terça-feira - 31/05/2011 - 21:29h

Governo se divide e “núcleo duro” impõe rumo de gestão



A greve na Universidade do Estado do RN (UERN) divide a equipe do Governo Rosalba Ciarlini (DEM). Ao mesmo tempo mostra como a gestão está confusa, andando em círculos.

A decisão pela greve, tomada hoje (veja postagem mais abaixo), esconde o que na verdade está acontecendo nos bastidores do poder.

A secretária da Educação, professora Betânia Ramalho, foi voto vencido nas conversas no governo. O titular da pasta da Administração e Recursos Humanos, Anselmo Carvalho, que está no cargo há poucos dias, não tem ainda noção dos problemas em que se meteu. Segue a vontade de quem manda.

A voz reinante é do que se pode chamar de "núcleo duro" do governo: Paulo de Tarso Fernandes (Gabinete Civil) e Obery Rodrigues (Planejamento). A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) segue-os.

A governadora chegou a concordar com ponderações feitas na sexta-feira (27) em Natal, na Governadoria, pelo reitor Milton Marques. Assinalou que deveria seguir seus conselhos, quanto a três pontos básicos da reivindicação, para se estancar a greve iminente.

Na segunda-feira (30), os secretários Anselmo Carvalho e Betânia desembarcaram em Mossoró com outro enredo. Passaram uma borracha no que fora conversado em Natal, na Governadoria.

A reunião foi convocada pelo próprio Governo, através do reitor da Uern, Milton Marques. Contou com a participação do pró-reitor de Administração, Severino Neto, da pró-reitora de Recursos Humanos, Joana D’arc Lacerda, da Pró-reitora Adjunta, Lúcia Pedrosa de Lima.

Pela Associação dos Docentes da UERN (ADUERN) esteve presente o seu presidente, Flaubert Torquato Lopes, além de representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTE/Mossoró)

O Governo até admitiu pagar reajuste de 23,98% feita pela categoria, mas num escalonamento em quatro anos, sem data para começar.

Na pauta ainda existem pleitos como descontingenciamento dos recursos orçamentários da Uern; autonomia financeira; ampliação dos recursos orçamentários; universalização do regime de trabalho de dedicação exclusiva; criação de creches para servidores, entre outras. 

Categoria(s): Administração Pública

Comentários

  1. Karly Robson de Sousa Pereira diz:

    Quer dizer que a “Escola Superior de Guerra” do Estado venceu a “Sorbonne”?

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.