domingo - 09/03/2014 - 08:37h
Conversando com... Lorival Verillo

O cidadão e a sociedade no combate à corrupção

Se desejamos um futuro promissor para o nosso País, não basta confiarmos plenamente nas instituições públicas. É preciso vigiar, cobrar e acompanhar bem de perto as ações que envolvem todos nós, brasileiros.

O Diretor de Eventos das Américas na ASUG (saiba o que é essa entidade clicando AQUI), Lorival Verillo, faz a sua parte, em meio a todas as suas obrigações diárias. Ele é um dos nove integrantes do Conselho da Amarribo Brasil, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), que não apresenta fins lucrativos.

Verillo: no DNA da família

Pioneira no combate à corrupção no País, a entidade atua em sinergia com a sociedade civil, a administração pública, lideranças políticas e a iniciativa privada, para acompanhar a gestão dos bens públicos, promover a probidade administrativa, a ética e a transparência.

Verillo é formado em Administração pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, tem MBA em Gestão Empresarial pela Trevisan Escola de Negócios e é Especialista em Sistemas Aplicativos (ERP’S), com larga experiência junto às soluções de aplicativos da SAP Brasil, Alemanha e EUA.

É Gerente de Tecnologia da Informação do Grupo Klabin e síndico do seu condomínio residencial, onde curte os poucos momentos que sobram do seu dia a dia tão intenso. Nesta edição da ASUG NEWS, ele nos prestigia com esse tema e comenta um pouco sobre sua experiência no setor.

ASUG News – Como surgiu o seu interesse pela Amarribo?

Lorival Verillo – Está no DNA da família. Estamos engajados pela probidade na gestão dos recursos públicos. Aprendi muito com o meu  irmão mais velho e amigos idealistas nascidos em Ribeirão Bonito, uma pequena cidade, localizada na região central do interior do estado de São Paulo, a 32 quilômetros do marco que deter- mina o centro geográfico do Estado e a 270 km da capital. Inconformados com a corrupção na administração municipal da época – há mais de 15 anos –, eles resolveram que valia a pena lutar por um mundo melhor, livre da corrupção, dos desmandos e da incompetência, que é tão nociva quanto os delitos de uma má gestão. É uma luta sem fim, mas que precisa ser travada no imediato e em longo prazo, com investimentos fortes na educação. Por tudo isso, criamos a Amarribo Brasil.

O que já foi feito contra a corrupção pela Amarribo Brasil?

LV – Estamos comemorando 15 anos de atuação. Acreditamos que fizemos o trabalho que tinha de ser feito. Já cassamos dois prefeitos, cinco vereadores e montamos uma rede de mais de 200 ONGs, filiadas à Amarribo. Com isso, ficamos conhecidos no Brasil e no exterior. Damos palestras gratuitas pelo Brasil e participamos de todas as iniciativas para promover a transparência e o direito à informação. Participamos ativamente na aprovação de leis,como a da Ficha Limpa e na organização da 15ª. IACC (Conferência Internacional Anti- Corrupção), onde estiveram presentes mais de 130 países signatários.

Quais serão os próximos passos?

LV – Temos de investir agora na formação educacional, pensando na reversão a longo prazo. Mas também precisamos administrar o momento atual para estancar o mal, propondo com leis e programas massivos em todos os âmbitos da gestão pública municipal, estadual e federal. A Amarribo Brasil tem feito bastante e atualmente é a organização que representa a Transparência Internacional no país e tem feito bastante através dessa parceria, mas precisamos de políticos comprometidos com a luta da sociedade civil.

A Amarribo conquistou o mundo?

LV – A Amarribo ganhou projeção internacional depois de observada pela grande mídia como uma entidade que faz acontecer e que não tem medo de se expor diante de organizações criminosas. Não é fácil e o reconhecimento pode ser visto nas paredes de sua sede, com as centenas de reportagens que compõem o seu histórico de lutas. O livro lançado pela Amarribo, “O Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil” já está na sua 5ª edição. É um guia para detectar este mal no âmbito municipal e mobilizar a sociedade civil para o controle social. Foi escrito a partir da experiência da Amarribo Brasil e da Rede Amarribo Brasil-IFC.

Quem comanda a Amarribo?

LV – É administrada pelos Conselhos Administrativo e Fiscal, por uma Diretoria Executiva e equipe. São voluntários que possuem algumas responsabilidades básicas, como zelar pela integridade moral e ética da organização; assegurar sua saúde financeira, sendo corresponsável pela captação de recursos necessários; e zelar pelo uso eficaz dos recursos.

De onde vem os recursos que mantêm a Amarribo?

LV – A maioria vem de doações de pessoas físicas. Sem elas, não teríamos os recursos necessários para manter este trabalho. O controle é feito por meio de publicação do Relatório Mensal com as atividades realizadas e a movimentação financeira do período. Os documentos podem ser baixados no site, assim como o Relatório Anual. Qualquer pessoa pode fazer uma doação. Basta clicar na área específica do site, ligar para (16) 3344-3807 ou escrever para socios@amarribo.org.br. Enviamos um recibo e também informações sobre nosso trabalho. A legislação brasileira permite que pessoas jurídicas possam deduzir as doações feitas para a Amarribo Brasil.

A Amarribo aceita doações de empresas?

LV – Sim, porém, existe uma política quanto às doações corporativas, devido ao rigor ético que direciona nosso trabalho. Não aceitamos, por exemplo, de empresas com atividades que estejam em conflito com nossa missão ou que contrariem nossos princípios e valores.

É possível visitar a Amarribo?

LV – Sim, nossa sede e os eventos são abertos para todo cidadão. Se alguém estiver interessado pode consultar nossa agenda de eventos e horário de funcionamento pelo telefone (16) 3344-3807 ou escrever para o e-mail socios@amarribo.org.br. Todos serão muito bem-vindos. Você pode conhecer um pouco sobre o nosso trabalho visitando o site www.amarribo.org.br .

Categoria(s): Conversando com... / Entrevista/Conversando com...

Comentários

  1. K Carvalho diz:

    Muito bom. Interessante e necessária uma organização como a Amarribo.

  2. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Eu queria ver este Verillo com este sorriso se combatesse a corrupção aqui em Mossoró.
    Vem Verillo, vem.
    Vem para uma dentista do SUS dizer na tua cara que não agenda a extração do teu dente.
    E você se queixar para quem?
    Só se for para o Bispo.
    Vem Verillo, vem.
    Vem para você denunciar a NÃO entrega do UNIFORME e do MATERIAL ESCOLAR e ninguém mais dar um pio sobre este escândalo.
    Vem Verillo, vem,
    Vem para você cobrar transparência na compra de quase 150 mil reais de MATERIAL DE LIMPEZA e de GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, todos fazerem ouvido de mercador e tudo ficar por isto mesmo.
    Por que tudo fica por isto mesmo?
    Sei lá.
    Venha conhecer Mossoró, Verillo.
    Venha saber que aqui faltam medicamentos de distribuição gratuita.
    Medicamentos para DIABETES e de CONTROLE DA PRESSÃO ARTERIAL, medicamentos cuja ausência pode determinar a morte de milhares de velhinhos mossoroenses.
    Se alguém mais reclama?
    Não, ninguém mais reclama.
    Quer saber mais?
    Quer?
    Então venha passar uns dias em Mossoró, Verillo.
    Duvido você sair daqui com este sorriso.
    ////
    COM A MORTE TODOS OS VALORES MATERIAIS DESAPARECEM.
    Inácio Augusto de Almeida

  3. naide maria rosado de souza diz:

    Muito bom. Fico meio acanhada em dizer que não conhecia a Amarribo diante da importância de seus objetivos.
    De todo modo, prazer em conhecê-la e que seus ideais sejam todos alcançados.

  4. Ana Maria de Melo santos diz:

    Muito bom seu artigo. Mas só com uma educação com os verdadeiros valores do Brasil tornarão a sociedade defendendo seus reais valores!!!!

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2021. Todos os Direitos Reservados.