• Expofruit - Teaser - 20-07-18 a 21-08-18 - Topo
domingo - 12/08/2018 - 15:42h
Bíblia e história

Maria Madalena era uma ‘mulher rica’ em vez de prostituta

Investigação em jazida na cidade de Magdala revela informações que ajudam a reconstruir seu perfil

Por Patrícia R.Blanco (El País)

Maria Madalena foi “uma mulher rica, influente e crucial” na vida de Jesus Cristo. Esta é uma das conclusões da pesquisadora Jennifer Ristine em Mary Magdalene: Insights From Ancient Magdala (“Maria Madalena, percepções da antiga Magdala”), um livro lançado em 22 de julho que busca revelar os mistérios da mulher que a Igreja Católica tachou durante séculos como adúltera e prostituta.

A integração das referências bíblicas e históricas com os recentes descobrimentos arqueológicos feitos na cidade de Magdala (atual Migdal, Israel), onde se acredita que nasceu, permitiram a Ristine reconstruir parte de seu perfil.

Capa do livro sobre Maria Madalena (Ilustração de Danielle Storey)

“Durante os tempos de Maria Madalena, Magdala já era um povoado próspero na indústria pesqueira”, afirma Ristine, diretora do Instituto Madalena, numa entrevista por e-mail. As primeiras escavações foram feitas nos anos setenta. Mas foi em 2009 que os Legionários de Cristo compraram um terreno na região e “descobriram a parte norte do povoado de Magdala”.

“Encontraram uma sinagoga do século I, uma representação do templo de Jerusalém em pedra [a pedra de Magdala], banhos de purificação ritual, residências e um porto”, explica Ristine.

Mas era ou não uma prostituta? Ristine considera que houve “muitas más interpretações sobre a vida de Maria Madalena”. Os achados arqueológicos da cidade bíblica de Magdala, hoje um sítio arqueológico com mais de 2.000 anos de antiguidade, sugerem que se tratava de um enclave rico. E, ao integrar neste contexto as referências bíblicas, pode-se deduzir que Maria Madalena era “uma mulher rica, de um povoado economicamente bem posicionado”, e não necessariamente uma prostituta, acrescenta a autora.

Essa ideia se reafirma, por exemplo, nos versículos de Lucas 8:1-3: “Depois disso, Jesus andava pelas cidades e aldeias anunciando a boa nova do Reino de Deus. Os Doze estavam com ele, como também algumas mulheres que tinham sido livradas de espíritos malignos e curadas de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes; Susana e muitas outras, que o assistiram com as suas posses”.

De prostituta à Santa

A Igreja Católica canonizou Madalena, que é santa desde 2016 (com festa litúrgica em 22 de julho), quando o papa Francisco a nomeou apostola apostolurum, “a apóstolo dos apóstolos” – não por acaso, segundo a Bíblia, foi a primeira a ver Jesus ressuscitado. E, entretanto, foi o papa Gregório Magno, no ano 591, um dos introdutores do qualificativo de “prostituta” quando em sua homilia 33 afirmou:

- Aquela a quem o evangelista Lucas chama de mulher pecadora é a Maria da qual são expulsos os sete demônios, e o que significam esses sete demônios senão todos os vícios?” Com essa afirmação, o sumo pontífice fez uma fusão de três marias: Maria, a pecadora, “que unge os pés do Senhor”; Maria, a de Magdala, liberada por Jesus de sete demônios, e entre as mulheres que o assistem; e Maria de Betânia, irmã de Marta e Lázaro. “A Igreja do Oriente acredita que são três mulheres diferentes, enquanto a Igreja do Ocidente crê firmemente identificá-las como a mesma mulher, Maria Madalena -, diz Jennifer Ristine.

Mas não foi Gregório Magno o único responsável. Segundo a pesquisadora, alguns autores a associaram a uma mulher mencionada no século II no Talmud, chamada Miriam Megaddlela, que significa “Maria de cabelo trançado”.

“Na comunidade judaica, esse título era adjudicado a uma mulher de má reputação, uma adúltera ou uma prostituta”, acrescenta.

O mistério do papiro da mulher de Jesus

Para os que estão há anos analisando textos evangélicos não é novidade que Cristo estivesse casado e certamente fosse pai

Clique AQUI).

Papiro é considerado autêntico (Foto: Karen L. King/EFE)

Independentemente de ter ou não sido meretriz, um estigma do qual os movimentos feministas tentam livrá-la, “Maria Madalena foi uma mulher influente tanto econômica como socialmente; economicamente porque era uma mulher acomodada, e socialmente porque, apesar de crescer e viver numa sociedade religiosa estrita, decide romper esquemas e seguir Jesus”, considera Ristine, para quem a mulher de Magdala é acima de tudo “um modelo de liderança para as mulheres”.

E ainda resta muito a descobrir sobre ela.

Só foram escavados 15% da antiga Magdala, de modo que, segundo Jennifer Ristine, futuros achados arqueológicos podem ajudar a revelar mais detalhes sobre o passado religioso da cidade natal de Maria Madalena, esclarecendo fatos e verdades de uma das personagens mais misteriosas dos Evangelhos.

Veja reportagem original clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Reportagem Especial

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Ninguém se surpreenda se amanhã anunciarem a descoberta do sexo dos anjos.
    ////////
    CORRUPTO NÃO TEM FAMÍLIA. CORRUPTO TEM CÚMPLICES.

  2. Kelder diz:

    A Bíblia não fala que ela era prostituta e sim que havia lhe tirado sete demônios.

  3. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    Que nos abençoe, independentemente de quem tenha sido. Que nos perdoe se a julgamos erradamente, mas em qualquer situação, sempre foi uma filha de Deus. Isso é o que prevalece. Nos abençoe!

  4. FRANSUELDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    A vida, a sacralização, a aura de santidade e a suposta teia de milagres de autoria de jesus, assim como de todo e qualquer dito santo proclamado líder das religiões de qualquer natureza, mormente das religiões monoteístas que emergem no estuário da história das religiões e Igrejas, sobretudo ocidentais. Nada mais nada menos reflete o pari passu de uma construção político-religiosa das instituições que os representam atempo e modo dos seus interesses de ordem político patrimonialista..

    Nesse sentido…Afirmo com convicção ao mesmo tempo que, respeitosamente indago aos crentes leitores que divagam com maestria sobre a vida no etér, no porvir e na transcendência, tendo em seu coração e intelecto acreditarem na existência de um suposto superior denominado Deus. Quem me garante que o Pilantra mercador de ilusões “dizimadas” no percentual de no mínimo 10% (DEZ) por cento do labor mensal dos seus milhões de escravos/fiés, chamado EDIR MACEDO, CONHECIDO LÍDER CONTEMPORÂNEO DA IURD – IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS, daqui a 200, 300 e (ou) 400 (QUATROCENTOS) anos, não será tido pelos seus fiés e por pessoas do dito senso comum, futuramente como um santo lider religiosos promotor tão somente do bem comum, e, que ao longo da sua história em vida, só cometeu atos comunitários e de solidariedade à todos, sem falar nos inúmeros milagres realizados e comprovados pela cúpula da IURD…!!!???

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  5. João Claudio diz:

    Eu não a conheci, portanto, nada a declarar.

    PUBLIQUE-SE – CUMPRA-SE.

  6. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    Dr. Fransueldo. O progresso na comunicação foi estrondoso. Temos muito mais subsídios para informações.
    Já posso lhe fornecer um exemplo próximo. Alguém comemora Hitler? Temos recursos de toda ordem, em fotos, filmes e depoimentos gravados.
    Edir Macedo jamais será considerado santo. Seus seguidores serão questionados no aspecto sanidade.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.