quinta-feira - 24/05/2007 - 11:51h

Exclusão policial


Num jornal mossoroense, edição de hoje, capa, bem no alto da página, uma manchete deprime. Abate-me como indivíduo e jornalista:

"Mulher de 71 anos é presa em supermercado". Assim mesmo. Cortante, direta, seca. A legenda complementa o golpe citando o nome da "bandida" e o crime hediondo. Furto.

Disseca a banalidade. Só que envolve uma idosa, sem sobrenome corado, nada de parentes importantes ou abastada - vista como se fosse uma criminosa de grande envergadura.

Enquanto isso, rico sujo ganha foro privilegiado e outros podem furtar bolsa sem medo, em festa fina, com direito a lugar na coluna social. Subtrair o alheio é doença, tadinho.

A patologia tem nome quase impronunciável, mas pomposo, glamouroso como o meio requer: cleptomania. Lindo! "In!" Bacana, hein!?

Isso é o que eu chamo de exclusão policial.

Um dia essa terra ainda vai cumprir seu ideal.

Categoria(s): Nelson Queiroz

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.