sábado - 28/03/2015 - 20:24h
Exemplo

Finlândia, a verdadeira “Pátria educadora”


À noite de hoje, zapeando canais na TV, me deparo com programa elucidativo e estimulante na TV Escola.

É o “Destino: Educação – Finlândia” (veja AQUI). Nele, um retrato da educação na Finlândia, que detém melhor nível de ensino do mundo.

Uma aula de conhecimento admirável. Quanta inveja!

Pátria educadora de verdade.

A Finlândia já foi muito pobre. Hoje tem alta qualidade de vida com educação de altíssimo nível, pública e gratuita.

Pátria educadora.

Dirigente educacional diz que se tornar professor “é muito popular na Finlândia”. Assinala até que ” o salário não é alto”. Há prestígio.

Todos têm nível universitário, lógico. A concorrência à formação é maior do que para Medicina, por exemplo.

Pátria educadora.

Essa revolução começou muito lá atrás, afunilando-se nos últimos 35 a 40 anos.

Sindicato de Educação da Finlândia é composto por professores, diretores e outros componentes desse universo. Discutem não apenas salário. Tem canal aberto para debate sobre tudo que envolve a educação, no plano político-governamental.

“Nem tudo é perfeito”, avisa uma diretora escolar. Nos últimos anos houve redução em investimento, falta mais tempo para requalificação/atualização.

“Educação nos dá poderes”, diz uma professora finlandesa.

Muitos poderes, sim!

Categoria(s): Educação

Comentários

  1. FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Sem dúvidas que a Finlândia é um modelo à ser analisado, estudado e adequando em alguns ponto à nossa realidade. Na necessariamente à ser seguida ipsis literis, mesmo porque cada país, cada povo e cada sociedade com suas necessidades próprias e peculiares às suas condições de ordem histórica, econômica, política e cultural.

    Oportuno sublinhar que os chamados países nórdicos e os países baixos, todos sem exceção, de há muito tem como paradigma no campo da educação, que a mesma seja um item prioritário nas políticas de estado, objetivamente obrigatório propostos por parte de governos e sociedade e que seja, afetiva e totalmente pública.

    No caso do nosso país, claro, precisamos e muito avançar, não obstante tenhamos tido alguns avanços consideráveis nos últimos vinte anos.

    À meu ver, as questões relacionadas à má qualidade e ao atraso da educação em nosso país tem raízes bastantes profundas, diria atávicas, porquanto à nossa origem, nosso processo de colonização, nossa formação religiosa e, sobretudo a nossa elite ignorante, autoritária, pedante e atrasada, que desde sempre jamais houve por priorizar, mesmo que minimamente, aspectos relacionados à qualidade e universalização do nosso sistema de educação.

    Mias ainda, temos que avaliar e ponderar, a nossa cultura oral e a nossa “natural” indisponibilidade ao gosto pela leitura e pelo estudo, também tem sido entraves suficientes para que ao longo da história tenhamos andado e bastante a passos de formiga.

    Mesmo ante todos esse dilemas, fracassos e atrasos de ordem histórica, constatamos o quão o nosso povo tem talento, é engenhoso e inventivo quando efetivamente chamado a demonstrar em vários campos da atividade humana, suas mais variadas facetas de inteligência, adequação e criatividade.

    Baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  2. Inácio Augusto de Almeida diz:

    “Sindicato de Educação da Finlândia é composto por professores, diretores e outros componentes desse universo. Discutem não apenas salário. Tem canal aberto para debate sobre tudo que envolve a educação, no plano político-governamental.”
    DISCUTEM NÃO APENAS SALÁRIO.
    Mas como falar isto para uma professora em Mossoró cujo salário é dez vezes menos do que um vereador dispõe para gastar em RESTAURANTES E HOTÉIS através da IMORALÍSSIMA Lei da Mordomia dos Vereadores?
    Como querer que uma professora, que ganha um salário que não chega a ser um décimo do salário de um vereador, se preocupe com outra coisa que não seja o seu salário?
    Não se pode falar em uma melhor educação sem primeiro resolver o grave problema da defasagem salarial dos professores.
    A desvalorização dos professores acontece de forma pensada e tudo muito bem calculado pelas classes dominantes. Sabem que com professores mal pagos e TOTALMENTE desprestigiados a qualidade do ensino desaba e a consequência será jovens despreparados para o mercado de trabalho. E despreparados, tornam-se estes jovens facilmente manipuláveis.
    Estas elites que agem desta forma mais do que criminosa, diria, monstruosa, cuidam muito bem dos seus pimpolhos. Colégios do mais alto nível, professores altamente qualificados e regiamente pagos, vide salário dos professores de cursinhos pré-vestibular, material escolar da melhor qualidade, pesquisas nas internet e tudo o mais que possa existir numa educação de primeiro mundo.
    Para os que não tiveram a sorte de nascer nesta elite, falta de uniforme escolar, nem um só caderno ou lápis e FOME. Assistem às aulas com estômagos vazios. Não vamos entrar no descaso com a saúde destas crianças. Crianças que necessitam usar lentes corretoras e realizar tratamento odontológico, mas que nunca são submetidas a estes procedimentos.
    Depois, estas mesmas elites ficam reclamando da violência. Violência que combatem com contratação de segurança particular. Mas se esquecem que uma coisa não podem controlar e que destrói o amanhã dos seus amados filhotes.
    AS DROGAS.
    As drogas, que com sua força deletéria, aniquilam todos os sonhos e terminam transformando em nada, por força da destruição moral que causam, os planos de continuação de muitas oligarquias.
    Quem não já ouviu falar de casos de jovens das “melhores” famílias destruídos pelas drogas?
    A LEI DO RETORNO EXISTE!
    Infelizmente muitos nela não acreditam.
    Cuidem da educação sem fazer divisão de classes e o mundo será bem melhor para todos. Adotem uma educação única para todos. Isto feito, acontecerá de imediato uma melhoria da qualidade da educação. Resultado disto será uma sociedade menos desigual e violenta.
    UMA SÓ EDUCAÇÃO PARA TODOS.
    Sonho? Talvez… Mas o que seria do mundo sem os sonhadores?
    /////
    QUANDO SERÃO JULGADOS OS RECURSOS SAL GROSSO?
    O UNIFORME ESCOLAR NÃO FOI ENTRGUE EM MOSSORÓ.
    EXAMES ODONTOLÓGICOS E OFTALMOLÓGICOS PARA TODOS OS ALUNOS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO.

  3. Pedro Victor diz:

    Educação 100% estatal, livre e universal. Êta paiseco socialista safado essa Finlândia!

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.