domingo - 29/09/2013 - 12:17h

Despojos


Por Clauder Arcanjo

O palhaço partiu,
os balões ficaram flácidos,
o bolo carcomido, e
as crianças despedem-se sem graça.

Na rua em frente, um balão a quicar,
com o vento trigueiro a levá-lo…
Preguiçoso, a rolar pelas pedras,
cabreiro, a acenar para a noite da favela.

De repente, uma luz dúbia na janela,
um olho na fresta, e um coração,
infante, a rezar pelo atraso do lixeiro,
para reinar cedo nos despojos da alegria.

Clauder Arcanjo é escritor e poeta cearense

Categoria(s): Blog

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.