sexta-feira - 29/03/2013 - 06:29h
"Desinvestimento"

“Feirão” da Petrobras dispersa patrimônio estatal


Na quarta-feira, dia 27 de março, o executivo Carlos Fabián, do grupo argentino Indalo, esteve no 22o andar da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, para fechar o negócio de sua vida. É lá que funciona a Gerência de Novos Negócios da Petrobras, a unidade que promove o maior feirão da história da estatal – e talvez do país.

Sem dinheiro em caixa, a Petrobras resolveu vender grande parte de seu patrimônio no exterior, que inclui de tudo: refinarias, poços de petróleo, equipamentos, participações em empresas, postos de combustível.

Com o feirão, chamado no jargão da empresa de “plano de desinvestimentos”, a Petrobras espera arrecadar cerca de US$ 10 bilhões. De tão estratégica, a Gerência de Novos Negócios reporta-se diretamente à presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster.

Ela acompanha detidamente cada oferta do feirão.

enhuma causou tanta polêmica dentro da Petrobras quanto a que o executivo Fabián viria a fechar em sua visita sigilosa ao Rio: a venda de metade do que a estatal tem na Petrobras Argentina, a Pesa.

A revista Época teve acesso, com exclusividade, ao acordo confidencial fechado entre as duas partes, há um mês. Nele, prevê-se que a Indalo pagará US$ 900 milhões por 50% das ações que a Petrobras detém na Pesa.

Apesar do nome, a Petrobras não é a única dona da Pesa: 33% das ações dela são públicas, negociadas nas Bolsas de Buenos Aires e de Nova York. A Indalo se tornará dona de 33% da Pesa, será sócia da Petrobras no negócio e, segundo o acordo, ainda comprará, por US$ 238 milhões, todas as refinarias, distribuidoras e unidades de petroquímica operadas pela estatal brasileira – em resumo, tudo o que a Petrobras tem de mais valioso na Argentina.

Veja matéria completa AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Economia

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    É a Petrobrás sem caixa.
    Conseguiram quebrar a Petrobrás com esta política de preços artificiais dos derivados do petróleo.
    Tudo feito em nome desta política populista e irresponsável.
    Mossoró sofre duramente os reflexos da irresponsabilidade do despreparado que colocaram na Presidência da República por oito anos, tempo que o Zé Dirceu mandou e desmandou.
    Fortunas foram feitas da noite para o dia.
    O filho do Lula, de zelador do zoológico paulista transformou-se em pouco tempo num dos homens mais ricos do mundo.
    Mas em economia a verdade sempre aparece.
    E chegou a hora da verdade.
    Aí está a Petrobrás com dívidas na casa dos 100 BILHÕES.
    CEM BILHÕES.
    Transformaram a Petrobrás num mico.
    A ELETROBRÁS está indo no mesmo caminho. Demissões em massa estão acontecendo nesta empresa.
    Breve será a EMBRAER.
    Não sobrará pedra sobre pedra.
    No final sobra sempre para os trabalhadores.
    Perdem os empregos, como está acontecendo em Mossoró.
    Os que continuam trabalhando tem os salários achatados, como os do Banco do Brasil.
    E a carga de impostos sobre os que produzem é aumentada para beneficiar os que nada produzem. Afinal, o populismo precisa de dinheiro para ser bancado.
    Tudo isto acontecendo e as forças vivas desta nação a tudo assistindo de braços cruzados.
    QUE DEUS NOS PROTEJA.

  2. Teodósio diz:

    Carlos, se uma negociata como essa fosse num governo do PSDB ou DEM, certamente que o PT estaria fazendo o maior estardalhaço dizendo que o governo estaria “entregando” o patrimonio da PETROBRAS. Alegariam também que seria o começo da privatização da estatal. E agora? O que voces tem a dizer sobre essa venda do patrimonio do povo brasileiro por um preço tão vil? Será que em 2014 voces ainda vão ter a cara de pau de denunciar que o governo FHC queria privatizar a PETROBRA, se voces estão na surdina, na calada da noite, vendendo parte da nossa PETROBRAS?

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      Caro Teodósio
      Não falarão mais nada.
      Pelo menos aqui em Mossoró.
      Estavam todos abraçados no COMÍCIO DAS MÁSCARAS CAÍDAS na Serra do Mel.
      Apenas a OPOSIÇÃO AUTÊNTICA levantará este e outros problemas em 2014.
      Mas a OPOSIÇÃO AUTÊNTICA não vai dispor de recursos para manter 60 carros de som nas ruas de Mossoró.
      Se conseguir manter dois carros de som será muito.
      Mas estará falando a verdade e denunciando todas as maracutaias.
      Cabe ao povo de Mossoró criar espaço para que a OPOSIÇÃO AUTÊNTICA cresça.
      Só vai depender do povo.
      Que os estudantes universitários pensem nisto.
      Que os artistas desta terra pensem nisto.
      Que todos os que amam Mossoró pensem nisto.
      Será que já não passou da hora de dar um basta nesta enganação?
      QUE DEUS NOS PROTEJA.

  3. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Petrobras vende ativos na Argentina por metade do preço, diz Época
    De acordo com a publicação, venda de fatia da Pesa foi feita no montante de US$ 238 milhões para Carlos Fábian, aliado de Cristina Kirschner
    Por Lara Rizério
    |11h51 | 01-04-2013
    SÃO PAULO – De acordo com documentos obtidos pela revista Época, a Petrobras (PETR3;PETR4) vendeu sua unidade na Argentina, a Pesa, por metade do preço para um amigo da presidente do país, Cristina Kirchner.
    O negócio foi fechado na última quarta-feira (27), entre a petrolífera e o executivo Carlos Fabián, do grupo argentino Idalo, de acordo com a publicação. Fabián trabalha para o bilionário Cristóbal López, dono do grupo. Amigo e apoiador da presidente Cristina, ele é conhecido como “czar do jogo”, devido ao seu domínio no mundo dos cassinos, o que foi visto com desconforto por técnicos da Petrobras.
    A Indalo se tornará dona de 33% da Pesa, se tornando sócia da companhia no negócio e ainda comprará por US$ 238 milhões todas as refinarias, distribuidoras e unidades de petroquímica operadas pela estatal brasileira. Técnicos apontam que os ativos deveriam ser vendidos por ao menos US$ 400 milhões.
    Negócio é mal visto dentro da companhia
    O negócio foi visto com apreensão dentro da Petrobras, devido aos valores, o momento da venda, a identidade do novo sócio e o momento em que ele entrou na operação. Em 2002, a Petrobras gastou US$ 1,1 bilhão e assumiu uma dívida de US$ 2 bilhões para comprar 58% da Perez Companc, a maior empresa de petróleo privada da Argentina até o momento, tornando-se dona de 67% da empresa.
    Em maio de 2011, a Argentina anunciou a descoberta da terceira maior reserva mundial de xisto, equivalente à metade do petróleo do pré-sal brasileiro, sendo que a Pesa possui 17% das áreas no país. Já em 2012, a petroleira adquiriu a EntreLomos, levando a um aumento da produção.
    Deste modo, os técnicos da Petrobras questionam se o momento é o melhor para se fazer a operação, já que ela poderia esperar que a Pesa recuperasse o valor de mercado, aponta a revista.
    Fonte: infomoney.com.br
    ///
    Que os senhores tirem as suas próprias conclusões.
    Tenho que sair para VOMITAR.
    QUE DEUS NOS PROTEJA.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.