sexta-feira - 29/07/2016 - 14:18h
Bloqueadores em presídios

Gravações com ameaças de ataque levam Segurança à alerta


Alerta máximo na Segurança Pública do RN. Circulam áudios em redes sociais, com vozes de supostos presidiários, anunciando uma série de atendados públicos em resposta à decisão do Governo do Estado de começar a instalar sistema de bloqueeio de sinal de celular em presídios estaduais. O primeiro é em Parnamirim.

O Governo do Estado apressou-se em dar nota oficial sobre o assunto, asseverando a possibilidade de que os ataques ocorram, mas se dizendo preparado para enfrentar eventuais motins, não obstante aconselhar a população a ter “cautela”.

O Governo do Estado, por meio das secretarias de Justiça e Cidadania (Sejuc) e de Segurança e Defesa Social (Sesed), esclarece a população norte-riograndense que estão sendo instalados equipamentos bloqueadores de celular no Presídio Estadual de Parnamirim (PEP).

O PEP foi o presídio selecionado pela Sejuc para funcionar em regime diferenciado de gestão penitenciária, portanto terá prioridade na adoção de controles e restrições mais rígidos. A respeito das ameaças que circulam nas redes sociais, supostamente enviadas por presos insatisfeitos com a instalação dos equipamentos, a Sejuc e a Sesed informam que mantém plano de contingência, preventivo e repressivo, para evitar que venham a ser concretizar.

Por último, o Governo recomenda à população que mantenha suas atividades normais, com a cautela de evitar a propagação de boatos e informações não confirmadas. E informa que o Estado não se intimidará na adoção de medidas que garantam a segurança da população.

Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania  e Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social

A celeuma foi antecedida por memorando (veja cópia abaixo) do dia passado, do coordenador da Administração Penitenciária, Zemilton Pinheiro, deixando de sobreaviso os gestores dos presídios do Estado do Rio G rande do Norte e agentes penitenciários, em face da possibilidade de rebeliões em série e outros distúrbios.

 

Memorando de ontem já alertava para um problema iminente dentro e fora dos presídios (Foto: confidencial)

O caso viralizou na internet. Em especial, áudios atribuídos a presos de organização denominada de “Sindicato do Crime”. Em uma das gravações, alguém que se identifica como “Cabeça do Acre” fala sobre a “torre de bloqueio” e avisa que é para “botar o estado para tremer geral”.

- Vai ser daquele jeito no mei da rua, tocar fogo em tudo (sic) – ouve-se em outra gravação.

Em outra gravação, outra voz avisa a uma possível interlocutora que “pode ter uma guerra”, aconselhando-a a não sair em casa depois “das seis horas da noite”.

O sistema prisional do RN vive em estado de calamidade desde março de 2015, com vários assassinatos, rebeliões e fugas, além de depredações em presídios importantes, como o de Alcaçuz em Nísia Floresta.

Ouça Sindicato do Crime do RN ameaça I – 29-07-16:

Ouça Sindicato do Crime do RN do RN ameaça II – 29-07-16;

Ouça Sindicato do Crime do RN do RN ameaça III – 29-07-16;

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Segurança Pública/Polícia

Comentários

  1. João Claudio diz:

    O que é mais fácil? Instalar bloqueadores, ou proibir a entrada de celulares nos presídios.

    Mêrmão, o que acontece no interior dos presídios brasileiros, é a esculhambação da esculhambação.

    Se privatizarem, a coisa muda de água para vinho. Ah, mas se privatizarem, vai acabar as propinas, os 10% e as maracutaias. E ai?? Como é que os gestores e funcionários conseguirão ”se virar”? Apenas com o salario mensal??? Não dá, né? Claro que não dá.

    Ah não! Privatização no brasil, nem pensar. Os funcionários públicos ficariam com ”oidxio” porque a ”renda extra” diária ou mensal, ó, babau!!!

    Muitos diriam em casa:

    - Mulé, vamos ter que apertar o cinto. O que eu recebia ”por fora”, cabô! Vamos voltar a viver quase na miséria.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.