domingo - 29/04/2018 - 05:38h

A luta por um novo campus do IFRN


Por Josué Moreira

A Rede Federal está vivenciando a maior expansão de sua história. De 1909 a 2002, foram construídas 140 escolas técnicas no país. Entre 2003 e 2016, o Ministério da Educação concretizou a construção de mais de 500 novas unidades referentes ao plano de expansão da educação profissional, totalizando 644 campi em funcionamento (veja AQUI).

São 38 Institutos Federais presentes em todos estados, oferecendo cursos de qualificação, ensino médio integrado, cursos superiores de tecnologia e licenciaturas.

A expansão das escolas técnicas federais foi uma grande conquista para o Brasil, em especial o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN, trouxe desenvolvimento econômico, social e cultural para o nosso estado com a implantação desses equipamentos públicos de alto padrão e qualidade da educação.

Vários municípios do interior do Rio Grande do Norte ganharam um novo visual com arquiteturas modernas e estrutura físicas bem adequadas e ambientes aconchegantes, com salas de aulas climatizadas e laboratórios equipados e servidores qualificados e dedicados a prática de uma educação de qualidade e pública.

O IFRN, até o ano de 2005 contava apenas com duas unidades de ensino, uma em Natal e outra no município de Mossoró. Em seguida, foram construídas 14 novas unidades nos municípios de Apodi, Caicó, Canguaretama, Ceará-Mirim, Currais Novos, Ipanguaçu, João Câmara, Macau, Nova Cruz, Parnamirim, Pau-dos-Ferros, Santa Cruz, São Gonçalo do Amarante e São Paulo do Potengi.

Foram implantadas duas unidades como campus avançados nos municípios de Lajes e Parelhas.

O diferencial nesse processo de expansão ficou para a capital, onde foi exageradamente privilegiada com mais três unidades desse equipamento de ensino, um campus situado na Zona Norte da cidade e outro no bairro Cidade Alta e a unidade do Campus de Educação à Distância (EAD) localizado no Campus Natal-Central. Além dessas conquistas, foi criada ainda a Reitoria para administrar a instituição. Nesse caso, observa-se que Natal teve um atendimento diferenciada e privilegiado em relação a capital do Oeste, Mossoró. O IFRN conta com 21 unidades de ensino e a Reitoria.

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) é um documento exigido pelo decreto 5773/2006 e nele, entre outras informações, está descrita a atuação da Instituição. É um plano de gestão que considera a identidade da instituição para o estabelecimento dos objetivos e metas estratégicas. O período da gestão do PDI é de 2014 a 2018 (veja AQUI).

Segundo o PDI 2014 a 2018 – IFRN, a previsão é que os campus criados pela política de expansão venham a atender um público em torno de 1.200 estudantes por unidade e/ou atingir a relação de 20 alunos por docente, em atendimento ao Acordo de Metas para 2022.

No IFRN, a relação candidato/vaga é um indicador que reflete a demanda global média da sociedade pelos cursos da Instituição. Ao longo dos últimos seis anos, de 2008 a 2013, verifica-se um valor médio de 6,08. Em Mossoró, que tem uma população alvo de 18.643 (44,6%), ficando à frente de Natal 56.681 (39,0%) de forma proporcional.

A concorrência para entrar no campus de Mossoró ultrapassa o valor médio da instituição, na modalidade ensino médio integrado foi de 14,56 candidatos para uma vaga em 2016 (veja AQUI). Quando se observa as cotas, a média aumenta consideravelmente, diminuindo assim, as chances de muitos jovens conseguirem realizar o sonho de um ensino público de qualidade.

Só os melhores alunos das melhores escolas particulares conseguem entrar. Por outro lado, o campus de Mossoró passa a ter alunos com melhores rendimentos, resultados de prêmios, conquistas em torneios e um bom destaque no ranking entre as melhores escolas do RN.

No PDI de 2014 a 2018 – IFRN, não foi observado a preocupação com um estudo de viabilidades técnicas para fases futuras da expansão, apesar de se observar outras metas até 2020, é imprescindível que o processo de expansão esteja sempre pronto em forma de projetos técnicos e cidades já definidas em fila de espera.

Acredito que no PDI-IFRN, possa começar a discutir internamente a possibilidade de pensar e planejar a divisão do IFRN em duas reitorias para facilitar a logística, otimizar tempo e recursos, principalmente diminuir gastos, diárias, depreciação de veículos, entre outras despesas observadas, como exemplo, o campus de Pau dos Ferros que pode demorar em torno de 5 h 57 min (432 km) via BR-405 e BR-304 para chegar na Reitoria; dependendo da estrada, pode até ser bem mais que isso.

Ficaram registrados em redes sociais e no site oficial da instituição reportagens sobre nomes de municípios que lutam pela instalação de um campus:

* Touros: Veja AQUI;

* Jucurutu: Veja AQUI;

* Mossoró

A luta de Mossoró por um novo campus não é de agora, o Blog Carlos Santos registrou várias matérias nesse sentido e até mesmo a TV Cabo Mossoró (TCM) fez uma reportagem prevendo o novo campus para 2015 (veja AQUI):

Blog Carlos Santos e luta por outro IF

18/05/2014 – Veja AQUI;

10/11/2013 – Veja AQUI;

20/03/2013 – Veja AQUI;

15/03/2013 – Veja AQUI;

27/02/2013 – Veja AQUI.

Atualmente, o município de Jucurutu parece que conseguirá a proeza de conquistar um campus do IFRN, mesmo não estando no PDI 2014 – 2018. O município tem uma população de 17.692 (2010), com estimativa de 18.530 (2017), o número de matrículas no ensino médio é de 723 (2015) com 30 docentes no quadro.

A distância da cidade de Jucurutu para o campus do IFRN mais próximo é de 70 km para Currais Novos e de 62 km para Caicó, dentro do perímetro estabelecido ou aceitável.

Será que Mossoró vai perder para Jucurutu de forma técnica e política? Mossoró tem uma população estimada de 295.619 pessoas (IBGE (2017), com matrículas no ensino médio de 10.745 alunos e 594 professores. Mossoró tem força política por ser o segundo maior colégio eleitoral, mas é fraco em representação política. Falta alguém que lute verdadeiramente por ela.

Josué Moreira é professor do IFRN e ex-candidato a prefeito de Mossoró

Categoria(s): Artigo / Educação

Comentários

  1. Naide Maria Rosado de Souza diz:

    Professor Josué Moreira.
    Escolas técnicas , a meu ver, redenção de um povo. Eis uma bandeira que teria honra de portar.
    Acorda, Mossoró! Estou muito longe.
    Grande, Professor Josué!

  2. Marcelo Salazar diz:

    Excelente Carlos e Josué. Mossoró merece outro campus do IFRN e já deveríamos ter a muito tempo. Tive o privilégio de cursar no IFRN em 2007, e pra mim é uma referência acima da média em questão de organização, educação de qualidade e ambiente físico e docente.

  3. Carlos diz:

    Sou da primeira turma (2005) do IFRN-Mossoró, que na época chamava-se ainda de CEFET-UNED (unidade descentralizada)/MOSSORÓ , havia apenas duas unidades Natal e Mossoró. O ensino federal desde então cresceu á passos largos, nunca antes imagináveis !!!. Sou ex-aluno também da UFRN/Natal, esta então, nem se fala !!!!

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.