segunda-feira - 15/10/2018 - 12:40h
Tempos difíceis

Jornalista denuncia deputado por “intolerância política”


Ex-titular da Comunicação do Estado do RN, integrante da Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa, mas com atuação também no rádio e televisão do Natal, a jornalista Juliana Celli faz desabafo denso em suas redes sociais.

Resume incidente em que foi vítima de intolerância política, devido sua independência como profissional, cidadã e eleitora.

Leia abaixo:

Como jornalista, talvez esse seja o texto mais difícil que já escrevi. Olhos cheios de lágrimas, coração apertado, dúvidas sobre o que pode acontecer comigo a partir de agora.

Mas muita vontade de dar a minha contribuição de viver num mundo melhor, pra mim e pra minha filha. Decidi não me calar.

Celli: incidente desagradável (Foto: arquivo)

Na última quinta-feira (11/10) eu fui vítima da intolerância política que estamos testemunhando no país e que chegou no seu mais grave momento com a chegada do segundo turno das eleições. Eu já noticiei tanto sobre esses casos que estão acontecendo.

O último, o de uma médica, no serviço público do Rio Grande do Norte, que rasgou uma receita porque ao perguntar em que candidato o paciente votaria, ele afirmou votar no candidato do PT. Fiquei indignada!

Mas, jamais pensei passar por isso. Estava enganada!

Na quinta-feira pela manhã eu estava trabalhando quando um superior fez o sinal usado pelo candidato Bolsonaro, aquele que simula duas armas. Ele me perguntou se eu estava pronta pra fazer o tal gesto.

Eu falei que não faria porque não voto nesse candidato, na verdade decidi não votar em nenhum dos dois candidatos postos por não concordar nem com um nem com o outro. Foi aí a minha surpresa, o superior, o deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM), que até então sempre tive uma boa convivência, começou a me insultar.

Ouvi palavras como corrupta, mentirosa, e que eu deveria pedir exoneração do meu cargo (de confiança).

Ele estava completamente alterado, falando alto, gesticulando em minha direção. Por um momento, pensei em explodir, me contive. Consegui me manter firme e respeitosa, mesmo que muito constrangida, principalmente pelo fato de na hora estar conduzindo convidados para uma reunião de trabalho.

Argumentei que o voto é livre, e eu podia votar em quem quisesse ou até mesmo me omitir. Ele continuou esbravejando, na frente deles e de mais alguns servidores, que eu deveria votar em quem meu chefe mandasse.

Eu voltei a argumentar que não estávamos mais no tempo de “votos de cabrestos”, algo muito utilizado nos “currais” eleitorais e que meu chefe direto é democrático, jamais iria me obrigar a votar em quem eu não quisesse. Ele continuou sem respeitar a minha decisão.

Se alterou ainda mais, falando em tom ameaçador.

Eu decidi encerrar o assunto entrando na sala para participar da reunião que estava programada. Pedi desculpas aos convidados pelo ocorrido, mantive a calma para terminar aquela demanda, mas depois desabei.

Conversei com colegas, ouvi familiares, procurei um advogado.

Algumas pessoas disseram que seria meu fim eu expor esse assunto, outras me apoiaram, me incentivaram. Passei alguns dias analisando sozinha, pedindo a Deus uma resposta, deixando a “poeira” baixar e a emoção ser controlada para aí sim tomar uma decisão mais acertada.

Se eu, jornalista, assessora de imprensa, apresentadora de um jornal na rádio, de um programa de TV, não pode falar, quem pode?

As milhares de mulheres e homens que estão passando por isso em seus empregos em todo país ou em outros locais? Não. Eu digo não à intolerância política!!! O voto é livre!!!

Se você vota num candidato que eu tenho repulsa, eu preciso respeitar. Não deixe ninguém lhe dizer que você é menos inteligente ou menos cidadão por isso.

Se você quer votar em Haddad, vote livremente. Se você vota em Bolsonaro, vote livremente. Se quiser votar em branco, nulo, vote livremente.

Em tempos de #elenão e #elesim eu o convido a levantar uma bandeira muito mais importante, a da tolerância. Essa é a minha campanha.

#intoleranciaNao

Nota do Blog – Lamentável, moça. Lamentável, lamentável. Ó tempos, ó costumes! Tens minha solidariedade irrestrita, já manifestada particularmente.

Quanto ao deputado Getúlio Rêgo, o espaço está a disposição para o contraditório. Aguardamos.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUI.

Categoria(s): Comunicação / Política

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    ” Ó tempos, ó costumes!”
    Eu acabo de receber uma intimação para uma audiência preliminar de transação.
    Data da audiência? 16/10/2018. AMANHÃ.
    Quem me acusa é a vereadora Maria Izabel Araújo Montenegro, condenada no dia 13/09/2018 por prática de corrupção passiva pelo TJRN a mais de 2 anos de cadeia, mas podendo continuar exercendo o mandato e presidindo a Câmara Municipal de Mossoró, onde administra verbas públicas no valor de mais de R$ 1.500,000,00 mensais.
    Eu nunca antes fui condenado nem por ter negado comida a um gato. Nem mesmo acusado e condenado por desvio de verbas públicas na CEF em 2008 eu fui. Condenado por corrupção, nunca fui.
    Passei recentemente pelo crivo do processo de adoção quando toda a minha vida foi investigada e nada foi encontrado que desabonasse a minha conduta. A adoção de duas crianças me foi concedida.
    Clamei pelo julgamento dos recursos SAL GROSSO que resultaram na condenação por prática de corrupção passiva desta vereador que hoje me processa.
    A temporada de perseguição a jornalistas que clamam por justiça começou.
    E eu pensava que o controle da mídia através da intimidação com processos fosse coisa de Maduro na Venezuela ou de Morales na Bolívia.
    Amanhã estarei nesta audiência confiando na justiça do RN e do Brasil.
    Que Deus me proteja.
    Inácio Augusto de Almeida
    JORNALISTA – RP – 303-DRT-CE.
    ////
    NÃO EXISTE INJUSTIÇA MAIOR DO QUE AQUELA PRATICADA EM NOME DA PRÓPRIA JUSTIÇA.
    Inácio Augusto de Almeida

  2. Menezes diz:

    Coitadinha vai pra cuba o jornal Grama está precisando de jornalista.

  3. Vitor diz:

    Esse é o perfil de uma significativa parcela dos eleitores de Bolsonaro. E vai piorar. Parabéns aos envolvidos.

  4. Francisco César. diz:

    Terrível os momentos que essa Jornalista passou. Principalmente quando parte de um deputado. Que deveria respeitar o voto de qualquer eleitor. Imagino como ele deve tratar os eleitores da sua região.

  5. Jorge Mota diz:

    Carlos Santos, se for confirmada a veracidade dos fatos pela Jornalista Juliana Celli, O deputado Estadual Getúlio Rego, Médico, eleito com 33.477 votos para o 10º mandato se eu não estiver enganado, pisou feio na bola. Onde está o PAÍS DEMOCRÁTICO DE ESTADO E DE DIREITO?
    O deputado Getúlio Rego, deveria sentir-se envergonhado de tomar tal atitude, o voto é livre! esse tempo do voto dos “Coronéis do Cabresto”, já passou.
    Acho que os 33 mil eleitores do Deputado Getúlio Rego, devem estar abismados tamanha truculência verbal do deputado. Esquece o deputado ou não quer lembrar que virão outras CAMPANHAS, e que o mesmo vai precisar dos votos da população. Que atitude lastimável deputado.

  6. João Claudio diz:

    Eu estou com um pé na frente, o outro atrás e o freio de mão acionado.

    Vou aguardar a veracidade, embora ache que isso cheire a ‘Câmera em mim! Câmera em mim! Câmera em

  7. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Ante minha reconhecida mediocridade e desimportância pública, como cidadão, deixo meu aplauso e meus parabéns à jornalista Juliana Celli, que DE MANEIRA CORAJOSA E ASSERTIVA se insurgiu frente ao Capitão do Mato chamado GETÚLIO REGO….!!!

    Não esqueçam, por inúmeras vezes, avisei, avisei em alto e bom som…. A EXTREMA DIREITA, DEFINITIVAMENTE, ESTAVA DEVERAS SAINDO DO ARMÁRIO…!!!

    Não por acaso os coronéis e capitães hereditários, tais e quais a múmia política chamada Getúlio Rego, sob a luz do dia e de maneira incontrastável, começam por reiterar e aprofundar seu viés de mando e autoritarismos tão inerentes ao modo operandi da extrema direita ora ressurgindo, tal uma monstruosa fênix , não a fênix da mitologia grega, como uma ave que tinha a capacidade de autocombustão para, depois, renascer das próprias cinzas.

    Muito as ao contrário, temos na ante-sala do poder, o renascimento da fênix política tupiniquim, como força motriz do autoritarismo, do clientelismo, da corrupção jamis investigada, da intolerância e do ódio, todos forjados na força simbólica do imobilismo social, da exclusão, do obscurantismo e do medo como forma e método político.

    Aos senhores jornalistas, não esqueçam, todos conhecem o democratismo dessa gente, gente essa do espectro político à lá extrema direta, e que desde sempre, detém o monopólio da dito comunicação social em nosso pais, portanto, fiquem espertos, sob pena de voltarmos aos tempos da gloriosa de 1964.

    Quero, definitivamente, quero estar errado, porém, entendo, o que Infelizmente se avizinha não são flores derrotando o canhão.

    Os capitães hereditários daqui e de alhures, efetivamente se encontram à postos, devidamente paramentados com sangue nos olhos e facas na boca, na ânsia e obsessão da volta absoluta e absolutista ao poder.

    Quiçá, não sejamos obrigados fazer o obituário do jornalismo nacional, do pouco que resta do jornalismo nacional, imbuído de alguma infirmação me isenção e responsabilidade social.

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  8. João Claudio diz:

    Alto lá! Quem tem plano de calar a imprensa, caso o PT assuma o poder,
    é o Sapo Barbudo.

    P.S – O Capitão vai metralhar os PTralhas. Corra enquanto há tempo.

  9. Francisco diz:

    Não tenho procuração de Dr Getúlio para defendelo. Apenas acredito que tem alguma coisa que não está batendo. Dr Getúlio é um homem equilibradissimo, essa conversa me parece que falta um pedaço. Conheço muita gente que Dr Getúlio acolheu na sua casa em Natal, tratou feridas etc, etc,etc.

  10. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Inácio Augusto de Almeida
    JUSTIÇA

    Oh, estrela sem nome!
    Por que brilhas e desapareces como se cometa fosses?
    E eu, planeta que sou
    Buscando a tua luz,
    Perco-me em galáxias infindas…

    Serás uma busca inútil?
    Inalcançável para mim, astro sem brilho.

    E na imensidão do universo
    A vagar sem rumo,
    Buscando-te em cada brilho
    E te encontrando em cada sonho.

    Sigo eu!…

    Tal qual menino…(?)
    Indormido
    A sonhar com o que não existe.

  11. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    Jornalista Juliana Celli.
    Seu procedimento foi exemplar. Exerça a sua digna profissão de forma livre. Jamais se deixe intimidar.
    Um abraço afetuoso. o

  12. Mauricio diz:

    Engraçado como apareceram casos de acedios, espancamentos, suásticas (ou outros símbolos que aparentam ser) brigas, assassinatos e todo tipo de coisa lamentável aos olhos do povo. Mas aí vai uma pergunta (para pessoas inteligentes) Vocês acreditam de verdade que nós eleitores de Bolsonaro seriamos idiotas a ponto de por uma campanha (que já está ganha) em risco com estes supostos ataques? Colocariamos a opinião publica contra o nosso candidato por pura insanidade? Só mesmo uma corja ignorante como os eleitores do ladrão preso em Curitiba imagina uma insanidade desta. Acorda minha filha o povo já acordou, inventa outra que este mi mi mi já deu. É só mais uma jornalista petista tentando tumultuar a vitória do povo trabalhador, de familia, que é contra bandidos e corruptos, ou seja, tudo o que os petistas adoram. 17 neles Brasil

    • François Silvestre diz:

      O que danado é acedios? Tem a ver com fogareiro? Pergunto porque o autor disse que estava dirigindo-se a (pessoas inteligentes).

  13. Elves Alves diz:

    Esta reclamante, que alega ser ‘jornalista’, mas que briga até com a palavra escrita, só foi parar na Assembleia Legislativa porque é casada com o ex-vereador Bertone Marinho (Natal), irmão da ex-deputada Gesane Marinho e filho do ex-prefeito Jurandir Marinho (Canguaretama).
    Aliás, a folha de pessoal da AL está apinhada de jornalistas não concursados. A maioria nem dá as caras por lá, mesmo porque faltaria espaço para aglomerar tanta gente. Não é exagero dizer que na Casa de José Augusto tem jornalista fugindo pelo ladrão.
    A ‘viúva’ paga a conta sem reclamar e até sobra um troco para distribuir ambulâncias e viaturas a prefeituras amigas. E o seletivo Sindicato dos Jornalistas, como de costume, ignora o fato olimpicamente.

  14. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Conforme se constata Caro François, eles, os BURROS NARIANOS, não apenas ameaçam a integridade das pessoas e por vezes assassinam, assim como a própria língua portuguesa.

    VEJAM SÓ… O COMENTÁRIO DIRECIONADO SEGUNDO O MAVIOSO MAURÍ:

    ” PESSOAS INTELIGENTES”

    ÀQUELE DOS ACEDIOS….!!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…..!!!

    Num se avexe não pessoal, em pouco tempo, pouquíssimo tempo, os descerebelados, seu cão didato e sua trupe de celerados absolutamente incapazes de administrar uma bodega, deveras passarão à vivenciar, não os sonhos de uma noite de verão, mas sim o efeitos de um processo político/eleitoral eivado de vicos e fraudes, golpes e pantomimas, e, finalmente, terão a governança que será posta em seus colos….!!!

    Então, como será a governança originária do engodo, da fantasia e da mentira disseminada nos Facebook’s. da vida. dos Watzsap’s, internet’s, Yotuber’s da vida, ante o descortinar de uma realidade nua, crua e vorazmente devoradora daqueles que, ingenuamente e recententemente acreditam e acreditaram em papa noel, saci pererê na famosa varinha de condão…!!!???

    Os mesmos celerados, incultos , desinformados, alienados e medievalísticos, saberão lidar e administrar o poder…!!!???

    ENTENDO QUE, ABSOLUTAMENTE NÃO, POREM AGUARDEMOS A RESPOSTA INCISIVA RESPOSTA QUE SÓ O TEMPO, SENHOR DA RAZÃO, NOS TRARÁ DE MANEIRA INCISIVA, DEFINITIVA E AUTOFÁGICA….!!

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.