terça-feira - 31/01/2012 - 08:23h
Sensível diferença

O tempo da “patota” e dos políticos que são do ‘ramo’


Fafá e Sandra representam a mesma moeda, em faces opostas

Quando lancei o bordão “a patota não é do ramo”, há vários anos, fui insultado e até processado por cunhar esse conceito. A assertiva referia-se e refere-se à ala da prefeita de direito de Mossoró, Fátima Rosado (DEM), a “Fafá”.

O tempo deu-me razão. Tem-me dado razão. Sempre ele, o tempo, para dissipar dúvidas e exumar a verdade.

Eles ganharam uma prefeitura de presente do casal Carlos Augusto Rosado (DEM)-Rosalba Ciarlini (DEM), sem nenhuma competência para a ingente missão e ainda tiveram a suplementação de um segundo mandato.

Agora, aos poucos, vão se despedindo pela porta dos ‘fundos’ (cabe o duplo sentido, aqui).

Não exagerei nem menti. Mas mesmo assim tenho vários processos por tratá-los por “patota”.

Em recente audiência na Justiça, respondendo a mais uma ação criminal, fui interpelado – de novo – pelo fato de usar esse vocábulo em meus textos.

Fui obrigado a partir pro campo da ironia. Lembrei, para um esclarecimento semântico, que patota é sinônimo de “grupo”. Grifei, também, que é uma palavra polissêmica. Enfim, uma audiência judicial transformada numa versão canhestra de aula do professor de Português, Pasquale Cipro Netto.

Patético.

Assinalei ainda, que o poeta Vinícius de Moraes escreveu uma música sob o título de “Patota de Ipanema”. Aí brinquei: “No Rio de Janeiro pode ter patota; em Mossoró, não? Vira processo judicial?”

Nos tempos áureos do rosadismo como esquema monolítico, o deputado Vingt Rosado (tio da prefeita) tinha um elenco de amigos muito próximos, conhecidos como “a corriola do Vingt”. Ou seja, o grande Vingt podia ter corriola (sinônimo de patota), mas esses janotas sem um pingo de capacidade ou liderança, seus sobrinhos, não podem ser vistos como patota.

Repito sem medo de mais processo ou parecer exagerado: “A patota não é do ramo”.

Não são políticos nem nunca serão. Estão na política e dela usufruem sem um pingo de vocação ou espírito público. Quando se despedirem, certamente não vão deixar saudades. Porém sentirão muita falta do que essa atividade lhes proporcionou.

Em entrevista que concedi ontem à noite ao programa “Cenário Político” da TV Cabo Mossoró (TCM), resumi a enorme diferença entre essa corriola (ou patota, facção, como queira) e os líderes e primos Carlos Augusto Rosado e Sandra Rosado (PSB), ‘adversários’ políticos. Esses dois, sim, politicos:

- Carlos Augusto não abriria mão de um dia de mandato; Sandra Rosado, 30 segundos.

Fafá está prestes a entregar 10 meses de sua segunda gestão. “De graça”. Por “sacrifício” partidário, de grupo, como ilustrou recentemente na mesma TCM, o secretário de Serviços Urbanos e seu sobrinho-afim, Alex Moacir Pinheiro.

(…) “Tempo, tempo, mano velho…”

O tempo, senhor da razão.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog / Política

Comentários

  1. RNAVISTA diz:

    kkk, sério!
    Acho que o debate deva-se dá um nível acima, esse discurso de ser contra rosado já não serve mais nos dias de hoje, pois é uma árvore que possui raiz de longo alcance, assim poderá está no seu bairro, na sua rua, na sua casa, na sua família, na família da sua esposa ou até parente… O debate deve envolver a sociedade, a cidade e os partidos.

  2. FERNANDO fF diz:

    Essa negociata terá que ter o protesto do povo do Rio Grande do Norte.Vamos usar as redes sociais, vamos usar nossa coragem, nossa idgnação.Letemos como lutou o povo espanhol a ditadura de Franco.Não Passará.

  3. Robson diz:

    Parabéns Carlos,
    E certo fique de uma coisa.
    Os dois maiores gurreiros são esses dois: Tempo e paciência.

  4. Graça Sabino diz:

    kkkkkk excelente saída essa sua, ao citar o nosso “poetinha”. E quanto a renúncia de Fafá, creio que será inútil: tudo leva a crer que agora é a hora e a vez de Larissa. O tempo dirá.

  5. Aila Almeida diz:

    kkk, grande Carlos, só vc sair c uma dessas, mais uma vez parabéns!!!

  6. João Azevedo diz:

    Grande Carlos!

    O que na verdade esta família quer é reinar a vida inteira. É chegada a hora de Colocarmos no posto executivo desta cidade um verdadeiro trabalhador e que honre o seu mandato com dignidade. É tempo de madarmos pra rua esta cambada de desocupados e que vive distribuindo vaidade sob a proteção do poder político na terra de
    Santa Luzia. Nas próximas eleições votem num silva, num lima, num alencar, ferreira, oliveira…etc. Diga tchau ao tradicionalismo oligárquico do momento.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.