terça-feira - 29/09/2009 - 11:32h

Prefeitura desconta dias parados e servidores se revoltam


Tem servidor de carreira da Prefeitura de Mossoró ostantando contra-cheque com valor líquido de R$ 60,00. Podem existir casos com números ainda menores.

Esse é o castigo imposto a quem fez greve, pelo Governo "Da Gente" (deles), personificado pela prefeita de direito, enfermeira Fátima Rosado (DEM).

Nesse momento, dezenas de servidores caminham em passeata na direção da sede da prefeitura, o Palácio da Resistência, à Avenida Alberto Maranhão.

Alguns gritam palavras de ordem, outros xingam o prefeito de fato Gustavo Rosado (PV), irmão de Fátima. 

Os grevistas deram uma trégua recente à paralisação, a partir de intervenção do Ministério Público. A prefeitura prometeu e cumpriu: descontou os dias parados.

Os desdobramentos dessa queda-de-braço são imprevisíveis.

Aguarde mais notícias.

Categoria(s): Nelson Queiroz

Comentários

  1. Roberto de Freitas diz:

    Prezado Carlos!

    Nada contra greves! Até porque quando se trata de LUTAR pelos nossos DIREITOS LEGAIS devermos de correr atrás.

    Nada de fazer apologia a atual Gestão Municipal! Não concordo em 100 ou 0% com a referida. Mais, na minha opinião a Prefeitura de Mossoró para este fato de forma alguma agiu contra a determinação da LEI. Lendo e re-lendo aos jornais da cidade, inclusive o Jornal O Mossoroense, não encontrei sequer uma reportagem que defendesse o motivo real da GREVE.

    Para esta atitude, estou a favor da prefeitura. Agora, espero que com o saldo dos descontos atribuídos aos “neo-grevistas” sejam aplicados de imediato nos setores como a saúde, onde as unidades à dias penam por um pedaço de algodão.

    Na oportunidade, não estou desafiando opinião de ninguém. Apenas estou explanando a minha!

    Obrigado pela atenção!

  2. Allison Araújo diz:

    Se fosse descontar os dias parados da prefeita, ela só receberia durante a campanha eleitoral, e Gustavo Rosado receberia pelos dias parados dela.

  3. Valtércio Anunciato Da Silveira diz:

    Dias atrás, cantei esta pedra, e disse mais, que, descontando os dias parados até por falta de diálogo, seria uma forma de a Prefeitura começar a ajustar suas contas, deficitárias neste momento.
    Pura covardia, a estaca quebrou novamente no costado do mais fraco. Ela deveria quebrar na cloaca de alguém que se negou a receber os grevistas.

  4. Fatinha Queiroz diz:

    Estão esquecendo que a lei só aceita discontar sálarios de grevistas quando a greve vai a julgmento e a mesma é julgada inconstitucional ai sim,mas fora isso nada pode ser descontado…A prefeitura errou feio,mais uma vez…..

  5. Everton Carlos da Costa Cardoso diz:

    Pensar que “com o saldo dos descontos atribuídos aos neo-grevistas sejam aplicados em setores como a saúde”, é o maior devaneio desse mundo. É acreditar em fantasias.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.