quinta-feira - 05/12/2019 - 12:52h
Realidade

Governo Fátima convive com ameaças do capital e do trabalho


O Governo Fátima Bezerra (PT) vai fechar o primeiro ano de gestão dando demonstração de tolerância e flexibilidade, no diálogo com capital e trabalho. Põe freios ao olhar marxista para o tema e procura evitar abismo entre um e outro, na tarefa de gerir o RN. Mas mesmo assim segue sob tensão.

Até o momento, não está consolidado o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (PROEDI), que foi implantado para fomento à industrialização do estado, de modo a ser competitivo com os vizinhos – sobretudo Ceará e Paraíba. Ação judicial recente da Prefeitura do Natal começou a provocar fissuras nele (veja AQUI).

O Proedi é um projeto do Governo Fátima Bezerra, mas foi concebido nas entranhas da Federação das Indústrias do Estado do RN (FIERN), por especialistas que estudaram deficiências do antigo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do RN (PROADI), seu antecessor nos propósitos. O governismo o abraçou praticamente na íntegra, como esboçado pelo empresariado.

Fátima recebeu anteprojeto da Fiern e por decreto fez a vontade do capital sem ouvir prefeitos (Foto: Elisa Elsie)

Só esqueceu de combinar com os prefeitos (veja AQUI). É daí que eclodiu a principal resistência à sua operacionalização plena, com ameaça do empresariado de fechamento de milhares de postos de trabalho (veja AQUI).

A governadora apressou-se em ficar “de boa” com os empresários, sem costurar e dar o nó com os municípios, que alegam perdas com o regime de ‘parceria’ em que eles entram compulsoriamente com o pescoço; Estado e empresários estão com o machado e a foice.

Na relação com o funcionalismo, há abalo também nas relações até históricas e intrínsecas da governadora com o movimento sindical. Parcela dos trabalhadores está possessa com a iminente reforma previdenciária a ser apresentada pelo governo à Assembleia Legislativa.

O diferencial é que na segunda-feira (2), representantes da governadora receberam lideranças do Fórum dos Servidores do RN e lhes apresentaram anteprojeto reformista. Aguardam sugestões e estudos do segmento trabalhador.

Importante lembrar: Fátima sempre foi contra reforma previdenciária, cessão onerosa do pré-sal e teto de gastos à época em que era senadora, mas acabou recuando agora – como governante.

Perdas e ganhos

Os números da previdência estadual, por exemplo, mostram essa necessidade adiada há anos, inclusive por pressão do próprio sindicalismo.

Em relação ao empresariado, a governadora acatou praticamente na íntegra seus interesses com o Proedi e tem recebido dele um endosso integral. Está – ainda – a seu lado.

Setores do sindicalismo estão irritados (Foto: arquivo)

Quanto ao funcionalismo, é um pouco diferente e mais delicada a convivência. Existem pontos que o Governo Fátima Bezerra não abre mão na Reforma da Previdência do RN, sob pena de não conseguir minimizar em nada o déficit previdenciário bilionário. Talvez precise bater de frente com sua própria base: o sindicalismo.

Função social da empresa e a responsabilidade social do Estado estão em evidência. Maior empregador do RN, o Governo do RN é insolvente. Estado mínimo ou não, as contas não batem. Provavelmente terminará o ano com pelo menos duas folhas em atraso, remanescentes da administração Robinson Faria (PSD), além de uma terceira (parcialmente).

Se não reverter politica e judicialmente o freio no Proedi, Fátima perderá um aliado de peso e até então improvável: o capital. Prejuízo ainda maior deve aparecer nas estatísticas sobre emprego e em dados fiscais do Estado.

Quanto aos servidores, força política direta e indireta em toda sua trajetória, será difícil agradar a todos e rache de vez essa massa de militantes.

Enfim, não é fácil ser governo. A professora-sindicalista Fátima Bezerra agora sabe.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo  TwitteAQUIInstagram AQUIFacebook AQUIYoutube AQUI.

Categoria(s): Política

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    Senador Stivenson postou vídeo na rede social afirmando que o diretor da Caern recebe salários de 70 mil reais. Nas emissoras de rádio ouvintes reclamam da aposentadoria de ex-reitor da UERN de mais de 60 mil reais.
    Quanto a Fátima Bezerra paga a diretor de fundações?
    Parece que para alguns tem dinheiro sobrando.

  2. João Claudio - Papai Noel vem aí. HÔ! HÔ! HÔ! diz:

    Tradução 1) Fatão não é do ramo.

    Tradução 2) A salvação da lavoura seria o Haddad na presidência.

    Tradução 3) Hoje, o Haddad não passa de um traque molhado.

    Tradução 4) O ‘Gopi’ tá provando do mesmo veneno que enfiou, durante décadas, nas gargantas dos seus adversários.

    Epílogo (1):

    Eu axepôco 13 vezes e exijo de público que pague à minha filha e a todos os outros servidores do estado, os salários e 13o salário em atraso.

    Epilogo (2):

    Ditados populares muito usados na Paraíba:

    1) ‘Só pega na rodilha quem pode com o pote.’

    2) ‘Paraíba masculina mulher macho, sim senhor.’

    3) Vade retro.

  3. Q1naide maria rosado de souza diz:

    Quadro muito diferente da época da campanha quando a então candidata Fátima Bezerra diz-se capaz de enfrentar as dificuldades já anunciadas e delineadas.

  4. João Claudio - Papai Noel vem aí. HÔ! HÔ! HÔ! diz:

    O fato e o foto.

    - Viiiiixi! Eu tô assustadinha.

    - Pode dizer o motivo da sua assustação?

    - É que eu axo qui o sinhô engoliu um mucêgo e as asas ainda estão do lado de fora da boca. Num dá nem pra gente vê seus beiçus.

    - Fique calma. Não é asa de morcego. É o meu bigode.

    - Qué dizê qui ais muié beijá na sua boca… neim pensá, né? É meiló ir comê cabelo no salão do barbêro, né não?

    - Elas preferem que eu use esse instrumento mais abaixo, na linha da cintura.

    - Cuma?

    - Eu uso ‘lá’, entendeu?

    - Cuma, de novo?

    - É um 2 em 1: Afastado e fazendo movimento para cima e para baixo, funciona como espanador. Se encostar e fizer movimentos aleatórios, funciona como um ‘vibro’ sem fio. Entendeu?

    - Misericórdia! Muito bom e nem gasta píula, né? Demora muito patê um instrumento dêçi?

    - Um pouco de paciência e dedicação.

    - Se eu fôci homi eu murria de inveja.

    - Existe na versão artificial. É vendida em sex xópi.

    - Num diiiiiiiiiiiga…!

    - Já disse.

    • João Claudio - Papai Noel vem aí. HÔ! HÔ! HÔ! diz:

      Sostô! O FATO saiu antes FOTO. O correto é ‘A foto e o fato.’

      Amorim, você sumiu? Foi abduzido ou está gozando férias?

      Nesse fim de ano você vai comer peru na ceia de Natal ou vai encarar o ‘piru’ do governo do estado? Tá todo mundo conformado e com as respectivas ‘padarias’ preparadas e aguardando o ‘Grand Finale 2019.

      A baitolagem, claro, não vê a hora de encarar e fazer o ‘piru’ desaparecer. É o momento mágico da raça.

      Tô falando daquele ‘negó$io atrasaaaaaado, desde o tempo do governador da segurança. Tá entendendo? Tá lembrado?

      Tá, né?

      Ah, eu tô sabendo que a diversão do ex governador após a sua saída do governo, é dar um tapinha nas costas do servidor, curvar ligeiramente a cabeça para um lado, arregalar os olhos como estivesse espantado, abrir um sorriso triste e perguntar:

      - Já recebeu o atrasado, lindo(a)?

      Em seguida, um sorriso de torar as alças do corpete da servidora e de lascar os tamancos do servidor.

      Assim, ó:

      - Eh eh eh eh eh eh eh….!

      Lembrando a todos e a todas que no dia 12 de dezembro, véspera do dia de Santa Luzia, sai o resultado final do concurso ‘O Comentarista Mala Sem Alça 2019.’

      Junte os amigos e vizinhos. Forme uma charanga e torça pela sua ‘Mala Sem Alça’.

      Ainda há tempo, ouvintes e telespectadores, de vocês enviarem o nome do seu candidato favorito.

      Não precisa se identificar.
      A ligação é grátis.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.