quarta-feira - 02/12/2020 - 10:50h
Eleições 2020

Álvaro é prefeito por ‘voto de segurança’; Natal repete prudência

Reeleição revela fraqueza da oposição e habilidade do vitorioso em convencer eleitor a não se arriscar

Os números finais das eleições em Natal (veja AQUI), logo no primeiro turno, dia 15 de novembro, mostraram o que as pesquisas em sua maioria vinham antecipando: vitória avassaladora do prefeito Álvaro Dias (PSDB). Resolveu tudo sem precisar ir para o sacrifício do segundo turno.

Absolutamente sem adversário à altura entre os 13 que se postaram à oposição, Álvaro ganhou de “lavagem”, como dimensiona uma expressão popular que procura dar ideia de muita sobra. E, de fato, assim ocorreu. Foram 194.764 votos (56,58%) dos votos válidos e o concorrente mais próximo, senador Jean-Paul Prates (PT), não passou de 49.494 votos (14,38%).

Aila e Álvaro ganharam com folga dos adversários que se acumularam em busca do segundo turno (Foto: Juliane Bezerra)

Numa análise fria e sem maior rebuscamento, muitos atribuem o resultado das urnas à forma como o prefeito lidou com os estresses da pandemia da Covid-19, num contraponto à postura da governadora Fátima Bezerra (PT). Enquanto ele revelou vigor em decisões até questionáveis, ela foi titubeante todo esse tempo.

Eleitor desconfiado

Soube melhor trabalhar o marketing no caos, atraindo o “voto de segurança” do eleitor mais desconfiado. E olhe que não faltam senões à própria atuação da municipalidade, colocada sob suspeição na contratação de empresa (veja AQUI) e hospital de campanha, por exemplo. Álvaro foi questionado até por seu secretário municipal de Saúde, George Antunes, que pediu exoneração (veja AQUI e AQUI) e depois foi convencido a ficar, chateado com certas medidas do executivo.

O prefeito foi beneficiado, também, pelo esfacelamento de uma oposição sem referências, que sequer cumulativamente (13 candidaturas) conseguiu o elementar, ou seja, levar a contenda ao segundo turno. Natal está sem nada de novo, diferenciado ou pujante na política e optou – como em eleições mais recentes, por quem seja hipoteticamente menos danoso ou mais seguro.

Assim aconteceu com o antecessor Carlos Eduardo Alves (PDT) em 2016, sempre carregando o fantasma de Micarla de Sousa (pior governante do país em todos os tempos) debaixo do braço. Foi ungido como a solução perfeita à capital. De novo (quarta vez).  Álvaro foi seu vice.

A votação do prefeito reeleito em 2020, é de quem poderia ser visto como um populista e popular aos olhos do eleitor. Não é uma coisa nem outra. Em toda sua trajetória politica, esse caicoense de 61 anos nunca fez o tipo bonachão nem teve cheiro de povo. É, em verdade, antítese disso.

Conservadorismo

Formado em medicina, aos 24 anos foi vice-prefeito de Manoel Torres (PMDB) em sua terra no Seridó. Paralelamente, ele assumiu a Secretaria Municipal de Saúde para alavancar carreira estadual, sendo eleito deputado estadual quatro vezes, além de deputado federal e vice-prefeito de Carlos Eduardo Alves em 2016. Com a renúncia desse no início de 2018, virou prefeito.

Álvaro e Carlos: pragmatismo sem cheiro de povo (Foto: arquivo)

Ao manter Carlos Eduardo ao seu lado, cedendo à indicação de Aila Cortez (PDT) para vice, atrair a fina flor do conservadorismo e forças tradicionais (Alves, Ferreira de Souza, Maias, Faria etc.) e carregar na imagem de gestor operoso, ele fechou a porta para surpresas. A pulverização de adversários sem maior densidade eleitoral só complementou esse quadro vitorioso.

O triunfo de Álvaro repete Carlos Eduardo, seu padrinho político na prefeitura e até bem pouco tempo alguém capaz de lhe causar problemas, na sucessão, se apoiasse algum nome competitivo.

Carlos, o Táta para amigos e familiares, não teve adversário também em 2016. Foi um passei no primeiro turno. Empalmou 225.741 votos (63,42%), contra 47.576 votos (13,37%) de Kelps Lima (Solidariedade).

Nem de longe, ambos têm identidade popular, repita-se.

Natal fez uma escolha pragmática nas duas ocasiões. Voto de segurança. Preferiu não se arriscar.

Análise das eleições

* Essa postagem é a segunda de uma série que estamos produzindo sobre as eleições 2020. Veja a primeira clicando no link abaixo.

Leia também: Polarização continua, apesar de números mostrarem que não.

* INSCREVA-SE em nosso canal no Youtube (AQUI) para avançarmos projeto jornalístico.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Eleições 2020 / Política

Comentários

  1. Rocha Neto diz:

    Excelente avaliação a sua Carlão, só acrescentaria que Álvaro poderá ser mais uma opção pra governador em 2022, com a família de um Alves como vice, já é um dos coringa a ser usado para reforço do projeto, convivi com o deputado Álvaro Dias na Assembléia Legislativa, excelente presidente por sinal, gestão exitosa e que ajudou e muito o governador Garibaldi Alves.
    Bem o tempo nos dará resposta…

    • Carlos Santos diz:

      NOTA DO BLOG – Boa tarde, meu caro Rocha.

      Muitas conjecturas podem ser feitas a partir daí, mas nos prendemos prioritariamente na eleição, tentando contribuir para o bom debate quanto ao resultado, as circunstâncias, a construção do triufo.

      E, claro, sempre considerando que não temos o dom da verdade absoluta e que é preciso fomentar o bom debate.

      Abraços.

  2. FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    A situação…melhor traduzindo, a extrema direita, que de fato, nos governa desde as Capitânias Hereditárias, à ela, nesse jogo do ponto de vida histórico, sabidamente um jogo de cartas marcadas. Comporta o controle absoluto da bola, do Juiz, do campo de futebol e o ditar as regras do jogo, então, claro, óbvio e ululante, bastante fácil convencer o eleitor, suposto cidadão no que tange a ficção chamada segurança da continuidade.

    Queres quantos exemplos exemplos…!!!???

    LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, foi preso, num cipoal de construções fictícias de condenações judiciais, com um único objetivo, impedir que o mesmo viesse disputar a eleição presidencial do ano de de 2018 (ONDE ERA FRANCAMENTE TIDO COMO FAVORITO, INCLUSIVE POR ESSA MESMÍSSIMA SITUAÇÃO), exatamente, para, após 14 anos, abrir caminho pra que extrema direita oportunizasse a volta ao poder dito institucional, já que não tinha quandros com cacife eleitoral para tanto.

    Não vamos a tanto, vejamos à nível do RN., sem sorte, observemos o caso do DEPUTA FEDERAL FERNANDO MINEIRO, eleito democraticamente, e, criminosamente impedido de exercer livremente o encargo público, para o qual fora nomeado pelo povo, impedimento esse, ditado pelo mesmíssimo judiciário, judiciário esse, que, juntamente com a imprensa monopolista, parceiros e cúmplices indissociáveis de todos os golpes perpetrados contra a democracia e o estado democrático de direito em nosso país, desde os tempos do império colonial em nossa dita Pátria Mãe Gentil..!!!

    No caso, deveras cômodo, falar em pragmatismo de parte daqueles que estão à extrema direita do espectro político, e, sob sob o comando direto das regras e ditando o jogo em todos os sentidos e matizes, ao mesmo tempo que se exige da oposição, demandas, comandos e decisões que se assemelhariam a ….milagres, sobretudo no atual contexto político eleitoral, planejado, construído e metodicamente aplicado através do golpe de 23016, pela dita e situada direitona capitaneada pleo grande capital daqui e de alhures….!!!

    Um baraço
    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

  3. Gilvandro diz:

    Esse petista não se conforma com a derrocada do PT e sempre contesta o analista, como se fosse o dono da razão. Ah coitado!

  4. FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO diz:

    Meu Caro Gilvandro, no breve texto, analisei contextos,conjunturas, regras do jogo e, sobretudo história, e não somente me referindo ao resultado das eleições como tratou ufanisticamente o articulista…Oooo Cara Pálida, entendeu o quer que desenhe …!!!???

    Vossa Senhoria por um acaso já tem no colete o resultado das eleições Presidenciais do node 2022…!!!??

    Em resumo o que Vossa senhoria parece não ter compreendido…por mais que a Elite dirigente do país chamado Brasil não goste e não queria entender, muito embora sobredita Elite, detenha o monopólio da maioria das decisões acerca das regras do jogo, a dinâmica da política impõe caminhos e descaminhos que muitas vezes nossa vã filosofia ignora…!!!

    Um baraço
    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011 - 2021. Todos os Direitos Reservados.