sábado - 29/09/2012 - 15:14h
Mossoró

“Hooligans” assustam em volta ao radicalismo


Retrato de um tempo.

O que ouvi ontem numa roda de bate-papo entre casais amigos, que possuem preferências distintas na corrida eleitoral mossoroense, é assustador.

A concordância de todos, num ponto: têm evitado comícios e outras concentrações políticas. Temem o pior.

Recuam diante do clima de beligerância, com a atmosfera de guerra instalada entre as principais coligações.

- Até Twitter e Facebook eu estou evitando – assinalou uma interlocutora, sob a concordância em olhares e movimento afirmativo – com a cabeça, dos demais presentes.

Mossoró volta ao passado de radicalismo.

As gangues virtuais e as quadrilhas de provocadores soltas nas ruas são movidas pelas mesmas razões daqueles personagens de torcidas organizadas: eles não têm amor por nomes ou cores. São apenas estúpidos, gente com desvios psicossociais.

Certas figuras podem melhorar com tratamento especializado.

Outras, só com cadeia. O braço forte da lei.

Nossos “hooligans” se imaginam úteis a seus senhores. Bobagem.

Como no futebol, quem dá pontapés está sempre inferiorizado em conceito e recompensas. Construir é sempre mais difícil do que destruir.

Os que decidem pela inteligência e talento, além de espírito de equipe, terminam se sobressaindo.

Categoria(s): Eleições 2012 / Opinião da Coluna do Herzog

Comentários

  1. Samir Albuquerque diz:

    Grande jornalista, leitores amigos, posso dizer, uma vez que, por força das atividades da fiscalização, estou em uma ou em outra movimentação, as vezes, nas duas, em uma mesma noite.
    Ontem, foi preocupante, desrespeito, afronta, ameaças e assemelhados, que me deixa preocupado com essa reta final, principalmente, com o risco que paira sobre a população, de crimes variados, até mesmo, possibilidades de homicídios, dado os ânimos inflamados. Inclusive, ontem (29-09-2012), foi preso um individuo armado em uma das movimentações.
    Agora, a culpa maior é justamente dos(as) candidatos(as), ou melhor, das coordenações e marketeiros de campanha, que estão fazendo campanhas de acusações, e assemelhados – vocês que acompanham o processo, sabem do que estou falando – inclusive contra a Justiça Eleitoral, contra o Juiz Eleitoral e contra a atuação da Equipe de Fiscalização.
    Ontem eu pude vislumbrar a preocupante situação em que nos encontramos (toda população), até semana passada, tinha-mos uma situação bem mais tranquila, mas, de lá pra cá, os militantes, principalmente, os mais jovens, inflamados por declarações de candidatos, coordenadores de campanhas e propaganda eleitoral desvirtuada – não apresentação de propostas e sim, acusações a adversários – e ainda, pelo álcool tem transformado algo que, como dito pelo Min. Marcos Aurélio de Melo, em sessão plenária do TSE, nesta quarta, dia 26-09-2012, o processo eleitoral é para ser um período de normalidade em um estado democrático de direito, em um estado “sem lei”, ou melhor, um estado em que a lei esta suspensa, e isso não é verdade, nem pode ser.
    Temo pelo pior, nesses últimos dias, e, acontecendo o que for com qualquer cidadão, em função desses ânimos acirrados, eu culpo direta ou indiretamente, os candidatos.

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Samir, bom dia. Publico sua manifestação na íntegra numa postagem na primeira página deste Blog. Seu relato tem enorme valor para que providências preventivas sejam tomadas. Precisamos contribuir para o desarmamento de ânimos e não à violência.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.