quinta-feira - 26/02/2015 - 20:32h
Belo Horizonte

Prefeito de Mossoró busca apoio federal para UPA


O Prefeito Francisco José Júnior esteve em audiência com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, nesta quarta-feira, 25, em Brasília, e solicitou apoio para manter a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Belo Horizonte.

O ministro se comprometeu em buscar uma solução para habilitar a unidade, que está funcionando há um ano custeada sem qualquer participação do Ministério da Saúde. A despesa de mais de R$ 700 mil vem sendo custeada pela Prefeitura com apoio do Governo do Estado, ao contrário das demais UPAs de Mossoró e do RN, que dispõem de verba federal.

Francisco José Júnior argumentou que a UPA tem atendido mais de nove mil pessoas por mês, o que supera os 100 mil atendimentos por ano.

Plantão

Além disso, o centro de saúde possui uma escala de plantão com quatro médicos 24h e é a única do Estado que oferece o serviço de ortopedia para média complexidade.

De acordo com o prefeito, o MS ainda não habilitou a unidade por causa de duas exigências que não existiam na época da concepção do projeto da UPA.

“O que pedimos ao Ministro foi que, diante desta questão, ele habilitasse a Unidade com pendências e nos desse um prazo para resolver as exigências mais recentes. Entendemos que, com os recursos federais, teremos fôlego para cumpri-las em tempo recorde”, destacou o prefeito.

Com informações da Prefeitura de Mossoró.

Categoria(s): Saúde

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    ” ministro se comprometeu em buscar uma solução para habilitar a unidade”
    Para de rir, Zé Ruela.
    Que mania mais besta.
    Se você for rir toda vez quer ministro se comprometer em buscar uma solução…
    Mas quem riu mesmo e muito hoje fui eu.
    No rádio, tentando acompanhar o jogo do Baraúnas, ouvi declarações de um experiente jornalista de que começava a desconfiar da municipalização do NOGUEIRÃO. Dizia como quem estava descobrindo a pólvora que a municipalização parecia, PARECIA, ter sido apenas um passo para a permuta do NOGUEIRÃO.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    COMEÇAVA A DESCONFIAR…
    Eu digo há dois anos aqui neste blog que o NOGUEIRÃO será “TROCADO” por um campinho de futebol na estrada ASSU/MOSSORÓ. O vereador, dito de oposição, Genivan Vale, declarou no programa Haroldo Jácome que o campinho fica depois do posto da PRF, saída para Natal.
    O vice-prefeito, Luiz Carlos Martins JÁ VISITOU O LOCAL ONDE SERÁ CONSTRUÍDO O CAMPINHO para ser trocado pelo NOGUEIRÃO.
    QUANTO VALE O NOGUEIRÃO? QUANTO VALE O CAMPINHO?
    O Ministério Público já foi por alertado para esta “troca” em conversa pessoal que tive com um promotor na sede do MP em Mossoró.
    Ao jornalista experiente eu digo que a municipalização não PARECE ser um passo para a permuta.
    A municipalização foi um passo para a permuta.
    Pobre do futebol mossoroense, já falindo, que com esta permuta, gostei do permuta, falirá de vez.
    Quem vai sair da sua casa no Alto da Conceição, Nova Betânia, Santo Antônio, Belo Horizonte, para ir quase em Assu assistir a um jogo entre Baraúnas e Alecrim?
    O pior é que ninguém protesta, ninguém diz nada e somente agora um jornalista experiente percebe que vão trocar o NNOGUEIRÃO por um campinho de futebol.
    Vamos rir, Zé Ruela. Rir é tudo o que nos resta fazer.
    ////
    QUANDO SERÃO JULGADOS OS RECURSOS SAL GROSSO?

  2. FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Caro Jornalista Carlos Santos, pra que efetivamente tenhamos um pouco que seja, de acesso a realidade factual e não, apenas e tão somente o disseminar de versões injuriosas e mentirosas, diversionismos, hopocriisias e sofismas tão afetos à nossa dita grande imprensa, quando em seu udenismo diário de golpismo travestido de informação. Peço vênia pra transcrever acontecimentos, atos e atitudes patrocinadas pela revista In- veja, o chamado detrito de maré baixa, a praticar o que o golpismo chama de jornalismo, sendo mais uma vez, quando intenta incriminar LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA e seus familiares, observemos atentamente à leitura abaixo:

    Agente da Veja parte para o banditismo com família de Lula. E a mídia cala…
    26 de fevereiro de 2015 | 19:24 Autor: Fernando Brito

    vejista

    Um cidadão a serviço da Veja, de nome Ullisses Campbell, foi pego com a boca na botija tentando forjar a armação que ele próprio havia feito, de envolver a família do ex-presidente Lula numa suntuosa festa infantil.

    O fato está registrado num Boletim de Ocorrência, em São Paulo.

    Desmascarada a farsa que publicou na Veja, Campbell foi a São Paulo com o objetivo de forjar elementos que permitissem sustentar a sua mentira.

    Na segunda-feira, ligou para o irmão de Lula, o ex-sindicalista José Ferreira da Silva, o Frei Chico, passando-se por aluno da USP que pesquisava os nomes dos parentes de Lula.

    No dia seguinte, para a nora dele, dizendo-se funcionário de uma casa de festas e pedindo o endereço.

    Interpelado pelo filho de frei Chico, segundo o registro policial, Ullisses disse “…que necessitava de informações, e se o declarante não as fornecesse ele poderia publicar o que quisesse, tendo Ulisses, inclusive enviado pelo celular, para o declarante, uma fotografia da esposa do declarante em companhia de seu filho, a qual usaria em publicação futura na revista Veja.”

    Ontem, Campbell invadiu o condomínio onde mora a família, se passando por entregador de livros e tentando colher informações sobre o horário de chega dos integrantes da família.

    Fugiu, mas foi detido pela Polícia Militar e identificado como agente da revista Veja.

    Toda a mecânica do ato criminoso está descrita na nota publicada pelo Instituto Lula e que está sendo divulgada pelos blogs.

    Apenas por eles.

    Na grande imprensa, até agora, nem uma linha.

    A Veja, que já tentou entrar à força num quarto de hotel onde se hospedava José Dirceu , desce mais um degrau no crime.

    Agora fuça a intimidade dos parentes de Lula, invade seus locais de moradia e tenta forjar fatos, porque é evidente que endereços e horários serviriam para entregar “brindes” ou documentos da tal festa inventada e, com isso, “provar” que existia.

    Coisa de bandido, de Código Penal, e – ainda pior – patrocinada por uma organização criminosa, porque implicou o deslocamento de um funcionário, hospedagem, deslocamentos na cidade, certamente pagos pela Abril.

    Tudo acobertado por uma imprensa, em geral, cúmplice destas violações, desde que elas sejam feitas para atingir Lula.

    OBS. Quem rotineiramente de alguma forma acessa a internet, já está calejado de se deparar com a manifesta desinformação e manipulação de toda ordem capitaneada pela direitona juntamente com seus alienados e golpistas de plantão, quando por exemplo, colocam a fotografia da ESCOLA DE AGRONOMIA DE PIRACIBA/SP., e afirmam ser a Mansão do Filho de LULA, em uma das muitas fazendas que supostamente possui. Em outra quadra disseminam inverdades e manipulações no desiderato de afirmar suposta prioridade do filho de LULA com relação a EMPRESA FRIBOI, dentre muitas outras “obras de arte” do conjunto da desinformação à que é diariamente submetida sociedade brasileira, que não esqueçamos não possui o salutar e revolucionário hábito da leitura.

    Do Blog – Tijolaço

    (Essa a dita grande imprensa jamais iria publicar)

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO
    OAB/RN. 7318.

  3. Inácio Augusto de Almeida diz:

    EM CASCAVEL É ASSIM.
    EM CASCAVEL, DINHEIRO DO CARNAVAL COMPRA CAIXAS DÁGUA
    Publicado em 26 de fevereiro de 2015 por granjahoje
    Com o recurso que seria utilizado para promover a festa de Carnaval em 2015, a Prefeitura de Cascavel adquiriu 200 caixas d’água de 3 mil litros para garantir o abastecimento da população. Os reservatórios, que hoje estão armazenados na sede da administração municipal, serão distribuídos a comunidades rurais e urbanas que sofrem com a dificuldade de encontrar água própria para o consumo humano. A medida faz parte do Programa Água para Todos.
    ///
    Em Cascavel as prioridades são outras.
    Em Mossoró o importante é bancar um Carnaval que não existe.
    Como pode Mossoró reclamar da falta de recursos para manter em funcionamento uma UPA se rasga dinheiro com o que não existe e constrói BICs que para nada servem e ficam fechadas a cadeado?
    Como pode Mossoró reclamar da falta de dinheiro se anuncia gastos de mais de 20 milhões de reais na construção de um templo religioso. Uma obra tão absurda que precisa ser mascarada de interesse turístico.
    Como podem anunciar gastos de 20 milhões num santuário em um estado laico se falta dinheiro para a Saúde, Educação e Segurança?
    Sabe o mossoroense quanto custou o santuário de Frei Damião, em Guarabira-PB?
    Procure saber e compare com o que vai ser gasto em Mossoró na construção de um santuário.
    Mas é fácil ser feliz em Mossoró:
    BASTA NASCER BURRO. VIVER NA IGNORÂNCIA E ACEITAR TUDO CALADINHO.
    /////
    QUANDO SERÃO JULGADOS OS RECURSOS SAL GROSSO?
    O UNIFORME ESCOLAR NÃO FOI ENTREGUE EM MOSSORÓ.

  4. naide maria rosado de souza diz:

    Ótimas falas. Que sejam cumpridas!

  5. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Lendo a mensagem do prefeito encontramois algumas pérolas que comentamos a seguir:
    “•A Construção do Santuário de Santa Luzia, que irá impulsionar o turismo religioso;”
    ASSUME PUBLICAMENE O USO DE VERBAS PÚBLICAS NA CONSTRUÇÃO DE TEMPLO RELIGIOSO.
    Com a palavra o MINISTÉRIO PÚBLICO.
    “•Implantação de iluminação de LED com objetivo de economizar com os gastos de energia;”
    NÃO CONSEGUE SEQUER TROCAR AS LÂMPADAS ATUAIS E MANTER A CIDADE MINIMAMENTE ILUMINADA.
    Mas como esta implantação vai ocasionar despesas gigantescas, licitações, etc…
    Fica quieto, Zé Ruela. Que mania besta de rir ao ouvir falar em licitação.
    “•Ampliação do Transporte Coletivo passando de 22 para 50 o número de ônibus;
    •Implantação do Parque da Cidade;
    •Implantação do Bosque da Família;”
    VAMOS NO ATACADO, QUE NA ARTE DE PROMETER O HOMEM É UM DANADO.
    Alguém acredita que numa crise como a que o país atravessa, consequentemente com influência direta nas arrecadações estadual e municipal, haja recursos para obras como estas.
    Se conseguir manter o pagamento do funcionalismo municipal em dia…
    “•Ampliação de 65 para 90 as Equipes da Estratégia Saúde da Família;”
    NÃO CONTRATA SEQUER OS CONCURSADOS NA ÁREA DA SAÚDE E FICA FAZENDO PROMESSAS.
    Vamos, contrate os concursados. Contrata coisa nenhuma.
    “•Implantação de novas BICs na cidade;”
    JÁ VERIFICOU A QUANTIDADE DE CADEADOS EXISTENTES NO COMÉRCIO?
    Para manter estas novas BICs fechadas, haja cadeados.
    Zé Ruela, ou você para de rir, ou eu paro de escrever.
    Zé Buchudinho, puxa a orelha do Zé Ruela para ver se ele se aquieta.
    “•Implantação da Zona Azul como forma de desafogar e organizar o trânsito no Centro da cidade;”
    Isto tem a ver com retirada dos FLANELINHAS do centro da cidade. Não é possível que vá aparecer algum outro GARUPEIRO dizendo que a ideia foi dele. Mas para retirar os FLANELINHAS é preciso todo um trabalho de ASSISTÊNCIA SOCIAL. Ou isto é feito ou o mossoroense, além de pagar mais este imposto, ZONA AZUL, continuará pagando os FLANELINHAS.
    “•Reinício da luta pelo retorno dos voos regulares para Mossoró e revitalização do aeroporto Dix-sept Rosado.”
    Agora ele foi longe. Convencer as empresas aéreas a fazer voos regulares para Mossoró num aeroporto que ainda depende de um projeto de revitalização… Isto sem contar se existe fluxo de passageiros que compense os pousos e decolagens das aeronaves em Mossoró. Será que o senhor promessa sabe quanto custa um pouso, taxiamento, parada, novo taxiamento, decolagem e pessoal de apoio em terra num aeroporto para as companhias aéreas? Pensou já o senhor das promessas se do ponto de vista econômico isto é viável para as EMPRESAS AÉREAS?
    E com a análise desta promessa eu encerro, não sem antes lembrar que este ano NÃO será distribuído UNIFORME ESCOLAR nas escolas municipais de Mossoró. Os pai terão que comprar blusa, calça jeans e tênis.
    MATERIAL ESCOLAR nem um mísero cotoco será distribuído. Ontem ouvi de uma diretora de colégio, numa reunião com pais de alunos, que muitas crianças NÃO tem um lápis. Caderno, nem pensar.
    O QUE PODE APRENDER UMA CRIANÇA SEM LÁPIS E PAPEL NUMA ESCOLA?
    Cuidar destas coisas? Não, nisto ele nem pensa. Até porque isto só afeta os mossorenses pobres.
    ///
    QUANDO SERÃO JULGADOS OS RECURSOS SAL GROSSO.
    UM TAC PARA ACABAR COM A LEI DA MORDOMIA DOS VEREADORES.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.