sábado - 16/04/2011 - 18:48h

Prisioneiro peregrino



Escapo-me e não me sou.
Sonho e já padeço
Aquilo que, se verdadeiro,
Ainda mereço.

Nas luzes de tua voz
Meu coração, trancafiado -
Prisioneiro peregrino de sua essência -
Está iluminado

Mesmo preso, ele segue
Sem querer ou desfazendo
Aquilo que num dia deu-lhe
Trabalho e desalento…
…A alma lhe escorre pelo peito,
Sangrando,
Sofrendo.

Mário Gérson é jornalista e poeta mossoroense

* Texto extraído do livro "A noite de luvas brancas"

Categoria(s): Nélter Queiroz

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.