicou nesta segunda-feira (24) um informativo sobre a produção de Petróleo e Gás Natural referente ao primeiro semestre de 2020.

Petróleo em terra: esperança (Foto: Alex Régis)

A iniciativa é da Coordenadoria de Desenvolvimento Energético (CODER), que vem trabalhando em infográficos periódicos com foco nos diferentes segmentos do setor de Energia.

No mês  passado foi publicada uma edição com o panorama do Setor Eólico potiguar. Também já foram publicados materiais sobre a Matriz Energética e Geração Distribuída no estado.

As informações estão disponíveis no site da Secretaria.

O novo informativo detalha a participação de empresas e outros números acerca da produção de Petróleo e Gás on-shore e offshore ao longo dos seis primeiros meses do ano. A Petrobrás ainda é a principal detentora dos poços produtores de petróleo onshore no estado, com uma participação de 88% em relação aos produtores independentes, responsáveis pelos 12% restantes.

Crescimento

A Potiguar E&P é a produtora independente com maior número de poços em atividade, representando 39% da categoria, seguido pela 3R Petroleum (37%). A Central Resources, Leros e Ubuntu somam menos de 1% em número de poços.

Entre abril e junho houve uma alta de 1,5% na produção total de petróleo em barril. A produção offshore, no entanto, influenciou negativamente os números. O aumento de 4% na produção de petróleo em terra possibilitou uma recuperação apenas modesta da produção de petróleo ao final do semestre, mas que já evidencia o potencial de crescimento impulsionado pelos novos produtores independentes.

A entrada destes agentes no mercado, assim como o aumento da performance na produção dos campos maduros e uma tímida retomada da economia são fatores que contribuíram para uma recuperação parcial. Já a produção de petróleo offshore apresentou redução foi de 40% em comparação ao ano anterior.

A produção de Gás Natural (GN) também apresentou queda de 25% no semestre, resultante de uma redução de 22% da produção onshore e de 29% da produção offshore..  Espera-se que com o início das operações de novos produtores independentes, em paralelo à liberação do acesso ao gasoduto de produção e à Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) pela Petrobrás, a produção de GN volte a crescer. A Petrobrás e a 3R Petroleum são responsáveis por toda a produção de gás natural na costa potiguar.

Veja mais detalhes AQUI.

* INSCREVA-SE em nosso canal no Youtube (AQUI) para avançarmos projeto jornalístico.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Economia

Comentários

  1. Rocha Neto diz:

    Seria bom que o governo do estado vianilizasse um estudo com fulcro de ver como se poderia incentivar empresas de médio e grande porte serem atraídas para operar no setor de petróleo e gás de forma privada, pois a Petrobrás atualmente estar quase acéfala em termo de desenvolvimento para nossa região oeste, não tem investimentos planejados para continuar operando como deveria ser.
    A única certeza viável no momento, é a estatal entregar toda sua estrutura operacional para ser impulsionada pelas empresas privadas que poderão dar outra dinâmica aos poços maduros que já não são mais viáveis à Petrobrás e sim as empresas que os adquirirem , garantindo assim um fôlego ao setor de trabalho da nossa regiao, como também ao comércio que a muito se ressente com a ausência operativa da Petrobrás.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.