terça-feira - 30/05/2017 - 22:02h
Anote, por favor

Fatores econômico e político darão um jeito no IPTU


O caso do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) exorbitante cobrado pela Prefeitura Municipal de Mossoró, no atual exercício, será resolvido por dois fenômenos:

- O econômico, pela altíssima inadimplência. Ano passado chegou a 55%. Em 2017, ela deverá saltar para percentual bem acima;

- O político, pelo dilacerante desgaste para a gestora Rosalba Ciarlini (PP), que quer eleger em 2018 a filha e secretária do Desenvolvimento Social, Lorena Ciarlini, deputada estadual.

Não espere que nenhum outro fator acue a municipalidade.

O ente público continua ávido por expropriar cada vez mais o cidadão, na tentativa de atenuar seus problemas de caixa. É sempre mais fácil meter a mão na botija alheia, do que fazer o dever de casa, com ousadia e coragem.

Esquiva-se estranhamente de promover uma auditoria nas contas municipais, até hoje não apresentou um projeto de reforma administrativa (até criou outra secretaria e mais de 50 cargos comissionados), além de não desencadear qualquer ideia inovadora para dinamizar a receita própria.

A saída é a pilhagem! Por isso, o rapa do IPTU, taxa de limpeza urbana, indústria da multa automotiva etc.

Anote, por favor.

Leia também: OAB diz que contribuintes “devem pagar” IPTU exorbitante (AQUI).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política / Só Pra Contrariar

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.