quinta-feira - 11/10/2018 - 12:07h
Segundo turno

Haddad se livra de Lula e tenta suavizar antipetismo

Estratégia do marketing presidencial repete tática adotada pelo PT nas eleições municipais de 2016

O candidato do PT, Fernando Haddad, começou o segundo turno eleitoral em larga desvantagem em termos de intenções de voto (veja AQUI). Um pouco antes disso, já apresentou mudança radical na identidade visual de sua campanha e profundos ajustes no discurso.

As estratégias procuram retomar ritmo de crescimento que estacou perto do final do primeiro turno, para atropelar o contendor Jair Bolsonaro (PSL), que surfa na dianteira.

Nova logomarca expurga o vermelho e escanteia imagem de Lula como apoio a Haddad (Print: reprodução)

No primeiro turno, Haddad tinha a companhia de Lula da Silva (PT) como principal peça de alavancagem, o que provocou diversos problemas com a Justiça Eleitoral em todo o país. Além disso, o vermelho padrão do partido era realçado de forma intensa. Agora, não.

Lula é descartado e escondido nessa fase e as cores da bandeira nacional aparecem de forma proeminente, como se o vermelho nunca tivesse existido. Paralelamente, em suas entrevistas pós-primeiro turno, o candidato descredenciou o ex-chefe da Casa Civil do Governo Lula José Dirceu.

Em depoimentos à imprensa no primeiro turno, Dirceu prometeu radicalizar em relação à imprensa e amputar poderes do Ministério Público, por exemplo. Previu que o PT iria “tomar o poder”. A ordem é também escondê-lo.

Haddad repete o passado

Camuflar imagem pesada do partido para tentar neutralizar discurso antipetista dos adversários não é caso novo na legenda e na vida de Haddad. O mimetismo já acontecera antes. Em 2016, eleições municipais paulistanas, ele mudou o padrão de sua peças de propaganda para minimizar os desgastes. Não deu certo. Venceu João Dória, um tucano neófito em política.

Propaganda de Haddad encolheu número e diminuiu impacto do vermelho em 2016 e ele não venceu (Foto: reprodução)

Por vários outros municípios do Brasil, a estratégia foi a mesma de outros candidatos do PT a prefeito. Desgastado em razão do processo de impeachment de Dilma Rousseff e dos escândalos da Operação Lava Jato, o partido saiu arrasado do pleito.

Em São José dos Campos em São Paulo, em 2016, o PT ficou azul e número laranja (Print arquivo)

Vice-presidente nacional do PT à época, José Guimarães disse que adotar uma tática de esconder os símbolos do partido é “dar um tiro no pé”. Dois anos depois, o mesmo PT demonstra que não aprendeu a lição. Atira no outro pé.

Em Brusque, Santa Catarina, o 13 praticamente desapareceu em 2016 e o vermelho foi retirado (Print reprodução)

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) e advogada Carla Tatiane (PCdoB), candidatos a prefeito e vice de Natal no mesmo ano, também enveredaram pela construção de uma identidade visual menos agressiva.  Não vingaram nas urnas.

O marketing atenuou o vermelho e apostou no branco como uma cor ‘neutra’.

Fernando Mineiro e Carla Tatiane seguiram a receita da suavização do vermelho em 2016 (Print reprodução)

A foto oficial de campanha de ambos foi com os dois cobertos pelo branco. O vermelho foi uma cor acessória e episódica.

Na primeira eleição municipal em que os candidatos não puderam contar com doações de empresas, e para a qual dispuseram de apenas 35 dias de horário eleitoral gratuito, o PT teve o pior desempenho dos últimos 20 anos. O fracasso na disputa pelas 463.374 cadeiras de vereador e 5.568 prefeituras do Pais foi eloquente.

Desastre

O PT tinha 638 Prefeituras espalhadas pelo Brasil antes dos pleitos (primeiro e segundo turnos) de 2016. Terminou com 234, inclusive sem nenhuma no ABCD paulista, onde nasceu.

O PT encolheu também nas câmaras municipais (veja AQUI desempenho de todos os partidos no país). O partido teve perda percentual de 45,8%: foram 5.185 parlamentares eleitos em 2012 e em 2016 caiu para 2.808.

No dia 31 de outubro de 2016, às 9h38, o Blog Carlos Santos publicava essa postagem: Urnas derrotam o PT e exigem atenção redobrada dos vencedores. “Aos vencedores cabe a euforia da vitória, mas ninguém ganhou salvo-conduto para repetir ou alargar os erros do petismo e seus colegas de poder em mais de 13 anos de aboletados no Planalto e Esplanada dos Ministérios. O voto é um ativo muito volátil”, assinalamos na matéria à época, há quase dois anos.

Movimento pendular

Daqui a dois anos, teremos o primeiro teste com os eleitos de 2016, com os partidos vitoriosos deste ano. Serão feitas eleições para deputado estadual, deputado federal, senador (duas vagas), governador e presidente da República.

O movimento pendular poderá continuar fazendo estragos. O PT foi “executado” em 2016. Mas amanhã poderão ser outros partidos e personagens. Os próximos meses e anos formatarão a vontade popular. (Blog Carlos Santos em 31 de outubro de 2016).

Leia também: O erro que o PT sabia que não podia cometer, mas cometeu;

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Blog

Comentários

  1. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    É a Síndrome do Camaleão. Veste a roupa que lhe convém, para se proteger do perigo iminente.

    • Victor diz:

      O que a senhora quer dizer com “perigo iminente”? Tem a ver com a série de espancamentos impunes perpetrados por bolsonaristas? A senhora viu que uma moça teve uma suástica “tatuada” no ventre e ouviu do delegado que aquilo era um símbolo budista? Não me admira o seu flerte com reminiscências da ditadura.

  2. João Paulo diz:

    Engraçadíssimo, Rosado que mora no Rio de Janeiro viver dando pitacos sobre a política mossoroense e potiguar. Depois quando a pessoa faz qualquer comentário lúcido aqui, a filha do oligarca vem reclamar. Ah, mas se está no Rio, né. Assim, fica fácil falar. Eu não nasci de berço de oligarquia nenhuma, tudo que consegui foi com meu esforço vindo da classe baixa. Já quem nasce de clã, tem vida fácil, se manda para o Rio, e ainda vem de seu belo lar na cidade carioca querer vir apontar dedos para mim e para Mossoró. Por que não vens morar aqui minha cara?

  3. Victor diz:

    Agora não é mais PT, é Brasil contra a barbárie.

  4. João Claudio diz:

    A meta de Bolsonaro é banir os PTralhas fo mapa e fuzilar os comunistas.

    Tem o meu apoio e é a nova onda do brasil. O tsunami verde e amarelo. O fenômeno impar na história do brasil.

    Esquente não, Naide. Os coices dos burros encantados são inevitáveis, mas passíveis de desvios.

    Esquente não. És sabia e tens a cabeça no lugar. O fato de estares livres de qualquer tipo de encantamento, já merece o respeito de todos aqueles que não foram encantados pelo falso Messias.

    O povo ç brasileiro não quer mais uma quadrilha de bandidos no comando da nação.

    O big pé na bunda vai beirar os 60%.

    ANOTEM.

  5. João Claudio diz:

    Naide, CONFIRME #Ele Não aí no Rio. Eu CONFIRMO aqui no RN.

    Prepare os fogos. Vai ter festa, wisky à gogô, ‘bunda lêlê e PTralha chamando urubu de meu louro.

    Esquenta não, Naide!

  6. João Claudio diz:

    FORA QUADRILHA DE BANDIDOS.

  7. Marcos Pinto diz:

    Já vencemos o Pó. Agora venceremos o ódio, a Pólvora, o racismo, o fascismo e a homofobia. Defenda o seu DECIMO-TERCEIRO . VOTE FÁTIMA 13. VOTE HADDAD 13.

  8. Marcos Pinto. diz:

    Essa barbárie instalada pelos asseclas do Bolsonazi está catapultado a Vitória antecipada da Frente Democrática capitaneada pelo HADDAD. Anotem e confiram.

  9. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Não duvido que num gesto de desespero o Haddad declare apoio a Bolsonaro.
    ////
    BOBAGEM GRANDE É FINGIR-SE DE ESPERTO.
    Inácio Augusto de Almeida

  10. François Silvestre diz:

    Saudade do Brasil de Juscelino e Lacerda, Prestes e Afonso Arinos, Celso Furtado e Roberto Campos, Darcy Ribeiro e Gilberto Freire; saudade de um país em formação. Com a ruptura democrática, taí no que resultou. Um espraiar de mediocridade, burrice, violência. Quase nostalgia.

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Vai piorar. Estamos marchando de um populismo doentio de esquerda, para outro populismo patológico de direita.

      Mediocridade para todos os lados.

  11. william diz:

    Lula e Dilma fizeram isso também no segundo turno da campanha deles, não é novidade alguma. Má vontade, isso sim, de querer deturpar estratégias do PT.

  12. Marcos diz:

    Eleitores do Bolsonaro violento? O que dizer da facada que sofreu por um esquerdista e que os eleitores “violentos” entregou o criminoso a polícia sem um marca de violência?

    O PT ludribia de todos os jeitos mesmo. Francamente.

  13. fernando diz:

    NO RN,foi uma campanha onde muita gente de ceras famílias, procurou esconder o tradicional e respeitado sobrenome . Ex: Rosado não era Rosado.

  14. João Claudio diz:

    Eleições 2018.

    Na ótica dos cidadãos honestos e de bem, restaram dois candidatos. A escolha não é tão difícil o quanto se imagina,

    Ei-los:

    O DESCONHECIDO X O CONHECIDO (da polícia)

  15. jose luiz da silva diz:

    estou doido que ja´chegue o dia de votar de novo pra votar 17 de novo

  16. Renato diz:

    Se petistas quisessem alguma credibilidade, teriam que abandonar o partido e acabar com as ideias socialistas. Não adianta só trocar de roupa.

  17. Francisco diz:

    Os petistas podem cuspir em adversários, os petistas podem roubar/desviar milhões que alguns tolamente não desiste. Podem espernear,podem falar que tem nojo de oligarquias, vcs deixaram sujeiras por onde passaram. Eu lamento que o RN terá mais quatro anos de sofrimento se Fátima ganhar. Governar contra o governo federal é fogo.

  18. kelder diz:

    se cair um meteorito em um comitê do PT vão dizer que foi Bolsonaro.aff

Deixe uma resposta para João Paulo Cancelar resposta

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.