terça-feira - 01/03/2011 - 10:23h

Uma cigana no sertão



Ah! Esta “Terra” estranha
que o meu coração árido aguenta,
este chão pálido,
deste povo de pavio curto,
que invade minhas entranhas,
é o chão batido e
abatido,
sertão,
sem muitos rumores.
O meu corpo pede água,
a boca sabor,
sou a cigana dos campos
sofrentes…
Piso neste escasso chão,
tem momentos que desejo não
ser andarilha.

Sulla Mino é poetisa

Categoria(s): Nélter Queiroz

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.